sábado, maio 09, 2009

Medvedev promete resposta digna a qualquer atentado contra os cidadãos do país


O Presidente da Rússia, Dmitri Medvedev, considera que as lições da vitória do Exército Vermelho sobre o nazismo alemão são actuais, num momento em que têm lugar novas aventuras militares e prometeu que qualquer agressão contra os cidadãos do seu país terá uma resposta digna.
Ao discursar numa das maiores paradas militares realizadas na Praça Vermelha de Moscovo, dedicada à vitória das armas soviéticas sobre as tropas de Hitler em 1945, Medvedev prestou tributo aos veteranos da Grande Guerra Pátria de 1941-1945, como é conhecida a Segunda Guerra Mundial na Rússia, e defendeu que “hoje, mais do que nunca, um mundo seguro só é possível se forem respeitadas rigidamente as normas do Direito Internacional”.
“Por isso o nosso país apresentou a iniciativa de um novo Tratado sobre a segurança europeia, baseada num controlo seguro dos armamentos e na suficiência sensata de meios militares, na mais ampla cooperação de Estados e na regularização exclusivamente pacífica dos conflitos”, acrescentou.
“Estamos convencidos de que qualquer agressão contra os nossos ciudadãos receberá uma resposta digna. O futuro da Rússia será de paz, êxito e felicidade”, concluiu.
No início da parada militar, Anatoli Serdiukov, de pé num automóvel descoberto, passou revista às colunas de tropas formadas na Praça Vermelha e felicitou os soldados por ocasião do 64º aniversário da vitória sobre o fascismo, tendo os militares respondido com três fortes “hurras!”, segundo a tradição militar russa.
Pela Praça Vermelha desfilaram mais de nove mil efectivos de todos os ramos das Forças Armadas, que foram seguidos por mais de 112 unidades de equipamento de combate, incluindo tanques, peças de artilharia móveis, sistemas de mísseis de defesa anti-aérea e mísseis balísticos intercontinentais.
Terminado o desfile terrestre, 69 aviões e helicópteros sobrevoaram a Praça Vermelha.
Uma manifestação de força para consumo interno e externo.

60 comentários:

Anónimo disse...

Pelo menos tentam resgatar e fazer o país ter orgulho de suas realizações.Parabéns à GRANDE RÚSSIA.

Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
Gilberto Mucio disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
Gilberto Mucio disse...

----------

O desfile deve ter sido de arreiar. Hoje vi quando passaram em frente a minha janela, os caminhões, tanques e canhões, as dezenas, talvez cetenas. Em seguida de uma monstruosa esquadra de enormes helicópteros, seguida de uma de jatos.

É de arrepiar.

Gilberto Mucio disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
Hugo Albuquerque disse...

Deus do céu. Não existem raças a não ser a humana. Vamos lá:

1. Os primeiros habitantes de Portugal devem ter sido muito parecidos com os bascos, mas foram apagados do mapa. Sempre houve uma presença celta relevante à norte e os fenícios estabeleceram bases de comércio por lá. A Lusitania, no entanto, nasce, obviamente, por obra dos romanos. Depois vêm Suevos e visigodos que deixaram muito pouca coisa na cultura local, talvez só uns cabelo aloirados aqui, uns olhos azuis acolá. Aí chegam os árabes que deixaram um pouco mais de influência, mas também não apagaram o latim vulgar nem de lustiânia nem da galícia. Disso tudo nascem os portugueses.

2. A língua russa é eslava, mas o sangue dos dominadores nórdicos é patente. Admita-se ou não, o sangue mongol também não o é. De região para região, apesar do gene eslavo ser predominante, a presença de sangue de etnias como a mongólica até turcomena passando pela finíca e a pérsica é visível. Falar em racismo na Rússia é, ou pelo menos deveria ser, no mínimo curioso.

3. Na Ucrânia a predominância é eslava apesar do gene nórdico ser mais recorrente. O gene mongólico também não é improvável, muito pelo contrário.

4. O Brasil, felizmente, nem se fala.

No entanto, o que eu vejo é a inacreditável escalada do racismo na Europa. No Brasil, felizmente, a Constituição de 88 promoveu um avanço civilizatório nesse sentido - ainda que a situação não seja boa, pelo menos as coisas melhoraram um pouco. Perdoem-me a honestidade, mas argumentos do tipo, fulano aqui é mais puro do que acolá, é bem velho e vocês europeus sabem disso melhor do que eu - assim como sofreram mais do que nós por conta disso.

Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
Ricardo disse...

Muito bonito os desfiles.

Jose Milhazes disse...

Leitores, fui uma vez mais obrigado a cortar mensagens insultuosas e racistas. Não me façam perder tempo...

Anónimo disse...

Vamos ver se dirá isso aos americanos e à NATO.

MSantos disse...

A velha ostentação militar soviética em todo o seu esplendor.

Aqui há duas patologias a nível psicológico bem presentes:

Os antigos estados soviéticos (exepto Rússia e outros em que o domínio norte-americano não se conseguiu estender) e antigo bloco de leste sofrem da psicose da ameaça permanente de invasão russa, recalcamentos vários que criaram um ódio para lá de tudo o que é razoável além de quererem limpar o seu passado comunista através da assunção de posições ultra-conservadoras e muito pró-americanas. O culminar desta maneira de pensar reside na sua ânsia de trazer bases militares norte-americanas para o seu território (sendo a NATO o pretexto e o acessório secundário), estando plenamente convictos que isso lhes vai trazer total imunidade a qualquer investida russa, além de virem a trazer investimentos megalómanos que tirarão os seus países da condição de pobreza para um desenvolvimento ao estilo ocidental de um dia para o outro.

A Rússia pelo seu lado nutriu sempre muito apreço pelo seu poder militar que é para eles sinónimo da sua grandeza como nação, por mais mal que vivam os seus cidadãos. Paralelamente têm uma fobia extrema de qualquer ingerência externa e depois da II Guerra Mundial (ou Grande Guerra Pátria como eles lhe chamam), facto aliado ás longínquas campanhas napoleónicas, a Rússia também passou a temer ela própria uma investida vinda do Ocidente.
Existe ainda outro factor que é a manutenção da integridade e coesão da Federação Russa que para eles é vital e importante, vivendo sempre no medo de em caso de desmembramento de se virem reduzidos ao principado de Moscovo. Como tal além do seu território, são muito sensíveis á sua zona circundante que para eles é a tal zona "buffer" ou de influência e vêem aí no establecimento de instalações militares americanas como o princípio da sua própria perda de influência e meios inimigos de os atingirem prontamente no coração da Rússia.

No decorrer de todos estes anos devia ter havido o equilíbrio e a sensatez das duas partes conseguirem manter a razão, independentemente das emoções e do passado recente, nomeadamente os estados de leste não socumbirem ao seu medo russófobo e manterem-se livres do domínio norte-americano. A Rússia deveria ela própria ter tido a frieza de ultrapassar as humilhações passadas, manter-se aparte das constantes provocações e canalizar mais meios para a sociedade civil em detrimento da área militar.

Por fim a Europa poderia ter tido um papel de relevo na construção da paz e harmonia no continente fazendo de tampão a qualquer ingerência norte-americana, tomando nas suas mãos o seu destino mas desgraçadamente permitiu-se usar qual joguete nas mãos do poderio norte-americano no establecimento dos seus interesses e mais obscuros propósitos.

Como tal caminhamos todos para um novo cenário de confronto geoestratégico, que esperemos nunca chegue cenários de guerra.
De qualquer das formas, o campo de batalha principal será mais uma vez a nossa velha Europa que não soubemos nem quisemos perservar nem defender.

Cumpts
Manuel Santos

Anónimo disse...

sr. milhazes, eu fui um dos leitores que escreveu comentários insultuosos dirigidos a certas pessoas, por isso, queria apresentar-lhe as minhas desculpas, no entanto, os insultos que dirigi a essas pessoas foram feitos do fundo do coração e não me arrependo de nada do que disse!

vasco,

Anónimo disse...

"2. A língua russa é eslava, mas o sangue dos dominadores nórdicos é patente. Admita-se ou não, o sangue mongol também não o é. De região para região, apesar do gene eslavo ser predominante, a presença de sangue de etnias como a mongólica até turcomena passando pela finíca e a pérsica é visível. Falar em racismo na Rússia é, ou pelo menos deveria ser, no mínimo curioso.

3. Na Ucrânia a predominância é eslava apesar do gene nórdico ser mais recorrente. O gene mongólico também não é improvável, muito pelo contrário.
"

quanta baboseira, geneticamente os russos e ucranianos são muito mais próximos de polacos (eslavos)que qualquer outra etnia. Isso é comprovado. Essa história de gene nórdico é visto hoje na Rússia com um mito construído por racistas alemães. Os fundadores da Rússia foram eslavos!
A contribuição dos vikings para a história russa é a mesma dos finlandeses para o Brasil

Jose Milhazes disse...

Leitor Vasco, lamento a sua posição.
Quanto ao comentário do leitor seguinte, estou de acordo com quase tudo, excepto com a última afirmação: "A contribuição dos vikings para a história russa é a mesma dos finlandeses para o Brasil". Os vickings e os eslavos conviveram durante séculos, por isso houve uma forte interacção, embora eu não defenda que a Rússia tenha surgido por obra e graça dos vickings. Este mundo é demasiadamente pequeno para continuarmos a discutir se ainda restam povos puros e quais os que criaram e os que foram objectos de criação.

Pippo disse...

Kamaradas, no período tardo-romano e início da I. Média já havia povos eslavos. A sua origem parece estar localizada na Polónia, de onde se espalharam para Leste e Sul.
Se aceitarmos como válida a referência de Jordanes ("Origem e Feitos dos Godos"), os povos eslavos mais antigos são os Antes e os Sclaveni (ele também refere os Esti, que viviam no "Oceano Germânico", que presumo serem os estonios).
Na Alemanha de Leste viviam os Sorbos, que também eram eslavos.

Tanto quanto sei não existe parentesco directo entre germanos, que serão originários da Escandinávia, e eslavos. Mas pode ser que haja antepassados comuns, isso nada teria de extraprdinário.

Quanto ao tema, gostaria de ter estado presente na parada. Deve ter sido bem ao estilo do antigamente. Era nesta ocasiões que o Ocidente conhecia pela primeira vez novos equipamentos soviéticos, os quais apareciam posreriormente em relatórios e na Jane's. E que, invariavelmente, eram classificados como sendo "inferiores"! O quanto desconheciamos e continuamos a desconhecer!
Enfim, tal como foi dito, é uma demonstração de força para consumo interno e externo.

Gilberto Mucio disse...

Também peço desculpas ao Senhor Milhazes, por ter jogado pérolas aos porcos cá neste recinto.

É que cheguei em casa um pouco 'alto" da noite de ontem e inventei de entrar na internet, e acabei por soltar uns impropérios. hehe

----------

Mas esse negócio de "pureza racial" é motivo de piada aqui na Rússia. A imensa riquesa cultural do país consiste exatamente na diversidade étnica e cultural.

Isso aqui não cola. Ainda bem.

Ps.: A Rússia -- o Estado russo -- que conhecemos é praticamente uma criação tartaro-mongol.

Hugo Albuquerque disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Filipe Alexandre Santos disse...

Na verdade, Gilberto, os Riurikid até se basearam nos Kaghans khazares para a sua concepção e imagética de poder.
O Svyatoslav vestia-se à "turca", com roupa branca e cabeça rapada com uma trança de lado ("turco," isto é, à khazar. Não confundir "turcos" com otomanos pois "turcos" são uma série de povos, tal como os latinos, os germanos e os semitas).

Raças puras? Talvez os ainos de Hokaido, ou alguma tribo de índios perdida nos recônditos amazónicos. E não ponho a mão no fogo pela minha afirmação :o)

Abraço, e cumprimentos à Mykhluyo Maklaya

Hugo Albuquerque disse...

Duas correções nas minhas falas:

1-"Sempre houve uma presença celta relevante AO norte e os fenícios estabeleceram bases de comércio por lá."2- "Admita-se ou não, o sangue mongol também não é estranho.

e não: " Admita-se ou não, o sangue mongol também não o é."
Sobre o meu comentário, que fique registrado que a Rússia não surgiu por obra e graça dos vikings, mas eles colaboraram muito para a formação étnica do que é o povo russo hoje, isso sim. Um dos exemplos, é a interferência dos ruriks onde hoje é a Ucrânia. Eslavos, germânicos e celtas, muito provavelmente têm origens semelhantes, a Civilização Tripliana é uma pista nesse sentido. Latinos e Helênicos vieram depois da Ásia Menor. Georgianos devem ter algum tipo de parentesco no povo anterior aos proto-eslavo-germano-celtícos.

Enfim: Viva à diversidade!

Wandard disse...

"Ps.: A Rússia -- o Estado russo -- que conhecemos é praticamente uma criação tartaro-mongol."

Gilberto,

Concordo com você quanto à diversidade cultural na Rússia resultante do grande número de etnias. Mas esta formação tártaro-mongol não é o constituinte principal. Como já externei anteriormente para mim assuntos de pureza racial e outros do gênero estão fora do meu interesse por considerá-los sem importância, mas respeito as opiniões e idéias de cada um desde que isso não termine por provocar prejuízos a outrem.

O contingente nórdico na formação da população branca ocidental da Rússia é uma realidade inclusive pela pesquisa realizada em sítios arqueológicos, só que a população hoje é extremamente miscigenada pelos diversos grupos étnicos componentes da Federação Russa, apesar do grande domínio recessivo na questão de cor dos olhos e tonalidade capilar, e você está certo quanto a este fator não ser representativo na Rússia salvo os casos de grupos racistas e neo-nazistas, que todos os países possuem, pois até no Brasil existem.

Quanto aos nazistas, a situação foi ao contrário do que citou o leitor anônimo. Os eslavos eram considerados inferiores, só que os alemães encontraram registros de presença escandinava na Rússia e isso contrariava a premissa que eles propagavam da inferioridade e ao mesmo tempo criava o vínculo com os povos germânicos já que os nazistas consideravam escandinavos e ingleses como povos irmãos. Hitler enloqueceu ao saber das informações arqueológicas e determinou que tudo deveria ser suprimido, senão as convicções que colocavam o povo a apoiar a geopolítica idealizada pelo partido caíria por terra.

Anónimo disse...

o gilberto diz que anda a atirar ao porcos mas não o devia fazer porque faz mal a sua especie.

meus amigos, um bom exemplo de país racista é o brasil.

estive no brasil em 95/96, percorri o sul, estado de santa catarina até ao piaui, só vos digo uma coisa, o brasil do sul não tem nada a ver com o brasil do norte, é como comparar a dinamarca com o congo.

no sul do brasil as pessoas tinham(nao sei se ainda têm) odio e aversão aos nordestinos e semelhantes...

Algun brasileiros até me disseram que no brasile xiste muito ressentimento pelo facto dos portugueses terem levado negros para o brasil... como eu os entendo!!

por isso, não acreditem em mentiras descaradas de quem diz que no brasil não existe racismo, isso é falso, o racismo faz parte da enssência da personalidade de uma pessoa(menos daqueles que não têm raça claro!).

O plano imperial e mais tarde républicano para o brasil era de o tornar uma nação branca, é importante saber isto.

vasco,

Pippo disse...

Bem, tenho de reconhecer que agora o Vasco acertou nalgumas coisas. Muitos brasileiros falam dos nordestinos com um esgar. Referem-se a eles como gente de cara de bolacha, cara redonda e esquisita. E existem piadas de Mineiros (e de portugueses). No meu entender, isso é racismo.

E também é verdade a sua última afirmação, de que houve a ideia de "importar" imigrantes europeus para "clarear" a população (posso estar enganado mas penso que li isto há menos de um mês atrás, num livro de História da 7ª Série qual, diga-se de passagem, era muito "politicamente correcto" mas não era muito laudatório relativamente aos portugueses).

Pippo disse...

É pá, como é que fomos perder tempo com estas conversas? O tema era o desfile na Praça Vermelha... :O)

MSantos disse...

Ora bolas!

Estive eu a gastar o meu latim e afinal o tema principal era outro

Jest nas Wielu disse...

69 aviões, mmm, dá que pensar....

2 Filipe Alexandre Santos

Na Ucrânia a trança do Svyatoslav, o Conquistador, se chama oseledec e era o símbolo típico dos cossacos ucranianos.

2 Hugo Albuquerque

A civilização do Trypillia (Três Campos), hoje em dia na Ucrânia se considera como a civilização que foi a base da nação ucraniana.

E já que o tema é Praca vermelha e as glórias soviéticas, vejam o artigo do autor russo, Aleksey Shiropaev: “Túmulo do Violador Desconhecido”
http://shiropaev.livejournal.com/29142.html (em russo)

Hugo Albuquerque disse...

Vasco e Pippo,

Não resta dúvida que existe discriminação no Brasil contra vários segmentos. Racismo? Duvido. Até onde sei, não há grupos expressivos ou representativos que se reinvindicam como "raça" em São Paulo ou no Sul. Existem pessoas que não gostam das pessoas de outras regiões, mas daí a se afirmar como raça superior, desconheço. Aliás, a ordem posterior a 88 dirimiu em muito o que havia nesse sentido - por exemplo, o comentário que você, Vasco, escreveu e que foi, felizmente, apagado, seria inimaginável no Brasil de hoje.

Dizer que a diferença do Brasil do sul para o do nordeste é o mesmo que do Congo para a Dinarmarca é forçar a barra. O Brasil do Sul tem um nível de vida, no máximo, parecido com o de Portugal - na verdade, é um pouco pior -, enquanto o Brasil do Norte é, melhor que a média do norte da África, portanto, bem melhor do que o Congo.

O que não pode ser aceito é usar como exemplo o fato de que existe suposto racismo no Brasil ou em qualquer outro lugar do mundo como arrimo para praticar atos racistas com a consciência tranquila. Além de ser uma atitude intelectualmente falha - "roubei, mas roubam lá Indonésia também, logo o que faço é normal" - revela um paranóico sentimento de culpa cristão.

Jest,

De fato, a civilização Tripiliana (ou Cucuteni) é ancestral também - e principalmente - da Ucrânia, mas muito provavelmente deve o ser de germânicos e gaélicos. Basta pegar os termos do ucraniano ou do russo que não têm origem no latim ou helênico e comparar, por exemplo, com o alemão, para notar as curiosas semelhanças.

Paulo disse...

Enfim, que discursos!
Diversidade existe sim, mas em Àfrica! Lá as diferenças de DNA são poucas mas para cima de 120 tipos reconhecidos.
Fora disso, na Europa e no resto do mundo, a diversidade genética é muito inferior. Ao que parece somos todos comuns aso povos migrantes do continente-mãe. Falar de diferenças entre europeus, baseados apenas em características fenotípicas ridículas (cor dos olhos e do cabelo), é um pouco arriscado.

Qaunto à capacidade militar russa, enfim...Reconhecidamente engenhosos, com óptimos equipamentos, mas curtos em organização e ainda não descolaram de doutrinas e conceitos militares ultrapassados. È que a Velikaia otetchestvenaia voina já foi há muito tempo...

Jest nas Wielu disse...

2 Hugo Albuquerque

É bem possível, com as emigrações tudo é possível, mas o centro desta civilização estava na Ucrânia actual, daí o nome, que em ucraniano significa “três campos”.

Quando à língua, sim, alemão teve a sua influência no ucraniano, pois somos vizinho, tal como checo ou polaco.

Raff disse...

Bela parada. A Rússia está mais do que certa em mandar um bom recado aos que ousem desafiá-la!
Obama e a Nato que se cuidem!

Wandard disse...

Sem querer levar o assunto adiante, mas não poderia de deixar o meu comentário:

As discriminações no sentido que aqui foi pronunciado existe mas não no sentido de racismo, mais para um bairrismo. Muitas das colocações similares que figuraram no Brasil já ficaram para trás em virtude das migrações internas do nordeste para o sudeste, afinal São Paulo não se desenvolveu somente com os Imigrantes estrangeiros mas sim com a força e o trabalho de milhões de nordestinos que para lá foram. É muito difícil se locomover por São Paulo e frequentar qualquer lugar sem que se depare tanto com descendentes de estrangeiros como de nordestinos, portanto estas colocações se as caras são redondas ou as cabeças são chatas, hoje figuram mais como gozações, mais amplamente vistas em ambientes corporativos de empresas que possuem representações espalhadas pelo país e com funcionários em todos os estados ou na maioria deles.

Este Brasil diferenciado com nível de vida próximo do europeu no sul e mais para o Congo no norte, talvez seja a visão de quem por aqui apenas passeou e ou mesmo para os que só conhecem o Brasil de forma turística, já morei em todas as regiões do país e em mais da metade dos estados, e o conheci de ponta a ponta, existe riqueza, pobreza e miséria, mas no sul, no sudeste, no nordeste, no centro-oeste e no norte existem todas as tres situações. Muitas pessoas moram em São Paulo que é o coração industrial do país, mas possuem um nível de vida pior do que quem mora em Teresina, capital do Piauí. O nordeste sofre com as secas e possui nível muitas regiões miseráveis, assim como o norte possui regiões de dfícil acesso, aldeias e vilas isoladas e desassistidas pelo estado, mas se comparados à China e á Índia com suas populações de bilhões e pujança industrial superior à nossa temos muito menos pobreza e miséria e muito mais recursos naturais que estes dois países. nem nas nossas regiões mais miseráveis temos as terríveis condições de vida que 70% da população destes países possui e muito menos ainda que o continente africano.

Anónimo disse...

caro Hugo Albuquerque,

No brasil existe racismo e só não atinge uma proporção maior porque o governo federal desde 1988 como o sr. sabe restringe a liberdade de opinião.

o brasil não é uma democracia nem pode ser, isso poria em causa a unidade do brasil e ate podia causar uma guerra civil.

No brasil chega a ser absurso o grau de estupidez que a sociedade brasileira está a atingir, o presidente lula que é um ignorante e não domina minimamente os temas fulcrais para o futuro do brasil veio acusar os brancos de olhos azuis de terem a culpa da crise!!!!!!

eu como até tenho olhos azuis( e o meu cão tambem) devo ser um gajo muita mau pá, gostava de observar a reação se um europeu disse-se o mesmo que ele disse de outras raças!

no brasil existem até cotas para empregos e vagas nas universidades para não brancos... uma sociedade que não investe na méritocracia está condenada ao fracasso meu amigo!

o brasil está a adoptar practicas dos EUA que já se provaram perigosas e estão a cair em descredito.

Nos governos lula estatisticamente a pobresa pode ter diminuido no brasil, mas a diminuição foi conjuntural, o problema da pobresa do brasil é estrutural, tem a ver com a falta de unidade étnica, com as diferenças abismais na sociedade brasileira com ressentimentos escondidos...

um bom exemplo disso é a atitude dos brasileiros em relação aos portuguêses, todos sabemos que existe uma relação complexa e já lá vão quase 200 anos de separação.


O sr. fala que o noredeste tem um desenvolvimento humano comparável ao norte-africano, mas caro amigo, o sr. sabe muito bem que o governo federal brasileiro transfere recursos das zonas mais ricas para as mais pobres..!

O desempenho económico do nordeste seria muito pior se não existissem estas transferências, que até são malignas a longo prazo.

Nenhuma economia subsidio-dependente é prospera a longo prazo, tambem sabemos isso..

desde a década de 40' que o sul do brasil financia o desenvolvimento do nordeste

para terminar, em relação ás raças, a discussão aqui não é uma questão de ser-se superior ou inferior, é uma questão de ter direito a ser diferente.

Os socialistas mesmo sem quererem só causam mais sofrimento aqueles que pensam defender, o que é desigual nunca pode ser igual.

cá em portugal existem uma coisa maravilhosa que é a escola inclusiva, vou dar-lhe 1 exemplo da hipocrisia do estado português;

cá em portugal os deficiêntes mentais com atraso ligeiro podem frequêntar o ensino público..

a ideia é que eles são IGUAIS merecem oportunidades iguais e são tartados como se tivesse exactamente as mesmas capacidades,

mas meu caro, eu que tenho 26 anos e frequêntei a escola pública nem tenho palavars para qualificar o quão terrivel foi para essas pessoas estudarem em conjunto com pessoas "normais",estavam constantemente a ser diminuidos.eram enxovalhados, diminuidos e gosados

acha justo exigir de pessoas que nunca poderão ser diferentes os mesmos resultados?

em grau menor esta comparação aplica-se ás diferentes raças..


tudo por culpa de uns bastardos que não compreendem o mundo em que vivem e que gostam de fazer experiências sociais.

Se os socialistas gostam das ideias que APLIQUEM nas casas DELES que brinquem com as vidas deles, ams deixem os outros ter a liberdade de se organizarem e de esolherem o que é melhor.

eu tenho a certeza que em portugal se fosse feito um referendo a maioria da população esolheria expulsar a maioria dos estrangeiros e manter a nacionalidade aribuida pelo direito de sangue... mas então se portugal é uma democracia porque não deixam o povo escolher??

quer dizer, segundo esta lógica, o povo só pode escolher o que lhe for permitido, então não se respeita a vontade popular?

será que no brasil com um referendo não condicionado os brancos brasileiros não poriam fim as migrações do nordeste para o sul?fica a pergunta.


eu tenho a firme convicção que a "igualdade" entre homens no sentido que os socialistas lhe atribuem é uma ameaça para a humanidade


estou farto de falar do tema, para mim acabou!

vasco.

Anónimo disse...

wandard, eu estive no brasil 2 semanas e claro que não é numa só viagem que se conheçe o país, mas digo-lhe com franqueza que fiquei muito impressionado com o sul do brasil e tambem com o centro, sobretudo minas gerais.

Mas o nordeste é muito pobre, não só em renda, a qualidade das construções, as estradas, saneamento, qualiadde dos serviços publicos.. até as pessoas no nordente são mais humildes simples menos cultas.

É impossivel o nordeste competir com o sul, nem o deve fazer, a minha opinião é o futuro lá passa pelo turismo e agricultura.

não quero dizer que os habitantes do sul do brasil são superiores aos do norte, quero dizer que são diferentes.

Eu como europeu acho o brasil sul e centro mais perfeito, vai mais de encontro ao tipo de sociedade que eu idealizo.

vasco,

Anónimo disse...

gosto muito da russia, mas vou deixar 1 critica, e que tal pararem de comemorar uma vitória militar sobre um país europeu.. será que não entendem que isso é perpetuar uma derrota humilhante ao povo alemão?com isso, mas putin fez mal regressar com essas festividades

yelsin o besolas fez bem acabar estupidas.

uma comemoração militar em grande sim, mas noutra data!

vasco,

Wandard disse...

Vasco,

No Nordeste e no norte do país se concentram as maiores reservas de recursos naturais, é claro que a industrialização é bem menor, mas engana-se quanto a qualidade de construções e outros fatores, o nordeste não precisa competir com o sul nem com o sudeste, pois õ que ocorre com o sul por exemplo, apesar de seu maior desenvolvimento é que não há empregos para atender à juventude e eles simplesmente migram para o nordeste ou para o norte em busca de oportunidades. Se conhecer um país como Portugal em 2 semanas é impossível e o Brasil com o tamanho que tem piorou. Para conhecer Portugal foram necessárias muitas viagens. conheci bem suas belezas e suas mazelas e assim como de todos os países que tive a oportunidade de visitar e conhecer, por isso não faço quaisquer observações pois compreendo que não existe um lugar perfeito, todos tem defeitos e todos tem virtudes, fiquei felkiz quando vi a ecoomia de portugal se recuperar com o advento da UE, mas triste quando vi o número de empresas portuguesas que sucumbiram e como o país passou a ser ocupado pelo controle de multinacionais, é lamentável mas sei que é um caminho sem volta.


Abraço,

Wandard disse...

A segunda-guerra ainda nos trará lembranças e surpresas até que toda a geração que dela participou tenha passado seu tempo, artigos e outros são facas de dois gumes pois todos que participaram dela podem ter alguma culpa e ninguém está isento:

Ivan, o terrível. Assim era chamado o carrasco do campo de concentração nazista de Sobibor, na Polônia. Ele foi o responsável pela eliminação de 29 mil hebreus que estavam confinados no campo de Sobibor.
.
Ontem, na cidade alemã de Munique (Baviera), a Justiça expediu um mandado de prisão contra John Demjanjuk, de 86 anos e que é cidadão norte-americano naturalizado.

Para a Justiça de Munique, Demjanjuk seria o carrasco Ivan, o terrível, responsável por 29 mil mortes no campo nazista de Sobibor, entre março e setembro de 1943.

A Justiça de Israel não teve a mesma certeza. Em 1993 e Demjanjuk acabou absolvido processualmente por insuficiência de provas. No processo criminal que tramitou pela Justiça de Israel houve dúvida quanto a ser ele o carrasco alcunhado de Ivan, o terrível.

Demjanjuk tinha chegado nos EUA em 1952. Trabalhou como metalmecânico em Cleveland (Ohio) e logrou obter a cidadania. Em 1986 foi preso nos EUA. Teve no mesmo ano a cidadania cassada e restou enviada para Israel, que solicitara a extradição.

No processo crimnal que tramitou perante a primeira instância da Justiça de Israel, Demjanjuk recebeu condenação à pena de morte, pois dado como responsável pelos extermínios no campo de Sobibor.
Em sede de apelação, no entanto, o Tribunal de apelação de Israel emitiu decisão absolutória, pela insuficiência da prova da sua identidade. Absolvido, ele retornou para os EUA.

De volta aos EUA em 1993, Demjanjuk readquiriu a cidadania norte-americana em 1998, em face da absolvição em Israel.

No entanto e desde 2005, nos EUA, a sua situação voltou a se complicar.

Uma corte de Justiça dos EUA entendeu, com base em documentos de 1952, quando ele lá chegou, ter Demjanjuk mentido sobre a sua verdadeira identidade e ser natural da Ucrânia. A decisão da corte foi confirmada em recurso, no ano passado.

Agora, com a ordem de prisão expedida pela Justiça de Munique, ele poderá ser extraditado. Só que agora para a Alemanha e a fim de responder a processo criminal.

Pela decisão lançada em Munique, “existem provas de Demjanjuk” ser o carrasco de Sobibor.

Wálter Fanganiello Maierovitch

Jacob disse...

Meu entendimento é que no Brasil não existe racismo e nem mesmo preconceito de cor, o que existe no Brasil é preconceito social. A sociedade brasileira é uma das que apresentam os maiores contrastes sociais; alguns poucos vivendo maravilhosamente bem, enquanto outros não tem o que comer.

Essa desigualdade foi construída politicamente, foram decisões políticas de manter uma economia dependente do mercado externo, com falta interna de democracia política que criaram a sociedade brasileira da forma que é. A democracia brasileira é recente, iniciou-se apenas em 1985, com a saída dos militares do poder.

O sul do país é mais desenvolvido pois foi o local que experimentou uma maior industrialização, enquanto no Nordeste prevaleceu a monocultura da cana-de-açúcar. A miséria do nordeste deve-se sobretudo a "indústria da seca", uma montagem das elites locais para se perpetuarem no poder e que vem sendo superada com a democracia.

O nordestino pobre sofre um preconceito social no sul do país; já o bem posicionado socialmente é perfeitamente integrado na sociedade.

Para o sul do país atingir o atual nível de Portugal, precisaríamos de mudanças na política economica, uns 30 anos, e muito trabalho, coisa que o atual governo Lula não cogita fazer, muito embora tenha sido eleito com um discurso de combate a miséria.

Difícil falar em racismo na sociedade brasileira, pois a maioria dos brasileiros são miscigenados. Moro em São Paulo e sou filho de um baiano e uma goiana; meus ancestrais são 25% judeu, 25% índio e 50% italiano.

Anónimo disse...

O que tem haver o assunto de raça e origem da Rússia com o título do artigo????Leêm direitinho ao invés de subverter o tópico principal!

O Recuperado disse...

Para já, queria apenas responder aos anónimo que disse isto:

"cá em portugal os deficiêntes mentais com atraso ligeiro podem frequêntar o ensino público..

a ideia é que eles são IGUAIS merecem oportunidades iguais e são tartados como se tivesse exactamente as mesmas capacidades,

mas meu caro, eu que tenho 26 anos e frequêntei a escola pública nem tenho palavars para qualificar o quão terrivel foi para essas pessoas estudarem em conjunto com pessoas "normais",estavam constantemente a ser diminuidos.eram enxovalhados, diminuidos e gosados

acha justo exigir de pessoas que nunca poderão ser diferentes os mesmos resultados?"


Quero também dizer que acho isto uma questão interessante, e um desafio ao nível ético-deontológico.

Pois bem, primeiramente, os "deficientes" só estudam nas escolas dos "normais" se os seus pais assim o desejarem ou - e isto é que é mais grave - se não tiverem dinheiro para porem os filhos em instituições especiais.

Depois, tudo isso advém - mais que das crenças ridículas do socialismo - na lógica da integração social destas mesmas pessoas, os deficientes.
Pois se se rodeassem apenas de deficientes ser-lhes-ia muito dificil integrarem-se na sociedade.

O serem também frequentemente diminuidas é parte dessa socialização que é necessária. Bem como educar as crianças "normais" que os deficientes devem ser ajudados.

Pippo disse...

Uma notícia da frentes desportiva:

A Rússia ganhou o Campeonato Mundial de Hoquei no Gelo, que teve lugar na Suíça.

O confronto deu-se entre as selecções da Rússia e do Canadá, tendo aquela ganho a partida por 2-1.

MSantos disse...

Ainda me recordo dos campeonatos URSS-Canadá e URSS-EUA que acabavam quase sempre com grandes cargas de porrada.

:o)

Cumpts
Manuel Santos

Pippo disse...

Bons velhos tempos, Manuel... :o)

Hugo Albuquerque disse...

Vasco diz:

"No brasil chega a ser absurso o grau de estupidez que a sociedade brasileira está a atingir, o presidente lula que é um ignorante e não domina minimamente os temas fulcrais(...)";

Vasco escreve:

"Nos governos lula estatisticamente a pobresa pode ter diminuido no brasil, mas a diminuição foi conjuntural, o problema da pobresa do brasil é estrutural"

Enfim, no fim das contas, se Lula é isso que você disse, você deve ter se olhado no espelho para comentar.

Sobre as pessoas com necessidades especiais na escola pública, o fato delas poderem estudar prova que, diferentemente de você, há gente civilizada em Portugal - e graças a esse direito você e o glorioso "Recuperado" puderam, enfim, ir à escola.

Jacob e Wandard,

Ótimas análises.

Anónimo disse...

ó hugo, estas-te a passar

estava a pensar que eras 1 gajo sério e estragas-te tudo!

que péna!

vasco,

Gilberto Mucio disse...

É óbvio que esse Vasco nunca pos os pés no Brasil.

Trata-se, evidentemente, de uma figura provinciana, nõa deve nem ter saído da Aldeia dele.

Não sei onde ele tirou essas afirmações malucas.

Sou nordestino(apesar de mineiro) de Natal pois lá morei a vida toda. E digo que a minha bela cidade não deixa nada a dever a uma Floripa, por exemplo.

E sobre preconceito generalizado, isso é uma piada. Em SC me sinto uma catarina, mais em casa do que em muitos partes do meu grandioso país.

Falar que existe racismo no Brasil é a coisa óbvia, pois gente doente existe em todos os lados, mas nem de longe o Brasil é um país racista.

-----

Sobre a Russia, é evidente o elemento nórdico, mas é miscigenado também, pois também é evidente outros elemetos.

Quando falei que a Russia de hoje é uma criação tartaro-mongol, me refiro principalmente do ponto de vista político-social. Foi durante o domínio mongol que a Moscóvia foi criando contornos próprios, que o distanciaram linguística e culturalmente do Rus de Kiev(que era capital), fundando uma cultura própria.

Estatisticamente falando, todo russo é pelo menos 10% asiático(mongolóide). Isso sem falar das influencias caucasianas, judias, ciganas, etc...

Isso tudo é fato.

O povo russo é tradicionalmente muito receptivo, e assimila outras culturas.

Anónimo disse...

"Falar que existe racismo no Brasil é a coisa óbvia, pois gente doente existe em todos os lados, mas nem de longe o Brasil é um país racista"


é muito facil apelidar de doentes aqueles que pensam de maneira diferente, veja lá é se não sobre da mesma doença sem saber!

o sr. diz dos russos é ofensivo, é uma mentira vinda de alguem que faz da mentira um passatempo.

sem falar em genética que deve ser complicado para a sua pequenina cabeça de mestiço saiba que,

Na II guerra mundial no exercito alemão, muitos soldados alemães escreviam que era para eles confuso combaterem os russos quando lhes parecia que os russos eram mais arianos que os alemães!!

quem for sério semrecorrer a estudos genéticos reconhece que os verdadeiros russos, que não tenham papás tartaros, arménios e não sejam descendetes de povos fino-iguricos são arianos.

os russos nativos são nórdicos e a russia é neste momento a alma da raça branca.

Imperador

Gilberto Mucio disse...

Esse Vasco é bobo demais.(risos)

Viaje um pouco gurí. Saia de sua aldeia e conheça um pouco do mundo em que vive.

A Rússia é uma boa pedida para se conhecer.

Mas cuidado para não encontrar um "Vasco russo"(como disse, doentes há em todos os lugares, apesar de aqui na Rússia serem raros), pois para ele um portuga arabóide como voce não vai passar de um "chernaya zhopa" qualquer.

Anónimo disse...

atenção, pessoas sensiveis não leiam este comentário!!!!!!!!!

gilberto és pior que o macaco gervásio que nunca aprende!

não pareço nenhum arabe nem a esmagadora dos portugueses se parecem com arabes, se não fosses burro saberias que em portugal existe a tradição popular de apelidar de mouros uma minoria da população com alguns traços caracteristicos dos berberes(mesmo assim parecem suecos em comparação com os brancos brasileiros!), essa minoria é muito reduzida e principalmente localizada no sul do país. Está provado historicamente e ciêntificamente que esses portugueses são descedentes dos ibericos, os mais antigos habitantes da peninsula hibérica, nada a ver com os arabes..

velho ditado português;
"De moço refalsado e de sangue misturado, livrai-nos Deus!"

por isso, como devias compreender e ACEITAR, porque a europa NÃO É A TUA TERRA, os europeus valorizam a unidade racial!!!

Se não gostas volta para a tua terra seu primitivo, seu SELVAGEM!!

estás a poluir a europa com o teu cheiro IMUNDO!

rapazinho na europa existem milhões de europeus que são puros e não estão misturados como tu meu macaco falante!! lolololol


ps:explica aqui aos leitores porque é que os argentinos chamam macacos aos brasileiros?

ps:eu gosto do brasil, exceptuando estes complexados(tiburcios gilbertos), que infelizmente são aos milhoes no brasil e não param de se reproduzir..arre..cá praga meu!!

vasco,

Gilberto Mucio disse...

O arabóide deu chilique.(risos)

Certa vez eu ví no youtube um documentário sobre neonazis lusitanos(risos) e quanse morrí de rir com as figuras que faziam parte do grupelho, inclusive um tal líder que mostrou lá. Totalmente arabóide.

Quando eu vejo notícias desse tipo de coisa na Europa, na Alemanha, Áustria, países nórdicos ou mesmo no norte da Itália ou França... Eu fico com uma considerável repulsão.

Mas em Portugal, eu não consigo me indignar... Eu só consigo rir. =P

Como disse anteriormente, se puder ou tiver meios para isso, saia de sua aldeia e vá conhecer o mundo, gurí.

Gilberto Mucio disse...

Encontrei o documentário no youtube. E é esse o LÍDER neonazi(hahah) tuga:

http://4.bp.blogspot.com/_-M0KqG7Noxw/ScE7JElM_TI/AAAAAAAAGXc/2vIoWt5Y7Qk/s400/a1.bmp

Só falta o turbante. hahahaha

Que ridículo. Não se encherga. Figuras como esse elemento medonho e moleques como esse Vasco, que justificam as anedotas de lusitanos qeu carinhosamente contamos no Brasil.

Obrigado e continuem assim. Voces nos divertem muito. (risos)

Gilberto Mucio disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Gilberto Mucio disse...

O link do líder lusinazi:

http://4.bp.blogspot.com/_-M0KqG7Noxw/ScE7JElM_TI/AAAAAAAAGXc/2vIoWt5Y7Qk /s400/a1. bmp

(retire os espaços)

Jest nas Wielu disse...

2 Wandard

Desculpe, mas o seu artigo sobre Ivan Demjanjuk só tem erros atrás dos erros. A algumas mentiras, claro.

A justiça da Alemanha não acusa Devjanjuk de ser o “Ivan, o Terrível”, foi provado que o seu apelido era Marchenko e essa pessoa já morreu. Os netos dos nazis o acusam de “participação na morte” dos 29.000 judeus em Sobibor, pois ele alegadamente era operados de um diesel – gerador das câmaras de gás. Pergunto eu, e o fabricante deste diesel – gerador (um mercedes ou wolksvagen qualquer), que não apenas fabricou, mas também instalou e deu assistência pós – venda, eles também serão julgados ou nem por isso?

Veja o artigo completo no meu blogue.

Pippo disse...

Que giro. Faz-me lembrar o filme "O Enigma da Caixa de Música" ("Music Box", com Jessica Lange e Armin Mueller-Stahl):
Um inocente cidadão norte-americano, de origem magiar, é acusado de ter sido um sádico assassino dos Flechas Cruzadas. Mas todos afirmam que é mentira e que ele é inocente. Era um caso de troca de identidades.
A comunidade húngara levanta-se em defesa do velho e a sua filha, advogada (creio eu) defende o pai como uma leoa.
Mas eis que, já quase no final do filme, ela descobre que, afinal, o seu pai era mesmo o sádico assassino de que era acusado. As provas estavam em fotos cuidadosamente guardadas numa caixa de música...

Wandard disse...

Jest,

Nem gosto de transcrever ou copiar artigos da mídia pois sempre possuem erros, infelizmente copiei este na íntegra. Se tem erros todos os que aqui são citados a respeito dos diversos assuntos tratados no blog também os tem, este que colo abaixo é o da Euronews:

O presumível criminoso de guerra John Demjanjuk é hoje esperado na Alemanha, após a sua extradição pelos Estados Unidos.

O Ministério Público de Munique acusou-o de homicídio de pelo menos 29 mil judeus, no campo de extermínio nazi de Sobibor, na Polónia ocupada.

Demjanjuk, 89 anos, natural da Ucrânia, vive nos Estados Unidos, tem contra si um mandado de captura desde março mas nega todas as acusações. Segundo a justiça germânica, Demjanjuk é “Ivan o Terrível”, alcunha que ganhou em Sobibor devido às atrocidades contra prisioneiros.

Os EUA retiraram-lhe há vários anos a nacionalidade norte-americana que tinha obtido em 1958.

Num anterior processo em Israel foi condenado à morte à revelia por homicídios cometidos no campo de concentração nazi de Treblinka, também na Polónia ocupada pelos exércitos de Hitler.

Esta condenação foi revogada mais tarde, porque se verificou que Demjanjuk tinha sido confundido com outro guarda prisional.

Este é o da Time:

It took a special brand of cruelty to stand out amid the horrors of the Holocaust, but "Ivan the Terrible" was no ordinary sadist. As a Nazi guard, Ivan earned his sobriquet by ushering thousands of prisoners — sometimes hacking them with a sword as they passed — into the gas chambers at Poland's Treblinka death camp. After the war, he vanished. Decades later, in the late 1970s, U.S. authorities fingered a suspect: John Demjanjuk, a retired auto worker residing in a Cleveland suburb.
Thus began Demjanjuk's tangled journey toward justice—or, as political commentator Pat Buchanan put it, through a series of Salem witch trials. During the past three decades Demjanjuk, who has long maintained his innocence, became just the second Holocaust war criminal sentenced to death by the state of Israel. Released when exculpatory evidence withheld at his trial emerged, he has had his U.S. citizenship revoked, then reinstated. Earlier this month, a Munich court charged Demjanjuk with 29,000 counts of acting as an accessory to murder. The allegations stem not from Treblinka, but from his alleged role as a guard at Sobibor, yet another Nazi death camp. On March 24, the U.S. moved to deport the ailing Demjanjuk, 88.

(Read TIME's Top 10 Crime Stories of 2008)

Fast Facts:

• A native Ukrainian, John (nee Ivan) Demjanjuk has said he was conscripted into the Red Army in 1940 and captured by the Nazis in 1942. The following three years are up for debate. Prosecutors say he volunteered for the German SS and was trained as a camp guard. Substantial evidence places Demjanjuk at Nazi camps.

• After living in Bavaria immediately following World War II, Demjanjuk emigrated to the United States and settled in Cleveland. He toiled unremarkably until 1977, when evidence that he may have served as a Nazi guard sparked an investigation into his past. In 1981, an Ohio court ruled Demjanjuk was indeed an escaped Nazi war criminal and stripped him of his citizenship. Israeli police, acting on a tip from U.S. immigration officials, found several Treblinka survivors who identified Demjanjuk as the notorious "Ivan the Terrible." (Some have argued that the process by which Demjanjuk was identified was legally flawed.)

• In 1986 Demjanjuk was extradited to Israel. Two years later, after a much-heralded trial that featured testimony from five Treblinka survivors, he was found guilty and sentenced to death by hanging.

• Demjanjuk's case was reopened in 1993, after Israeli courts unveiled testimony from 37 former guards and laborers at Treblinka that suggested Demjanjuk was not their man. The aggregated statements — which had been withheld at trials — instead implicated another Ukrainian, Ivan Marchenko. The Israeli Supreme Court found that while Demjanjuk had served as a guard at three concentration camps, he was not, in fact, the infamous Nazi. His conviction and death sentence were vacated.

• Folllowing his release, Demjanjuk returned to the U.S., where his citizenship was restored in 1998. The following year, new evidence spurred the U.S. Justice Departmant to rekindle the case.

• He has since fought an ongoing battle against U.S. authorities seeking to deport him. In 2005, an immigration court ruled that he could be sent to Germany, Poland or his native Ukraine, and last May, the U.S. Supreme Court declined to hear the case. The charges brought against him in Germany this month were triggered by recently obtained lists of Jews transported to Sobibor during Demjanjuk's alleged tenure at the camp in 1943.

Quotes about:

• "The matter is closed, but not complete."
—From the Israel Supreme Court's 1993 ruling, which held that sufficient proof did not exist to find that Demjanjuk was "Ivan the Terrible."

• "God help us. We are the Salem judges of our own time."
—Pat Buchanan, arguing Demjanjuk's 1988 conviction in Israel in 1988 was the result of a witch hunt. (New York Post, March 17, 1990)

• "Ivan the Terrible walked out a free man."
— Efraim Zuroff, director of the Israeli office of the Simon Wiesenthal Institute, speaking after Demjanjuk's 1993 release. (New York Times, July 30, 1993)

• "He has never hurt anyone — before, during or after the war. He is a good person, as his family, grandchildren, friends and neighbors have always maintained."
— John Demjanjuk Jr., son of the accused, after Germany filed charges against his father earlier this month. (AP, March 11, 2009)

• "To show the world that we have changed and that it's not going to happen again."
— Susanne Ehard, a 20-year-old German, on why Germany has sought Demjanjuk's extradition. (Cleveland Jewish News, March 13, 2009)

Quotes by:

• "Please do not put the noose around my neck for the deeds of others."
—Entry in People of the Holocaust, 1998 edition

• "I am an innocent man. I'll appeal, and I'm sure that I will win."
—Maintaining his innocence after being convicted and sentence to death by hanging in 1988. (BBC, Apr. 18, 2005)

Lusa:

O presumível criminoso de guerra nazi John Demjanjuk chegou hoje à Alemanha, onde é alvo de um processo pelo envolvimento como guarda de um campo de concentração no assassínio de milhares de judeus, anunciou a polícia alemã.
Depois de dois meses de batalha judicial, o avião com equipamento médico especial que transportava Demjanjuk dos EUA para a Alemanha chegou às 9:20 locais (8:20 em Lisboa) ao aeroporto da capital da Baviera.


Demjanjuk, acusado de ter participado no assassínio de cerca de 29.000 judeus, deverá conhecer a acusação imediatamente depois de sair do avião e posteriormente ser transferido para a prisão de Stadelheim, em Munique, para aí ser submetido a exames médicos.



Em função do estado de saúde, Demjanjuk, que parece sofrer de um tipo de leucemia, poderá ser hospitalizado.



O Ministério Público de Munique lançou um mandado de captura contra o presumível criminoso nazi a 11 de Março.



A partir de hoje, Demjanjuk poderá ser confrontado com os testemunhos de um sobrevivente do campo de extermínio de Sobibor, referem os media alemães.



Em entrevista ao diário Spiegel de segunda-feira, esta testemunha, Thomas Blatt, de 82 anos, explicou que "queria a verdade" e que o "mundo deve saber como era em Sobibor".



"Ele (Demjanjuk) é o último culpado sobrevivente de Sobibor", adiantou a testemunha.



Segunda-feira, Demjanjuk foi transportado numa ambulância privada do seu domicílio de Seven Hills, no Ohio, para o aeroporto Burke Lakefront de Cleveland, onde embarcou num avião com equipamento médico.



Sem nacionalidade norte-americana desde 2002, Demjanjuk é acusado pela justiça alemã de "ter sido guarda no campo de extermínio de Sobibor, entre 27 de Março de 1943 e o final de Setembro de 1943 e de ter ajudado a assassinar pelo menos 29 mil judeus".



Demjanjuk não nega ter sido guarda daquele campo, mas assegura que o foi forçado pelos nazis.



Em Dezembro do ano passado, a mais alta autoridade judicial alemã considerou que um tribunal de Munique era competente para julgar Demjanjuk tendo em conta que este tinha vivido na Alemanha, perto da capital da Baviera, em 1952.

Todas as agências de notícias divulgam as mesmas informações, não consgui achar o seu arquivo, mas de onde são as fontes que dizem que ele era operador de um gerador diesel?

Abraço,

Oh Well, Okay. disse...

"se não fosses burro saberias que em portugal existe a tradição popular de apelidar de mouros uma minoria da população com alguns traços caracteristicos dos berberes(mesmo assim parecem suecos em comparação com os brancos brasileiros!), essa minoria é muito reduzida e principalmente localizada no sul do país."

Ridículo. LOL

Italo disse...

ARABÓIDES?


PERFEITO PRA DEFINIR ESSA GENTE...

PORTUGUESES PENSANDO QUE SÃO NÓRDICOS...

RIDÍCULO.

Italo disse...

Eu fico impressionado como um blog dedicado à cultura e à política Russa atrai tanto neonazista.

Agora, neonazista português?


kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk


é piada né?

Anónimo disse...

O militarismo imperialista em acção.