sábado, abril 18, 2009

Terá a NATO de pedir autorização à Rússia para realizar manobras e vice-versa?


O Presidente russo, Dmitri Medvedev, considerou hoje que o projecto da NATO de organizar exercícios na Geórgia em Maio era uma decisão «errada» e «perigosa».
«Penso que é uma decisão errada, uma decisão perigosa porque quando um bloco militar realiza jogos de guerra perto de um local onde, não há muito tempo, existiam tensões muito elevadas (...) arrisca-se (a provocar) diferentes tipos de complicações», disse num encontro de imprensa comum com o homólogo do Azerbeijão, Ilham Aliev.
«Tais decisões são decepcionantes e não facilitam o reinício dos contactos integrais entre a Rússia e a NATO. Nós vamos seguir de forma muito atenta o que se vai passar e tomar uma decisão se necessário», acrescentou.
A NATO anunciou quinta-feira que ia organizar exercícios na Geórgia de 06 de Maio a 01 de Junho, no âmbito do programa de Parceria para a Paz, do qual Tbilissi é membro. A Rússia pediu já o adiamento desses exercícios.
Moscovo não aceitou o convite feito pela NATO para participar nas manobras militares entre 06 de Maio e 01 de Junho na Geórgia e anunciou que irá realizar manobras no Norte do Cáucaso na mesma altura.
O embaixador da Rússia junto da Aliança Atlântica, Dmitri Rogozin, considerou “absurdas”, “provocação” e “ingerência nos assuntos internos da Geórgia” as manobras organizadas pela NATO nesse país.
Nas manobras vão participar 19 países, entre os quais aliados da Rússia na Organização do Tratado de Segurança Colectiva, como o Cazaquistão e a Arménia.
Moscovo decidiu realizar manobras militares junto das fronteiras da Geórgia, nomeadamente na Abkházia e Ossétia do Sul, regiões georgianas separatistas que proclamaram a independência com o apoio da Rússia, justificando a iniciativa com "informação concreta sobre a alta probabilidade da realização de acções provocatórias pela Geórgia contra a Abkházia e Ossétia do Sul”, disse o porta-voz da diplomacia russa, Andrei Nesterenko.
“As acções do comando russo visam garantir a segurança dessas repúblicas e dos militares russos aí aquartelados em conformidade com os acordos bilaterais”, frisou Nesterenko.
“As medidas tomadas nada têm de extraordinário e são realizadas no quadro de iniciativas planeadas de treino, que estão presentemente a ter lugar nos territórios da Região Militar do Cáucaso do Norte, da Ossétia do Sul e da Abkházia, nas costas do Mar Negro”, precisou.
No passado dia 10 de Abril , o chefe da diplomacia georgiana, Grigol Vachadzé, acusou a Rússia de estar a concentrar tropas na fronteira com a Geórgia, mas o Ministério dos Negócios Estrangeiros russo considerou essa declaração “uma falsificação para distrair a opinião pública dos problemas do regime de (o Presidente Mikhail) Saakachvili”.
“Têm lugar manobras militares em toda a Região Militar do Cáucaso do Norte (RMCN), preparamo-nos para revistas. Em Abril terminam os treinos de Inverno, as tropas são examinadas. As unidades são levadas para os polígonos e centros de treino”, declarou o chefe do serviço de imprensa da RMCN, coronel Andrei Bobrun, citado pela imprensa russa.

Gostaria de deixar algumas perguntas aos meus leitores:

1) Por que é que a Rússia está a fazer tanto barulho agora se já tinha sido prevenida dessas manobras há muito tempo e tinha discutido a questão com a NATO, como afirma o centro de imprensa da Secretaria de Estado norte-americana?

2) Não será por isso que organizou manobras nilitares junto das fronteiras da Geórgia no mesmo período? E se assim é, será que a Geórgia não é um Estado independente e tem também o direito de realizar no seu território manobras militares?

3) Será que Moscovo terá motivos para tanto barulho se a NATO veio anunciar que nas manobras não irão ser empregues armas e tanques, se nas manobras participam soldados de países aliados da Rússia como o Cazaquestão ou a Arménia, ou amigos como a Moldávia, Sérvia e Azerbeijão?

4) Com esta posição, não irá Moscovo voltar a unir toda a classe política georgiana e, desse modo, reforçar as posições do Presidente Saakachvili?

A quinta pergunta é dirigida aos organizadores das manobras da NATO:

5) Quem teve a "ideia genial" de convidar a Rússia para umas manobras militares a realizar na Geórgia, tendo em conta a guerra entre os dois países ocorrida há menos de um ano?

Tudo isto não passa de mais uma tempestade num copo de água!

74 comentários:

PortugueseMan disse...

1) Em que altura foi discutido a questão com a NATO?

2) A Geórgia é um país independente e tem todo o direito a realizar as manobras militares. Como a Rússia tem todo o direito de dizer que não gosta.

3) Não vão ser empregues armas e tanques? mas eles vão lá para algum piquenique? De certeza que não vão ser empregues armas?

O perigo reside se algo acontece durante os exercícios.

4) Uma coisa é a nossa reacção a ameaças externas, outra é a nossa reacção para assuntos internos.

5) Eu acho que a Rússia foi sempre convidada para estas manobras em anos anteriores.

O problema não está em fazer manobras na Geórgia, o problema é que a Geórgia foi palco de um conflito recente, é uma zona complicada e a coisa pode saltar para um outro nível.

A atitude sensata na minha opinião seria não as realizar este ano.

Jose Milhazes disse...

Caro PM, Washington afirma que a questão foi discutida há muito tempo e que as manobras não são novidade para a Rússia.
Segundo foi dito, não irão ser empregues armas, mas serão exercícios de Estados-Maiores.
O que pode acontecer durante asc manobras? Na era da guerra fria nada aconteceu e agora poderão ser feitas provocações. Quais? Os soldados da NATO são atacados por desconhecidos que se pensa ser militares russos e respondem invadindo a Rússia?
A Rússia foi sempre convidada, mas o convite para a Geórgia acho despropositado.
Se a NATO adiar estas manobras, quando tentar fazer outras, terá o mesmo coro de protestos. Não será mais sensato que ambas as partes realizem manobras com calma e ponderação? Eu não vejo problema nenhum, a não ser o fazer barulho por fazer ou tentar mostrar que os soldados da NATO são uns "diabinhos" e os nossos uns "santinhos"?
Há tanta coisa mais importante para fazer!

Sérgio disse...

Caro JM é uma boa ideia a da invasão,:). Abraço.

PortugueseMan disse...

Pois a questão foi discutida há muito tempo, mas a questão é: Depois dos últimos acontecimentos algo foi discutido? duvido.

Em relação às armas, o que tenho visto indicado é que não serão empregues armas pesadas.

O problema não está em provocações com soldados da NATO.

O problema é se surgem novamente "escaramuças" junto às fronteiras.

"Se a NATO adiar estas manobras, quando tentar fazer outras..."

Não sabia que a NATO andava só a fazer exercícios em países onde a Rússia intervem militarmente.

"Não será mais sensato que ambas as partes realizem manobras com calma e ponderação?"

Sensato é escolher uma zona mais neutra para brincar aos soldadinhos isso é que é ser sensato.

"Eu não vejo problema nenhum"

É claro que não, afinal em Agosto só morreram uns russos, uns georgianos, uns velhotes pelo o meio, umas casitas e algumas hortas que mudaram de país.

Também ouvi muita gente a fazer os seguintes comentários acerca da quantidade de soldados mortos americanos no Iraque.

"Morrem mais americanos por ano em acidentes de viação"

É tudo uma questão de perspectiva e sensatez.

Jose Milhazes disse...

Caro PM, mas, em Agosto passado, tratou-se de uma guerra entre a Rússia e a NATO?
A Rússia tem direito a realizar manobras na Ossétia do Sul e Abkházia, mas a NATO não pode fazer o mesmo na Geórgia? Acho que você peca por padrões duplos. Quanto à minha posição, acho que se está a provocar uma tempestade num copo de água.

Jose Milhazes disse...

Caro PM, publico aqui as declarações do general russo Andrei Sinaiski, secretário do Conselho dos Ministros da Defesa da Comunidade de Estados Independentes, hoje proferidas aos microfones da Eco de Moscovo: "Não se trata de manobras, nada ocorrerá de terrível aí. Trata-se de aulas metódicas, de concentrações metódicas. Resumindo, trata-se de uma demarche política da parte da NATO. Não obstante a reacção negativa da Rússia, ela irá realizar-se e devemos olhar com calma para isso".
Ele assinalou também que "as manobras estavam planeadas e a decisão da sua realização foi tomada antes dos acontecimentos de Agosto de 2008 na Ossétia do Sul".
"Mas se se olhar racionalmente para isso, claro que essas manobras não vêm a tempo", concluiu.
Caro leitor, compare estas declarações com as palavras histéricas do Sr. Dmitri Rogozin.

Anónimo disse...

As pessoas têm de entender de uma vez para todas que com os russos só se fala de baioneta em riste. Só entendem a linguagem da força. Só quem é cego não vê que a agitação que vai no Cáucaso é deliberada. è sempre a melhor solução para os maus ditadores provocarem guerras quando estão aflitos. alfuém duvida que eles estão aflitos? O poder está a dissolve~-se de dia para dia e quando a malta poder pôr-se de pé, quanto tempo acham que duram? Portanto, uma guerrinha seria muito conveniente. Os rapazes até têm andado a treinar. Preocupa-me mais os tentáculos por cima do mundo livre que já chegaram a Portugal. Basta ver a quantidade de militantes neste fórum.
Viva a liberdade!

Sérgio disse...

Este útimo anónimo tem toda a razão, ainda para mais quando o inimigo está infiltrado no próprio país e nem se precisa de ir ao exterior para desencadear uma guerrazita.

PortugueseMan disse...

Caro José Milhazes,

...em Agosto passado, tratou-se de uma guerra entre a Rússia e a NATO? Ora vamos lá a ver. Membros da NATO estiveram a financiar e a treinar o exército da Geórgia, estou a mentir?

Quando a Geórgia se lembrou de bombardear a Ossétia do Sul a contar que o podia fazer impunemente com o fechar dos olhos da NATO, aconteceu o imprevisto(?) e a Rússia entrou no conflito. Quando Saakashvili andava entretido a comer gravatas, a mostrar imagens das bandeiras da UE e NATO, quando a nenhuma pertence, um membro da NATO em pleno conflito enviou um navio militar para um dos portos da Geórgia. Diga-me num cenário de guerra onde um terceiro país envia um contigente militar onde descarrega material, como é que ele deve ser considerado pelas partes envolvidas?

Não esquecendo que esse mesmo terceiro país, tinha na altura do início do conflito militares na zona?

Se a Rússia tivesse agido em conformidade e afundado o navio por estar a ajudar o inimigo, qual seria a nossa situação hoje?

Se a Rússia tivesse destruido as infrastruturas económicas, destruido o pipeline e bombardeado posições onde estavam os contingentes de membros da NATO, qual seria a nossa situação hoje?

Sabe qual foi a posição de Israel assim que se descobriu que havia material deles lá e que foram usados no conflito? Rápidamente se descartou e informou que nada foi enviado DEPOIS do conflito eclodir.

Sabe o quanto Israel tem a perder caso a Rússia decida armar o Irão e a Síria com o que eles pedem?

Acho que você peca por padrões duplos.Se eu peco por padrões duplos, o que dizer de si?

Caro leitor, compare estas declarações com as palavras histéricas do Sr. Dmitri Rogozin.Ainda agora nas notícias estava a ver que o francês básicamente chamou estúpido ao espanhol.

Declarações? vê-se de tudo. e de todos.

Agora cada um vê as que quer ver.

A Rússia tem matéria para reclamar e tem matéria para tirar dividendos.

E já agora, a Rússia já começou a sofrer as sanções que toda a gente prometeu ou só há tempo para brincar aos soldados para mostrar que são capazes de fazer algo?

Brasileiro disse...

Meus caros amigos esse jogo de guerra é perigoso pois estão a mexer com a onça com vara curta, parecem que querem envolver a russia em outro conflito!!! eles (russos) lutam muito bem são exelentes na arte da guerra. Imagine se a Russia ou a china realizarem exercicios militares na Coreia do Norte, Siria, irã ou mesmo em Cuba?!?! Lembre-se que a Russia mesmo abalada pela crise ainda é uma potencia militar e se pode vencer uma guerra contra a Nato, mas, com certeza arrastaria um conflito por anos com muitas mortes antes de se render ou se render , coisa que não acredito, assim teriamos um conflito eterno nas portas da Europa induzida pelos EUA

Anónimo disse...

Não vai haver guerra nenhuma. É só conversa. Está tudo a precisar de descanso. Bom fim de semana.

Anónimo disse...

"Lembre-se que a Russia mesmo abalada pela crise ainda é uma potencia militar e se pode vencer uma guerra contra a Nato."

Deus, ainda tenho que ler afirmações como essa. A NATO têm 70% da força militar mundial. A única possiblidade para a Rússia é fazer uso do seu acervo nuclear, mas aí seria um suicídio.


sandra

Pippo disse...

A sensatez ditaria que estas manobras militares tivessem lugar num outro país qualquer. Dizem que a NATO apenas vai fazer CPX - Exercícios de Posto de Comando. Pois bem, esse tipo de exercícios pode ser praticado em qualquer país. Façam-no na Grécia ou na Bulgária. Ninguem se chateia por isso.
O elevado envolvimento de países da NATO, e da própria organização, na guerra de Agosto, deveria servir de travão a este tipo de iniciativas. É mera estupidez provocar os vizinhos.
Lembro que o ataque por parte dos georgianos, confirmado por observadores da OSCE, teve lugar imediatamente após um exercício de treino conjunto envolvendo militares dos EUA e da Geórgia.

Os exercícios militares russos parecem-me ser meramente uma resposta à iniciativa da NATO. Não serão algo planeado previamente, como o Kavkaz 2008. O que os russos parecem estar a fazer é aumentar a parada, mostrando que também eles sabem brincar às guerras. O problema é que, por vezes, as brincadeiras dão para o torto.

Mais valia que a NATO tivesse juízo.

Anónimo disse...

O que a NATO está fazendo (e muito bem) é forçar a Rússia a gastar (o que tem e o que não tem) em armamento. Assim, como fizeram com URSS, o país gastou tanto em armas numa corrida frenética com os EUA que esqueceu de dar qualidade de vida ao seus habitantes. E ao final das contas, não teve terceira guerra e o país estava bem armado mas podre por dentro. A Rússia de hoje, vai pelo mesmo caminho...e tem gente que aplaude o Putin ainda


Zé Carlos

Anónimo disse...

de vez enquando, os senhores da NATO se reunem e decidem:
- vamos dar um sustinho na Russia?

E os russos assustados e bobocas botam mais grana em armas. Essa política americana sempre funcionou para com a Rússia

ZC

Anónimo disse...

^^
tem um livro do Brzezinski sobre isso.



sérgio

Anónimo disse...

o urso é um animal muito forte e violento, mas infelizmente: meio burro.

MSantos disse...

Caro José Milhazes

Relativamente ás questões que colocou, o Sr tem as suas respostas que provavelmente sabemos, assim como os diversos leitores têm as suas. Isto já foi discutido vezes sem conta e já conhecemos as posições de todos e respectivos argumentos.

Acho no entanto que existem outro tipo de questões que se centram mais na Georgia e no seu presidente:

- Porque é que após um conflito com resultados desastrosos principalmente a nível civil e infraestruturas, o governo georgiano e os seus grandes aliados se estão a focar no financiamento do exército, sabendo de antemão que se houver vontade da Rússia este não será obstáculo por muito bem equipado que seja?
Creio que a situação nos hospitais, refugiados, desalojados continua a mesma.

- Tendo uma situação caótica entre mãos, com um país destroçado, contestação crescente, perda significativa de integridade territorial, porque razão insiste o Sr Saakachvilli em manobras militares, reequipamento do exército, integração na NATO, quando havia problemas internos tão mais urgentes por resolver?

Isto nada mais é do que a triste repetição da aventura da junta militar argentina nas Falkland exactamente para fugir aos problemas do país.

Este último argumento funciona sempre e com razão quando se apontam os defeitos russos. Espero que também possa funcionar no campo oposto.

Cumpts
Manuel Santos

Brasileiro disse...

Digo que não se pode quanhar uma guerra contra a OTAN (NATO) mas estamos falando dos Russo os quais pela antiga URSS, entrou em Berlim sozinha, antes dos aliados na 2º guerra, e quem tem um pouco de conhecimento militar sabe que uma guerra contra um inimigo tão forte deve ser travada em estilo guerrilha assim os EUA perdeu a guerra contra o Vietna, tem dificuldades no iraque ate hoje e lembram-se quando Israel entrou no Libano? armas no ombro do soldado bem posicionado vale mais que tanque de alto preço, por isso afirmo que não seria de enteresse para a OTAN uma guerra contra a Russia.apessar que o maior inimigo hj da União Europeia é a China e talves os EUA.

paulo disse...

Hoje não existe mais URSS, e a Rússia não tem Ucrânia, Belarus, etc. Ainda mais, quando entraram em Berlim vieram junto com os russos: ucranianos, polacos, casaques, bielo-russos, etc.
Comparar a força militar da Rússia com a da NATO, é como comparar a da Bolívia com a do Brasil.

Brasileiro disse...

Comparar a força militar da Rússia com a da NATO, é como comparar a da Bolívia com a do Brasil. É curioso Mesmo com o fim da guerra fria ainda hj a OTAN ainda tem medo da russia, me diga qual país no mundo colocaria missil na europa com proposito de ameaça-la? A Rússia, anunciou que vai colocar novos mísseis em um enclave no Mar Báltico, perto da Polônia, os mísseis Iskander, de curto alcance, serão colocados na região de Kaliningrado, onde "neutralizariam" o sistema antimísseis americano planejado para ser implantado na Polônia e na República Checa.
Porque ainda esse sistema antimissil não foi colocado?? pressão Russa?!! Será que a Bolívia teria esse poder ? em relação ao Brasil

Ricardo disse...

Na verdade quem gosta de provocar a Rússia não é a Otan em si e sim os EUA que obviamente mandam na OTAN.

Ricardo disse...

"Comparar a força militar da Rússia com a da NATO, é como comparar a da Bolívia com a do Brasil"


É? a Rússia tem poder suficiente pra riscar todos os países da Otan do mapa e a Bolivia tem capacidade de riscar o Brasil do mapa?

Otan tem "medo" da Rússia pelo simples fato de que mesmo com o fim da URSS a Rússia continua a ter um exército poderoso, obviamente muito mais fraco que o dos EUA no campo de armamentos convencionais, mas suficiente pra bater de frente com qualquer país da Europa Ocidental.

O general russo Vladimir Popovkin disse certa vez:
"Enquanto formos uma potência nuclear, nenhum esquentadinho vai se aventurar a atacar o nosso país"

Anónimo disse...

"a OTAN ainda tem medo da russia"

e eu acredito em papai noel também

Anónimo disse...

Brasileiro e Ricardo, leiam direito o que eu escrevi:

"A única possiblidade para a Rússia é fazer uso do seu acervo nuclear, mas aí seria um suicídio."

sandra

Anónimo disse...

'Será que a Bolívia teria esse poder ? em relação ao Brasil"

hehehe esses dias a Bolívia correu com a Petrobrás e o Brasil não fez nada, não é?


Zé Carlos

Yan disse...

Acredito que qualquer pessoa que analisar a força militar russa (sem paixões, o que tem muito aqui nesse blog), verá que ela é extremamente superestimada. EXCETUANDO-SE O SEU ACERVO NUCLEAR, não podemos considerar a Rússia como um poder que possa fazer frente à NATO.

Vejam só as despesas militares entre a NATO e Rússia:

NATO: $ 1,049,875,309 (2008)
Rússia: $ 50,000,000 (2009)

Alguém ainda tem alguma dúvida? ;-)



O general russo Vladimir Popovkin disse certa vez:
"Enquanto formos uma potência nuclear, nenhum esquentadinho vai se aventurar a atacar o nosso país"

o cara do Paquistão e do Irã disseram algo semelhante há algumas semanas hahahaha

Yan disse...

O orçamento militar russo é só 4,76% do da NATO. A diferença é extremamente gritante, não acham?

Anónimo disse...

Se a NATO tivesse realmente medo da Rússia, não teriam ocorrido todas aquelas expansões para os países do Leste, a NATO não teria inavadido a Sérvia, aliada da Rússia, etc.
Quanto às armas nucleares. Se a Rússia usar elas para "riscar" do mapa algum país da NATO automaticamente ela também irá desaparecer da face da Terra.

Wandard disse...

"Gostaria de deixar algumas perguntas aos meus leitores:
1) Por que é que a Rússia está a fazer tanto barulho agora se já tinha sido prevenida dessas manobras há muito tempo e tinha discutido a questão com a NATO, como afirma o centro de imprensa da Secretaria de Estado norte-americana?
2) Não será por isso que organizou manobras nilitares junto das fronteiras da Geórgia no mesmo período? E se assim é, será que a Geórgia não é um Estado independente e tem também o direito de realizar no seu território manobras militares?
3) Será que Moscovo terá motivos para tanto barulho se a NATO veio anunciar que nas manobras não irão ser empregues armas e tanques, se nas manobras participam soldados de países aliados da Rússia como o Cazaquestão ou a Arménia, ou amigos como a Moldávia, Sérvia e Azerbeijão?
4) Com esta posição, não irá Moscovo voltar a unir toda a classe política georgiana e, desse modo, reforçar as posições do Presidente Saakachvili?
A quinta pergunta é dirigida aos organizadores das manobras da NATO:
5) Quem teve a "ideia genial" de convidar a Rússia para umas manobras militares a realizar na Geórgia, tendo em conta a guerra entre os dois países ocorrida há menos de um ano?
Tudo isto não passa de mais uma tempestade num copo de água!"

Sr. Milhazes,

Do ponto de vista Geoestratégico, as suas tres primeiras perguntas podem ser respondidas apenas com uma.

Qual seria o comportamento dos Estados Unidos e da Otan, caso a Rússia resolvesse fazer juntamente com a "Venezuela e a Bolívia", estou citando estes dois não por ter qualquer capacidade militar representativa mais por serem desafetos dos Estados Unidos, manobras militares em conjunto com Cuba? Os americanos ficariam felizes abririam sorrisos e concordariam ou não seria criada logo uma grande tensão internacional?

A resposta não só o senhor sabe como todos nós.

A quarta pergunta também tem como resposta uma pergunta: Será que com o "apoio" da Otan o objetivo das manobras não seja o de ajudar o regime de Saakachvilli?

E para a 5 é fácil, e acredito que o Senhor sabe a resposta, pois é claro que a Rússia não aceitaria o convite de participar de manobras em conjunto com a Geórgia, e como era esperado recusaria e então terminaria sendo acusada de não querer uma aproximação quando a Otan demonstrava boa bontade em estreitar os laços de "amizade".

Não é necessário nenhuma formação em ciência política para se entender o jogo.

Abraço,

Jose Milhazes disse...

Caro Wandard, quando os russos fizeram manobras na Venezuela com navios e aviões de guerra, os EUA não fizeram tanto barulho, até ironizaram quanto à "modernidade" do equipamento russo.

PortugueseMan disse...

os EUA não fizeram tanto barulho, até ironizaram quanto à "modernidade" do equipamento russo...Essa foi a melhor opção para os EUA. Sempre diminuir as capacidades russas. Fazer demasiado barulho, seria dar demasiado crédito aos russos. Numa perspectiva americana é o melhor a fazer.

No entanto já que falou dessas viagens russas, foram realmente muito interessantes, tanto quanto saiba nem o cruzador como os aviões foram tão longe.

Para o caso dos aviões ainda é mais interessante. Foi uma viagem enorme, sem bases de apoio.

Ricardo disse...

Yan, me fale 1 país da Europa Ocidental que tem mais poder de fogo convencional que a Rússia.
Submarinos nucleares ativos:
França 10
Inglaterra 12
Rússia 31

E olha que eu nem citei os que estão na reserva e em reparos, se não o numero pra Rússia subiria fácil pra 50.

Aviões de ataque:
Rússia: 1951
França: 409
Inglaterra: 216

se eu for falar de tanques estão passa a ser covardia...
Otan é totalmente escorada no poder de fogo dos EUA, saiu EUA a Otan acaba!

Yan disse...

Ricardo, meu caro. Não seja ingênuo, a NATO é uma aliança militar (seu lema informal é: "um por todos, todos por um" hehehe). Por isso, não faz a menor diferença você dizer que não existe nenhum país na Europa capaz de bater a Rússia, pois se na prática houver um confronto entre digamos a minúscula Estônia e a Rússia, o bloco inteiro irá entrar em guerra com a Rússia. A Rússia sabe disso, por isso ela se acovardou quando a NATO incorporou alguns países do leste, invadiu uma de suas maiores aliadas (Sérvia), etc. A NATO à muito sabe que cão que ladra não morde.

Anónimo disse...

os caras ainda vão me convencer que a Rússia é mais poderosa que a OTAN!!!

xisto

Anónimo disse...

A Rússia deveria deixar de frescura e entrar de vez na esfera ocidental. Deveria, de fato, assumir sua alma européia/ocidental e abandonar seu lado asiático.
Como seria agradável ter uma Rússia democrática que estivesse pensando em entrar pra OTAN e também estivesse em conversações para uma futura adesão à União Européia. Qual seria o entrave para os russos serem aceitos como um igual entre os europeus? Hoje, acredito que são os próprios russos, e sua secular teimosia e prepotência.
Mas sonhar não custa nada...

Zé Carlos

Karl disse...

^^
os alemães, franceses, ingleses, etc...todos superaram seus antagonismos seculares, perdoaram seus vizinhos para construir algo muito maior que os traria mais força no futuro. Por que só os russos não conseguiram ainda?
A europa não aceita os russos, porque os russos não aceitam conviver com a europa de igual para igual.

Anónimo disse...

Imagine viajar de Lisboa à Vladivostok sem precisar de visto?

Jest nas Wielu disse...

Minhas respostas (JNW):

1) a) Porque as manobras mostram que NATO não abandonou a Geórgia, como a Rússia estava a sugerir. b) porque reforçam a posição do Presidente Saakashvili (uma das acusações que a oposição lhe faz – a guerra foi em vão).

2) As manobras militares russas eram para intimidar a Geórgia, mostrar o seu apoio à oposição (Kremlin estará convosco), assim a NATO estragou todos os planos do Moscovo.

3) Não tem nenhuns motivos para recear a sua própria segurança, pois sabe muito bem que o que está em jogo é a defesa da Geórgia e não ameaça contra o Moscovo. A Moldova, Sérvia e Azerbeijão não são os amigos da Rússia. Moldova por causa da Transnístria, Azerbeijão por causa do Karabakh e a Sérvia desde que optou por entrar na NATO e na União Europeia, rompendo com Milosevic e Ko.

4) Sim, voltará a unir toda a classe política georgiana e reforçará as posições do Presidente Mikael Saakachvili. E ainda bem!

Brasileiro disse...

Acho que nenhum desses comentários estão querendo dizer que a Rússia é mais poderosa que a OTAN (NATO)o que realmente não é, retirando as bombas atômicas, mas prestem atenção estamos falando de um bloco militar "contra" (hoje) um único país a Rússia e pelo meu ponto de vista acho que a NATO tem medo sim da Rússia, não que um dia esse país ganhe uma guerra contra eles, mas pelo grande desgaste que esse aplicaria mesmo se um hipotético conflito restrito á região do Cáucaso eles sabem que o único país que tem real poder de retalhar qualquer ataque direto no planeta é a RÚSSIA, como Brasileiro não tenho medo de nenhum deles, podem ate entrar no Brasil mais sairão mortos, imagine vocês o Brasil tem 190 milhões de hab. +- 85 Milhões de homens, 40 milhões em idade de combate e 10 milhões com coragem de ir combater, caros, 10 milhões é muita gente

Sérgio disse...

Ricardo esqueceu-se de fazer a comparação relativamente a uma arma convencional muito importante, o porta-aviões. Faça lá o exercicio por favor.

antonio everardo disse...

Claro que terá de pedir, pois aquela região não é a América Latina que os USA fazem o que querem. Meu caro José Milhazes, não tente distorcer as coisas. Sabem bem que o propósito dos USA é usar suas armas a fim de dominar o mundo. Os USA estão enfurecidos com a Russia porque ficaram desmoralizados no conflito de agosto passado. Conte mais sobre isso para os leitores compreenderem melhor os seus questionamenos a respeito. Um abraço do Everardo.

PortugueseMan disse...

Kazakhstan Pulls Out Of NATO War Games In Georgia Kazakhstan won't take part in planned North Atlantic Treaty Organization exercises in Georgia, the country's Defense Ministry said Monday, after Russia denounced the war games as "dangerous"...

PortugueseMan disse...

http://www.nasdaq.com/aspx/stock-market-news-story.aspx?storyid=200904200610dowjonesdjonline000220&title=kazakhstan-pulls-out-of-nato-war-games-in-georgia---ministry

faltava o link.

PortugueseMan disse...

NATO Regional Response 2009 exercise begins in AzerbaijanRepresentatives of the United States, Bulgaria, Georgia, Estonia, Latvia, Lithuania, Kazakhstan, Romania, Russia, Turkey and Ukraine joined the exercise as participants and observers. The exercises will be held until April 26 under the staff and field conditions...http://en.apa.az/news.php?id=100719

PortugueseMan disse...

Russia To Pull Out Of NATO Mtg Over Georgia Exercises.
Russia won't take part in a May 7 meeting with top NATO military officals in protest at planned NATO exercises in Georgia, Russia's envoy to the alliance was quoted as saying Monday..
http://www.nasdaq.com/aspx/stock-market-news-story.aspx?storyid=200904201113dowjonesdjonline000453&title=update-russia-to-pull-out-of-nato-mtg-over-georgia-exercises

PortugueseMan disse...

Somos capazes de assistir a pressões interessantes de ambos os lados.

E vamos ver a pressão que irá recair sobre os países participantes.

Ricardo disse...

Atendendo a pedidos, vamos lá:
Porta-aviões:
França: 1 Charles de Gaulle - deslocamento máximo 42 mil toneladas, atualmente ele está parado a mais de 1 ano para reparos, mais recentemente se descobriu que ele tem um erro grave de projeção e agora "só deus" sabe quando ele volta a ativa.

Inglaterra: 2 - HMS Illustrious e HMS Ark Royal deslocamento 20 mil toneladas, ambos ativos.

Rússia: 1 - Admiral Kuznetsov - deslocamento máximo 65 mil toneladas, o Kuznetsov não é um porta-aviões puro, tanto que na Rússia ele é classificado como cruzador por levar consigo misseis anti-navio e anti-submarino.

Cruzadores:
França: 0
Inglaterra: 0
Rússia: 5

Destroiers:
França:12 que são classificados pelo franceses como fragata.
Inglaterra: 8
Rússia: 14

Pippo disse...

Kamaradas, não vale apena estarem a contar espingardas (neste caso, porta-aviões). A capacidade de um país não se resume a ter material militar pois, sobretudo nos dias de hoje, a essa capacidade está subjacente vontade política de a utilizar contra outros.
Qual é a vontade da França, ou do RU, em utilizar o se potencial contra a Rússia? E em que cenário? E com que prospectivas de vitória? E com quais consequências? A equação é igual se incluir, como agentes, a Rússia, os EUA, a China, etc. Aliás, ela inclui Portugal vs Espanha.
A Espanha tem maior potencial militar que Portugal? Tem. Pode a Espanha invadir Portugal? Pode. Pode vencer a curto prazo? Talvez. Pode vencer a longo prazo? Duvido. As consequências (para a Espanha) serão positivas? Tenho seríssimas dúvidas.

É este tipo de equações que terão de fazer, e não ver "quem o tem maior", passe a expressão.

Cumprimentos,

Sérgio disse...

Caro Ricardo esqueceu-se do porta aviões de Espanha "Principe das Asturias", bem como de dizer que o Reino Unido tem em construção mais dois assim como Espanha mais um. Nos submarinos esqueceu-se dos que fazem parte da marinha Alemâ bem como dos países nórdicos, os Suecos estão entre os mais avançados do mundo.

Anónimo disse...

Chama-se a isto "marcar o território". os animais fazem-no com urina, os homens com bandeiras e armas. Ah, e as mulheres com o catão de crédito do dito cujo (hahaha).

Ricardo disse...

Bom, o porta-aviões espanhol ( se enquadraria, melhor no termo mini-porta-aviões) tem um deslocamento máximo de 17.000 toneladas, só pra se ter uma ideia, só o Kirov tem um deslocamento de 27.000 toneladas, os porta-aviões norte-americanos da calsse Nimitz tem um deslocamento máximo de 101.000 toneladas, são quase 6 "Principes das Asturias", quanto ao uso de submarinos convencionais, a propria USnavy e mesmo a Royal Navy já abandonaram a muito sua produção por serem considerados muito inferiores aos submaninos nucleares de ataque.

Brasileiro disse...

Caros colegas isso ta ficando interessante. e congratulo o pippo, pelo seu comentario.

Wandard disse...

Amigos,

Infelizmente em virtude de me encontrar em deslocamento e não e fora de minha base, nãp poderei ser muito específico e com mais dados técnicos referentes à informações de inventário da Otan, Eua e Rússia. Mas vamos lá de forma bem simples. A Rússia é a única superpotência com capacidade de avanço terrestre por tres continentes Europa, Ásia e África Em termos de força de tanques (MTB), são atualmente na ativa 22000 tanques (empatado com os Estados unidos nos top em 7000 para cada lado), na reserva são entre 6 a 8000(modelos mais antigos), Os EU possuem mais 22 mil blindados de todos os tipos e a Rússia 28 mil, na época soviética eram 70 mil tanques, portanto a redução foi muito grande. Sim, o Ricardo está certo são 50 submarinos nucleares contra 65 dos Estados Unidos, os reparos e modernizações já foram concluídos porém não disponho das informações de recomissionamento no momento. Além disso existem os modelos da Classe Borey e Nepa em construção além dos submarinos convencionais. Os Estados Unidos possuem 12 porta-aviões e é extremamente necessário para este país pois se encontra fora dos continentes citados dependendo de deslocamento de forças, porém desde 2007 os russos vêm realizando treinamentos especiais para neutralizar a capacidade destas belonaves e pelo incidente do Kitty-Hawk, a estratégia russa é viável e eficaz. Ricardo são muito mais destroyers, assim que puder informo o inventário mais próximo da realidade do inventário das frotas russas, como já informei antes existe certa superioridade americana na marinha mas os russos estão reduzindo ano a ano e hoje a diferença está em 30%. No quesito das quantidades, a tendência das forças armadas no próximos anos será de efetivos de homens e máquinas cada vez menor, mas como disse o Pippo esta discussão de poder bélico, não me recordo quem comentou mas a Otan, a organização sozinha não é mais poderosa que a Rússia em termos convencionais e isto é fato, muito que circula pela internet mesmo em determinados sites que se dizem sérios e que já foram aqui citados está errado, pois basta verificar que não disponibiliza o arsenal americano só dos outros. Como já referenciei muitas vezes tenho descedência europeia e de forma alguma me sentiria confortável em ver a terra de meus avós ameaçada mas não acredito que haja interesse de nenhum país se envolver em um conflito no momento, até mesmo porque a águia careca não pode se dar a este luxo e muito menos as demais nações mundo. A Força Aérea americana necessita neste momento de Us 9 bilhões para compra de mais 64 F-22 e o congresso está exitante em virtude da crise.

Sr. Milhazes,

As manobras foram feitas na Venezuela e não em Cuba e realmente os americanos ironizaram mas não informaram ao mundo todos os acidentes ocorridos com seus equipamentos nos últimos meses, somente alguns casos que não puderam escapar da imprensa os demais abafaram, provavelmente para também não serem ironizados. Por sinal é irônico a reativação da quarta frota com transferências de belonaves de outras e recomissionamentos de unidades desativadas. E não fizeram mais barulho porque não podiam no momento, do mesmo modo que os rompantes de "atacar" da era Bush se esvaíram, porque será?

Sérgio,

A espanha renovou suas fragatas reduzindo de 5 para 4 e detalhe utilizando canhões e lançadores de mísseis comprados dos EU de segunda mão.

Abraço a todos

Pippo disse...

Wandard, só por curiosidade, poderia elucidar-me quanto a esse incidente com o Kitty Hawk?

Já agora (e não pretendendo entrar em desvarios homoeróticos sobre "quem o tem maior"), quantas fragatas possui a Espanha de momento?
Creio que após receber as fragatas holandesas, Portugal ficará com 6, com grande capacidade operacional. O que nos falta para garantir a nossa soberania nas nossas águas territoriais e ZEE são navios de patrulha oceânicos os quais não há meio de serem disponibilizados...

Abraço

Jose Milhazes disse...

Caro Wandard, obrigado pelo reparo. Claro que foi na Venezuela e não em Cuba.
Apoio o comentário do Pippo.

PortugueseMan disse...

Pippo,

Se procurar por Kitty Hawk, su-27 e su-24 irá encontrar várias referências do que aconteceu em 2000 e que penso que seja o que Wandard se estava a referir.

Pippo disse...

Ah, ok. Ou talvez se referisse a um outro incidente com um sub chinês.
Mas naquele caso, o dos aviões, foi um incidente que ocorreu há 9 anos atrás, as coisas mudaram entretanto...
Pensando bem, se calhar mudaram, mas mais a favor da Rússia do que dos EUA :o)

PortugueseMan disse...

"...Pensando bem, se calhar mudaram, mas mais a favor da Rússia do que dos EUA..."

Eu até ia para concordar, o que aconteceu estes 9 anos em matéria de rearmamento na Rússia é qualquer coisa.

Mas os EUA tiveram uma dose cavalar nos mesmos anos.

E a China também tem estado a receber doses indústriais.

Enfim, quando penso nisto, só me vem à cabeça imaginar que estou a ver umas núvens escuras ao longe e que vem ai uma tempestade.

Na minha opinião os tempos de hoje estão bem mais perigosos que no tempo da guerra fria. e não estou a falar da Geórgia que é simplesmente um peão neste jogo.

A ver vamos.

Pippo disse...

Só para compor o panorama (e já que falou da China), leia esta notícia:

"China to Unveil Nuclear Submarines"

http://www.nytimes.com/2009/04/22/world/asia/22china.html?_r=1&hpw

Pippo disse...

Wandard, já fui ver. A Espanha tem 10 fragatas, Portugal, com a aquisição das fragatas da classe M, passará a ter 5.
Deveríamos ter mais dada a nossa geografia, mas isso é económicamente insustentável.

Pippo disse...

E já agora, só para que saibam, dia 30, no camo de tiro de Santa Margarida, vai haver um exercício de fogos reais com os Leopard recém adquiridos.
Penso que, para este exercício, não é necessário pedir autorização à Rússia.

PortugueseMan disse...

Sim,

Também já li acerca dos submarinos nucleares que pelos vistos vão dar ares da sua graça num evento qualquer (aniversário da Marinha)?

Em relação a pedir autorização à Rússia, uma curiosidade.

No Sábado teve inicio no país ao lado OUTRO exercício da NATO, alguém sabe, foi notícia algures o facto de estar a decorrer um exercício da NATO no Azerbeijão?

Não. E está lá a Rússia. Agora falar disto é mais complicado. A Rússia está chateada com a NATO, isto é básicamente o que sai nas notícias, sem ter em conta que estamos a falar dum país(Geórgia) que está para todos os efeitos em guerra e por isso um exercício aqui é um bocado estranho.

A imprensa não faz a ligação aos 2 exercícios, onde num a Rússia até participa e no outro acha que é perigoso. O que se depreende das notícias é que a Rússia quer ditar à NATO com quem deve fazer exercícios quando se deveria era olhar para a coisa com olhos de ver.

Pippo disse...

Nem mais.

Anónimo disse...

a rússia é uma grande merda fedida

Pippo disse...

JM, porque é que permite comentários como o que está acima?

Wandard disse...

Pippo,

Me referi às Fragatas da classe Santa Maria(são seis: Santa Maria ,Victória, Numancia, Reina Sofia, Navarra e Canárias) que são uma variante da classe americana Oliver Hazard Perry, A Austrália possui duas, Taiwan oito. Os lançadores de míssies são mk3, canhão Oto Melara, opera com os harpoon.

Abraço,

Ramos disse...

Vamos parar de “puxar o saco” dos americanos! Muitas pessoas apenas repetem o que a poderosa(nisso eu concordo) estratégia de marketing do Pentágono apregoa, utilizando a televisão aberta,filmes de hollywood, jogos, livros, revistas,etc. Foi comentado sobre o Vietnã aqui. De qual procedência era o armamento utilizado pelos Vietcongs? "Soviético" ????. Além da floresta densa, a artilharia anti-aérea vietcong infernizou as operações aéreas americanas. A China, por exemplo, inteligentemente estudou e detectou um dos calcanhares de aquiles dos EUA, sua elevada dependência aos satélites. Então, desenvolveram um míssil para destruir satélites em órbita. Eu quero ver o Pentágono sem os satélites de geração de imagens de alta-resolução, comunicações militares e, com especial destaque, sem a constelação de satélites GPS!
.
Nós(Brasileiros) mesmo, provamos com o projeto Osório, Embraer, etc, que podemos ser muito superiores quando há vontade política e dinheiro para isso.
.

* Vcs sabiam que até o início da década de oitenta, quando um páraquedista militar americano ficava preso pelo cabo que abre o pára-quedas(conhecido como salto enganchado) eles ficavam dando voltas com o avião - e o pára-quedistas à reboque - até que se montasse uma espécie de colchão formado de cubos de espuma no solo e então ao passar sobre o colchão o cabo que “pendurava” o soldado era CORTADO? A maioria dos que ficavam “pendurados” se espatifava no chão… Mas eis que nossa Brigada Paraquedista do exército situada no Rio de Janeiro, desenvolveu uma modificação no cabo de lançamento, fazendo com que fosse possível passar outro pára-quedas para o soldado que após se desvencilhar do anterior, poderia se livrar do cabo e terminar o salto. Não tardou muito e uma delegação americana veio aprender como “se faz”! Nem digo sobre os batalhoes de selva no Brasil
.
Por isso digo: “Os americanos tem muito dinheiro,más não são os unicos espertos!”

Ramos disse...

podem falar oque quizer, de que adianta gastar 12 bilhoes por mes na guerra do iraque, de que adianta gastar 12 % do pib, em poderio militar.
Se a economia esta fragil, bancos falindo, crise imobiliaria. Vão ultilizar os f-22 ou os b-2 pra destruir a crise economica tambem?????

Pippo disse...

Os vossos batalhões da selva, treinados para operar na Amazónia... Eis pessoal que eu quereria conhecer! Tenho uma ligeira suspeita que deverão ser DO MELHOR que há no Mundo!
Abraço,

Uno disse...

Vamos parar de “puxar o saco” dos russos! Vão viver as vidas de vocês...

Wandard disse...

Ramos,

Que saudades da ENGESA, e mais ainda do sonho do Osório, tenho orgulho de ter participado da campanha para salvar as duas unidades das cinco construídas de serem transformadas em ferro velho. É claro que jamais teríamos hoje, a quantidade dos MTBS russos ou americanos, mas possuiríamos um tanque no mesmo nível das duas superpotências. Neste caso, como você citou, temos de agradecer aos Estados Unidos que na sua ambição de vendas de armas para o Oriente Médio e sua "Agenda Externa para a América Latina", providenciou o enterro dos nossos projetos e de nossas empresas militares.

Pippo disse...

Mas em compensação vocês têm a EMBRAER, que tanto quanto sei, vai de vento me poupa! Espero não estar enganado. Aliás, a empresa pareceu estar interessada em investir em Portugal, mas não sei em que pé está esse negócio.

Anónimo disse...

O sr. MILHAZES , é um declarado anti-russo , do lado dos nazis ucranianos e americanos , que os apoiam , não é uma pessoa imparcial , basta ver todas as suas intervenções nas tvs , e o que diriam os americanos se os russos fossem fazer manobras conjuntas com CUBA ? o sr. Milhazes disse que era legitimo os americanos e a nato , fazer manobras conjuntas com países amigos , mesmo se eles fossem vizinos dos russos , como é sr . MILHAZES ?