quarta-feira, agosto 05, 2009

Parlamento da Ossétia do Sul nomeou o primeiro-ministro



Para os leitores que não compreenderam os meandros financeiros na Ossétia do Sul, que vive exclusvamente à custa do Orçamento da Rússia, deixo aqui um texto que escrevi para a Agência Lusa hoje:

"O Parlamento da Ossétia do Sul, região separatista da Geórgia, cuja independência foi reconhecida pela Rússia, nomeou o cidadão russo Vadim Brovtsev (na foto), para o cargo de primeiro-ministro.
Na véspera, Eduard Kokoiti, Presidente osseta, demitiu Aslanbek Bulatsev de chefe do governo da Ossétia devido “ao seu estado de saúde”.
A candidatura de Brovtsev, apresentada por Kokoiti, foi aprovada, em votação secreta, por 24 dos 27 deputados do Parlamento.
Vadim Brotsev, 40 anos, ocupava o cargo de director de uma companhia de construção civil da cidade russa de Tcheliabinski, nos Urais.
Esta troca de um ossete por um russo no cargo de primeiro-ministro poderá ter a ver com o desaparecimento dos meios financeiros canalizados pela Rússia para a reconstrução da Ossétia do Sul.
“Recentemente, uma missão do Tribunal de Contas da Rússia esteve na Ossétia do Sul e constatou que muito do dinheiro enviado tinha desaparecido nos meandros da corrupção local”, declarou à Lusa por telefone uma fonte em Moscovo.
“Trata-se claramente de uma tentativa de aumentar o controlo de Moscovo sobre os dirigentes da Ossétia do Sul”, frisou.
“Por outro lado, o Kremlin sublinha uma vez mais que é senhor da situação naquela república”, concluiu a fonte."

157 comentários:

Jest nas Wielu disse...

Mais um cidadão russo na chefia da Ossétia do Sul, alias, tendo em conta que a maior parte do governo separatista são os cidadãos da Federação Russa, esta acção do Kremlin não é de estranhar.

Estranho outro facto, como ninguém tinha reparado, anteriormente, o processo de distribuição dos passaportes russos entre os ossetas. Assim, de noite para o dia surgiram os “cidadãos russos” que Kremlin correu em defender.

Japão se calhar, poderia também começar distribuir os seus passaportes no Extremo Oriente da Federação…

Anónimo disse...

O primeiro ministro provavelmente tem negócios com os chefes do Kremlin

Anónimo disse...

Ou melhor da actual casa branca russa....hehe

Pippo disse...

Dado que a Ossétia, mais cedo ou mais tarde, ficará integrada na Fed. Russa, esta escolha faz sentido.

A minha curiosidade assenta na possibilidade legal de um russo poder ser PM da Ossétia. Por exemplo, por cá seria impossível nomear um estrangeiro, mesmo que nacionalizado, para um cargo público.

Quanto à possibilidade do Japão distribuir passaportes no Extremo Oriente, não me parece provavel dada a inexistência de japoneses por aquelas bandas. Mas bem que a Rússia deveria distribuir passaportes seus no Leste da Ucrânia. Isso sim, faria todo o sentido e poderia ser mais um passo para a integração que se deseja :o)

Ab,

Anónimo disse...

"Mas bem que a Rússia deveria distribuir passaportes seus no Leste da Ucrânia. Isso sim, faria todo o sentido e poderia ser mais um passo para a integração que se deseja :o)"

QUE INTEGRAÇÃO?

A INTEGRAÇÃO DA UCRÂNIA É COM O OCIDENTE E COM UE E OTAN.


NADA DE RÚSSIA. DEUS OS LIVRE!!!!


ÍTALO

Sérgio disse...

Italo, o Pippo está bem disposto e anda a brincar. Essa boa disposição deve-se às ferias caro Pippo? Abraço

anónimo russo disse...

À todos que querem entender melhor o caso com os "passaportes" quero lembrar que, historicamente, se não me engano, ambas as republicas em questão foram parte do Império Rússo. Ao longo da história, ficaram administrativamente parte da Geórgia (a Abkházia ficou parte da Georgia pela ordem de Estalin). Depois do fim da União Soviética, segundo eu li, guardaram os passaportes soviéticos e nunca foram cidadões da Geórgia. Foi há uns 15 - 17 anos que a Geórgia perdeu qualquer controlo sobre os territórios. Segundo eu entendo, do lado georgiano nunca pararam provocações nas regiões fronteiriças. Na Abkházia até vi muitas vezes na televisão local as listas dos desaparecidos, pelos vistos, nestas regiões (o programa foi na lingua local).

Por sinal, se não me engano, ambas as republicas de hoje ficaram parte da Rússia sem sangue ou quase sem sangue, a religião oficial lá é cristianismo ortodoxo (embora na Abkházia não sejam muito religiósos, segundo entendi).

Quanto às comparações com a Tchetchénia, temos mais direito que ninguem a ajudar estas nações, porque elas todas foram parte do nosso país com o trabalho e sangue dos nossos antepassados. Por sinal, no seculo XIX, segundo eu lembro, a Rússia não precisava das terras dos tribos tchetchenos, mas como não podiam conviver com as povoações russas que surgiam naquela região e atrapalhavam a ligação com o Caucaso do Sul, o estado Rússo teve que conquistar a terra mencionada. Por sinal, sempre tinham a possibilidade de serem poupados sem guerra - bastava prestar juramento ao Czar. Alguns faziam assim.

Anónimo disse...

em breve a crimeia retornara a russia
o mundo tem que respeitar a russia
a ue e eua nao podem apoiar o genocida shaakashivili

slava rossya


salutos

Átila disse...

Jest,

cuidado que a Rússia te pega, rapaz!!

e a adesão a NATO? sai ou não sai? tá demorando, hein.... eheheheh


vai esperando....


cuidado que Rússia te pega, te pega daqui, te pega de lá....

Anónimo disse...

Se a Rússia o pegar, ele vai bater no peito "glória à mãe Rússia", não é Jest?

Tal como o fazia quando era soviético e era fiel ao KPCC.

Infelizmente o mundo está cheio de Jests.

MSantos disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anónimo disse...

Parece-me um blog dos russofobos...

Mr disse...

...declarou à Lusa por telefone uma fonte em Moscovo.
“Trata-se claramente de uma tentativa de aumentar o controlo de Moscovo sobre os dirigentes da Ossétia do Sul”, frisou.
“Por outro lado, o Kremlin sublinha uma vez mais que é senhor da situação naquela república”, concluiu a fonte."

Será que este fonte secreto a falar com grande agencia Lusa e algum nacionalista ukraniano como Jest?! LOL

Anónimo disse...

"Se a Rússia o pegar, ele vai bater no peito "glória à mãe Rússia", não é Jest?

Tal como o fazia quando era soviético e era fiel ao KPCC."

MAS É ÓBVIO. SE ELE VIVIA NUM PAÍS TOTALITÁRIO, CRIMINOSO E QUE SE UM CIDADÃO FIZESSE QUALQUER CRÍTICA, PODERIA SER MORTO OU MAIS COMUMENTE MANDADO PRA CAMPOS DE CONCENTRAÇÃO...


EU TB TERIA MEDO. QUALQUER UM TERIA.

ÍTALO

Anónimo disse...

Gordinho, o sujeito.
Parece um comum mestre-de-obras, com um capacete de protecção oferecido pelo Partido Social-Democrata (côr laranja).

Anónimo disse...

"em breve a crimeia retornara a russia
o mundo tem que respeitar a russia"

1. A Criméia jamais retornará à Rússia. É ucraniana e será sempre. Se a Rússia se meter a besta, disparará a III guerra mundial. A Ucrânia não é a pobre geórgia, pequenina e com população reduzida.

2. O mundo não respeita estados mafiosos que assassinam jornalistas críticos ao regime e envenenam e massacram presidentes de outros países. A Rússia é parte do seleto grupo de países criminosos e sem respeito pela lei internacional. Está ao lado de Coreia do Norte, Irã e Venezuela. Muito bem acompanhada, por sinal.


Idem

Anónimo disse...

anónimo das OO.50, concordo consigo.
a Rússia em termos militares está um caco, e segundo lí, até um insuspeito alto responsável militar Russo disse que mais de 80% do material bélico, está obsoleto.
Mas irão continuar a fazer as mesmas asneiras e a enviar para aí mais uns 20 milhões de russos para a frente de batalha e para a sepultura, como fizeram durante a 2ª GM.
Essa gente não tem respeito nenhum pela vida. Enfim, alma russa, que equivale a, demência.
Já recuperaram o Kursk?

Anónimo disse...

J.M Santos, disse:

"Outra notícia relevante: pela 1ª vez desde os últimos anos soviéticos, foram avistados 2 submarinos Akula ao largo da costa leste dos Estados Unidos, em águas internacionais."

Deviam ir à procura de mantimentos (comida).

Yuri disse...

"a Rússia em termos militares está um caco, e segundo lí, até um insuspeito alto responsável militar Russo disse que mais de 80% do material bélico, está obsoleto.
Mas irão continuar a fazer as mesmas asneiras e a enviar para aí mais uns 20 milhões de russos para a frente de batalha e para a sepultura, como fizeram durante a 2ª GM.
Essa gente não tem respeito nenhum pela vida. Enfim, alma russa, que equivale a, demência.
Já recuperaram o Kursk?"

A Rússia continua a ter a 2 maior força bélica do mundo e com muitos projectos a receber dinheiro.

Ela está firme e forte, doa a quem doer!!!!

Anónimo disse...

Anônimo das 00:56, acho que você escreveu coisas muito tolas, afinal, onde estão 20 milhões de soldados? em qual campo de batalha???
E se você prestar atenção, verá que o Ocidente vem provocando a Rússia, expandindo essa porcaria de OTAN ... instalação de mísseis na Polônia.
E dizer que essa gente não tem nenhum respeito pela vida é muita bobagem, no Brasil também não tem e o Ocidente rico é de uma hipocrisia que dá nojo, não troca de roupa para financiar regimes corruptos e safados.

ab1

Italo disse...

"A Rússia continua a ter a 2 maior força bélica do mundo e com muitos projectos a receber dinheiro."



Mentiroso.

A China é segunda, depois dos EUA.

anónimo russo disse...

Anónimo disse...
"Se a Rússia o pegar, ele vai bater no peito "glória à mãe Rússia", não é Jest?

Tal como o fazia quando era soviético e era fiel ao KPCC."

MAS É ÓBVIO. SE ELE VIVIA NUM PAÍS TOTALITÁRIO, CRIMINOSO E QUE SE UM CIDADÃO FIZESSE QUALQUER CRÍTICA, PODERIA SER MORTO OU MAIS COMUMENTE MANDADO PRA CAMPOS DE CONCENTRAÇÃO...


EU TB TERIA MEDO. QUALQUER UM TERIA.

ÍTALO

Se és tão corajoso, diga isso aos russos cada vez que puder (se o teu mau russo to permitir). Ou, então arruma as malas e vai te embora do meu país, mentiroso demente.

anónimo russo disse...

Eu queria dizer, diga o que habitualmente dizes neste blog. Sobre a União Sovietica, sim, é verdade.

anónimo russo disse...

Morto ou enviado para um campo - é mais do tempo de Estalin

anónimo russo disse...

Anónimo disse...
Anônimo das 00:56, acho que você escreveu coisas muito tolas, afinal, onde estão 20 milhões de soldados? em qual campo de batalha???
E se você prestar atenção, verá que o Ocidente vem provocando a Rússia, expandindo essa porcaria de OTAN ... instalação de mísseis na Polônia.
E dizer que essa gente não tem nenhum respeito pela vida é muita bobagem, no Brasil também não tem e o Ocidente rico é de uma hipocrisia que dá nojo, não troca de roupa para financiar regimes corruptos e safados.

ab1


Muitos dessa gente aprenderam a ler, mas não aprenderam a entender "entre as linhas", não podem ou não querem ver que o mundo é mais complicado.

Quanto aos 20 milhoes - é o número aproximado das baixas do exército sovietico na Segunda Guerra mundial. Os estudos mais recentes dizem duns 11 milhões de soldados mortos, enquanto o número total de vítimas incluindo civis pode atingir 40 milhões.

anónimo russo disse...

Anónimo disse...
anónimo das OO.50, concordo consigo.
a Rússia em termos militares está um caco, e segundo lí, até um insuspeito alto responsável militar Russo disse que mais de 80% do material bélico, está obsoleto."

Se não sabes, atualmente está a ser feita uma reforma total nas forças armadas russas, inclusive pretendem renovar o material bélico.

anónimo russo disse...

Anónimo disse...


2. O mundo não respeita estados mafiosos que assassinam jornalistas críticos ao regime e envenenam e massacram presidentes de outros países. A Rússia é parte do seleto grupo de países criminosos e sem respeito pela lei internacional. Está ao lado de Coreia do Norte, Irã e Venezuela. Muito bem acompanhada, por sinal.


Factos, por favor. Só que não venha com esses jornalistas, porque não foi o governo que os matou. Se algum presidente seria envenenado, estaria morto, eu acho. Olhem para esse Saakaschvili, que nem a ele ninguem toca.

Anónimo disse...

o governo não matou, claro onde já se viu ministro matar. Claro que não matou, mas mandou matar.
O presidente da Ukrania foi alvo de envenenamento (os russos disseram que comeu sushi estragado) mas na Austria determinaram que ele foi tentativa de envenenamento por russos (veneno de composição não totalmente conhecida, algumas substancias tóxicas foram detectadas).
Portanto, anónimo das 08:30, não totalmente morto, eu acho mais correcto dizer mal-morto. (LOL)

Quer a lista de opositores morto por envenenamento (Polonium 120 e talio)?

anónimo das 08:30 Saskhaviklli tomou precauções (vacinas) não sabe o ditado? O seguro morreu de velho.

E além do mais, os Gerorgianos têm um arsenal de antídotos de venenos, fantástico. É o que ouvi dizer. Porque será?

Estes Borgias do seculo 21.
Pergunta a anónimo das 08:25 será que o tal rearmamento se baseia em venenos ?(LOL)

Tenho dito disse...

Envenenado está este bolg com italos, jests, anónimos russos e companhia.

Jest nas Wielu disse...

2 Átila

Mais um berserker virtual…mas que medo :-)
NATO: não se preocupe, também vocês afiançavam que a Polónia / República Checa “nunca, mas nunca mesmo farão a parte”.

2 Anónimo 20:21

“Depois do fim da União Soviética, segundo eu li, guardaram os passaportes soviéticos e nunca foram cidadões da Geórgia”.

Obviamente, engano seu, geralmente os ossetas do sul possuem 03 (três) passaportes diferentes: a) soviético antigo; b) georgiano; c) russo da Federação.

2. Anónimo 21:27

a) Nunca era fiel ao PCUS; b) o que o PCUS tem forçosamente ver com a Rússia? c) a ingenuidade dos “esquerdistas de caviar” ocidentais até já nem tem a graça…

Wandard disse...

“Trata-se claramente de uma tentativa de aumentar o controlo de Moscovo sobre os dirigentes da Ossétia do Sul”, frisou.
“Por outro lado, o Kremlin sublinha uma vez mais que é senhor da situação naquela república”, concluiu a fonte."


Sr. Milhazes,


A "Fonte", à qual o Sr. referencia os comentários acima pediu anonimato, como já é costumaz as declarações destas "Fontes" que o senhor mantém contato são sempre geradoras de informações negativas ou contrárias à Russia, será coincidência ou tendência ideológica?

A Ossétia do Sul já optou em fazer parte da Federação Russa, portanto não vejo alarmes em virtude da escolha do cidadão russo, se houve desvio das verbas enviadas para a reconstrução do país é mais do que certo que seja averiguado e medidas sejam tomadas, pelo que sei os americanos não tiraram o pé da Geórgia aonde juntamente com a UE já enfiaram muito dinheiro a fundo perdido e com certeza eles não estão lá para exerver nenhum controle, é que com 800 bases espalhadas pelo mundo eles não procuram exercer nenhuma pressão ou controle sobre ninguém:)))

Timoshenko disse...

С Запада на Киев надвигается оранжевое чудище. И это не Ющенко
Весть о нашествии чупакабры стала хитом украинских телепрограмм
Украину терроризирует опасное оранжевое существо. Оно высасывает все соки из экономически развитых хозяйств и уничтожает тех, кто стоит на его пути. У существа богатые американские связи, но зовут его не Виктор Ющенко. Его нарекли красивым неукраинским словом "чупакабра".
По описанию пострадавшего населения, чупакабра выглядит так: цвет ярко-оранжевый, рост под 80 сантиметров, вес под 40 кг, хвост крысоподобный и жадность практически чиновничья. Чупакабра нападает ночью, душит домашний скот и выпивает его кровь. Особенно ей нравятся кролики: она их не только убивает, но и сортирует по кучкам в соответствии с цветовой гаммой - белых к белым, черных к черным.
Новости о нашествии чупакабры стали хитом украинских телепрограмм. О нашествии рассказывают больше, чем о блокировании Верховной рады и действиях президента. Особо подчеркивают, что чупакабра, согласно легендам, прибыла из Америки. Транслируют интервью с пострадавшими селянами и видео отпечатков когтей той самой оранжевой твари. Просчитывают сумму убытков.
Селяне от Львовской области до Киевской, куда якобы добрались стада чупакабры, объединятся в отряды народной самообороны. "Бойцы" вытесывают колья, которые должны поразить чупакабру, и ночами напролет бродят с ними наперевес вокруг сел. Мужчины из села Великая Александровка под Киевом вообще подошли к вопросу серьезно - на трое суток ушли в леса "охотиться на вампира". Продержались бы и дольше, горилки бы хватило, но акт мужества был прерван агрессивными женами, растащившими охотников по домам.
Как и все иностранное, Украина приспособила американскую чупакабру под себя. Если в Штатах она похожа на кенгуру, то подо Львовом - на помесь собаки и крысы, ходящую на задних лапах.
В киевском зоопарке "Известиям" сообщили: чупакабры до сих пор к ним не поступали. Их появления ждут - иначе зачем бы освобождали особо прочные клетки?
В украинском Институте зоологии нам рассказали, что чупакабра не изученный наукой зверь, но есть предположение, что это хорек. Обнаглевший и отъевшийся.

Anónimo disse...

caro Timoshenko das 17:35:

A resposta é não! Qual era a pergunta ?

MSantos disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
anónimo russo disse...

Jest nas Wielu disse...

2 Anónimo 20:21

“Depois do fim da União Soviética, segundo eu li, guardaram os passaportes soviéticos e nunca foram cidadões da Geórgia”.

Obviamente, engano seu, geralmente os ossetas do sul possuem 03 (três) passaportes diferentes: a) soviético antigo; b) georgiano; c) russo da Federação."

A fonte dessa informação. Li o contrário. Na Abkházia nunca perguntei às pessoas sobre os passaportes, mas, conhecendo a cituação, acho muito pouco provavel alguma vez terem tido passaportes georgianos.

anónimo russo disse...

Uma notícia daquelas que quase nunca fazem parte deste blog:) Uma notícia boa: "A crise na Rússia terminou, declarou Merrill Lynch". O texto em russo: http://www.vedomosti.ru/newsline/index.shtml?2009/08/06/814907

Anónimo disse...

Anónimo Russo, você é um grande chato. Já aborrece.

anónimo russo disse...

Anónimo disse...
Anónimo Russo, você é um grande chato. Já aborrece.

Não te agradam notícias boas da Rússia? Eu não tenho culpa disso.

Italo disse...

"a ingenuidade dos “esquerdistas de caviar” ocidentais até já nem tem a graça…"


Jest, aqui no Brasil chamamos "esquerda Ballatine's"... hehehehe!!!

A metáfora critica a dissonância entre a pregação e do modo de vida de tais indivíduos. ..


É fácil ser comunista em Portugal, vivendo na UE, vivendo no ocidente, com liberdade ,etc, etc...

Só modismo!

Muitos pseudo-comunistas daqui são adolescentes revoltadinhos com a mesada do papai, que gostam de se fazer de entendidos nos assuntos, mas não passam de inocentes úteis.

Comunismo é lixo.

Putin é lixo.

Neonazismo é lixo

Só a democracia ocidental salva a Rússia.

E tenho dito.

Anónimo disse...

Uma frase do grande Roberto Campos comenta ese tipo de esquerdista no Brasil (e no ocidente tb!): "É divertidíssima a esquizofrenia de nossos artistas e intelectuais de esquerda: admiram o comunismo de Fidel Castro, mas adoram também três coisas que só o capitalismo sabe dar - 1.bons cachês em moeda forte, 2.ausência de censura e 3.consumismo burguês; trata-se de filhos de Marx numa transa adúltera com a Coca-Cola..."

Ítalo Tavares

anónimo russo disse...

Jest, uma informação muito interessante para você sobre a Ossetia de Norte: http://www.argumenti.ru/publications/7538

Mais uma vez a pergunta: mentir para quê? Só esperando que lusófonos não têm acesso a toda a informação (por ser a maior parte dela em russo)?

P.S. Alem dessa fonte acabo de ver muitas outras, que só comprovam o que eu tinha dito. Leia mais a história desse conflito.

anónimo russo disse...

A Ossétia do Sul, Claro. Perdão.

Oh Well, Okay. disse...

"Muitos pseudo-comunistas daqui são adolescentes revoltadinhos com a mesada do papai, que gostam de se fazer de entendidos nos assuntos, mas não passam de inocentes úteis."


Adoro as generalizações que se fazem neste blog.
Esses "adolescentes revoltadinhos" são aqueles que vão governar o mundo daqui a uns anos. E o senhor ítalo, em vez da propaganda do costume, podia ensinar umas coisas aos "inocentes", factos e tal, em vez de vir pregar o seu fanatismo democrático. Eu que sempre pensei que fanatismo só existia nos extremos, enganei-me. Estamos sempre a aprender. :)

E acho seriamente que também se devia mudar o nome do blog para qualquer coisa como "anti-Rússia" ou assim. Aliás "anti-união soviética" porque aqui os comentadores ainda não chegaram à parte da história em que a URSS terminou. Já não existe Estalinismo, sabem?

Li um livro sobre a guerra dos Balcãs que termina com esta frase: "Eles degolaram o meu pai, o meu marido e o meu irmão (...) queimaram a nossa casa, mas nunca poderão dormir tranquilos, porque algum dia havemos de lhes fazer o mesmo. Vingar-nos-emos e, se não pudermos faze-lo, serão os nossos filhos que matarão os filhos deles."

E isto resume tudo aquilo que acontece nestes países. Há um enorme nacionalismo na maioria dos países, e nenhum deles esqueceu aquilo que os vizinhos fizeram em tempos de guerra. A Geórgia será sempre a Geórgia, o Kosovo será sempre o Kosovo, e blá blá blá. Os conflitos, mesmo que sejam indirectos, as tensões e tudo mais, continuam e não vão terminar tão depressa, independentemente das influências russas (ou não) e do interesse económico (como sempre) das potências ocidentais.

Anónimo disse...

"Esses "adolescentes revoltadinhos" são aqueles que vão governar o mundo daqui a uns anos."


ERRADO. Geralmente comunistas e anti-democráticos como vc nunca chegam ao poder. Talvez consigam uma cadeira ou outra numa câmara de deputados, sendo a eterna minoria que nunca chaga a lugar nenhum e nem influencia em nada. Nada mais que isso.

Deus nos livre de uma pessoa como vc no poder.

SERIA GULAG PRA TODO MUNDO.

E N EXISTE ESSA DE "STALINISMO"


COMUNISMO E STALINISMO É TD A MESMA COISA.

IRMÃOS GÊMEOS DO NAZISMO.

ÍTALO

Anónimo disse...

Oh Well, Okay, vai morar na Coreia do Norte, lá é que é teu lugar!!!!

Anónimo disse...

http://en.rian.ru/analysis/20090806/155742500.html

Oh Well, Okay. disse...

Ítalo:

Não. Se eu governasse seria apenas gulag para pessoas como o senhor: burros. Porque quem mete Comunismo, Estalinismo e Nazismo no mesmo saco, só pode ser burro.
Qualquer pessoa que tenha as mínimas noções de política, tem consciência que afirmações como essas só de gente tótó, que não percebe nada daquilo que diz. :)

O senhor acredita mesmo que vive em democracia? Ou sequer a democracia existe? Todos os partidos são ora inclinados à esquerda, ora inclinados à direita, isto desde a crise de '29, para não dizer sempre. Não há bloco central, essas coisas é só propaganda para, lá está, gente pouco inteligente.

E a posse que o senhor tem tido neste blog é nada mais nada menos do que o puro conservadorismo e intolerância pelas opiniões dos outros. Ainda por cima nem sequer sabe manter uma discussão ou argumentar de forma realista.

Chega a ser mais utópico do que os supostos comunistas. (risos)

Nem sequer vou perder tempo a trocar comentários consigo, Ítalo. Não é suficientemente inteligente.

Anónimo disse...

Eu tenho minhas dúvidas acerca do Jest ser ucraniano... Tenho contactos com ucranianos e todos eles tem respeito e admiração pela Rússia...Detalhe a maioria odiam o Yuschenko e outros pró-ocidente
Eu espero que a Ucrânia volte aos braços da Mãe Rússia

Ram disse...

Penso que teria interesse analisar a visita do patriarca Kirill à Ucrânia

Anónimo disse...

"Não. Se eu governasse seria apenas gulag para pessoas como o senhor"



EU SEI DISSO.


NÃO É À TOA QUE ASSASSINARAM 110 MILHÕES DE SERES HUMANOS;

Mas estamos alertas. O preço da liberdade é a eterna vigilância mesmo...

Ítalo Almeida

Anónimo disse...

"Eu espero que a Ucrânia volte aos braços da Mãe Rússia"


Vai esperar bastante...


Mas muito mesmo...


Viva a Ucrânia livre, democrática, e LONGE DA RÚSSIA.


hahahahahaha!

Anónimo disse...

"O senhor acredita mesmo que vive em democracia? Ou sequer a democracia existe? "

Isso é relativismo moral e cultural.

Não respeito relativistas.


Conta outra piada, tá?

Ítalo Tavares

Anónimo disse...

Apoiadíssimo, caro Ítalo!

De facto em Portugal em algumas zonas é moda ser-se de esquerda, do PC ou, ainda pior, do Bloco de Esquerda, mas Deus nos livre de algum dia estes partidos governarem o país. Eles dizem-se democráticos mas, se alguma vez forem para o poder, começarão a perseguir os adversários, a nacionalizar empresas, a tabelar admistrativamente preços, a fechar jornais e por aí além...
Basta ver o que se está a passar na Venezuela, onde a restrição da liberdade e da iniciativa privada está a ser tal que obriga muitos emigrantes portugueses que tinham lá a vida instalada a regressar ao país de origem...
Bom socialismo!
O PC português, se o deixassem, faria a mesma coisa...
Acordem portugueses! Não deixem que a esquerda leve o país à miséria!

João Mestre

Zuruspa disse...

Olhe, sr. Mestre, o país já está na miséria, e tudo graças às políticas de direita desde há 30 anos.
Logo, meta a língua na caixa, e deixe de fazer campanha eleitoral do medo "ou nós ou o caos", porque já ninguém com dois palmos de testa acredita em vocês da pandilha PS/PSD/CDS.
É bom que a esquerda cresça, para vos pör nos eixos e obrigar a submeter a economia à sociedade, e näo o contrário de que vocês tanto gostam!

Anónimo disse...

Ao Zuruspa

Se o país está na miséria após 30 anos sem o PC ou o BE no governo (com muitos anos de governos socialistas, que não me venham dizer que são de direita, porque não são)estaria muito mais na miséria se os comunistas governassem durante 30 anos.Não tenha ilusões:não há nenhum economista que verdadeiramente se importe com o bem-estar do seu país que queira comunistas no Governo!
Olhe para a Venuzuela, para Cuba e veja o que lá se passa!
A economia não tem que se submeter à sociedade (a não ser como na antiga URSS), a economia deve ser livre para se desenvolver e assim criar empregos e aumentar o bem-estar. Se o Estado começar a nacionalizar empresas, estas começam a dar prejuízo e perdemos todos. Se o Estado for comunista, ninguém tem interesse em criar novas empresas,em fazer crescer a economia e entramos inevitavelmente na estagnação (ainda mais). Vejam se acabam com essas ilusões que, no comunismo iremos viver bem! Basta olharem para o resultado dos países que tiveram governos de esquerda muitos anos no antigo bloco socialista (mesmo nos que eram ligeiramente democráticos, como a Checoslováquia ou a Bulgária).

Anónimo disse...

É isso João Mestre! Faço minhas as palavras do comentário anterior.

Continuem vigilantes pois realmente nos dias presentes o comunismo é a grande ameaça. É o comunismo que está a explorar massas inteiras de trabalhadores, a retirar direitos adquiridos e a pôr na miséria milhões de pessoas para alimentar uma minoria de criminosos.

Anónimo disse...

Cavalgaduras imbecis que só vêem comunistas

Sérgio disse...

Caros amigos, se fosse possivel e já que por aqui andam pessoas de esquerda, gostaria que me explicassem como é possivel continuarem a defender um modelo de sociedade que já deu provas na prática que não funciona. Quantos países auto-denominados comunistas restam hoje? A própria China com a sua versão muito peculiar de comunismo, é um país capitalista controlado por um sistema de um unico partido, que restringe as liberdades e garantias dos seus cidadãos na medida do que for necessário para se manter no poder. Gostaria de tentar perceber qual seria o programa politico de um partido de esquerda como o PCP ou BE se fossem governo em Portugal, será que ainda hoje defendem a implantação de um sitema economico como aquele que vigorou em vários países nos seculo XX e que em todos eles falhou? Gostaria de tentar compreender. Obrigado.

Anónimo disse...

Não se trata apenas de comunismo em si.

Trata-se da esquerda no geral, seja PC, ou BE ou outros similares.
A "exploração" dos trabalhadores, os direitos alegadamente retirados, meus amigos, são slogans que só servem para amedrontar pessoas que pouco sabem de economia.
Todos sabemos que, com uma legislação laboral menos rígida, os países crescem mais, há mais criação de emprego e temos mais bem-estar.
A esquerda é uma ameaça para os próprios pobres porque, a longo prazo, com empresas nacionalizadas e dando "muitos direitos" aos trabalhadores,não se consegue ter crescimento económico, como muitas vezes se comprovou em diversos países.
João Mestre

Anónimo disse...

João Mestre, é bom ver um português de bom senso dando opiniões por aqui!

A maioria, ou é um bando de alienados comunistas, ou uma ralé racista que pensa que é sueco...

hehehehe!

Acho que o Imigrantes portugueses na Venezuela deveriam vir pra cá pro Brasil, o que é o mais natural. Serão muito bem vindos. Que diacho fazem num país maldito como a Venezuela? Aquele imbecil do Chávez vai terminar como Ceausescu... fuzilado e jogado aos urubus.


Ítalo

Anónimo disse...

"É bom que a esquerda cresça, para vos pör nos eixos e obrigar a submeter a economia à sociedade, e näo o contrário de que vocês tanto gostam!"

Mas jamais vai crescer. O povo não é burro. E a democracia portuguesa é sólida.

Um partido moderado de esquerda (como o PS, ou até o PT no Brasil)pode até chegar ao poder... mas terá de respeitar o parlamento, as leis e a Constituiçao.


Não é a toa que o Lula e sua corja de canalhas n conseguem emplacar certos projetos por aqui. N porque sejam democratas (Não o são), mas por que sabem que as instituiçoes, as Forças armadas, as leis e a Constituiçao OS IMPEDEM...


Para comunistas chegarem ao poder, só por meio de um golpe, da violência, ou do genocídio.

E tenho dito.

Ítalo

Tenho dito disse...

Será que a esquerda é toda ela BE ou PCP? Será que a moderação e democracia que ainda restam não se devem à esquerda socialista moderada, a mesma esquerda que tornou Portugal num país verdadeiramente democrático e transpôs o periodo da abrilada para as vacas gordas que o governo de direita não tão moderada, de Cavaco usou e desbaratou?

A ameaça é a direita porque perdeu a sua cultura democrática e a prova está aqui em colocar toda a esquerda no comunismo e extremismo esquecendo que foi a esquerda verdadeiramente democrática que lhes possibilita o nível de vida, a economia de mercado e a liberdade de se exprimirem e mesmo tentarem ostracizar as outras opiniões discordantes.

Anónimo disse...

João Mestre, vou te dizer inclusive uma coisa...

O Lula n é diferente do Hugo Chávez. A diferença é que hj ele sabe que tem que respeitar a liturgia do cargo e ter bom senso para governar. E as Instituiçoes no Brasil são muito mais fortes que na Venezuela. ele viu isso e entendeu que n poderia miná-las, então teve que se tornar o "moderado" que se tornou.

Ele perdeu as eleiçoes de 89, 94 e 98 justamente por vomitar o discurso radical-comunistóide do beiçola de Caracas... E mudou o tom. O povo não tolera esse tipo de imbecilidade por aqui.Hj é um freira, comparando-se ao antigo Lula...

Hugo Chávez, por exemplo, é muito mal visto por aqui.

Ítalo

Anónimo disse...

"A ameaça é a direita porque perdeu a sua cultura democrática "

MENTIROSO.

A esquerda somente aderiu à democracia depois que viu que n poderia impor um regime totalitário à Portugal.


Um SABUJO DA URSS, como aquele canalha do Álvaro Cunhal, que sonhava com o comunismo em terras lusitanas, é a prova máxima de que esquerda, em sua essência, é sempre anti-democrática, e que se adere a democracia, é esperando uma oportunidde futura para tomar o poder, ASSASSINAR e CALAR quem se atreva a criticá-la.


Ítalo

Anónimo disse...

Ao Tenho Dito:

A direita não é ameaça nenhuma, porque ela sempre defendeu o sistema parlamentar (base da democracia)contra todos os totalitarismos.
Não coloco toda a esquerda no comunismo, obviamente, o PS é da esquerda moderada, defende a economia de mercado mas não deixa de ser de esquerda, de defender maior presença do Estado. O PS pouco se importa com os empresários e com as verdadeiras fontes de crescimento económico,se faz alguma coisa neste sentido é só por pressão dos partidos liberais, limitando-se a dar subsídios aos pobres e habituando a população a viver à custa do Estado em vez de trabalhar. A longo prazo, isso não vai dar bom resultado, as pessoas tornam-se ainda mais passivas, ficam à espera que "o Estado resolva".
É claro que, mesmo nos países liberais (de direita) há a supervisão do Estado, apoios sociais, serviços médicos e universidades públicas,etc. Mesmo o PSD ou o CDS não põem isso em causa e eu pessoalmente acho que devem existir. A questão está na envergadura que o Estado assume, que nunca deve ser grande e muito menos dominante, como querem os comunistas.
Por fim, não foi a esquerda moderada que transformou Portugal num país verdadeiramente democrático. O PS ajudou a construir a democracia mas o que nós temos hoje não é só obra do PS.
O nosso actual nível de vida e a nossa liberdade em Portugal foram fruto do trabalho de vários governos nos últimos 30 anos e até não acho que o PS tivesse tido nisso o maior e o melhor papel...
João Mestre

Teseu disse...

Comunismo é lixo.

Putin é lixo.

Neonazismo é lixo

Só a democracia ocidental salva a Rússia.

E tenho dito.



Italo, você é um lixo.

e tenho dito.

Anónimo disse...

"A melhor propaganda anti-comunista é deixar um comunista falar." Paulo Francis





Ass:Ítalo Almeida

Anónimo disse...

"Os vermes nunca estão satisfeitos, mesmo que lhes demos muita comida" -

Elena Ceausescu referindo-se ao povo romeno.


ISSO É O COMUNISMO.

Mas, pelo menos, nesse caso, teve o fim que mereceu.

Grande povo romeno.

Narciso dos Bigodes disse...

E onde está o nosso velho das barbas? Será que esta compilar mas um artigoinho rusofobo? LOL

Tenho dito disse...

"A direita não é ameaça nenhuma, porque ela sempre defendeu o sistema parlamentar (base da democracia)contra todos os totalitarismos."

Qual é a força neste momento que está a querer ilegalizar partidos e movimementos?

"Por fim, não foi a esquerda moderada que transformou Portugal num país verdadeiramente democrático. O PS ajudou a construir a democracia mas o que nós temos hoje não é só obra do PS."

Desculpe isto já é revisionismo. quem foi que governou do fim da abrilada até 1986, em anos de crise e pobreza e deu de bandeja a Europa ao Prof Cavaco de modo a ele esbanjar com os "empresários de sucesso" o dinheiro conseguido com a influência socialista?

Já agora o Prof Cavaco sendo tão conceituado e feito tão boa obra porque é que tirando as autoestradas não se vê nada hoje desses "anos gloriosos"?

Por um sistema de ajuda e combate à pobreza ter defeitos e incorrecções significará que teremos de pôr de lado toda a ajuda social?

Porque é que antigamente os governos ocidentais eram socialistas e sociais democratas controlavam minimamente a economia e hoje isso já não é possível?

E é mentira o facto da selvajaria capitalista trazer prosperidade e liberdade. Isso só é verdade para a minoria que fica a ganhar. Não esquecer do encolhimento brutal das classes médias a par do aumento escandaloso da pobreza e dos milhões que ficam sem vida e esquecidos.

É mentira.

Não é por se repetir mil vezes uma mentira que ela se torna verdade.

O que vocês querem é associar tudo o que não seja a vossa cor política ao comunismo ou nazismo de modo a "sociedade democrática" ser apenas ligeiras variações daquilo que defendem.

Isso é que é a democracia e pluralismo?

Anónimo disse...

Italo deve ser cunhado do Salazar...

Anónimo disse...

O velho barbudo deve ser com visita da Xaninha "nossa" na aldeia...

Anónimo disse...

Ao Tenho Dito:
A sociedade democrática dá direito a todas as forças políticas se manifestarem, incluindo os comunistas (desde que estes respeitem as regras do jogo e não conquistem o poder pela força, através de revoluções, como está no seu programa). Mas não é por isso que não deve haver combate de ideias, de concepções políticas. A democracia permite a cada um lutar pelas ideias que, segundo ele, melhor servem o país. O sr. Alberto João Jardim, lá por ser do PSD, é um pequeno ditador, que o país aguenta só para ele não se tornar ainda mais separatista. Embora eu me considere ideologicamente de direita, sei que há pessoas de direita menos recomendáveis, tal como também as há na esquerda.
Mas o que verdadeiramente interessam são os princípios e não as pessoas.
João Mestre

Anónimo disse...

Quanto à possibilidade do Japão distribuir passaportes no Extremo Oriente, não me parece provavel dada a inexistência de japoneses por aquelas bandas

NÃO É O JAPÃO, É A CHINA QUE ESTÁ A DISTRIBUIR PASSAPORTES PARA OS CHINESES NO ORIENTE RUSSO

JÃO disse...

A RÚSSIA É UM TIGRE DE PAPEL...SÓ OS ACÉFALOS AQUI ACHAM QUE ESSE PAÍS DE M... MANDA ALGUMA COISA. SÓ SE METE COM OS FRACOTES DO CAUCASO, QUERO VER ENFRENTAR QUALQUER PAÍS DA UE. QUERO VER O PUTIN/MED RECLAMAR DOS RUSSOS QUE SÃO MALTRATADOS NA LETONIA. LÁ OS RUSSOS COMEM ESTERCO E A RÚSSIA NÃO FAZ NADA PORQUE TEM MEDO.

Anónimo disse...

Ao Tenho Dito:

Não existe selvajaria capitalista. Você por acaso já viveu noutro sistema económico que não este que temos? Pois eu já vivi e digo-lhe que era muito pior.
As sociedades de economia liberal (que você chama de capitalismo), como as que existem na Europa, são as que trazem mais prosperidade e bem estar PARA A MAIORIA e não para uma minoria. Isso não implica que alguns não sejam mais bem sucedidos que outros, tal como acontece em todas as sociedades.
Penso que o nosso ideal deve ser a economia de mercado com componente social, como hoje existe em muitos países europeus.
O aumento escandaloso da pobreza é devido precisamente ao excesso de políticas de esquerda, que não deixam a economia desenvolver-se adequadamente, como está a acontecer agora em Portugal.

Com a esquerda, seja ela "clássica", radical ou moderada, nunca chegaremos a lado nenhum!
Eu já vivi no socialismo num país de leste e sei do que falo!
João Mestre

JAO disse...

VEJAM O VIDEO:

http://www.youtube.com/watch?v=6-3X
5hIFXYU

OS ACÉFALOS AQUI FICAM DISCUTINDO GROSELHA ENQUANTO A EUROPA ESTÁ SUCUMBINDO PERANTE O ISLÃ. A CONQUISTA MUÇULMANA DA EUROPA É LENTA E PROGRESSIVA.
ALGUNS ACÉFALOS FICAM GLORIFICANDO UM PÁIS COMO A RÚSSIA QUE NÃO É NENHUM EXEMPLO DE POLÍTICA PARA PRESERVAÇÃO DA SUA PRÓPRIA ETNIA. OS CHINESES JÁ SÃO 10% DO ORIENTE RUSSO, MED/PUTIN NÃO FAZ NADA. EM POUCOS ANOS, QUASE METADE DO EXE´RCITO RUSSO SERÁ MUÇULMANO...

A RÚSSIA, DEVIDO AO SEU TIPO DE POLÍTICA IMBECIL GLORIFICADA PELO POVO RUSSO, NÃO SOBREVIVERÁ À MORTE DO PUTIN. SEU ÚNICO LÍDER.

Anónimo disse...

SE FOSSE TÃO BOM VIVER NA RÚSSIA, ESSE PAÍS NÃO TERIA A TERCEIRA MAIS TAXA DE SUCIDIOS DO MUNDO, SÓ PERDE PRA LITUANIA E BELARUS

JAO disse...

A RÚSSIA NÃO TEM UMA GRANDE POPULAÇÃO PRA SER UMA SUPERPOTÊNCIA NO FUTURO.
A URSS TINHA 300 MILHÕES DE PESSOAS. HOJE A RÚSSIA NÃO TEM NEM METADE (140 MILHÕES, RUSSOS MESMO SÓ 110!!!!) E A CADA 2-3 ANOS PERDE 1 MILHAO. ALGUÉM ACREDITA QUE ESSE PAÍS TEM CAPACIDADE DE SE TORNAR UMA SUPERPOTENCIA NO FUTURO???? E EM COELHINHO DA PASCOA TAMBÉM ACREDITAM?

anónimo russo disse...

JAO disse...
A RÚSSIA NÃO TEM UMA GRANDE POPULAÇÃO PRA SER UMA SUPERPOTÊNCIA NO FUTURO.
A URSS TINHA 300 MILHÕES DE PESSOAS. HOJE A RÚSSIA NÃO TEM NEM METADE (140 MILHÕES, RUSSOS MESMO SÓ 110!!!!) E A CADA 2-3 ANOS PERDE 1 MILHAO. ALGUÉM ACREDITA QUE ESSE PAÍS TEM CAPACIDADE DE SE TORNAR UMA SUPERPOTENCIA NO FUTURO???? E EM COELHINHO DA PASCOA TAMBÉM ACREDITAM?

Não conheces a cituação.
1. Não sei quem aqui quer ser "superpoténcia", só um país respeitado.
2. A cituação muda aos poucos, lentamente, mas começa a mudar. O maior decrescimento da população se deve à cituação economica dos anos 90. Segundo o último relatório
do ministério da saude, este ano nasceram 5% mais crianças que no ano passado e morreram 4% menos pessóas que no ano passado. E isso corresponde àquilo que vejo com os meus próprios olhos. Claro que a cituação está longe de ser ideal, mas começou a mudar aos poucos.

Anónimo disse...

Dizer que a culpa da miséria actual se deve a politicas de esquerda é subverter os factos. E a prova é que quando a esquerda governa é obrigada a seguir políticas de direita.

Oh Well, Okay. disse...

""Não. Se eu governasse seria apenas gulag para pessoas como o senhor"



EU SEI DISSO."

E digo mais, se eu governasse, o senhor ia directamente para um campo de trabalho, eternamente, no sector da plantação de batatas, que os tugas gostam muito de batatas fritas. E como o Ítalo é tão fervoroso a defender as suas convicções, pode ser que seja igual no que toca ao trabalho. Ficávamos todos satisfeitos. O Ítalo podia falar com as batatas sobre a democracia (são os melhores ouvintes) concordavam com tudo o que dissesse e deixávamos de importar batatas fritas doutros países. Era também óptimo para a economia.
Agora a serio, não sabe o que é ironia, não? (risos)


Sérgio:

Já disse tantas vezes a mesma coisa aqui, que cansa. Se o senhor sabe o que é o marxismo, sabe a resposta à sua própria pergunta. Todos esse países tiveram as suas revoluções e como política inicial, sim, foram exemplos do comunismo. Mas tornaram-se em ditaduras, não como forma de estabilizar o país, mas porque os dirigentes assim o decidiram e a partir desse momento deixam de ser comunistas. Logo, a China, a URSS, Cuba, não são comunistas. São variantes, sendo que tiveram como políticas iniciais as políticas marxistas, mas nada mais para além disso.
Sim, há pessoas (e muitas) a acreditarem no marxismo. E ao dizer isto não significa que seja do PCP, do BE ou fã incondicional de Fidel, Che, ou Lenine. :)

Ao senhor Mestre:

"Eu já vivi no socialismo num país de leste e sei do que falo!
João Mestre"

Coitadinho, não faz ideia do que fala. Viveu num país que usou o nome do socialismo. E ainda não percebeu que na realidade não sabe o que é o socialismo, e defende coisas como a "democracia" porque pronto...A democracia é mais fácil de entender e fica sempre bem defende-la. É preferível não assumirmos uma posição, e deixar-nos levar pela onda. Vá, seja como o Ítalo e inunde aqui o blog com propaganda fofinha, que nós gostamos de ler.

Anónimo disse...

Comunismo não é coisa de Deus.

Sérgio disse...

Cara Well então o comunismo é impossivel de atingir ou implementar porque degenera sempre em ditadura, tal são os exemplos concretos. Convirá que é muito confortavel essa posição de que o comunismo é algo que ainda não foi atingido concretamente, porque é deturpado onde até tem um começo promissor. O comunismo permanece como o objectivo ainda não concretizado e como tal ainda realizável, nada tendo a ver com os exemplos citados. Não andará a Well a enganar-se? Mas também lhe digo isto, é uma pena que a natureza humana ainda tenha de crescer muito para que um dia um sistema comunista seja exequivel.

Juarez da TecPix disse...

Concordo com a "Oh Well, Okay", o socialismo deve ser visto sempre como um ideal inatingível nos tempos atuais. Pois a humanidade deve evoluir muito ainda pra conseguir viver sob um regime socialista puro e verdadeiro. Hoje, qualquer tentativa, sempre acaba caindo em ditaduras, populismo, etc.

Talvez daqui uns 500-700 anos, quem sabe?

Juarez da TecPix disse...

Sérgio disse...
Convirá que é muito confortavel essa posição de que o comunismo é algo que ainda não foi atingido concretamente, porque é deturpado onde até tem um começo promissor


Pois é, sempre foi usada essa falácia. Você sabe que até os liberais usam ela, para justificar a crise atual. Segundo muitos deles, essa crise só aconteceu porque os países não aplicaram todas as ideais liberais "puros", sempre foi um liberalismo (ou neo?) capenga e não puro...sempre esteve contaminado por idéias socialistas. E que por isso, não deu certo.

Anónimo disse...

RUSSIA

Birth rate:
11.1 births/1,000 population (2009 est.)

Death rate:
16.06 deaths/1,000 population (July 2009 est.)


coitados...

Anónimo disse...

Tudo parece apontar para:

A Ossétia do Sul (que não tem meios financeiros proprios para subsistencia, recebe subsídios para reconstrução, isto é, dinheiro, que não tem forças armadas próprias, e nem sequer um primeiro-ministro indígena) não tem condições para ser um estado independente (soberano).

Logo, é mais um satélite da Fed. Russia e o reconhecimento da alegada independencia não faz sentido algum.

É uma fantochada, claramente patenteada pelos factos.

Anónimo disse...

"E digo mais, se eu governasse, o senhor ia directamente para um campo de trabalho, eternamente, no sector da plantação de batatas, que os tugas gostam muito de batatas fritas."


Eu sei disso. Mas temos uma Constituiçao que nos proteje. Temos leis e pessoas que amam a liberdade e que jamais permitirão que gente como vc chegue ao poder.


COMUNISTAS, COMO OS NAZISTAS, SÃO O ESTRUME DA HISTÓRIA. PERDERAM.

E SEMPRE PERDERÃO.


João Mestre, minha solidadariedade.

Anónimo disse...

corrigindo: PROTEGE.


ÍTALO

anónimo russo disse...

Anónimo disse...
Tudo parece apontar para:

A Ossétia do Sul (que não tem meios financeiros proprios para subsistencia, recebe subsídios para reconstrução, isto é, dinheiro, que não tem forças armadas próprias, e nem sequer um primeiro-ministro indígena) não tem condições para ser um estado independente (soberano).

Logo, é mais um satélite da Fed. Russia e o reconhecimento da alegada independencia não faz sentido algum.

É uma fantochada, claramente patenteada pelos factos."


A Ossétia do Sul, não me lembro bem, mas tem acerca do 70 mil habitantes, que constituem parte da etnía Osseta, a maior parte da qual vive na Ossétia do Norte. O reconhecimento desta república foi um passo indispensável, cujo objetivo é próteger a república da Geórgia. Duvido que alguem lá pretenda construir um estado, independente da Ossétia do Norte ou da Rússia. Não é esse, pelos vistos, o objetivo deles. Por cinal, têm as suas próprias forças armadas.

Anónimo disse...

anónimo russo das 8:55 disse:

*****A Ossétia do Sul, não me lembro bem, mas tem acerca do 70 mil habitantes, que constituem parte da etnía Osseta, a maior parte da qual vive na Ossétia do Norte. O reconhecimento desta república foi um passo indispensável, cujo objetivo é próteger a república da Geórgia. Duvido que alguem lá pretenda construir um estado, independente da Ossétia do Norte ou da Rússia. Não é esse, pelos vistos, o objetivo deles. Por cinal, têm as suas próprias forças armadas.*****

Antes do mais, congratulo-me pelo seu excelente português, apenas uma pequena nota e se me permite, uma correcção (sem qualquer pretensão de pedantismo) escreve-se sinal, em "por sinal", e não, cinal.

A informação que tenho sobre a Ossétia e os Ossetas, é que constituem um povo com um território e uma língua própria (Osseta ou Ossetino). Não sendo um povo muito numeroso, atribui-se-lhes raizes históricas muito antigas. Por exemplo, os Alanos, povo Indo-Europeu que conjuntamente com outros povos germânicos invadiram o território do Império Romano do Ocidente, e acabaram por se vir estabelecer na Península Ibérica, na região do vale do Tejo, que grosso modo, corresponde actualmente à província portuguesa do Ribatejo, eram ancestrais destes Ossetas actuais.
Por conseguinte, reunem os ingredientes básicos (uma identidade e uma língua próprias, e também, um território) para serem considerados um Povo e uma Nação.
Restam os outros requisitos, para constituirem um Estado (que seja independente e soberano) a saber: orgãos de poder independentes e soberanos (Governo, Parlamento, Orgãos de Justiça) uma moeda própria e umas Forças Armadas, -necessárias para assegurarem a defesa da soberania.
Pelo que me disse, dispõem de forças armadas, porém onde estão os restantes meios?
O Snr. Milhazes diz que dependem financeiramente de Moscovo.
E aliás, foi também Moscovo, quem impôs o Primeiro-Ministro.
Ora, nunca um estado dependente de outro financeiramente, poderá ser ou ter aspirações de vir a ser, soberano e independente.
Talvez possa aspirar a ser enquadrado no meio que o sustenta (a Federação Russa) gozando de uma certa autonomia, mas não mais que isso.
O que digo, é válido para as duas partes (Ossétia do Norte, e Ossétia do Sul).
É sabido que, a Georgia tem pretensões quanto à Ossetia do Sul, e a federação Russa, quanto à Ossétia do Norte (pelos vistos também, agora, quanto à Ossétia do Sul, por via da alegada vontade dos ossetinos do Sul).
O problema de saber qual é a real vontade da totalidade dos Ossetinos (do Norte e do Sul) só através de um plebiscito, amplo e rigoroso, isto é, isento.
Fora desse quadro, resta, e perfila-se, o fantasma das limpezas étnicas (expulsão dos Georgianos que vivem nas Ossétias, erradicação dos Ossetas que vivem na Geórgia).
Esta questão da Ossétia, a meu ver, reconduz-se essencialmente a questões geo-políticas, relacionadas com o controle de territórios por onde passam ou virão a passar, oleodutos e gaseodutos, e como tal, parece-me, que estamos mais, perante casos de "Gazaquistões" ou "Oleodutoquistões" do que defesa da justa aspiração dos povos com identidade prória, a serem livres e independentes.

Anónimo disse...

Errata:

onde escreví "dos povos com identidade prória" leia-se, "identidade própria".

As minhas desculpas pelo erro de digitação, não é prória, é própria.

anónimo russo disse...

Anónimo disse...
anónimo russo das 8:55 disse:

*****A Ossétia do Sul, não me lembro bem, mas tem acerca do 70 mil habitantes, que constituem parte da etnía Osseta, a maior parte da qual vive na Ossétia do Norte. O reconhecimento desta república foi um passo indispensável, cujo objetivo é próteger a república da Geórgia. Duvido que alguem lá pretenda construir um estado, independente da Ossétia do Norte ou da Rússia. Não é esse, pelos vistos, o objetivo deles. Por cinal, têm as suas próprias forças armadas.*****

Antes do mais, congratulo-me pelo seu excelente português, apenas uma pequena nota e se me permite, uma correcção (sem qualquer pretensão de pedantismo) escreve-se sinal, em "por sinal", e não, cinal.

A informação que tenho sobre a Ossétia e os Ossetas, é que constituem um povo com um ... etc."

20:12



1. No caso da Ossétia do Sul, o território é tão pequeno que, ao meu ver, não se pode falar de alguns gasodutos etc. Muito antes, é a questão de honra para a Rússia atual. A questão de honra e a obrigação de reagir como um estado grande e multinacional. Se pensarmos bem, uma questão de sobrevivéncia. E neste caso, posso-lhe assegurar que o que a Rússia fez foi realmente recebido com muita gratidão pela população da Ossétia do Sul (se domina russo, pode facilmente encontrar na internet russa os numerosos testemunhos disso, inclusive do lado das organizações das mais oposicionistas, tipo Memorial).

2."Restam os outros requisitos, para constituirem um Estado (que seja independente e soberano) a saber: orgãos de poder independentes e soberanos (Governo, Parlamento, Orgãos de Justiça) uma moeda própria e umas Forças Armadas, -necessárias para assegurarem a defesa da soberania... O que digo, é válido para as duas partes (Ossétia do Norte, e Ossétia do Sul)."


A república da Ossétia do Norte - Alánia (o nome inteiro da republica) tem exatamente o seu governo, parlamento e presidente local, como qualquer região da Rússia. (Nas regiões "mais russas" o papel do presidente desempenha o governador). Duvido muito que ossetas queiram independéncia. È que a rússia é consituida, lalvez, a 90% por terras, povoadas (ou antigamente povoadas) de várias etnías. Eu tenho um exemplo vivo diante dos olhos. Neste momento estou num local, a uns 40% povoado pelos arménios, que são bilinguês etc. Mas ninguem dos arménios daqui pensa na independéncia. Independéncia de que? Vivem há séculos no seu país. Talvez seja dificil de compreender, mas a Rússia não é como Pórtugal, é um país multinacional, sem nenhum exagero. (Só a Tchetchénia (ou a elite dela de então, porque há investigadores que dizem que a ideia da separação não era apoiada pela maioria da população) quis nos anos 90 a independéncia. As elites do Tatarstão, talvez, tambem tivessem pensado naqueles anos nalguma coisa semelhante, mas atualmente isso já não existe. Os ossetas entraram, segundo eu saiba, voluntariamente no Império Russo há uns dois séculos. E atualmente são um dos povos mais pro-russos no Caucaso.

3. "Fora desse quadro, resta, e perfila-se, o fantasma das limpezas étnicas (expulsão dos Georgianos que vivem nas Ossétias, erradicação dos Ossetas que vivem na Geórgia)."

a.) existe uma quantidade de familias mistas osseta-georgianas que viviam no local de conflito (onde há uns povoações georgianas), que, claro não deixaram de ser juntas.
b.) na ossétia do norte não acho que haja uma percentagem significativa de georgianos. Dalgumas aldeias georgianas na área de conflito os georgianos tiveram de fugir aínda no tempo da querra, segundo eu ouvi, inclusive porque os pontos de comando georgianos as vezes se situavam lá e, claro, ficavam alvo para o exército russo e ossetíno.

c.) há uma quantidade de ossetas que fugiu da Geórgia, principalmente para a Ossétia do Norte, uma parte deles antes da última querra.

anónimo russo disse...

P.S. Se não me engano, o orçamento da Ossétia do Norte de hoje é a 50% constituido por dinheiro, enviado de Moscovo, do orçamento federal (a situação típica para as repúblicas do Cáucaso).

Tambem, eu disse que não acho que a Ossétia do Sul queira construir um estado independente, porque é inseparavelmente ligada a Ossétia do Norte e não pode sobreviver sem apoio da Rússia.
O reconhecimento da independéncia serve para garantir a segurança da republica.
Mas, formalmente, pode existir como um estado independente quanto for necessário.

Oh Well, Okay. disse...

Sérgio:

Há quem diga que o comunismo é impossível de implementar tendo em conta a condição humana.
Mas esse tipo de argumentação acaba por perder o crédito, quando temos em conta o factor "evolução". O Homem não é igual ao que era há 100 anos atrás, nem há 1000. AS atitudes, acções, classes, economia, forma de estar perante todos os sectores sociais, derivações económicas, blá blá blá, enfim, tudo isto não é estável. Vai variando. E nós não somos ninguém para dizer que X é impossível de concretizar, nem que Y é totalmente absoluto.
Na idade média era considerado bruxaria quem dissesse coisas que são, hoje, extremamente banais e reconhecidas. Naquela altura também era "impossível", percebe? No entanto... :)

"Convirá que é muito confortavel essa posição de que o comunismo é algo que ainda não foi atingido concretamente, porque é deturpado onde até tem um começo promissor."

Não se trata de ser confortável ou não, trata-se da realidade. E veja pelos comentários neste blog, que de confortável, tem pouco.
O problema da compreensão do comunismo é que as pessoas não estão dispostas a passar por determinadas situações, sem que essas sejam directamente e imediatamente proveitosas para si. Passa sempre pelo egoísmo social, e o que é muito confortável é defender a democracia, que lá vai favorecendo quem lhe interessa, e dando alguma coisa ao povinho que, ignorante, come calado a comida estragada.

"Não andará a Well a enganar-se?"

Não. Seguramente não.
Os que se enganam são aqueles que não procuram saber mais, que não aceitam determinadas fases do marxismo e que não têm capacidade para distinguir a campanha política da tv para o campo real.

Juarez da TecPix:

"Concordo com a "Oh Well, Okay", o socialismo deve ser visto sempre como um ideal inatingível nos tempos atuais."

Eu não disse nada disso. Nem sequer penso assim.
Talvez não me tenha explicado bem, mas...Há aí uns problemazinhos de interpretação de texto. :)
Até porque não existe nenhuma ideal inatingível, por mais absurdo que seja (veja o nazismo).

Anónimo disse...

Acredito que o comunismo não passa de uma ditadura de gente irresponsável, impondo suas opiniões loucas e assassinas.
Se fosse bom, pelo menos tinha durado mais!!!!!! Não durou um século sequer num mesmo país.

Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Anónimo disse...

Não será necessário chegar-mos a esse ponto. Não somos iguais a eles, comunistas. Bastará arranjar mecanismos legais e políticos que impeçam qualquer partido de esquerda de ocupar lugares parlamentares num país democrático, perservando assim a liberdade e a democracia e afastando de vez toda a esquerdalha criminosa das decisões políticas e dos destinos dos países e que fiquem pela rua a gritar a ver se alguém os ouve. Desgraçados.

Anónimo disse...

Exato. é o que eu penso tb. como defensores da democracia que somos, n podemos impedir que esses animais concorram a cargos políticos, mas devemos criar mecanismos que impeçam que tomem o poder à força, matem e imponham seu sistema criminoso ao mundo.


Penso que um bom mecanismo seria obrigá-los a prestar uma espécie de juramento de respeito pelas Contituições, parlamento, democracia representativa e alternância de poder e leis, e que se se desviassem minimamente desse caminho, que fossem condenados à penas pesadas de prisão, para dar o exemplo de que jamais toleraremos a violência que eles sonham implantar.
Com essa gente, n dá pra confiar e nem facilitar.

p.s: Uma dica pra quem gsta de cinema: Ontem assisti o grande filme Katyn, de Andrei Wajda, que relata como os comunistas soviéticos assassinaram 30 mil oficiais poloneses com tiros na nuca, enterrando os corpos em uma vala comum.

Ítalo Almeida

Anónimo disse...

Grandes "democratas" que por aqui andam ;)

Oh Well, Okay. disse...

"Penso que um bom mecanismo seria obrigá-los a prestar uma espécie de juramento de respeito pelas Contituições, parlamento, democracia representativa e alternância de poder e leis, e que se se desviassem minimamente desse caminho, que fossem condenados à penas pesadas de prisão, para dar o exemplo de que jamais toleraremos a violência que eles sonham implantar."

LOL
É, Hitler e Salazar fizeram exactamente isso. Eram uns democratas do caraças, ahm?
Depois ainda querem ter credibilidade. "Democratas" que defendem este género de coisas são tão ditadores como aqueles que criticam (Hitler, Estaline, Mao).

Pippo disse...

Mas porque é que vocês estão a discutir o comunismo?

Ainda não perceberam que a Rússia não é a URSS??? Já passaram 20 anos desde a queda da União Soviética. O que interessa agora estar a discutir o Stalinismo ou Salazar?

Anónimo disse...

Interessa, porque em Portugal (e no Brasil) há muita gente que continua a defender o comunismo e que no tempo da União Soviética é que a vida era boa, e não agora.
Por isso é que continuamos a discutir, mesmo sabendo os resultados práticos que deu a implentação do socilismo e do comunismo...
João Mestre

Oh Well, Okay. disse...

Pippo:

Há uma coisa que se chama "conversar" ou "discutir", onde várias pessoas trocam ideias/opiniões.
Neste blog não é espanto nenhum discutir-se sobre comunismo e não vejo qual é o problema nisso.

Indignado disse...

Claro, o comunismo depois de morto e enterrado com a fraca expressão eleitoral que tem em todo o mundo é que é a grande ameaça.
Mesmo que a ameaça hoje seja de sentido oposto. É a direita e o seu domínio que estão a limitar as liberdades e democracias. É a direita que quer acabar de vez com o que resta dos direitos de quem trabalha de modo a que um patrão possa despedir a seu bel prazer sem pagar idemenizações nem nada.
Mais: para esta gente não chegou o seu ódio de estimação ter morrido. Querem vingança, querem sangue e persistem que o anão comunista é um perigo a ameaçar o colosso neoliberal.
Esperemos que não haja sangue. Esperemos mesmo, pois com os milhões de pobres e excluídos que estão a criar há o risco do sangue correr e pode muito bem ser o vosso.
Há uns dias atrás na China, um dono de uma fábrica explorou e escravizou os trabalhadores a tal ponto que se revoltaram, fecharam-no numa sala e espancaram-no até à morte. As pessoas estão cada vez mais revoltadas com tanta injustiça. É demais.
Que a vossa ganância não tolde o vosso bom senso para bem de todos nós.

Anónimo disse...

"É, Hitler e Salazar fizeram exactamente isso. Eram uns democratas do caraças, ahm?
Depois ainda querem ter credibilidade. "Democratas" que defendem este género de coisas são tão ditadores como aqueles que criticam (Hitler, Estaline, Mao)."


Vá aprender a ler. És uma analfabeta funcional.

Ítalo

Anónimo disse...

"Que a vossa ganância não tolde o vosso bom senso para bem de todos nós."

E que a vossa ideologia maligna jamais volte a matar, estuprar e a criar gulags...


Ítalo

Anónimo disse...

Lenin, Stalin, Hitler, Mao, Tito, Fidel, Guevara, Pol Pot...


A escumalha da escumalha.. psicopatas, doentes assassinos.

comunismo = nazismo

Pippo disse...

Mas não faz sentido continuarem nessa discussão, sobretudo quando se tenta "colar" a Rússia de hoje à URSS de ontem.
Muitos dos que aqui debatem acham que os crimes do comunismo soviético devem ser imputados à Rússia e apenas à Rússia. Pior ainda, ainda acham que os russos são comunas que comem criancinhas ao pequeno-almoço, e isso é totalmente anacrónico.

Italo disse...

"Pior ainda, ainda acham que os russos são comunas que comem criancinhas ao pequeno-almoço, e isso é totalmente anacrónico."


O povo não.

Mas seus governantes sim

Jest nas Wielu disse...

2 Anónimo 19:20

Também não falei da Abecásia, mas da Ossétia do Sul (está escrito “os ossetas”) e toda a gente diz, que eles possuem 3 à 4 passaportes (tinha esquecido do “documento” emitido pelos separatistas (que até 2008 não era reconhecido por nenhum país do mundo).

Muito simples: os ossetas queriam viajar pelo mundo. “Passaporte” osseta não servia para nada, passaporte soviético idem, os passaportes russos começaram ser generosamente distribuídos apenas em 2006-2008 (durante a 2ª cadência do putin). Única alternativa viável – era usar o passaporte georgiano.

Assim como as populações da Transnístria usam e continuam a usar os passaportes da Moldova.

2 Anónimo 20:44

Quase todas as datas neste documento são posteriores ao 1994-1995, quer dizer, primeiramente a Rússia ocupou militarmente a Chechénia e depois conduziu eleições, pronunciamentos “populares”, etc.

Assim posso recordar que a Geórgia tem a sua própria administração da Ossétia do Sul, dirigida pelo ex – Ministro da Defesa dos separatistas.

Somando 1+1 posso dizer que os dados russos não são de confiar.

2 Anónimo 22:29

Atenção com o uso de palavra TODOS, o bom senso diz que não é boa ideia usar essa palavra. Visite a página www.spilka.pt e ai poderá ler a opinião dos ucranianos residentes em Portugal sobre variadíssimos assuntos, incluindo sobre a Nigéria do Norte.

Anónimo disse...

Ao Indignado

O Sr. não tem razão. Não "é a direita e o seu domínio que estão a limitar as liberdades e democracias".
Dou-lhe um exemplo muito claro: Hugo Chavez. É ele, que diz querer implantar o socialismo na Venezuela, que está a lmitar as liberdades e a democracia. Da longa lista de "medidas revolucionárias" que já tomou, refira-se apenas o encerramento de televisões e de dezenas de rádios. Não é isso limitar as liberdades, neste caso a liberdade de expressão? Portanto, os governos de esquerda, sejam eles chamados comunistas ou socialistas, a primeira coisa que fazem é limitar a liberdade de expressão.
Quanto à direita, aos governos liberais, quererem "acabar de vez com o que resta dos direitos de quem trabalha", isso também não é verdade.
Naturalmente, se uma economia tiver um grande peso do Estado e a legislação laboral for "protegida", isto é, se os trabalhadores tiveram tais direitos que se torna quase impossível ao empresário despedir e reestruturar a sua empresa, qualquer governo liberal deve flexibilizar a legislação laboral para haver mais dinamismo, mais criação de novos postos de trabalho. Não se pode ver tudo pelos "interesses dos trabalhadores". O Governo tem que possibilitar um equilíbrio entre os interesses destes últimos e dos empresários, pois são estes que arriscam a criar empresas, que investem dinheiro.

Ninguém quer sangue. Também devo dizer que não defendo o modelo ultra-liberal, vigente na China e até há uns anos na Rússia. Se bem que esse modelo permita altas taxas de crescimento da economia, os aspectos sociais são descurados.
Precisamos da social-democracia, ou seja, economia de mercado com algum componente social, tal como hoje exite na maioria dos países da Europa. É esse o melhor sistema para a MAIORIA da população e não o comunismo.

João Mestre

Anónimo disse...

Chávez vai terminar como Ceausescu.

Ítalo

Anónimo disse...

Ninguém cola a Rússia de hoje à União Soviética de ontem. São dois países completamente diferentes.
A verdade é que os crimes do comunismo devem DE FACTO ser imputados à Rússia, porque foi o regime soviético que cometeu muitos deles e que estimulou a sua "exportação" para outros países.
Mais: ao contrário da Alemanha, a Rússia não se arrependeu dos crimes cometidos contra a sua população, estando actualmente a verificar-se o ressurgimento do Estalinismo na Rússia, o enaltecimento de Estaline e de outros líderes soviéticos.
Para terminar, claro que hoje ninguém acha que os russos são comunas que comem criancinhas ao pequeno-almoço. Isso pertence ao passado.
Pippo, não obstante a actual economia russa ser de mercado (ou ser capitalismo de Estado, na opinião de alguns) não esqueça que a Rússia de Putin voltou a ter algumas características do sistema soviético. Basta recordar as recentes nacionalizações e o último desfile militar na Praça Vermelha.
João Mestre

Pippo disse...

"A verdade é que os crimes do comunismo devem DE FACTO ser imputados à Rússia".

PORQUÊ À RÚSSIA???? Porque não aos outros países da URSS? Porque não à Bielorússia ou Ucrânia? Porque não à Geórgia? O Stalin era georgiano, assim como o Béria, porque não imputar os seus crimes ao seu país de origem?

Cá está o que eu estava a dizer: na mente de alguns, russos= comunistas. Então e os outros, que também eram soviéticos e andavam de de pistola na mão a matar revisionistas e afins com tiros na nuca? A esses a culpa não se cola? Porquê?

Quanto a desfiles militares... no Dia da Bastilha os franceses fazem desfilar pelos Campos Elíseos todo o seu arsenal, agora com "compagnons de lute" à mistura e tudo. Em que é que estes desfiles diferem dos da Rússia?

Quando são os russos a fazê-los, isso é demonstração de tiques comuno-imperialistas, mas quando são os franceses (ou outros), isto é, "europeus", ah bom, isso já não constitui problema. É isso?

Acho que temos aqui um pequeno problema de equidade, não será assim?

Pippo disse...

"A verdade é que os crimes do comunismo devem DE FACTO ser imputados à Rússia".

PORQUÊ À RÚSSIA???? Porque não aos outros países da URSS? Porque não à Bielorússia ou Ucrânia? Porque não à Geórgia? O Stalin era georgiano, assim como o Béria, porque não imputar os seus crimes ao seu país de origem?

Cá está o que eu estava a dizer: na mente de alguns, russos= comunistas. Então e os outros, que também eram soviéticos e andavam de de pistola na mão a matar revisionistas e afins com tiros na nuca? A esses a culpa não se cola? Porquê?

Quanto a desfiles militares... no Dia da Bastilha os franceses fazem desfilar pelos Campos Elíseos todo o seu arsenal, agora com "compagnons de lute" à mistura e tudo. Em que é que estes desfiles diferem dos da Rússia?

Quando são os russos a fazê-los, isso é demonstração de tiques comuno-imperialistas, mas quando são os franceses (ou outros), isto é, "europeus", ah bom, isso já não constitui problema. É isso?

Acho que temos aqui um pequeno problema de equidade, não será assim?

Anónimo disse...

O que é que será pior: países que fazem paradas e só respondem a agressões ou países que não as fazem e invadem outros, achando-se sempre no direito de intervir aonde querem quando muito bem querem?

Anónimo disse...

Caro Pippo

Sabe, a palavra Rússia é um conceito geograficamente variável. Basta dizer que nos tempos do Império Russo, na prática não existia a Ucrânia (porque o seu nome significa "okraina", ou seja, arredores, as franjas do Império).
Claro que as culpas pelos crimes do regime soviético devem ser atribuídas também à actual Ucrânia, Bielorrússia, Geórgia etc. De facto, muitos dos dirigentes bolcheviques eram ucranianos. Acontece que todas as orientações da revolução bolchevique eram dadas a partir de Petrogrado ou de Moscovo, onde estava Lenine e depois Estaline. Para além disso, na actual Ucrânia, muitos arrependeram-se desses crimes, o que não se passa na Rússia nem na Bielorrússia.

Quanto ao desfile militar, eu não disse que gostava do desfile francês. Só noto que hoje na Rússia, especialmente a nível político,se estão a recuperar muitos elementos dos tempos soviéticos...
João Mestre

Anónimo disse...

"Para além disso, na actual Ucrânia, muitos arrependeram-se desses crimes, o que não se passa na Rússia nem na Bielorrússia"

Gostávamos muito de conhecer esses "arrependidos" ucranianos.

anónimo russo disse...

Jest nas Wielu disse...
2 Anónimo 19:20

Também não falei da Abecásia, mas da Ossétia do Sul (está escrito “os ossetas”) e toda a gente diz, que eles possuem 3 à 4 passaportes (tinha esquecido do “documento” emitido pelos separatistas (que até 2008 não era reconhecido por nenhum país do mundo)."


1. O que posso dizer? "Toda a gente", claro, é uma fonte muito credível. Eu vi bastante material sobre o assunto que diz que os ossetas não tinham passaportes georgianos (alem daqueles que viviam no interior da Geórgia). Os georgianos das aldeias georgianas da Ossétia do Sul, sim, tinham passaportes georgianos. Basta conhecer a história do conflito para entender o porque os ossetas não desejavam ter passaportes georgianos. Voce entende que a Ossetia do Sul tem no máximo 70 mil habitantes e até há pouco estava quase nas ruinas? Acha que muitos ossetas "desejavam viajar"?

2. 2 Anónimo 20:44

Quase todas as datas neste documento são posteriores ao 1994-1995, quer dizer, primeiramente a Rússia ocupou militarmente a Chechénia e depois conduziu eleições, pronunciamentos “populares”, etc."


Leia com mais atenção. Há lá dados desde o ano 1989. Não é preciso fingir.

anónimo russo disse...

Por cinal, foi exatamente a Geórgia que fez tentativas de destribuir passaportes georgianos entre ossetas nos últimos anos. Tentativas, que não tiveram sucesso.

Jest
"Assim posso recordar que a Geórgia tem a sua própria administração da Ossétia do Sul, dirigida pelo ex – Ministro da Defesa dos separatistas."

Sim, Geórgia tambem tinha a sua administração para Abkházia. Mas todas essas "administrações" se cituavam na Geórgia e nem se atreviam a pisar a terra da Abkházia e da Ossétia.

Anónimo disse...

Por falar em desfiles militares, a Ucrânia também os faz e bem ao estilo soviético.

Mas com estes não há problema, pois não?

Jest nas Wielu disse...

2 Anónimo 14:10

1. Passaportes: para não continuar com a “bate – boca” do tipo “disse que não disse”, diga com quais passaportes viajavam os ossetas para o exterior. Mas não diga que com os russos, pois em 1998 entre os tais 60 – 70 mil populares, apenas 1.300 votaram em Putin (logo é o número aproximado dos cidadãos com o passaporte russo na mão).

2. Acha que muitos ossetas "desejavam viajar"?

Acho não, sei que cerca de metade da sua população vive na Rússia, onde se dedica ao comércio.

3. Datas Chechénia – Separatistas

Outra vez, eu disse “a maioria”, faça as contas aritméticas e vais ver que eu tinha a razão. Além disso, repito, não é correcto comparar a situação da Chechénia, cujo período da independência era relativamente curto (2-3 anos) e os separatistas da Ossétia / Abecásia, que começaram ser armados pela Rússia ainda durante a cadência do “neo – liberal” Yeltsin.

No geral: não sei o que estamos a discutir, pois a Geórgia tem os seus próprios dados, como já disse, eles possuem a sua própria administração da Ossétia do Sul.

4. Não comentaste nada sobre o uso dos passaportes da Moldova pelos moradores da Transnístria…

5. A URSS = Federação Russa

Todos aqueles que defendem a inculpabilidade da Rússia, perante os crimes da URSS, esquecem que a Rússia se proclamou (sozinha, ninguém obrigou) como a herdeira dos deveres e direitos da URSS. Não é possível ficar com os activos dos bancos (Ex. Banco de Comércio Externo), a câmara de ouro / diamantes, etc e não ser responsável pela Katyn, GULAG, Holodomor e outras atrocidades.

Quando ao mito dos MUITOS comunistas ucranianos, exorto mencionar os nomes destes muitos, os seus anos de vida (realmente muitos deles eram fuzilados em 35-38), além disso ver quem eram os líderes do governo regional da Ucrânia Soviética (aceito falar sobre quem era o membro do Bureao Político da PCUS em termos da nacionalidade, garanto, que não teremos lá tantos ucranianos, como alguns agregam).

Pippo disse...

João, não aprecio muito as desculpas com base na semântica. Há gente que tem a mania que é mais esperta que os outros e que tenta distorcer o que disse, usando incluíve as vírgulas, para ver se se safa. Não aprecio esse tipo de esperteza e espero que tenha sido um lapso da sua parte.

As suas palavras foram claras: "A verdade é que os crimes do comunismo devem DE FACTO ser imputados à Rússia". Essa Rússia não é a Rússia "geograficamente variável", é a de agora. Vir dizer que "ah, pois, mas eu queria dizer que era a antiga Rússia, que incluia também a Ucrânia" é, no mínimo, falta de estilo.

A revolução bolchevique irradiou de Moscovo e de Petrogrado porque estes eram os principais centros urbanos, industriais e políticos do antigo Império. Nada mais.

Agora, sem recurso a distorções linguísticas, trate mas é de justificar porque é que as culpas devem ser atribuídas à Rússia.
É que o "TAMBÉM" de atribuir as culpas à Ucrânia, Bielorrússia e Geórgia soa aos "mas" que justificam as acções condenáveis daqueles que nos agradam ("o Hamas lançou roquetes contra civis MAS os israelitas são uns malandros e merecem-no").

Quanto a isso dos arrependimentos, isso é muito bonito sobretudo quando serve de arma política de arremesso contra Moscovo. A Ucrânia arrepende-se e assim pode dizer que os assassinatos e o Holomodor foram obra dos russos, isto é, dos comunistas, ou seja, dos russos.
E os ucranianos arrependem-se muito. Um deles até está a ser julgado na Alemanha por crimes de guerra.

Quanto a desfiles militares e afins, penso que já foi dito tudo. Os russos recuperam parte da mística soviética e desfilam, por isso são maus; já os franceses desfilam, os ingleses fazem o "trooping the colour" e os ucranianos (nem me lembrei desses) ostentam o seu arsenal em paradas, mas isso é fixe, é porreiro, é pacífico.

Pois.

Pippo disse...

Acho que o Jest ainda não percebeu que ao assumir os compromissos legais internacionais da URSS, a Rússia não assumiu a responsabilização pela História da União Soviética.

Portanto, é possível ficar com os activos dos bancos, etc., e não ser responsável por Katyn, GULAG, Holodomor e outras atrocidades.

Trata-se de Direito Internacional, não de História. Qualquer pessoa entende isso.

MSantos disse...

Gostaria de perguntar ao João Mestre em que medida a existência de Chavez ameaça as nossas liberdades e garantias para além do desgraçado povo venezuelano e já agora que me explicasse qual a semelhança entre ele e os governos de esquerda ocidentais mesmo os socialistas.

Posso estar a compreender mal mas dá-me ideia que está a meter tudo no mesmo saco.

Relativamente à liberalização das leis laborais gostaria apenas de lhe deixar duas perguntas:

- O Sr conhece a classe empresarial portuguesa desde o grande passando pelo médio até ao numeroso pequeno empresário que geralmente é a maior parte e que constitui o tecido das PMEs portuguesas? Acha que com total liberdade para despedir, haveria aumento do emprego? E mesmo assim se houvesse esse aumento qual seria a sua natureza e o nível de pagamento ao assalariado?

- O Sr sabe o que se passou nos países em que aplicaram essa liberalização de despedimentos, nomeadamente lembro-me do Chile em 72 quando Pinochet deu o golpe militar, mais tarde na Bolívia e na Grã-Bretanha de Tatcher? Sabe o que isso provocou em termos humanos? e não me refiro aos sucessos macro e das multinacionais pois esses todos nós conhecemos.

Cumpts
Manuel Santos

Jest nas Wielu disse...

2 Pippo

A Ucrânia não é herdeira da URSS, por isso as culpas da URSS não podem ser nós imputados. Sei que não gostas quando recordo a guerra colonial portuguesa, mas é só para dar um exemplo visível: em 1974, cerca de 60% dos soldados portugueses em Moçambique eram negros 8quer dizer moçambicanos), nem por isso oiço alguém em Portugal dizer, que “deve repartir as responsabilidades sobre os massacres, etc”.

Moscovo era o capital da URSS, é capital da FR, como tal a responsabilidade é deles. Além dos centros urbanos, Moscovo e Piter eram (continuam) ser cidades russas. Lisboa é capital de Portugal, assim a responsabilidade da guerra no ultramar contínua em Lisboa.

Ucraniano julgado na Alemanha, já foi absolvido em Israel, Deus é grande, será absolvido na terra dos ex-nazis, que ousam julgar o prisioneiro da guerra ucraniano.

Desfiles militares: é tua discussão com outros, não tenho nada ver com ela.

Direito Internacional: então, nesta óptica, o que a Ucrânia, que proclamou a sua independência em 1991 tem a ver com os acontecimentos passados. Seguindo a sua lógica nada. Ou como sempre, tens um direito internacional para nós, e um outro para a Rússia?

Pois é.

p.s.
Proponho-vos uma bela música georgiana, para recordar a guerra e a brutalidade da máquina de guerra russa:
http://www.youtube.com/watch?v=qzPVgZQJVoM

MSantos disse...

E já agora, João Mestre, já ouviu falar no modelo Nórdico?

Há quem diga que é o melhor sistema político/social/económico á face da terra e olhe que lá a econmia é livre, aliás estão entre os países de maior liberdade económica no mundo.

Mas paralelamente têm um sistema de leis que além de motivarem os empresários protegem quem trabalha pautando-se de providenciar a justa retribuição em termos de salário, ajuda social etc.

É que uma coisa é liberdade, outra é libertinagem para fazer o que se quer e cometer os maiores abusos.

Posso lhe dizer que conheço minimamente bem como funciona a cabeça deste tipo de empresários, em particular os suecos.

Se há país ao cimo da terra onde se poderia liberalizar as leis do despedimento e manter a salvaguarda dos trabalhadores apenas na consciência social dos empresários, esse país seria a Suécia. No entanto têm leis do trabalho e o despedimento não é liberalizado.

Mesmo assim conseguem manter a sua competitividade.

Cumpts
Manuel Santos

Pippo disse...

Jest,

Estou a ver que à luz do TEU entendimento do DI, a Rússia deve ser responsabilizada pelos crimes da URSS, mas a Ucrânia não. Interessante, essa tua duplicidade.

Vou repetir:

A Ucrânia É herdeira da URSS, por isso reparte as suas culpas com as restante srepúblicas. A História é comum, por isso as responsabilidades são comuns.

O que a Ucrânia não assumiu foi as obrigações contratuais internacionais da URSS. Por isso, em termos internacionais, a Ucrânia não conta para nada.

Eu já tinha explicado isto. É assim tão difícil de entender?

anónimo russo disse...

Jest nas Wielu disse...
2 Anónimo 14:10

1. Passaportes: para não continuar com a “bate – boca” do tipo “disse que não disse”, diga com quais passaportes viajavam os ossetas para o exterior. Mas não diga que com os russos, pois em 1998 entre os tais 60 – 70 mil populares, apenas 1.300 votaram em Putin (logo é o número aproximado dos cidadãos com o passaporte russo na mão).

2. Acha que muitos ossetas "desejavam viajar"?

Acho não, sei que cerca de metade da sua população vive na Rússia, onde se dedica ao comércio."


1. Não sei com que passaportes viajavam para o exterior (na verdade, acho que aqueles que tinham meios para isso tinham algumas possibilidades de obter cidadania rússa mais cedo que outros, tanto mais, que, dizem, a maior parte dos Ossetínos do Sul tem parentes na Ossétia do Norte.)
Eu estou pronto para colocar aqui links com os artigos, entrevistas dos ossetas, investigações, relatórios de organizações diferentes que comprovam o que eu disse: a população da Ossétia do Sul nunca teve passaportes georgianos (talvez, com raras exepções), alem daqueles ossetinos que viviam no interior da Geórgia (mesmo entre aqueles quem fugiu de lá depois ou no tempo do conflito, entre os 700 pessóas só cerca de 300 tinham passaportes geórgianos (dados do "Memorial").
Onde estão os teus dados? Os links, os documentos etc.?


4. "Não comentaste nada sobre o uso dos passaportes da Moldova pelos moradores da Transnístria…
"

Não sei quase nada disso, por isso acho que nunca vou comentar (pelo menos sem tentar entender o que se passou primeiro).


Sobre a Tchetchenia, simlesmente te dei um exemplo da tabela de dados, nada mais. O tema não é sobre a Tchetchenia.

anónimo russo disse...

P.S. Entre aqueles que fugiram da Geórgia uma parte de pessoas eram sem documentos, e tu dizes "viajar".

Anónimo disse...

Ao Pippo

A Rússia considera-se oficialmente herdeira dos direitos e deveres da URSS, e os seus actuais dirigentes defendem muitas das conquistas da era soviética. Putin, por exemplo, disse que a pior catástrofe dos últimos anos para o país foi o fim da URSS. Para quem não saiba, nos anos 90 a Rússia acordou com a Ucrânia que Moscovo assumia a totalidade da dívida externa da União Soviética. Em troca, a Ucrânia cedeu à Rússia a totalidade dos bens da URSS que se encontravam no estrangeiro (Activos dos bancos, terrenos das Embaixadas, representações comerciais, igrejas, etc). Portanto, a Ucrânia ficou sem a parte que lhe cabia dos bens do Estado soviético no estrangeiro e a Rússia assumiu-se como herdeira dos direitos e deveres da URSS. Isso é regularmente dito pelos actuais dirigentes russos. O que acontece é que os actuais políticos de Moscovo não querem assumir a responsabilidade moral pelos crimes dos seus antecessores. Por analogia, Portugal reconhece os crimes do período fascista, reprova-os e evita repeti-los. Na Rússia, isso não acontece.
Espero ter sido explícito.
Quanto à recuperação da "mística soviética", é claro que é lamentável, porque recupera a mística de uma ditadura. Nada impede a Rússia de fazer desfiles militares, muitos países os fazem, mas para quê recordar o sistema soviético?
João Mestre

Anónimo disse...

Ao MSantos

A existência de Chavez ameaça as nossas liberdades e garantias porque ele é um exemplo do que pode resultar da ascenção ao poder de um partido comunista.O programa político com que Chavez se apresentou às primeiras eleições era semelhante aos programas do Partido Comunista Português e do Bloco de Esquerda. Portanto, pode tirar as suas conclusões.

João Mestre

MSantos disse...

Seguindo o seu raciocínio João Mestre se por acaso amanhã Alberto João Jardim chegar a presidente do PSD, conseguir formar governo e a partir daí começar a ilegalizar partidos retirar fundos e direitos a jornais opositores, conseguir despedimentos através de influências de pessoas que lhe fazem frente, então aí teremos que abominar a social democracia portuguesa como péssimo exemplo.

Acho que devia ser mais sincero e dizer qual é mesmo o seu problema relativamente a facções políticas que não lhe agradam.

Cumpts
Manuel Santos

MSantos disse...

"O que acontece é que os actuais políticos de Moscovo não querem assumir a responsabilidade moral pelos crimes dos seus antecessores"

Como é? Os actuais líderes russos têm responsabilidade moral pelos crimes soviéticos?

Nem os líderes alemães do pós-guerra fizeram isso.

Quanto ao Estado suportar essa responsabilidade já será outra coisa.

Está a esquecer-se dos outros culpados que agora são "democratas" e desculpe-me que lhe diga mas está a desenhar o esquema de modo a que a culpa venha a apontar num só sentido: Rússia.

Mas qual é o problema? Será por a Rússia não estar a deixar expandir mais alguém?

Sinceramente estou convencido que esse é o vosso verdaeiro problema.

E já agora partindo do princípio que a Rússia assumiria essa responsabilidade, quais seriam as acções e os deveres que a Rússia devia pôr em prática?

Sinceramente estou muito curioso para ouvir a opinião.

Cumpts
Manuel Santos

MSantos disse...

...e o Sr acabou por não responder às perguntas que lhe fiz inicialmente.

Cumpts
Manuel Santos

Pippo disse...

"os actuais políticos de Moscovo não querem assumir a responsabilidade moral pelos crimes dos seus antecessores."

Responsabilidade moral? Porquê? O Joõ referiu a responsabilidade jurídica internacional, e foi somente isso que a Rússia assumiu.
Acho que eles foram claros nisso.

O que o João, juntamente com outros, está a pretender é que a Rússia, sozinha, seja responsabilizada pelos crimes cometidos por toda a URSS. Então e os outros países, não assumem a sua quota-parte?

É que a sua analogia com o Portugal fascista é má.
Portugal sempre foi uno, nunca passou a ser parte de uma feredação ou união de Estados. Portugal colonial era Portugal, e nada mais. Por isso, os crimes cometidos por Portugal só podem ser assumidos por ele, e não por outro país.
Isso não pode acontecer com a Rússia.

Aliás, é um erro estúpido assumir culpas pela História. A História é passado, quanto muito poderemos dizer que não queremos repetir os seus erros. Mas dizer que "somos culpados" levantará outras questões.

E em seguida, o que virá? A Rússia, ou os seus dirigentes, terão de pagar indemnizações a outros países pelos crimes cometidos pelos comunistas? E quem é que pagará pelos crimes cometidos por Stalin ou Béria? Deverá ser a Rússia a pagar pelos crimes que ela própria sofreu? Porque não culpabilizar a Geórgia?

Está a ver onde quero chegar?

Em suma, a Rússia assumiu os compromissos internacionais da URSS (nenhuma outra república teve coragem ou capacidade para o fazer), mas não assumiu como sua a responsabilidade pela História. Eles foram claros nesse intento e é, no mínimo, má fé querer agora dar a volta ao texto, usar artifícios ou pretensas analogias.

Jest nas Wielu disse...

2 Pippo

Mas não existe da minha parte nenhuma duplicidade neste assunto. Como já disse várias vezes, na URSS, Kiev não era o centro de decisões (e se fosses a pessoa honesta, serás obrigada a admitir isso). E Piter, e depois Moscovo eram. Como tal, toda a responsabilidade da URSS passou para a actual Federação Russa.

As tuas explicações do tipo “A História é comum, por isso as responsabilidades são comuns” ou “em termos internacionais, a Ucrânia não conta para nada” não são explicações lógicas, são explicações emocionais e políticas de uma pessoa que tem o sentimento negativo contra a Ucrânia (baseado no conhecimento bastante reduzido da nossa história), como tal não é uma argumentação valida para mim. Desculpe.

Antes de ontem um grupo de monárquicos pendurou a bandeira monárquica na CML. Se eu fosse o Pippo, já ia argumentar no sentido que república portuguesa “não conta para nada”, TODO o povo português é monárquico, etc. mas eu não faço isso, pois isso será uma desonestidade intelectual. Mas Pippo não, comete este tipo de desonestidades, pequenos arranjos aqui e ali, insultos e palavras pejorativos aqui e acolá e considera-se especialista em assuntos ucranianos.

2 Anónimo 20:40

Ok, prefiro parar por ai, pois foi o anónimo que puxou a conversa sobre a Chechénia, como já disse, sim, poderei procurar os links e os depoimentos que dizem que os ossetas possuíam os passaportes georgianos, pois até muito recentemente iam aos hospitais da Geórgia, etc., mas acho que não vale a pena. Ficamos cada um de nós na sua verdade.

2 João Mestre

Obrigado pela ajudinha, pois já não tenho a pachorra de repetir as mesmas coisas.

2 Manual Santos

/ Nem os líderes alemães do pós-guerra fizeram isso /

Prf, o estado da Alemanha paga todos os anos uma pesada “mesada” ao Israel por conta de quem? Além disso, Alemanha recebe os imigrantes por quota “judaica”, quer dizer, todos os anos existe um número fixo dos cidadãos de origem judia que podem emigrar para a Alemanha (conheço alguns judeus ucranianos que emigraram assim). Quer dizer que o estado alemão faz isso apenas por razões humanitárias / emocionais? Não será uma espécie de “pagamento” pelo Holocausto?

2 Pippo

/ É que a sua analogia com o Portugal fascista é má. Portugal sempre foi uno, nunca passou a ser parte de uma feredação ou união de Estados. Portugal colonial era Portugal, e nada mais. Por isso, os crimes cometidos por Portugal só podem ser assumidos por ele, e não por outro país.
Isso não pode acontecer com a Rússia. /
Isso não é inteiramente verdade. O Portugal antes de 1974 era um império “pluri – racial e multi – continental do Minho a Timor”. E administração colonial portuguesa tinha os representantes dos angolanos, moçambicanos, timorenses e por ai em diante. Se seguir a sua lógica, eles também cometeram os crimes e também devem ser co-responsabilizados por estes crimes. Não era Dr. Salazar fazia as “limpezas” em Cabo Delgado, foram os GP, GPE, pára-quedistas do exército português (muitos deles africanos), que praticava os tais actos.

Mas como é normal, tens uma medida para todo o mundo e outra para a Rússia (sorry lá, por dizer isso, as vezes acho que os russos conseguiram que fiques mais russo do que eles próprios, um trabalho meritório por parte deles).

Pippo disse...

Jest, contigo já nem perco muito tempo pois és declaradamente um russófobo tropicalista.

Em lugar me de acusares de desconhecimento da História da Ucrânia, do qual já te provei várias vezes estares errado, farias melhor em aproveitar e ler uns bons livros de História de Portugal. Compra a dirigida pelo José Mattoso que é bem boa.

SE, repito, SE soubesses algo da nossa História saberias que o facto de Portugal ser multi-continental e pluri-étnico não retirava a administração central das mãos de Lisboa e mais, Portugal, tal como disse, não fez parte de uma "entidade", Portugal era uno.
Angola, Timor, Macau, etc., não eram "Repúblicas" de Uma "União Lusófona", eram províncias administrativas de... Portugal!

E mais nada.

Se queres esgrimir usando a nossa História, ao menos aprende-a. Mas para quem diz que Lisboa foi fundada pelos mouros, de facto, já não há muita pachorra para ensinar.
Lê.

Quanto ao centro de decisões na URSS, evidentemente seria Moscovo. Querias que fosse transferido para onde? Frunze? Ufa? Ternopol, já agora...

As minhas explicações são sempre lógicas. É que, ao contrário de ti, eu não tenho sanhas contra qualquer país. Nem sequer contra a Ucrânia, pois estou-me nas tintas para o teu país.

Tu, pelo contrário, queres à força toda acusar e responsabilizar a Rússia por todos os males, sem teres em conta quem tomou as decisões ou a sua origem, pois isso obrigar-te-ia a desviares-te dos teus intentos prossecutórios.

Assume a tua herança, assume as responsabilidades do teu país naquilo que foi a História da União Soviética e deixa-te de acusar "o outro" pelos teus desmandos.

Isso seria uma atitude adulta. Algo que, pelos vistos, nem tu nem os teus bem-amados dirigentes são capazes de o fazer.

Anónimo disse...

Nojenta a forma como os diregentes ucranianos sem querem prostrar aos Estados Unidos

anónimo russo disse...

Jest

"2 Anónimo 20:40

Ok, prefiro parar por ai, pois foi o anónimo que puxou a conversa sobre a Chechénia, como já disse, sim, poderei procurar os links e os depoimentos que dizem que os ossetas possuíam os passaportes georgianos, pois até muito recentemente iam aos hospitais da Geórgia, etc., mas acho que não vale a pena. Ficamos cada um de nós na sua verdade. "



1. Que hospitais georgianos, se a maior parte deles têm parentes na Ossétia do Norte, onde vão quando é necessário? Eu conheço umas pessoas que viveram na Georgia antes do início dos anos 90. Se não entendes alguma coisa sobre o nacionalismo georgiano, posso explicar.

2. Lembrei-me das "viagens". Os passaportes distribuidos entre os ossetas eram exatamente os "estrangeiros" (não sei como se chama esse documento em portugues). Porque, segundo as leis, é exatamente esse documento que se entrega aos que aspiram ser cidadão da Rússia. Com esse documento, claro, podem viajar aonde quiserem.

MSantos disse...

Claro Jest! Já sabíamos há muito tempo que era tudo uma questão de guito($$$).

E o patrãozinho de Washington, quando é que começa a abrir os cordões à bolsa e mete o "celeiro" a funcionar?

Esquesito não é? Com a colectivização comunista aquilo ainda dava alguma coisa e agora com a economia de mercado mais o bom aconselhamento dos "consultants" nem dá para pagar a conta do gáz.

Parece que não é só na Rússia que não estão a conseguir diversificar a economia.

Tão soviéticos que nós ainda somos ;)

Cumpts
Manuel Santos

Anónimo disse...

MSantos, o Sr é um gozador.

Anónimo disse...

Como é? Os actuais líderes russos têm responsabilidade moral pelos crimes soviéticos?

Nem os líderes alemães do pós-guerra fizeram isso.

Quanto ao Estado suportar essa responsabilidade já será outra coisa.

Está a esquecer-se dos outros culpados que agora são "democratas" e desculpe-me que lhe diga mas está a desenhar o esquema de modo a que a culpa venha a apontar num só sentido: Rússia.

Agora, sem recurso a distorções linguísticas, trate mas é de justificar porque é que as culpas devem ser atribuídas à Rússia.

Ao Pippo e MSantos
(com um pouco de atraso)
Quanto à responsabilidade moral da actual Rússia pelos crimes do período comunista.

Não se pode nem se deve distribuir a culpa "em partes iguais" pelas repúblicas da URSS, porque os centros de decisão estavam em Moscovo. Por exemplo, a ordem para fuzilar a família do czar foi um telegrama vindo de Moscovo.Era na Rússia que Lenine e Estaline governavam e era na Rússia que se encontrava o governo soviético, o soviete supremo, os comissariados. As ordens partiam do Kremlin e não de outro lado qualquer.

Actualmente, ao contrário de outros antigos países socialistas, os actuais governantes russos não só não se demarcam do antigo regime, como até o elogiam. Dou-lhe alguns exemplos:
Foi recuperado o antigo hino soviético, depois de nos anos de Yeltsin haver um hino novo com a música de Glinka; as estátuas do período comunista (de Lenine, de Marx, de Engels etc) continuam nas ruas e praças das cidades russas, entre as quais Moscovo; continua a haver muitas designações de ruas ligadas a figuras revolucionárias, nomeadamente de Lenine; actualmente nos livros de História do ensino público russo o período soviético é retratado com benevolência, não são feitas referências às repressões, aos campos de concentração, etc, à falta de liberdade.Digamos que o comunismo é apresentado às actuais crianças e jovens como mais uma fase da História, sem qualquer juízo de valor. Isso seria impensável na Alemanha ou em Portugal nos anos pós-fascismo, em que a classe dirigente e toda a sociedade condenaram (e condenam)as ditaduras nestes países. Mas, o mais importante, é que na Rússia não foi impedido por lei às pessoas que tiveram ligações aos serviços secretos soviéticos de ter cargos públicos e até no Governo. Os antigos comunistas continuaram na Administração Pública, muitos ascenderam a altos cargos.
Ou seja, muitos dos actuais dirigentes russos ou foram comunistas ou tiveram ligações aos serviços secretos soviéticos. Por isso, têm responsabilidade pelos crimes do comunismo. Ao contrário de alguns outros países de Leste, não houve uma verdadeira mudança da classe dirigente.

João Mestre

Pippo disse...

"Digamos que o comunismo é apresentado às actuais crianças e jovens como mais uma fase da História, sem qualquer juízo de valor."

PRECISAMENTE! A História DEVE ser apresentada SEM JUÍZOS DE VALOR. Porque os acontecimentos do passado não podem ser interpretados à luz dos valores presentes.

Essa condenação de que fala é reflexo, ou de sociedades pós-modernas complexada com o seu passado e que se submetem ao politicamente correcto; ou de sociedades com complexos de pós-colonizados e que procuram usar a História como forma de condenar o passado (cuja responsabilidade é atribuída a outrém)e assim redimir o presente.
Ambas as posições são incorrectas.

Eu não posso julgar os romanos por causa das suas conquistas ou da escravatura, pois a sua moral permitia isso. Não posso julgar as Cruzadas dizendo que eles eram fanáticos, pois esse conceito não era contemporêneo, é actual. Nem posso julgar a Inquisição, pois os conceitos, quer morais, quer religiosos, eram diferentes.

Por isso a História deve ser apresentada, preferencialmente, na sua totalidade, sem se fazerem juízos de valor.

Os russos, ao contrário dos outros, não tentaram "descartar-se" da sua História. Pelo contrário, assumiram-na e glorificam-na pois, bem ou mal, é a SUA História.

Quanto aos centros de decisão, penso já ter falado nisso. Só havia duas cidades importantes no Império Russo: Moscovo e Petrogrado. Como tal, esses eram os centros de decisão. Ou queria que o centro de decisão estivesse em Sinferopol? Ou Merv?

Daí a dizer que, por o centro de decisão estar num determinado sítio, a culpa é do país sucessor, vai um grande passo. E pode originar situações ridículas. Quer um exemplo?

À data da assinatura do Tratado de Paris, de 1815, a Corte (portuguesa) estava no Rio de Janeiro. Foi nesse tratado que ficou acordada a devolução de Olivença, contrabalançada pela devolução a Espanha das imensas terras, por nós conquistadas. na Cisplatina.
Foi por decisão do D. João VI (que estava no Rio) que tal troca não ocorreu, pois interessava mais à coroa manter muitas terras nas Américas que trocá-las por uma porcariazinha de aldeia na Metrópole.

A Corte, como disse, estava no Rio. As decisões vinham de lá.
Pela sua lógica locativa quanto ao centro de decisões, deveremos culpabilizar o Brasil por termos perdido Olivença? Podemos pedir uma indemnização. Quem sabe, talvez um pedido oficial de desculpas?

Penso ter sido claro.

Jest nas Wielu disse...

2 Pippo

1. Não é preciso voltar aos insultos, sei insultar muito melhor.
2. Não me lembro vez alguma mostrares o conhecimento profundo da nossa história, saber dizer “Ternopil” e repetir meia – dúzia de chavões chauvinistas russos do século XIX (okraina, etc), não é o tal conhecimento.
3. “estou-me nas tintas para o teu país” – se isso for verdade, para que gastar tanto latim em falar mal da Ucrânia?
4. A Ucrânia simplesmente não tem nenhuma responsabilidade sobre os desmandos e crimes da URSS, por isso não temos nada a assumir.
5. Não sou nenhum dirigente da Ucrânia, como tal apenas respondo por mim.

2 Anónimo 20.29

Pois é, o GULAG, onde morreu uma parte significativa da minha nação era uma coisa linda. Se for preciso, serei a baioneta da NATO, apenas para a bota moscovita não pisar os meus terrenos.

2 Anónimo 21:10

Este passaporte se chama assim mesmo “passaporte”, mas já disse, prefiro ficar por ai, eu tenho as minhas convicções e factos, você os seus, se não se importar, ficamos por ai. Ok?

2 MSantos

Não deveria duvidar disso, basta olhar para o Portugal e reparar quantas obras pelo país fora foram feitos com os dinheiros da EU. E onde está a vossa própria diversificação?

Jest nas Wielu disse...

2 MSantos

Não deveria duvidar disso, basta olhar para o Portugal e reparar quantas obras pelo país fora foram feitos com os dinheiros da União Europeia. E onde está a vossa própria diversificação?

Pippo disse...

E já agora, porque é que deveriam impedir o acesso a cargos públicos de antigos membros do KGB e GRU? Essa limitação existe face aos antigos membros da MI5 e MI6, ou CIA/NSA/FBI?

Ah, pois, mas os EUA e os RU são democracias... mesmo que as suas secretas façam "black ops" e execuções extra-judiciais.

E quanto a impedir-se o acesso a cargos públicos a membros do PCUS, bem, essa nem sem que lhe diga!

Não sei se sabe, mas ser não sabe fica a saber, logo após a conquista da Alemanha o Gen. Patton começou a empregar na Admin. Pública alemã antigos membros do partido Nazi. Quando alguns o criticaram ele limitou-se a responder: "todos os funcionários públicos alemães eram membros do Partido, ou então não tinham trabalho. Agora preciso de funcionários públicos. Quer que contrate quem?". Em três tempos, na Alemanha CONTROLADA PELOS OCIDENTAIS os ex-funcionários públicos nazis passaram a exercer as suas antigas funções.

Em que ficamos então? Um escriturário numa Conservatória do Registo Predial em Munique, só por ter de ser membro do partido nazi, era responsável por Auschwitz?

Será que cá em Portugal, todos os que fizeram parte da Mocidade Portuguesa são coniventes com o Estado Novo e com os seus actos?São responsáveis pelos actos da PIDE? São responsáveis pelo massacre de Wiriamu?

Tenha atenção a essas ideias pois, como vê, elas podem ser extensíveis e afectar mais gente do que pensa.

Pippo disse...

E já agora, porque é que deveriam impedir o acesso a cargos públicos de antigos membros do KGB e GRU? Essa limitação existe face aos antigos membros da MI5 e MI6, ou CIA/NSA/FBI?

Ah, pois, mas os EUA e os RU são democracias... mesmo que as suas secretas façam "black ops" e execuções extra-judiciais.

E quanto a impedir-se o acesso a cargos públicos a membros do PCUS, bem, essa nem sem que lhe diga!

Não sei se sabe, mas ser não sabe fica a saber, logo após a conquista da Alemanha o Gen. Patton começou a empregar na Admin. Pública alemã antigos membros do partido Nazi. Quando alguns o criticaram ele limitou-se a responder: "todos os funcionários públicos alemães eram membros do Partido, ou então não tinham trabalho. Agora preciso de funcionários públicos. Quer que contrate quem?". Em três tempos, na Alemanha CONTROLADA PELOS OCIDENTAIS os ex-funcionários públicos nazis passaram a exercer as suas antigas funções.

Em que ficamos então? Um escriturário numa Conservatória do Registo Predial em Munique, só por ter de ser membro do partido nazi, era responsável por Auschwitz?

Será que cá em Portugal, todos os que fizeram parte da Mocidade Portuguesa são coniventes com o Estado Novo e com os seus actos?São responsáveis pelos actos da PIDE? São responsáveis pelo massacre de Wiriamu?

Tenha atenção a essas ideias pois, como vê, elas podem ser extensíveis e afectar mais gente do que pensa.

Pippo disse...

Jest:

1º Não fui eu quem escreveu "okraina".
2º Também sei dizer Ternopil, mas uso o termo Ternopol, tal como uso Kiev em vez de Kiïv. Também poderia dizer London em vez de Londres, mas não estou para isso.
3º Não gasto latim a falar mal da Ucrânia. Estou-me nas tintas para o teu país. A sério. Mas se me mostrares ONDE é que eu FALEI MAL do teu país, estás á vontade.
4º A Ucrânia tem tantas responsabilidades sobre os crimes da URSS como as outras Repúblicas. A História é comum, por isso as responsabilidades também o são. Assume-o.

Quanto a pretensos insultos, não o são, são apenas a constatação de uma atitude lamentavel.

MSantos disse...

João Mestre concordo em absoluto com o Pippo pois eu apesar de ser bastante antagonista e crítico acho que a estátua de Salazar devia ser reposta assim como a ponte sobre o Tejo retomar o seu nome original pois foi obra do velho entre muitas outras coisas. Devemos conservar o justo e devido distanciamento para podermos encarar tudo sem qualquer tabu. É o que de certa forma os russos estão a fazer. O ponto principal é que o comunismo é condenado e não há qualquer indício ou tentativa de retornar a esse passado. Sobre a grande catástrofe da desintegração soviética referida por Putin, este já esclareceu que se referia ao espaço geoestratégico e não político na medida do que todos estes povos sofreram e perderam o que é um facto.

Sobre o hino, é apenas uma música, a letra foi mudada e na minha opinião acho que fizeram muito bem porque é lindíssima, motivadora e inspiradora. Seria uma pena perder-se.

Lembra-me uma vez de ouvir o hino russo anterior e nem me aqueçeu nem arrefeceu. Se o ouvir novamente não o reconheço.

É o único hino no mundo que pode rivalizar em beleza e grandeza com "A Portuguesa" de Alfredo Keil.

Cumpts
Manuel Santos

MSantos disse...

Jest ao contrário de si não sou fanático nem obcecado pelas minhas opções políticas ou outras e isso permite-me julgar todos mas mesmo todos, inclusivé os de quem sou eventualmente partidário.

Já lhe disse neste blogue que sempre que o meu país se ajoelhou perante interesses doutros senti vergonha da minha nacionalidade. Pelos vistos não é o seu caso e dá-se bem com isso. Vamos ver até quando.

Quanto ao dinheiro que inundou Portugal graças a Jaques Delors (que deveria estar no lugar da estátua do Marquês) e a Mário Soares (embora isto seja incómodo a muita gente) só foi aproveitado em betão e a diversificação da economia portuguesa ficou-se pelos jipes e vivendas, é um facto. Como vê, admito e assumo toda a verdade.

Mas tome atenção: nos tempos que correm a Europa não poderá fazer muito mais do que vos pagar a conta do gáz, portanto não conte com muito mais.

E os dólares? Quando começam a chover? Já era tempo da patroa mover as suas influências ;)

Cumpts
Manuel Santos

MSantos disse...

João Mestre
Sobre os políticos que ainda exerceram poder no comunismo também sou da sua opinião. Boris Yeltsin deveria ter sido julgado pois até sentir as costas quentes da mudança, era um comunista convicto e ocupou lugares de poder e destaque.

Muitos em outros países europeus escaparam a isto porque se tornaram "democratas" de um dia para o outro.

Não é só o OMO que lava mais branco.

Em contrapartida não há nenhum líder actual que tenha desempenhado funções de poder. E não apresente Putin pois era um mero operacional a cumprir ordens, como toda a URSS.

Cumpts
Manuel Santos

Anónimo disse...

Concordo com o Manuel Santos. O hino russo é sublime e grandioso.

Jest nas Wielu disse...

2 Pippo

1. Várias vezes transcreveste os nomes pejorativos que os russos usam para ferir as nossas sensibilidades. (Quando mais eles fazem isso, mais nós separam, isso agrada me).
2. Ternopil era o exemplo vivo, do que saber dizer Kyiv / Kharkiv não significa perceber a nossa dor e a nossa história.
3. Repito, quem estiver nas tintas, não escreve sobre o(a). Por exemplo, eu não me interesso pelo Algarve e nunca escrevo sobre essa região espanhola.
4. Portugal tem tanta responsabilidade sobre o Holocausto, quando os nazi, pois a) Portugal comprava ouro roubado aos judeus; b) general Spínola participou no cerco do Estalinegrado. Concordas?
5. Insultos: pois é, lamentável, é quando teus valores são insultados, já insultar o Estado, os dirigentes, a língua, usos e costumes da Ucrânia, Geórgia, Polónia e todos os que não se curvam perante a Nigéria do Norte, é “normal”, “acontece todos os dias” e é praticado pelo Pippo e Kº em 50% das vossas postagens.

2 MSantos

1. Se Você “nem fanático nem obcecado pelas minhas opções políticas”, para que escreve sobre a “patroa”, francamente sem fazer mínima ideia sobre o assunto?
2. Jaques Delors já lá foi a muito tempo, mas ainda neste ano o seu país recebe (em tranches parciais) a última soma atribuída do Fundo de apoio… (aqueles vossos nomes pomposos).
3. Em 18 anos a Ucrânia percorreu o caminho, que o seu país percorreu em cerca de 30 – 35, para ver a “chuva dourada”, tem que se deslocar a Kyiv e verá tudo pelos seus próprios olhos.

Pippo disse...

Jest,

Sobre os pontos 1 e 2, e aquele teu comentário "a nossa dor e a nossa história", só me ocorre dizer... tadinho! Chora lá para eu ver! Vá, chora. Deves ter cá uma dor....

Sobre o ponto 4, vai lá aprender História. É que, sabes, enquanto Portugal recebia ouro dos judeus, os ucranianos molhavam as mão no sangue judaico. Ah pois! É que essa é uma pequena grande diferença. O nosso governo pactuava com os nazis mas a população em nada participava nessas negociatas; ao invés, na Ucrânia, era o povo, os teu conterrâneos, gente igual a ti, que assassinava judeus. O nosso governo é culpado; o teu povo é-o ainda mais.
Ah, e quanto ao Spínola, vai lá outra vez aprender História, e já agora vê na internet o que é um observador militar. Vais ver que entre ser-se observador e ser-se participante vai um universo de diferença. Concordas?

Sobre os insultos...Insultos? Insultei o teu Estado? Quais foram exactamente as palavras? E com que termos é que insultei os teus bem-amados dirigentes (no qual, sabe-se lá porquê, incluis o Saakashvili)? Insultei a tua língua, usos e costumes? Onde? Vá, vai lá pesquisar nos anteriores diálogos e diz-me onde estão os meus insultos, que eu estou curioso.

Penso que essa tua acusação não passa de projecção. Isso é explicado pela psicologia.

TU, em compensação, tens por hábito insultar gratuitamente os russos. Não, não te limitas a insultar os dirigentes, insultas mesmo o povo, o que é sinal de xenofobia e racismo da tua parte. Lembro-me vagamente da tua tradução de Moscovo, que tinha algo a ver com porcos ou uma coisa do género...
TU, ao contrário de mim e muitos outros, atacas verbalmente a Rússia e os seus habitantes, sem que isso tenha qualquer conexão com os seus actos. TU insultas os costumes russos, achando que os dos ucranianos são nobres. Mais uma vez, a construção (fabricação) da identidade nacional e da história comum procurando denegrir o “outro” de forma a enobrecer o próprio. Acho que foi mais ou menos isso que os pais do nazismo fizeram com a História alemã…

Não me admira que, para ti, criticar a política dos teus amiguinhos e Cia (ou melhor, CIA, que é quem te paga) seja "insultuoso". Para ti, as críticas à política do teu Estado (e CIA) equivalem a insultar "o povo, os usos e costumes", pois essa é a saídas mais fácil. O que tu, na prática, estar a fazer é uma espécie de tribunal de delitos de consciência, como quando os teus antepassados de não há muito tempo atrás prendiam o pessoal por desviacionismo e afins. Quem não concorda contigo é malcriado, “insulta”, é um bandalho da pior espécie, já agora. Se calhar deve ser saneado, não?
Pois é, sob esse verniz democrático-tropicalista, no fundo continuamos muitos bolcheviques e autoritários, não é verdade?