segunda-feira, abril 13, 2009

Oposição manifesta-se contra governo de coligação


Os dirigentes da oposição ao Presidente Saakachvili recusaram uma proposta de participação num governo de coligação, declarou Eka Besselia, uma das dirigentes da oposição.
Discursando no comício que a oposição organiza permanentemente frente ao Parlamento da Geórgia, ela declarou: “Hoje, o presidente do Parlamento, David Bakradzé declarou que as autoridades estão prontas a formar um governo de coligação. A nossa resposta é uma: não lutamos por cargos, por lugares no governo. A nossa única exigência é a demissão de Mikhail Saakachvili e trata-se de uma reivindicação sem alternativa”.
Os dirigentes da oposição decidiram transformar toda a cidade de Tbilissi num palco de acções de protesto contra o Presidente Saakachvili
“Cada rua de Tbilissi torna-se um local de acções de protesto, nos próximos dias, os focos de insubordinação civil alargarão a toda a Geórgia. Assim será até que Saakachvili não saia”, declarou Levan Gatchetchiladzé, um dos dirigentes da oposição, num comício onde participam mais de 30 mil pessoas.
Foi decidido realizar, dia e noite, piquetes junto da residência de Mikhail Saakachvili.
“Iremos estar em frente da residência até que Saakachvili assine o pedido de demissão”, declarou Kakhi Kukava, outro dirigente da oposição.
Kukava anunciou que hoje as autoridades da Geórgia deverão fazer cedências à oposição.
“Hoje, às 20 horas (18 horas TMG), todos verão que o poder vai mudar radicalmente a sua posição e disso são prova os acontecimentos do último período”, declarou.
“Não estamos a perder força e verão que a posição do poder vai mudar. E isso será um testemunho de que a força não dimimui, pelo contrário”, acrescentou.
Entretanto, a oposição começa-se a dividir quanto às formas de luta a realizar.
Zurab Nogaideli, antigo primeiro-ministro da Geórgia e dirigente do partido “Por uma Geórgia Justa”, anunciou que os seus apoiantes deixam de participar nas manifestações da oposição.
“No dia 9 de Abril, eu e os meus camaradas realizámos em Batumi uma numerosa manifestação para exigir a demissão de Saakachvili e, no mesmo dia, teve lugar um grande comício da oposição em Tbilissi. Tudo isso foi um grande acontecimento na vida da Geórgia e um passo sério para substituir o poder”, declarou Nogaideli ao jornal georgiano “Versia”.
“Mas, agora, eu e o meu partido decidimos afastar-nos das acções da oposição e não participar em comícios”, acrescentou ele, sem avançar qualquer tipo de explicação.

10 comentários:

Jest nas Wielu disse...

Acontecimentos em Tbilisi (em russo)
http://shupaka.livejournal.com

Anónimo disse...

Retratos de um país ingovernável

Anónimo disse...

^^
você está falando da Rússia?

Anónimo disse...

Milhazes, li agora que o ministro Amado está por aí em grandes encontros. Fala de nova era nas relações, mas não diz nada em concreto em termos de cooperação. Afinal, que se passa?

Jest nas Wielu disse...

Geórgia e a sua oposição

Para perceber que tipo das pessoas estão em frente da oposição georgiana, basta ler a história sobre o lixo, a oposição ficou INDIGNADA, quando o perfeito de Tbilisi sugeriu que essa mesma oposição limpe o lixo deixado ... naturalmente pela oposição. A decisao do perfeito foi tomada após um incidente obscuro, quando os varredores da rua da municipalidade foram acusados pela oposição de atacar as tendas da oposição.

Lembrou me a Angola, onde após a independência, deixaram de limpar as ruas sob o pretexto que “não fizemos a independência para limpar as ruas”.
http://shupaka.livejournal.com/254275.html

Outro belo retrato da Geórgia e da sua oposição:
http://ucrania-mozambique.blogspot.com/2008/08/gergia-inclemente-estado-livre.html

Jose Milhazes disse...

Leitor anónimo, eu estive na conferência de imprensa de Luís Amado e acho que o mais importante a assinalar é a promessa de Portugal facilitar a obtenção de vistos aos russos, tendo em conta a abertura da linha aérea directa Moscovo-Lisboa.

Anónimo disse...

Obrigado pela informação. Tal como suspeitava, tudo espremido não deita nada. Enfim, ao menos falam.

Anónimo disse...

A oposição georgiana deve ser pró-russa e não mais ocidental como o Sr Milhazes disse.
Se fosse pró ocidental, o Jestunga não a vinha atacar.

Anónimo disse...

Esse povo deve ser muito burro pra sair na rua pra apoiar o domínio russo sobre o seu próprio país.

Ren

Jest nas Wielu disse...

Provocações putleristas

Hoje a tarde, o Vice – Ministro georgiano do Interior, informou que as forças da segurança da Geórgia detiveram o activista do movimento juvenil totalitário “Nashi”, Alexander Kuznecov, que foi enviado a Geórgia para criar um incidente na zona da fronteira administrativa da Ossétia do Sul.

Os jovens – putlerianos pretendiam ver a sua coluna alvejada ao tiro, para depois culpar a Geórgia. O putleriano detido era a peca – chave desta provocação falhada.

Ver vídeo da confissão do “nashista”:
http://www.youtube.com/watch?v=_3UzCz3xTWY

A Geórgia mostrou toda a sua humanidade, em entregando o criminoso russo aos cuidados da embaixada helvética em Tbilissi.