sábado, novembro 14, 2009

Futebol "acelera" assinatura de acordo sobre construção do gasoduto South Stream


O jogo de apuramento para o Campeonato do Mundo de Futebol de 2010 entre a Rússia e a Eslovénia acelerou a assinatura do acordo entre os dois países sobre a construção do gasoduto “South Stream”, declarou Borut Pahor, primeiro ministro eslovénio.
Pahor e o seu homólogo russo, Vladimir Putin, assinaram hoje um acordo sobre a cooperação na construção e exploração do gasoduto “South Stream” no território da Eslovénia, sendo este país o último por onde passa o pippeline a chegar a acordo com, a Rússia.
“Chegou a agora de revelar a verdade. Devo responder à pergunta porque é que decidimos acelerar as conversações. Queríamos assinar o acordo ainda antes de estragar as nossas relações devido à vitória da nossa selecção”, declarou o bem-humorado primeiro-ministro eslovénio.
As selecções da Rússia e da Eslovénia disputam hoje a primeira-mão do play off que permitirá o apuramento de uma das equipas.
“Nós temos um provérbio: não grites golo antes de o marcar. Vencerá o mais forte e iremos saudar essa vitória”, retorquiu Putin.
“O “South Stream” torna-se realmente um grande projecto europeu, nós assinámos hoje o último acordo com todos os parceiros que são necessários à realização deste projecto”, acrescentou.
O novo gasoduto, que deverá entrar em funcionamento em 2015, deverá transportar, anualmente, 63 mil milhões de metros cúbicos de gás natural da Rússia e Ásia Central, através dos mares Cáspio e Negro, até à Europa.
No continente europeu, este pipeline atravessará e fornecerá gás a países como Bulgária, Grécia, Hungria, Sérvia, Eslovénia, Aústria e Itália.
Este gasoduto pretende ser um concorrente do projecto “Nabucco”, apoiado pela União Europeia.

34 comentários:

Pippo disse...

Mais evoluções no panorama político-estratégico na Europa.

Amanhã terão lugar as primeiras eleições locais no Kosovo. O Enviado Especial do CSNU não está presente, a OSCE não irá monitorizar tais eleições e a ONU não pretende dar-lhes aval.

Apesar disso, o representante especial da União Europeia no Kosovo, Peter Feith, tem pressionado os sérvios do Kosovo para que estes votem numas eleições que são, para todos os efeitos, ilegais.

Simultâneamente, a Kfor organizou, conjuntamente com a Eulex e a polícia do Kosovo, um exercício militar ("Strong Gates") no norte do território, com o fim de familiarizar as tropas com o terreno e procedimentos de defesa junto às passagens fronteiriças de Brnjak e Jarinje.

Note-se que a mensagem dada por estes exercícios tem por destinatários exclusivos os sérvios, maioritários no Norte, a quem não será tolerada qualquer manifestação de oposição a estas eleições.

Com estas acções, a União Europeia toma finalmente partido na questão do Kosovo. Ao legitimar as eleições e forçando os sérvios a votar, a UE coloca-se definitivamente do lado dos separatistas.

Conhecendo o apreço que tem pela legalidade internacional, qual será então a posição da UE relativamente à Ossétia e à Abkházia?

Jest nas Wielu disse...

off top

The Living: o filme sobre Holodomor

É muito difícil ver o filme The Living, muito difícil mesmo. Os sobreviventes ucranianos da Grande Fome (Holodomor), não acusam ninguém, não contam horrores, apenas pronunciam as frases curtas, cheias de desespero:

– Aqui ficou sepultada a metade da nossa aldeia…
– Seria melhor se a nossa geração não tinha nascido…
– Minha mãe, meu pai, minhas irmãs, todas se foram….

As pessoas humildes, que falam baixinho, não se batem no peito, não gritam que são vítimas, talvez é a parte mais forte do filme.

Ver a apresentação do filme no YouTube (subtítulos em inglês):
http://www.youtube.com/
watch?v=oE_jDtePXhA

Fonte (blogue dedicado à problemática do Holodomor):
http://community.livejournal.com/
holodomor_ua/13594.html

Visite em Portugal (17.11. – 17.12.2009) a exposição «O desconhecido Genocídio dos ucranianos»:
http://www.spilka.pt/images/news/
centrcolt.pdf

Jest nas Wielu disse...

Barack Obama sobre o Holodomor

Original em inglês:
http://www.whitehouse.gov/
the-press-office/statement-
president-ukrainian-holodomor-remembrance-day

Tradução portuguesa:
http://ucrania-mozambique.blogspot.com/2009/
11/barack-obama-sobre-holodomor.html

anónimo russo disse...

Jest nas Wielu disse...
off top

"The Living: o filme sobre Holodomor

É muito difícil ver o filme The Living, muito difícil mesmo. Os sobreviventes ucranianos da Grande Fome (Holodomor), não acusam ninguém, não contam horrores, apenas pronunciam as frases curtas, cheias de desespero:"



Segundo dados documentais, durante a fome na União Soviética no início dos anos 30, que os historiadores consideram consequencia da política do poder comunista em relação aos camponeses, no total morreram de 7 até 8 milnhões de pessóas. Entre eles de 3 a 3,5 milhões morreram na Ucrânia, 2 milhões de pessõas morreram no Kazaquistão e Quirguízia atuais e de 2 a 2,5 milhões na Rússia. Resumindo, sofreram as mais importantes áreas rurais.
Mas, por alguma razão misteriosa, só na Ucrânia isso de repente começou a ser chamado de genocídio. Foi uma das principais ideias do atual presidente ucraniano.
Pois, em breve, parece, toda a Ucrânia vai sentir o efeito da política hostil relativamente à Rússia. Com a construção dos novos gasodutos, terão toda liberdade em escolher o que fazer com a sua economía. E, sendo um dos mais atrasados e pobres estados da europa, não me parece muito viavel de a Ucrânia ficar de repente entre os países-utilizadores de energias renovaveis ou mostrar milagres da modernização urgente. Segundo li, o primeiro-ministro ucraniano aínda há pouco considerava a possibilidade de utilizar carvão. Seria uma pena, porque assim vão estragar ecologia tambem aqui, como vivo a uns 100 km no máximo da fronteira com o nosso vizinho de oeste desgraçado. E olhem, no mundo atual prevalecem os interesses económicos, por isso é muito provavel que, com as mudanças na disposição das forças no quadro internacional, daqui a pouco os gritos alaranjados de algum golodomor vão interessar a poucos ou até não vão ser interessantes a ninguem.

Francisco Castelo Branco disse...

Mais uma vez o futebol a unir dois povos e a conseguir acordos

Ai se a Eslovenia ganha á Russia..............................................

vai haver revolução

anónimo russo disse...

"Francisco Castelo Branco disse...
Mais uma vez o futebol a unir dois povos e a conseguir acordos

Ai se a Eslovenia ganha á Russia..............................................

vai haver revolução"


A Rússia ganhou ontem por 2:1.

Jest nas Wielu disse...

2 Anónimo russo 10:12

A diferença entre os nossos países – estados é simples:

Na Ucrânia não consideramos as pessoas como simples “parafusos” do sistema, dai, lamentamos a morte dos nossos e não queremos que isso alguma vez se repete.

Na Rússia, vocês não se importam com as mortes dos vossos compatriotas, pois como dizem os vossos generais “as gajas vão parir mais”. Alias, vocês nem se importam de viver mal, desde que os vizinhos vivem pior. Lógica do “sovok”, sobre isso aconselho ler o padre Yakov Krotovhttp: www.grani.ru/Society/m.162040.html

p.s.
Veja lá a sua lógica perversa, a morte dos “2 a 2,5 milhões na Rússia” não merece o seu próprio interesse. Uma reacção tudo menos normal, acho eu…

Jest nas Wielu disse...

p.p.s.
Konstantin Zatulin, a cara feia do imperialismo russo:
http://www.zatulin.ru/index.php?
&section=digest&id=35

p.s.
Em princípio, ale até é uma criatura útil, pois serve como “espantalho” para todos aqueles que ainda têm algum sentimento pró – russo no espaço pós – soviético…

Jose Milhazes disse...

Caro Jest, se possível, não fale do Sr. Konstantin Zatulin, político com quem estudei na Universidade de Moscovo, pois trata-se de uma personagem tenebrosa, do pior que há no campo político.
Quando estudante, esse sr. exercia outras funções, que prejudicaram fortemente vários estudantes.
Não gostava de estrangeiros, mas não dizia não quando havia vodka, vinho ou champanhe para beber.
Eu acho que a Rússia tem pessoas mais apresentáveis para defender a sua política. Infelizmente, continua a apostar em personagens repelentes. Esse senhor provoca azia.

Jest nas Wielu disse...

Caro Sr. José,

Gostaria eu não falar do Sr. Zatulin, infelizmente o poder actual russo, usa Zatulin como a “picareta falante” em tudo o que mete as questões do espaço pós – soviético. Em vez de procurar os pontos comuns, de sarar as feridas do passado, eles usam não oficialmente, Zatulin e outros zatuliny para testar o terreno, do tipo:

Zatulin diz / escreve uma barbaridade, se ele recebe uma resposta violenta, Kremlin suaviza o discurso; se a resposta é nula & fraca, então Kremlin passa a usar o mesmo discurso.

Grigori Yavlinsky chama isso de diplomacia do século XIX, usar o Zatulin que, de facto, odeia os estrangeiros para as questões de CEE e um Dm. Rogozin para representar o país na NATO.

p.s.
no entanto, como já disse, é um “bobo útil”, pois juntamente com Dugin destroem as últimas esperanças de reunir aquilo que já não é reunível…

Maquiavel disse...

Se o trajecto é este:
http://en.wikipedia.org/wiki/File:Southstream.png

näo entendo porque o gasoduto se separe de Subotitsa para a Eslovénia, se é para seguir para Norte... näo seria mais lógico vir para a Eslovénia através de Baumgarten? Até porque desse modo ajudavam os "amigos" sérvios a vender o gás a preço inflacionado à Croácia. Assim os croatas iräo regatear entre eslovenos, sérvios, e húngaros, e ter melhores preços sem sequer ter o gasoduto! :D

Os macedónios é que ficaram a ver... gasodutos, mas os russos näo se fiam nos albaneses, que anexaräo aquele território em pouco tempo. Simples.

anónimo russo disse...

Jest nas Wielu disse...
"2 Anónimo russo 10:12

A diferença entre os nossos países – estados é simples:

Na Ucrânia não consideramos as pessoas como simples “parafusos” do sistema, dai, lamentamos a morte dos nossos e não queremos que isso alguma vez se repete.

Na Rússia, vocês não se importam com as mortes dos vossos compatriotas, pois como dizem os vossos generais “as gajas vão parir mais”. Alias, vocês nem se importam de viver mal, desde que os vizinhos vivem pior. Lógica do “sovok”, sobre isso aconselho ler o padre Yakov Krotovhttp: www.grani.ru/Society/m.162040.html"


Eu citei esses dados todos para mostrar que todos sofreram naquela época e não houve nenhum "genocídio" de ucranianos ou de quirguizes, feito com o fim de exterminar alguma etnía, mas sim houve repressóes contra milhões de camponeses devido a política cruel dos poderes comunistas de então. O pior de tudo é que os poderes da ucrânia de hoje utilizam a fome dos anos 30 com os fins políticos e tentam acusar de tudo a Rússia atual, uma coisa om pouco estranha, porque a Rússia tambem foi uma das vítimas. Então, porque não acusam alguma Geórgia, por exemplo, desde que Stalin foi georgiano?

anónimo russo disse...

Por sinal, aqui, neste blog foi mencionado um centro de pesquisas sociológicas, centro Levada. Ontem, vi os resultados de uma pesquisa conjunta do centro Levada e do Instituto Internacional de Sociologia de Kiev e fiquei bastante surpreendido. Os resultados diziam:

"A sua atitude em relação a Rússia/Ucrania:


Russos (em relação a Ucrânia)

atitude muito positiva/ em geral,positiva - 46%

em geral, negativa/muito negativa - 44% (setémbro de 2009)


Ucranianos (em relação a Rússia):

atitude muito positiva/ em geral,positiva - 91%

em geral, negativa/muito negativa - 6% (outubro de 2009).


Ucranianos sobre a adesão possivel a NATO:

a favor - 17%

contra - 63%


Em que união o povo ucraniano viveria melhor:

sem dúvida, na UE - 12%

mais provavelmente, na UE - 12%

mais provavelmente, na união com a Rússia e Belorússia - 30%

sem dúvida, na união com a Rússia e Belorússia - 30%

tiveram dificuldade em responder - 21%

Será que é de novo "propaganda sangrente do Kremlin" e "mentira descarada"? (Especialmente tomendo em conta que centro Levada é uma organização não governamental e Instituto em Kiev, parece, tambem)?

E, finalmente, mais uma pergunta: se a maioria deles pensa dessa maneira, como foi apresentado, porque então toleram a politica hostil (em primeiro lugar, do presidente ucraniano) em relação a Rússia?

Claro que é preciso tomar em conta que existe Ucrânia ocidental, onde eles durante a Segunda guerra Mundial participavam na UPA etc., e que foi, antes da revolução na Rússia, parte do Império Austriaco, e não Rússo, e outra ucrânia, pelos vistos, muito menos russófoba.

anónimo russo disse...

desculpem. a fonte, claro:

http://www.levada.ru/press/2009110507.html

anónimo russo disse...

Na Rússia, vocês não se importam com as mortes dos vossos compatriotas, pois como dizem os vossos generais “as gajas vão parir mais”.

Quanto aos generais, nunca ouvi algum falar assim e seria bom ver a fonte.
E mais uma coisa: não é preciso fingir que, por exemplo oficiais ucranianos ou serviços secretos ucranianos são uma coisa diferente dos rússos. È que eu conheço um caso de roubo da tecnologia duma empresa aqui, cometido há uns anos sob o "telhado" de SBU (ex-KGB ucraniano), quer dizer (se alguem não entende), com a participação de um grupo de oiciais desta estrutura. È que eu conheço muito bem a pessoa que trabalhou na direção dequela empresa naquele tempo e sei que é a 100% verdade. Por isso, não é preciso fingir que os vossos agentes da ex-KGB, da polícia etc. são uns anginhos. Não são. São a mesma coisa que aqui (muito provavelmente, mais corrupta). Para não ofender ninguem: claro que deve haver nessas estruturas pessoas mais honestos que a maioria etc. (na Ucrània não sei se há). Haha.

anónimo russo disse...

Um pouco de off topic. Não notei a tempo essa manifestação dum excelente sentido de humor, mas queria responder.


jest nas wielu:
"Apanhou um ucraniano o peixinho mágico, peixe diz:
- Peça um desejo.
Ucraniano: quero ver os moscovitas mortos a boiarem nos caixões no rio Dnipro…
Peixe entra em choque:
- Mas que isso, existem tantos moscovitas bons…
Ucraniano: ok, quero que os moscovitas bons bóiam nos caixões bons e os maus nos caixões maus!

Como vê, é uma brincadeira inocente, vocês, moscovitas devem, mas é, desenvolver o sentido de humor, pá!"


Conte essa anedota a moscovitas quando estiver em Moscovo, pá. Penso que vão ser eles que o ajudarão logo a desenvolver o sentido de humor na direção correta. Mas alguma coisa me diz que, quando está es Moscovo, não conta tais anedotas, né, pá?

Roman disse...

O Jest nas Wielu é o campeão de Off Top neste blogue! Na opinião dele todo o Mundo gira à volta da Ucrânia. É a mesma coisa se eu escrevesse sobre predomínio étnico ucraniano na governação soviética, que fez com que a península russa Krym fosse “oferecida” ilegalmente à Ucrânia, em qualquer blogue “daindia” num tema sobre o aumento de exportação do algodão indiano. Mas este fenómeno tem o nome próprio que é MANIA DE GRANDEZA. Os nacionalistas ucranianos nunca mais conseguirão se acalmar para tentar resolver problemas do próprio país. Não! O objectivo principal e sagrado da vida deles é desmascarar a essência bárbara da Rússia e dos russos. Lamento decepcionar, mas assim vocês nada vão conseguir. Na Rússia costuma-se dizer: “O cão ladra, a caravana continua a andar”.

Um filósofo russo Kliutchevski dizia: «И москаль, и хохол хитрые люди, и хитрость обоих выражается в притворстве: первый любит притворяться дураком, а второй умным.» O moskal (moscovito, russo) e o khokhol (ucraniano) são as pessoas astutas, e a astúcia deles consiste em fingimento, só que o primeiro gosta de se fazer de tonto, quando o outro de inteligente.

Já agora sobre o Zatulin. Talvez o George W.Bush seja um gajo porreiro para com a sua familia e os amigos, ou ate para os seus colegas de faculdade, mas este facto não lhe impediu de começar duas guerras, que causaram centenas de milhares de mortos por todo o Mundo. Portanto as características pessoais do Zatulin não me fazem importância nenhuma. O que é evidente, é que ele é apenas o instrumento da política, um dos numerosos.

Jest nas Wielu disse...

2 Anónimo russo 13:52

“os poderes da ucrânia de hoje utilizam a fome dos anos 30 com os fins políticos e tentam acusar de tudo a Rússia atual”

Isso simplesmente não é verdade, a Ucrânia de nenhuma maneira culpa a Rússia ou a sua liderança actual na questão do Holodomor de 1932 – 1933. Culpamos a URSS e a sua liderança, independentemente da sua origem étnica.

Levada: o que reparei é que o anónimo russo “aumentou” em 5% o número daqueles que dizem “com certeza na união de Belarus e Rússia”. Que é feio. Lol

Se isso é propaganda? Veja lá a liberdade com que amigo usa os números e diga se isso não é a propaganda. Além disso, no espaço pós – soviético a sociologia já muito tempo se virou a propaganda.

Finalmente, não existe nenhuma política hostil do governo ucraniano, o que existe, pela primeira vez em muitos anos é uma política de defesa do interesse nacional, que na Rússia é confundida com a hostilidade. A vossa mentalidade imperial e chauvinista não permite ver as coisas tal como eles são.

Generais: se você é realmente russo, sem problemas reconheceria a frase sobre “parir”, se é um brasileiro & português, então tem dificuldade de decifrá-la.

SBU: é claro que a secreta ucraniana é diferente da secreta russa, pois SBU não costuma usar o polónio contra os opositores do regime ucraniano. Na Ucrânia não costumamos matar os activistas dos direitos humanos, nem fechar os cafés por causa dos seus nomes, nem usamos a psiquiatria de repressão, nem fechamos os jornais por escrever sobre as nossas lideranças, enfim, somos uma democracia imperfeita, sem duvida lol

Maquiavel disse...

Caro Milhazes, ponha ordem no fórum e limite os comentários fora do tópico (sim, este Jest na Wielu já chateia), veja-se quantos comentários a esta entrada falam remotamente do South Stream!

Divagaçöes sobre a Ucränia façam-no no blog "Da Ucränia" ou em entradas sobre esse país--e dada a palhaçada politico-económica que lá anda, há pano para mangas.

Entretanto, temos a 2.a mäo dos playoffs, a ver se näo foi boa ideia antecipar a assinatura do acordo! :D

anónimo russo disse...

Jest nas Wielu disse...
2 Anónimo russo 13:52

“os poderes da ucrânia de hoje utilizam a fome dos anos 30 com os fins políticos e tentam acusar de tudo a Rússia atual”

Isso simplesmente não é verdade, a Ucrânia de nenhuma maneira culpa a Rússia ou a sua liderança actual na questão do Holodomor de 1932 – 1933. Culpamos a URSS e a sua liderança, independentemente da sua origem étnica.

Levada: o que reparei é que o anónimo russo “aumentou” em 5% o número daqueles que dizem “com certeza na união de Belarus e Rússia”. Que é feio. Lol"


Foi um erro meu, nem tive tempo de reler o que escrevi. Mas eu apresentei o link.

anónimo russo disse...

Jest nas Wielu disse...
2 Anónimo russo 13:52



1. "Finalmente, não existe nenhuma política hostil do governo ucraniano, o que existe, pela primeira vez em muitos anos é uma política de defesa do interesse nacional, que na Rússia é confundida com a hostilidade. A vossa mentalidade imperial e chauvinista não permite ver as coisas tal como eles são."

Há muitos exemplos da politica hostil da Ucrânia em relação a Rússia: envio de especialistas militares e de armas para a Geórgia em agosto do ano passado, palhaçada constante e desonesta com o gas, o desejo fanático dalguns dos lideres ucranianos entrar na NATO a qualquer custo, quando, segundo mostram as sondagens, a maioria da população está contra. Foram criadas até nos estabelecimentos de ensino orgãos especiais para propagandear a necessidade de entrar na NATO. Diga aínda que alguma Geórgia não conduzia uma politica hostil quanto a Rússia quando atacou os nossos soldados.


2. "Generais: se você é realmente russo, sem problemas reconheceria a frase sobre “parir”, se é um brasileiro & português, então tem dificuldade de decifrá-la."


Sem duvida sou russo e gostaria que me apresentasse a fonte e o autor desta frase.


3."SBU: é claro que a secreta ucraniana é diferente da secreta russa, pois SBU não costuma usar o polónio contra os opositores do regime ucraniano. Na Ucrânia não costumamos matar os activistas dos direitos humanos, nem fechar os cafés por causa dos seus nomes, nem usamos a psiquiatria de repressão, nem fechamos os jornais por escrever sobre as nossas lideranças, enfim, somos uma democracia imperfeita, sem duvida lol"

A maioria dos oficiais atuais da SBU são ex-oficiais do KGB da URSS. Ou eu não tenho razão? Houve assassinatos políticos, sim, na Ucrânia já na época pos-soviética. Será que não sabe disso?

Um dos leitores aqui já disse e muito bem do predomínio étnico ucraniano na governação soviética. E isso é verdade. Não vale a pena fingir. È que, pelos vistos, houve uma pequena parte da população da Ucrânia, que odeou sempre bem como a União Soviética tanto os russos, que participou na UPA, colaborou com os nazi nos tempos da Segunda Gerra Mundial, enquanto a esmagadora maioria de ucranianos e descendentes deles, como uma parte dos meus antepassados, combateu até a morte o hitlerismo. Não é dificil de entender a que parte de ucranianos, pelos vistos, pertencem alguns dos comentadores deste blog. Mas isso tudo são problemas da Ucrânia. Sim, pelos vistos, são PROBLEMAS dela, porque o comportamento de alguns nacionalistas ucranianos semeia ódeo entre os dois povos. Pelo menos, isso acontece na internet. E este blog não é uma exepção. porque alguma quantidade destes fanáticos tambem "trabalha" na internet russa. Mas, mesmo assim, não é comigo. Só respondo às vezes, porque o alvo dos ataques é a Rússia e o blog se chama "Da Rússia". Mas vou tentar ao máximo não responder, porque não quero parecer idiota nos olhos dos lusófonos e as minhas respostas tambem podem prejudicar o blog.

anónimo russo disse...

P.S. A respeito daquela gente dos ucranianos a que me referi, admito que, no passado, podiam ter algumas razões para ser nacionalistas, odear Rússia, exterminar polácos, apoiar a exterminação dos judeus pelos nazi, como, dizem, fazia Bandera, combater contra a União Soviética etc. Mas é que, pelos vistos, faziam e alguns continuam a fazer isso de uma maneira que acho pouco honesta.

Jest nas Wielu disse...

2 Anónimo russo 12:28

Ok, podemos ver o caso por caso:

1. O alegado envio de especialistas (sem provas documentais apresentados pela Rússia) e a venda de armas a Geórgia não significa “a política hostil”, pois ninguém obrigou a Rússia atacar e hostilizar os seus vizinhos.

2. Gás: é uma disputa económica, que a Rússia teima em transformar em uma arma de arremesso político, se fosse um bom vizinho não fazia isso.

3. O desejo de entrar na NATO corresponde à necessidade da Ucrânia de garantir a sua segurança nacional. As ameaças constantes de vários dirigentes russos (Zatulin, Baburin), contra a integridade territorial, independência e soberania da Ucrânia fizeram com que optamos por entrar na NATO. Mais uma vez, se a Rússia fosse um bom vizinho, não tínhamos nenhuma necessidade de fazer disso.

4. Geórgia: a Rússia armou, apoiou e defendeu os separatistas de Abecásia & Ossétia desde o início dos anos 1990 (recentemente publiquei aqui as confissões de Yevgeni Primakov, que confirmou o facto do que a aviação russa bombardeava as posições georgianas na guerra de Abecásia em 1993, usando os aviões sem os sinais de identificação).

5. A frase “Os soldados são esterco, as gajas russas vão parir mais, enquanto o tanque custa o dinheiro” é uma frase atribuída ao general Zhukov (http://otvet.mail.ru/question/26310001). Obviamente não posso provar que ele realmente disse isso. A frase é soberbamente conhecida na Rússia, dai a minha desconfiança sobre se o anónimo é de facto russo.

6. Não tenho informação sobre nenhum assassinato político, perpetuado pelo SBU. Se tem essa informação, pode compartilhar comigo.

7. O predomínio étnico dos ucranianos no governo soviético é um mito cultivado pelos russos. Em vez de dizer “isso é verdade”, simplesmente menciona os nomes de tais ucranianos no governo soviético, depois falaremos. Á título de exemplo, o líder do partido comunista ucraniano, Petro Shelest (http://en.wikipedia.org/wiki/Petro_Shelest), foi brutalmente afastado do poder e até proibido de viver na Ucrânia desde 1973, na sequência da publicação do seu livro “Ucrânia nossa Soviética” (1970).

8. UPA combateu quer a Alemanha nazi, quer a URSS comunista, pois foi criado na Volyn em 1942, os soviéticos só ocuparam a Volyn em 1944, como tal, durante 2 anos combateu-se única e exclusivamente contra os nazis.

9. Mas não entendo essa mania de falar em hitlerismo, se entre 1933 e 1939 a URSS colaborava clandestinamente com a Alemanha nazi, em 1939 – 1941 colaborava já abertamente, invadiu e anexou um país com qual tinha o acordo de não agressão (Polónia), etc.

10. Bem-haja e pfr, não escreva a palavra odear com E, pois a raiz da palavra é ódio, como tal, em bom português se escreve odIar.

anónimo russo disse...

Jest nas Wielu,

Infelizmente, não tenho tempo de responder agora, mas as respostas à quase tudo o que você disse são evidentes.

Apenas vou responder à afirmação seguinte:

"2. Gás: é uma disputa económica, que a Rússia teima em transformar em uma arma de arremesso político, se fosse um bom vizinho não fazia isso.

Se fosse realmente assim, a Rússia não queria tanto construir Nordstream e Southstream, eu acho.

Tambem, alguns Baburin e Zatulin não são nenhuns Medvedev e Putin, eu até não consigo recordar o aspecto deles e cargos que eles ocupam (se ocupam cargos mais ou menos significativos).

Sobre o meu portugues, sou autodidata e por isso não tenho nenhuma vergonha de escrever como escrevo.

Jest nas Wielu disse...

2 Anónimo russo 17:07

O desejo russo em diversificar as direcções de gasodutos é um desejo legítimo, já o desejo de chantagear os vizinhos usando a questão energética é inadmissível.

Antes de chantagear a Ucrânia, a Rússia tentou usar a mesma chantagem contra a Polónia, República Checa, Hungria e Eslováquia para impedir a sua entrada na NATO.

Zatulin (http://en.wikipedia.org/wiki/Konstantin_Zatulin) é responsável pela política estrangeira da Duma Estatal no espaço pós – soviético, cargo nada pequeno (além disso é testa de ferro do Kremlin, mas claro, não é um “cargo” digamos documentável).

Português: não se trata de vergonha, trata-se de apenas ter a inteligência necessária para aprender com os seus próprios erros.

Pippo disse...

Bom, dentro em breve a Rússia deixará de chantagear os seus vizinhos.

Quando os gasodutos estiverem construídos, a Rússia distribuirá os seus produtos directamente ao consumidor e os intermediários ficarão a salvo de todas as chantagens pois passarão cartas fora do baralho...

Jest nas Wielu disse...

Oxalá Filipe Santos tenha razão e que seja assim, mas como diz o ditado russo, “não diga opa, até saltares”, antes do jogo com a Eslovénia, a Federação russa de futebol já tinha anunciado que “começou procurar o lugar de estágio na RAS” lol

Pippo disse...

No fundo, é bom que os gasodutos sejam mesmo construídos. A Europa Ocidental tem o direito a ter a sua energia sem interferência estranhas. Tal como no regular comércio, são os intermediários quem mais encarece o produto.

Quando o abastecimento for directo, se houver problemas lidaremos directamente com o fornecedor, isto é, a Rússia. Até lá, temos de lidar com cortes, com desvios e com incertezas no nosso abastecimento. Em suma, até lá estaremos dependentes das guerras que nos são alheais, dos ressentimentos que não nos dizem respeito e das chantagens a que os intermediários nos sujeitam e contra os quais nada podemos fazer... a não ser pagar.

Jest nas Wielu disse...

2 Filipe Santos

Pelo que ai saiba, Portugal recebe a totalidade do seu gás apenas do Magrebe, por isso nem sei para que tanta excitação... lol

Os russos gostariam ter como o presidente Mikeil Saakashvili:
http://www.echo.msk.ru/polls/635906-echo/result.html

Pippo disse...

Convém ainda esclarecer que, para a economia da Europa vingar, o seu abastecimento energético não pode ser posto em xeque por governantes perniciosos, corruptos e vingativos como o são os da Ucrânia e da Geórgia.
Além disso, quer-me parecer que estes estão apenas a fazer o jogo do idiota útil para os seus chefes norte-americanos. Já é sabido que Washington interfere nas negociações entre a União Europeia e a Rússia, e um dos argumentos utilizados pelos norte-americanos é a insegurança dos abastecimentos russos (os tais que atravessam a Ucrânia). Ora, sendo a direcção ucraniana tão amiga dos americanos, e sendo o seu sentimento anti-russo tão coincidente, parece-me que tais interrupções são "ligeiramente" suspeitas e muito, mas mesmo muito convenientes.

Agora é só esperar pelo Nordstream e Southstream e as interferências terão terminado. E quando essa altura chegar, os idiotas úteis, os que governam a Ucrânia e os que os apoiam, até poderão fazer o pino, mas as suas vozes, tal como a dos burros, não chegarão ao Céu.

Anónimo disse...

Russia, Austria to agree Austrian section of the South Stream pipe

9.11.2009

Russia’s President Dmitry Medvedev and Austria’s Chancellor Werner Faynmann will discuss bilateral cooperation on the South Stream gas pipeline project, a spokesman with the Kremlin’s administration said Monday. In particular the two leaders will touch upon preparation of the agreement on the construction of the Austrian stretch of the pipeline, the spokesman said. He added that both Russia and Austria are confident that the project aimed at diversification of gas routes will contribute to sustainable gas supply to Europe.

The construction of the South Stream pipeline may start in 2010. The pipe is expected to stretch across the Russian territory down the bottom of the Black sea to the Bulgarian city of Varna and from there to other European countries.

http://english.ruvr.ru/2009/11/09/2203722.html

Jest nas Wielu disse...

2 Filipe Santos

Não sei para que tanta excitação, tudo indica que Rússia e Ucrânia acabam em concordar para o 2010 quer os preços baixos (210 – 230), quer o aumento em 60% das taxas que Ucrânia cobrará pelo gás russo.

Pippo disse...

A excitação é que lá para 2015 a mama acabar-se-á, eheheh! E depois quero ver certa gente a fazer o pino :o)

Com um país à beira da bancarrota, é melhor começarem a pensar em novas fontes de receitas, que depois o gás barato e a chantagem do trânsito energético esgotar-se-ão :o)

Anónimo disse...

Cuando os dois Gasodutos terminados {Nort y Sout stream }unico responsabel pelo fornecimento; seran os Rusos, sem intermediarios,podera ser ate mais
economico y barato;