quinta-feira, agosto 13, 2009

Presidente Iuschenko responde a homólogo russo


O Presidente da Ucrânia, Victor Iuschenko, mostrou-se hoje desiludido com a “mensagem não amistosa” do seu homólogo russo, Dmitri Medvedev, refutando as acusações nela contidas.
Dmitri Medvedev anunciou, no dia 11 de Agosto, o adiamento do envio do novo embaixador russo na Ucrânia devido à política anti-russa do país vizinho e espera a eleição de um novo Presidente ucraniano para normalizar relações bilaterais.
“Vou ser sincero, fiquei muito desiludido com o carácter não amistoso da mensagem. Não posso deixar de estar de acordo sobre que há sérios problemas entre os nossos países, mas é estranho que o Senhor exclua qualquer responsabilidade por isso da parte da Rússia”, responde Iuschenko numa carta publicada no sítio oficial do Presidente ucraniano na Internet.
Segundo ele, a decisão do Kremlin de adiar a ida do novo embaixador russo para Kiev “não irá contribuir para o desenvolvido construtivo das nossas relações”.
Iuschenko refuta as acusações de Medvedev de que a direcção ucraniana fornece armas à Geórgia e dificulta as actividades da Armada russa do Mar Negro, aquartelada no território ucraniano.
“A posição da Ucrânia em relação aos acontecimentos do ano passado na Geórgia é conhecida e coincide com as posições de praticamente todos os países do mundo. Ela consiste no respeito exclusivo da soberania, da integridade territorial e a inviolavilidade das fronteiras do Estado georgiano ou de qualquer outro”, frisa o Presidente da Ucrânia.
No que respeita à Armada do Mar Negro, ele acusa-a de “violar sistematicamente os acordos bilaterais e as leis ucranianas.
“A Ucrânia continua a ser fiel a uma ampla cooperação com a Federação da Rússia na base do respeito mútuo, da igualdade através do diálogo construtivo, nomeadamente ao mais alto nível”, conclui Iuschenko.
Após a publicação da resposta de Iuschenko, o serviço de imprensa do Kremlin informou que Dmitri Medvedev assinou o decreto que nomeia Mikhail Zuravov, antigo ministro da Saúde e Segurança Social, embaixador da Rússia na Ucrânia, pondo fim ao adiamento dessa nomeação.
Seria necessário fazer um discurso tão duro, como o que fez Medvedev, para adiar por três dias o envio do embaixador russo na Ucrânia?

24 comentários:

Anónimo disse...

Iuschenko é muito cínico e hipócrita!!!

SLAVA ROSSYA

Anónimo disse...

O cara de ananás ainda se vai arrepender de ter traído o seu povo ao se ter vendido à América.

Anónimo disse...

Pois é: entradas de leão, saídas de cordeiro. Medvedev fez uma triste figura, porque o problema do gás ficou resolvido com o empréstimo da UE.Continuo a achar que se pôs em bicos de pés para dar nas vistas. Parece que queria arranjar complicações, como se já não bastassem as que há.Os ucranianos farão o que entenderem e escolherão os aliados que quiserem. Os russos só têm de ter o gás a circular e as contas pagas.Medvedev pretendeu que exigiria mais alguma coisa. Pois nada mais pode exigir. E agora cai no ridiculo ao nomear o embaixador passadas 48 horas.
Alguém o chamou à pedra. Talvez alguém que foi dar uma volta com ele ontem, com direito a amendoins e a jogo de futebol num café da moda.

Jest nas Wielu disse...

Original da carta do Presidente Viktor Yushchenko ao seu homólogo russo (texto em russo):
http://www.president.gov.ua/ru/news/14676.html

p.s.
1. Os estrangeiros não devem opinar sobre a política interna da Ucrânia, se vocês nem a língua ucraniano falem como podem saber e perceber quem traiu a quem?

2. O Anónimo 23:52 fez 2 erros em apenas 2 palavras em russo, mas se acha um grande especialista em história da Ucrânia. lol

PortugueseMan disse...

...porque o problema do gás ficou resolvido com o empréstimo da UE...

Nenhum problema ficou resolvido com o empréstimo da UE.

PortugueseMan disse...

Caro JM,

Mais assunto para reflexão, onde embora o assunto principal seja a China, está directamente relacionado com a Rússia.

PLA stages nation's largestever long-range drill

China’s People’s Liberation Army (PLA) launched the nation’s largest-ever military drill involving long-range field maneuvers yesterday, with heavily-armored troops from four military area commands trekking thousands of miles to test the PLA’s long-range mobility.

[...]

“This is the first cross-region long-range training maneuver involving troops from four military area commands,” an anonymous officer at the PLA Headquarters of General Staff was quoted by Xinhua as saying.
“The exercise is to test the overall combat capability and long-range mobility of our army in information-based situations,” he said.

The drill, which began yesterday, will last approximately two months.

According to the plan, 80 percent of the 50,000 troops and 60,000 weapons, equipment and vehicles will be transported to the target area by railway and motorized maneuvers.

Civil passenger and cargo aircraft will be deployed for the first time to transport troops and weapons.


[...]



http://www.globaltimes.cn/www/english/military/china/2009-08/456750.html

Este exercício tem o nome de Stride-2009 e é bastante interessante.

Quero que tenha em mente o que já tenho aqui referido anteriormente, negar energia aos EUA, desviar produção para a China.

Este é um grande exercício, que tem em vista a deslocação de grandes forças para além das fronteiras chineseas e por via TERRESTRE.

O que nós estamos a ver são ensaios chineses para uma entrada na Àsia Central, de modo a garantir que os contratos energéticos feitos pela China são cumpridos.

A Àsia Central é uma zona fora de acesso pelos os EUA, onde não possui bases, nem está ao alcance dos seus porta-aviões, que são o garante da sua força espalhada pelo mundo.

A entrada dos EUA, via Geórgia e Azerbeijão, abre caminho para a Àsia Central e com a abertura de bases em redor do Afeganistão, tem como garantir qual a direcção que a energia vai tomar.

A Àsia Central representa para a China o melhor acesso à energia, dado que todos os outros fornecedores, estão longe, não sendo possível protegê-los militarmente, caso os EUA assim o decidam.

Portanto se a Rússia, não conseguir conter os avanços americanos nesta zona, terá que permitir a entrada dos chineses, agravando-se ainda mais a tensão junto à fronteira russa.

Se a China de facto entrar na Àsia Central por abertura de bases militares, terá que haver uma resposta indiana.

Estamos a assistir a um provável encontro entre 5 potências nucleares, onde se disputa o fluxo de energia e a segurança de território.

E pense o seguinte, no meio de tanta instabilidade, terá o Nabucco fornecedores suficientes para encher o pipeline?

Estes próximos anos vão ser palco do agudizar de algumas situações já de si graves.

Pippo disse...

Qual foi a reacção do presidente ucraniano às declarações do secretário de estado norte-americano J. Biden? Foram igualmente classificadas como ingerência?

Os exercícios do EPL (PLA, em ingês) e as conclusões do PM são interessantes. Não é usual haver exercícios com o objectivo de testar deslocações massivas de tropas, sobretudo num país que, à partida, não tem interesse em projectar forças para o exterior. A não ser que a sua política esteja a mudar, o que augura "tempos interessantes".

A China, devido ao seu potencial e às suas fragilidades, pode vir a ser um garnde factor de instabilidade em todo o Oriente. A Rússia, para já, é sua aliada. Os EUA não.

Anónimo disse...

"O Anónimo 23:52 fez 2 erros em apenas 2 palavras em russo, mas se acha um grande especialista em história da Ucrânia. lol"


JEST, ESSE COMUNISTAS E ASMIRADORES DA RÚSSIA POR AQUI SÃO UMA PIADA!!!


KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK

ÍTALO

Anónimo disse...

"A Rússia, para já, é sua aliada. Os EUA não"


Só se for pra matar 7 milhôes de ucranianos de fome novamente.


De genocídio a Rússia entende.

A Rússia n é aliada de ninguém. Não é á toa que é ODIADA POR TODO O PLANETA.

Anónimo disse...

corrigindo: Admiradores

Yuri disse...

Agora que a Ucrânia está a afundar em crise, os políticos neoliberais vão tirar todo proveito em cima da Rússia para desviar atenções e ganhar popularidades, de olho em 2010.

Pobre Ucrânia.

Anónimo disse...

"Só se for pra matar 7 milhôes de ucranianos de fome novamente."

Mais um que confunde a URSS com a Rússia... quanto tempos MAIS é que precisam para aprender?

"A Rússia n é aliada de ninguém. Não é á toa que é ODIADA POR TODO O PLANETA."

Claro! por isso é que o 11 de Setembro teve lugar em Nova Iorque, não em Moscovo.
Esse "TODO O PLANETA" não deve incluir os países árabes e a América Latina (a começar no México).

Zé dos anzóis disse...

Cada vez mais mesmo na Europa, o povo europeu odeia os EUA e quer que se siga políticas independentes do que os americanos impõem.

Era interessante fazerem um referendo nos países europeus sobre a Nato.

Mas para isso claro que não têm coragem.

Anónimo disse...

O zé dos anzóes!
Cada vez mais mesmo na Europa, o povo europeu odeia os EUA!?
Deves ser amigo do Zé Barroso!

Oh Well, Okay. disse...

Jest:

"Os estrangeiros não devem opinar sobre a política interna da Ucrânia"

Porquê? Qualquer pessoa pode opinar sobre o que quiser e bem entender, desde que sustente as suas opiniões com argumentação válida.

"se vocês nem a língua ucraniano falem como podem saber e perceber quem traiu a quem?"

Há uma coisa que se chama História, meios de comunicação, globalização, etc etc etc. Um país não é fechado e a informação circula, em sem saber falar ucraniano posso saber tanto como o senhor sobre a situação do país.

MSantos disse...

Não concordo muito com essa da China ser aliada da Rússia.

A posição chinesa é sempre muito ambígua e no que se refere a aliados, o historial tem demonstrado que são mais questões de ocasião ou oportunidade sempre sujeitas à dinâmica e mudanças do cenário.

Na minha opinião a China anda a apalpar terreno com a Rússia, a ver até aonde pode ir.

Mas mesmo num eventual cenário extremo de incursão chinesa pela fronteira russa dentro, que não haja qualquer dúvida que a resposta russa seria massiva provavelmente nuclear.

Cumpts
Manuel Santos

Anónimo disse...

Hoje, Medvedev fez uma figura triste dificil de imaginar, de uma infantilidade patética. Teve de usar um dos seus cães retrievers para que este não deixasse Putin ganhar-lhe um jogo de badminton. É tudo verdade! O Presidente tem de fazer estas figuras para mostrar que manda. Coitadinho! Fez-me lembrar aquele flme com o Tom Hanks, BIG. Só que aqui é ele o miudo, não o outro, embora seja um miudo muito má rés.Temo pelo futuro da Rússia com um Presidente destes.

Anónimo disse...

"Claro! por isso é que o 11 de Setembro teve lugar em Nova Iorque, não em Moscovo.
Esse "TODO O PLANETA" não deve incluir os países árabes e a América Latina (a começar no México)."


Tolo!!!!!!!!!, e Beslan?

Acha que os árabes amam a Rússia?

ELES VOS ODEIAM.



Aqui na américa latina apenas os comunistas apóiam a Rússia. Democratas e Anti-RACISTAS ODEIAM A RÚSSIA.

Ítalo

Pippo disse...

"Tolo!!!!!!!!!, e Beslan?
Acha que os árabes amam a Rússia?
ELES VOS ODEIAM."

BURRO!
Beslan não foi obra de árabes, foi obra de chechenos!
Como é possível ser-se tão ignorante???

"Aqui na américa latina apenas os comunistas apóiam a Rússia. Democratas e Anti-RACISTAS ODEIAM A RÚSSIA."

Gostei dessa dos "Anti-RACISTAS ODEIAM A RÚSSIA". É uma espécie de chantagem moral maniqueísta na qual se afirma que quem apoia a Rússia é fascista e nazi e portanto, quem é dos "bons" tem de ser anti-Rússia.

O problema é que esse tipo de propaganda só convence os idiotas que são moralmente maniqueístas. E o maniqueísmo acaba por ser, ele mesmo, totalitarista, pois ou se é "dos nossos" ou se é "contra nós". É igual ao comunismo, ao extremismo islâmico ou ao nazismo.

Assim, a posição dos que "odeiam a Rússia" acaba por ser, na sua essência, totalitarista (portanto, anti-democrática) e racista (pois o ódio é direccionado à Rússia - na sua totalidade - e não apenas ao seu governo).

Portanto, agora que o Ítalo já nos demonstrou, com a sua primeira afirmação, que é ignorante (Beslan), Agora tenho de lhe perguntar isto:

O Ítalo, é dos mauzões dos comunistas ou é dos tais "democratas" e "anti-racistas" que odeiam a Rússia?

Jest nas Wielu disse...

2 Oh Well, Okay

1. "Os estrangeiros não devem opinar sobre a política interna da Ucrânia"
Pois estão equivocar-se constantemente, olhando nós através dos óculos moscovitas.

2. “em sem saber falar ucraniano posso saber tanto como o senhor sobre a situação do país”
Teoricamente é possível, na prática não vejo a possibilidade alguma de realmente entender um país sem dominar a sua língua.

Anónimo disse...

Pippo a perder tempo com ignorantes?

O moço nem deve saber o que é maniqueísmo.

Pippo disse...

"O moço nem deve saber o que é maniqueísmo"

Óptimo! É da maneira que talvez, com algum esforço, possa aprender umas coisas em lugar de nos massacrar a paciência.

Desculpem-me todos mas irrita-me um bocado que indivíduos ignorantes venham para aqui insultar pessoas, sobretudo quando cometem erros grosseiros naquilo que dizem. Provavelmente, nem sabem o que quer dizer "maniqueísta" :o)

Jest nas Wielu disse...

Yushchenko responde ao medved(ev)

Presidente russo, como um bom russo, escreveu a carta e gravou o vídeo com a sua mensagem para o Presidente da Ucrânia, em língua russa. O Presidente da Ucrânia, como um europeu educado, respondeu ao seu homólogo na língua dele, começando a carta com a frase “Respeitoso, Dmitri Anatolyevich” e terminando com: “Com respeito, Viktor Yushchenko”.

A essência da resposta ucraniana poderá ser vista no meu blogue.

Em jeito do comentário:

1. Pessoalmente, acreditava, que a Rússia irá “pedalar” a situação com a “não designação” do embaixador até as eleições, subsidiando deste jeito a subida da popularidade da candidatura presidencial do Yanukovich. Mas pelos vistos, neste caso, Yulia Timoshenko foi mais ágil, pois também declarou imediatamente, que “quando for presidente, será melhor amiga do grande vizinho”.
2. Como tal, parece que os russos optaram por não complicar a situação, sob a pena de ficarem sem o representante oficial durante o “Inverno eleitoral quente”, informando quase de imediato, que Medvedev nomeou Mikhail Zuravov, antigo ministro da Saúde e da Segurança Social, como o novo embaixador da Rússia na Ucrânia.
3. Conhecido na Rússia como o “ministro que arruinou a Saúde”, especula-se que Zuravov foi enviado a Ucrânia como o “testa de ferro”, para arruinar aquilo que ainda está de pé nas relações entre os dois países. Neste aspecto digo, que “ver – vamos”.
4. Acredito também que até as eleições presidenciais ucranianas, marcadas para o dia 17 de Janeiro, a Nigéria do Norte ainda tentará muitas artimanhas, para influenciar o eleitorado ucraniano. No fim, espero que novamente “levará nas fuças”, para depois poder se queixar do que foi vencida pelos “dinheiros da CIA e agentes do George Soros”.
5. Original da carta do Presidente Viktor Yushchenko ao seu homólogo russo: http://www.president.gov.ua/ru/news/14676.html

Anónimo disse...

Para aqueles que idolatra a russia qual voces preferem sem comandado por um pais represor que apoiam um regime autoritario como a siria e nao entende nada de democracia.ou um pais capitatalista onde tude se baseia no dimheiro porem a onde voce tem direito de se manifestare questionar o sistema ou o russo que voce nao sabem que eles sao e suas politicas eu prefiro os estados unidos os fatos atuais falam por si .