sexta-feira, agosto 14, 2009

Confrontos entre polícia e guerrilha provocam grande número de vítimas no Cáucaso


Pelo menos quatro polícias morreram e outros tantos ficaram feridos num tiroteio com guerrilheiros ocorrido durante a noite numa localidade próxima da capital tchetchena, Grozni, informa o Ministério do Interior da Tchetchénia.
“Durante uma operação especial realizada na pasada quinta-feira às 21.30 horas locais (17.30 TMG) na localidade de Kerla Iurt, agentes da polícia bloquearam numa casa dois guerrilheiros que ofereceram resistência armada às forças da ordem”, informaram fontes da polícia citadas pela agência Ria-Novosti.
Segundo essas fontes, os guerrilheiros foram abatidos durante o tiroteio.
No Daguestão, outra república do Cáucaso do Norte russo, três guerrilheiros foram abatidos durante a madrugada no Distrito de Derbent.
“Agentes da polícia tentaram deter um automóvel para verificar os documentos dos seus ocupantes perto da localidade de Sabnava, mas os homens que viajavam no veículo desobedeceram à ordem e abriram fogo contra os polícias”, informou a polícia daguestanesa, acrescentando que “no carro foram encontradas várias metralhadoras Kalachnikov”.
O Ministério do Interior do Daguestão informou também ter estabelecido a identidade de alguns dos guerrilheiros que mataram, ontem à noite, onze pessoas, incluindo quatro agentes da polícia, em ataques a um posto da polícia e a uma sauna na cidade de Buinarsk.
“Foi possível determinar a identidade de alguns bandidos, incluindo o cabecilha. Quase todos são procurados pela polícia por diferentes delitos”, informou a polícia.
Ontem, um franco-atirador feriu também dois polícias em diferentes bairros de Makhatchkalá, capital do Daguestão.
Nos últimos meses, as repúblicas do Cáucaso russo. Daguestão Inguchétia e Daguestão têm sido palcos de frequentes combates entre a polícia e a guerrilha separatista islâmica que actua na região.

7 comentários:

Anónimo disse...

A violência seja de que lado for nada resolve.

samuel disse...

De novo! A Russia cruel mata os guerrilheiros orgulhosos em vez de entregar as medalhas a eles!

Anónimo disse...

Mataram sete mulheres numa sauna no Daguestão. Sete desgraçadas sem culpa nenhuma. Que raio de gente é essa?Guerrilheiros? Terroristas? Ou tarados?A Rússia vai ter de ser muito firme, or else...

Pippo disse...

Este tipo de actos servem para demonstrar à opinião pública que as forças da ordem não são capazes de eliminar a "resistência".

Para a guerrilha, existir é vencer. E estas acções demonstram que eles existem. Os alvos (mesmo os civis) não estarão, certamente, entre os grupos de apoio, o "mar onde o guerrilheiro nada", portanto este género de acções beneficiam os grupos terroristas.

A melhor forma de se combater o fenómeno é através de um rigoroso controlo dos grupos religiosos e usar unidades nativas para combater a guerrilha. São as mais eficazes.

Anónimo disse...

A situação do cáucuso nunca foi boa.

Vimos recentemente Med-Putin a dizer que estava tudo sob controlo, mas por aquelas terras tudo é imprevisível.

Jose Milhazes disse...

Leitor Samuel, eu nunca defendi, nem elogiei terroristas e assassinos neste blog, estejam de que lado estão.
Quanto às sete mulheres na sauna, explico que as saunas são uma forma de encobrir prostíbulos e a gueerilha islamita ataca alvos "imorais". Eu apenas explico este poprmenor, mas não justifico o assassinato das sete mulheres.

Anónimo disse...

Eis um dos poucos pontos em que eu estou de acordo com a Rússia e seu "governo".


Terrorista bom é terrorista morto.


Ítalo Almeida