sexta-feira, setembro 18, 2009

Presidente russo analisa legislação sobre menores por causa do caso Alexandra


O Presidente russo, Dmitri Medvedev, deu ordens ao procurador-geral e ao comissário para os Direitos da Criança para "analisarem" o emprego da legislação sobre protecção dos menores, nomeadamente quando do divórcio dos pais ou quando vivam separadamente, como no caso de Alexandra Zarubina.

Segundo o diário Komsomolskaia Pravda, o Presidente russo, Dmitri Medvedev, decidiu "esclarecer a essência e as causas dos dramas familiares que há vários anos chamam a atenção da opinião pública russa".

Entre os casos apontados por Medvedev estão os de Alexandra Zarubina, menina russa que foi retirada à família de acolhimento portuguesa pelo Tribunal de Barcelos, e de Deni Baissarov, cujo pai raptou o filho à mãe, Cristina Orbakaite, filha da mais famosa cantora russa, Alla Pugatcvhova.

Medvedev ordenou ao procurador-geral, Iúri Tchaika, e ao comissário para os Direitos da Criança junto da Presidência russa, Aleksei Goloban, para resolverem esses e outros casos até 20 de Novembro próximo.

Olga Zarubina, avó de Alexandra, esteve em Portugal entre 13 e 16 de Setembro, mas optou por não se encontrar com João e Florinda Pinheiro, família portuguesa de acolhimento que criou a criança.

"Não achei indispensável encontrar-me com eles", declarou à Lusa Olga Zarubina, após a chegada a Moscovo, recusando-se a avançar mais explicações.

A avó de Alexandra esteve no Porto e em Braga a convite do grupo "Pela Alexandra", organização que luta pelo regresso da menina russa a Portugal, para estudar no local as propostas feitas por autarcas e homens de negócios portugueses à família Zarubina.

Entre as propostas, estava a oferta de um apartamento pela autarquia portuense, de um café para Natália, mãe biológica de Alexandra, explorar e apoio económico à mudança da família Zarubina da Rússia para Portugal.

"Esta decisão do Presidente Medvedev poderá impedir definitivamente o regresso de Alexandra a Portugal", declarou à Lusa um advogado ligado à defesa dos Direitos Humanos.

"A ressonância do caso de Alexandra nos órgãos de informação e na sociedade russa obrigou Medvedev a tomar medidas, pois trata-se de um caso que afecta a imagem internacional da Rússia", frisou a fonte.

12 comentários:

Cristina disse...

Artigo muito interessante (em russo)sobre a posição das autoridades locais quanto à família Zarubina - http://www.svobodanews.ru/content/article/1825865.html
Algumas declarações deste responsável levam a supor que a menina poderá ser retirada à família biológica, caso se mantenham os problemas da mãe. ("Не хотелось бы ее куда-то определять, если мама не остановится. Но мы просто вынуждены будем"), disse Yuri Kudriavtsev, dirigente da comissão de protecção de menores local. Segundo ele, "Foram-nos dadas indicações para lutarmos por ela até ao fim e nós tentaremos fazê-lo".
É triste, de facto.

Anónimo disse...

Claro! Eles ia lá deixar a miúda sair da Rússia e manchar a imagem do país!

Antes que se recorra ao Tribunal Europeu dos Direitos Humanos eles agem primeiro.

Pobre Xaninha!

VCD disse...

Sr. Milhazes, confesso que não entendo o teor da notícia.

Analisar o emprego da legislação significa, concretamente, o quê?

Outra coisa: o Presidente. Russo decidiu "esclarecer a essência e as causas dos dramas familiares que há vários anos chamam a atenção da opinião pública russa".
Que significa, esclarecer, no contexto da construção gramatical acima transcrita?

Esclarecer as causas???

Se pudesse clarificar, eu agradecia.

Quanto aos reflexos que pode ter no caso Alexandra, desde o início que fonte russa com quem contactei, defensora dos Direitos Humanos, tem propugnado pela via judicial, isto é, pela ida de João Pinheiro para o Tribunal Europeu dos Direitos Humanos, como única via possível para o casal Pinheiro reaver a criança.

A via das negociações, a meu ver, vai dar em nada. E se der em algo, esse algo é uma carga de trabalhos.

Enfim, parece-me que resta a resignação, ou então, João Pinheiro ir residir para Prechistoe.

Claramente, a criança, talvez seja melhor dizer, a "refém portuguesa", está a ser utilizada como instrumento de obtenção de vantagens.
Uma tristeza.

Já agora, e com relação a um outro seu quadro de comentários que abriu, eu tenho a dizer que venho aqui a este Blog, precisamente para saber notícias da Alexandra, tudo o resto, que diga respeito a notícias da Rússia, não me interessa absolutamente para nada.

Assim sendo, e com relação a esse seu quadro, intitulado "Considerações Amargas", eu sugeria que, ao invés de dar notícias sobre a Rússia, tema esse que interessa a um número relativo de pessoas, escrevesse mais sobre a história e a cultura russas, temas estes que serão bem mais interessantes para um número bem mais substancial de pessoas.

Ademais, não faz qualquer sentido estar a postar comentários sobre Notícias, que em sí são já em larga medida, versões de factos, e por conseguinte, comentários.

VCD

Jose Milhazes disse...

Caro VCD, respeito a sua opinião, mas este blogue não só escreveu e escreve sobre política, mas sobre muitos outros temas que eu considero importantes. Se você se interessa por apenas um, tem todo o direito.
"Analisar o emprego da legislação", em linguagem burocrática russa significa: como é que as leis são realizadas.
Quanto às causas...., pelos vistos o Presidente Medvedev não tem conhecimento objectivo delas e pede esclarecimentos, o que é normal.
Essa das notícias serem comentários é original. Pela sua lógica, então também não vale a pena escrever sobre o tema por si procurado, porque as notícias não passam de comentários.

Jose Milhazes disse...

Cara Cristina, eu li esse artigo em russo, mas, infelizmente, ele´é muito longo e eu não tenho tempo para o traduzir, embora ele merecesse isso para que os portugueses entendessem certas coisas.

Jose Milhazes disse...

Cristina e restantes leitores, o correspondente do JN em Moscovo, Eduardo Guedes, aborda o citado artigo num artigo seu: http://jn.sapo.pt/PaginaInicial/Sociedade/Interior.aspx?content_id=1366155

Carla Buarque disse...

Interessante é ver que o presidente da Rússia pediu esclarecimentos sobre a legislação de protecção de menores devida a tamanha pressão por parte dos cidadãos. E aqui? O que foi feito?

Vergonhoso.

Anónimo disse...

Boa noite Sr. Milhazes e obrigado pela resposta.

"Analisar o emprego da legislação", em linguagem burocrática russa significa: como é que as leis são realizadas."

COMENTARIO MEU: Curiosa explicação.
Analisar o emprego da legislação, em Portugal, significa, verificar como é que a legislação (previamente criada) está a ser aplicada ou cumprida.
As leis são realizadas pelo legislador (no caso português, a Assembleia da República e o Governo).

"Quanto às causas...., pelos vistos o Presidente Medvedev não tem conhecimento objectivo delas e pede esclarecimentos, o que é normal."

COMENTARIO MEU: Esta também é muito boa. Talvez o presidente russo devesse consultar a Pitonisa de Delfos. Não é preciso ser sociólogo para saber as causas que o PR Russo, alegadamente, ignora. Boa maneira dele de "sacudir a agua do capote". Nem o nosso presidente Cavaco Silva, que é expert nesse tipo de comportamento, faria melhor.

Quanto ao restante, ou eu me expressei mal, ou o Sr. não entendeu.

Eu pretendia referir-me à publicação de notícias, nomeadamente notícias de carácter político, que são elas próprias transcrições (parciais ou totais) de outras fontes, e que incluem comentários seus.

Quanto a traduções de notícias de fonte original, - e desde que não incluam comentários, - já a coisa é diferente.

Aquelas (traduções de notícias) que digam respeito ao caso Alexandra, interessam-me. Todo o resto que diga respeito à política russa, não.

E, claro, os temas que são de interesse para cada qual, e o respectivo direito de cada um optar por escolher aquilo que lhe interessa, isso é uma evidência sem contestação, e uma verdade de "La Palisse".

Cordiais saudações.
VCD

FG disse...

Prof. José Milhazes, perdoe-me meter a colher no prato, mas esta coisa de virem para o "seu" Blogue dizer como ele deve ser feito ou não, ou tecer considerações sobre o geito, o modo e o contexto em que ele é inserido, naquilo que foi a sua ideia de o produzir e de o contextualizar, é como se entrassem em minha casa, arrombando a porta! Parece-me que há gente que ainda não encaixou a ideia de que um Blogue é um espaço pessoal em que o(s) autor(es) escolhe(m) um determinado tema para ser (ou não) discutido publicamente sobre os posts inseridos e não sobre o tema em si ou as posições do(s) seu(s) autor(es). O senhor, no seu post da "amargura" e da falta de ânimo para continuar com este Blogue, que depois reconsiderou não levar a cabo, teve muita coragem para tomar essa decisão. Mas repare que eu passei por situações muito parecidas e acabei mesmo com todos os espaços que tinha na Net porque considerei e considero que existe gente que não merece, em absoluto, o nosso trabalho, as horas perdidas em pesquisas em detrimento de coisas bem mais profícuas da nossa vida pessoal. E digo isto com conhecimento de causa porque com os meus 63 anos de idade, trabalho com a informática e com a Net desde os primórdios e sei bem o que são fóruns, chats, blogues, web sites, IRC's, ICQ's, Messenger's e afins... Louvo a sua atitude e coragem em continuar este trabalho, que é seu e que não deve ser desviado um milímetro da concepção original com que o produziu. Quem gostar, continua a passar por cá e deixa ou não um comentário; quem não gostar dê de frosques e não ofenda o seu trabalho! Um abraço.

Anónimo disse...

Caro Sr. FG

Ora aí está um comentário excelente, que tem o meu apoio total. E até o apoio restrito, veja bem!

Este Blog não interessa para nada, - como aliás a maioria dos Blogs, - dá notícias que na sua esmagadora maioria são já reproduções de notícias que todos já lemos algures noutro lado, logo, notícias ultrapassadas, e é frequentado maioritariamente por comunistas sejam eles funcionários e militantes do asqueroso e traiçoeiro partido comunista portugues, brasileiros, e angolanos da classe dirigente, a corrupta "elite" preta.

Por mim Sr. FG (Fosgas?) vou seguir o seu conselho, não volto cá mais, isto não interessa nem ao menino Jesus, notícias de um país anormal e de gente demente, pode o proprietário fechar o Blog à vontade. Faça favor.

E agora introduziu a censura prévia, à boa maneira comunista, nem espero que este comentários consiga passar o crivo da censura.

Safa !

Anónimo disse...

e já agora sr. FG, apesar de dizer que tem 63 anos de idades atrevo-me a aconselhar a frequentar as "Novas oportunidades" do Eng.º Sócrates ou então a voltar à 4ª classe da escola primária para aprender a escrever, não é geito que se escreve, é JEITO.

Anónimo disse...

Parece-me que o Medvedev tambem nao aprova casos em que criancas sofram devido a erros burocraticos...o meu apelo e para que Medvedev faca o possivel para que a Alexandra pelo menos tenha uma familia adoptiva na Russia do mesmo nivel que tinha em Portugal.
A Natalia e a Olga e o resto daquela tribo miseravel que se dane.
Podera nao ser o resultado mais feliz mas a integridade fisica da Alexandra podera ser protegida muito melhor com gente mais inteligente.

A Sra. Olga perdeu uma boa oportunidade de ver fotos da neta a crescer, perdeu a oportunidade de ver em que condicoes a miuda viveu com a familia adoptiva e perdeu a oportunidade de falar com a familia Pinheiro em pessoa.
A Sra. Olga tem mais amor a um ideal de familia que nunca existiu, porque se precisa de trela para manter uma crianca em casa, entao a familia nunca foi grande coisa.