sábado, janeiro 02, 2010

Blog dos leitores

O leitor António Campos, enviou-nos este texto seu, que publico com muito agrado.

"Quanto mais me bates mais gosto de ti

Fala-se muito neste blogue do milagre do renascimento da Rússia das cinzas durante o reinado de Putin, dando-se os clássicos exemplos dos aumentos significativos das pensões e da transformação das suas duas maiores cidades em vibrantes metrópoles pejadas de novas torres de apartamentos e stands da Hummer e da Lamborghini. No entanto, há outros indicadores, que raramente são analisados em pormenor, que dão, de forma indirecta, uma perspectiva um pouco menos optimista da evolução do real tecido social do país sob a “protecção” da vertical do poder.

Numa das minhas derivas no ciberespaço, deparei com uma peça no Russia Today (que, como todos sabemos, é o trompete oficial em língua inglesa do establishment russo, e não terá qualquer objectivo sinistro de denegrir o orgulho nacional, ao contrário, por exemplo, do que acontece com o Washington Post ou com o blog “Darussia”) relativa à calamidade da violência doméstica. Segundo os seus repórteres, morrem por ano actualmente cerca de 14.000 mulheres vítimas dos seus consortes, o que equivale sensivelmente ao total de mortes do lado russo durante os 10 anos que durou a guerra do Afeganistão, ou a mais ou menos uma morte a cada hora. Os números são por si só assustadores, quando os comparamos com o que se passa em Portugal ou nos Estados Unidos, por exemplo. Na Rússia há cerca de 25 vezes mais mortes per capita do que nestes dois países.

Tal como a corrupção, um problema grave, porventura com raízes culturais, que não se resolve em dois dias, dir-se-á como de costume. Mas onde estas estatísticas se tornam interessantes do ponto de vista social é quando analisamos a sua evolução recente. Segundo dados oficiais, em 2003, tinham morrido cerca de 9.000 mulheres vítimas de violência doméstica. Ou seja, em quase 5 anos, no coração da vigília putinista, o número de vítimas registou um aumento espectacular de 55,5%.

Ora quais são as causas normalmente associadas a este fenómeno? Para além do clássico abuso de álcool e/ou drogas e de predisposições comportamentais, a violência doméstica é também mais frequente com indivíduos que experimentam deterioração da saúde e/ou perda de rendimentos, que levam a um aumento da frustração e, consequentemente, do nível de agressividade em casa, especialmente em famílias já muito pressionadas financeiramente. Se tirarmos então da equação o tal factor “cultural”, uma evolução positiva no nível geral de vida da população teria necessariamente que levar a uma redução da violência doméstica ou, no pior dos casos, à sua estabilização.

Porque é que aconteceu precisamente o contrário?

Fonte: http://rt.com/prime-time/2008-02-07/One_woman_killed_by_domestic_violence_every_hour_in_Russia_.html "

18 comentários:

Anónimo disse...

Em tempos este blogue foi espaço de animadas e salutares discussões onde intervinham participantes de todos os quadrantes com moderação e correção. Ultimamente é notório o esforço não de previligiar o debate mas sim de o uniformizar em torno de uma visão parcial tendo como porta-voz comentadores que além de demonstrarem obcessões doentias primam também pela má educação e petulância.

Jose Milhazes disse...

Leitor anónimo, se existe uniformização, ela não se deve à vontade do autor do blog, mas dos leitores. Devo dizer-lhe que, desde a altura em que comecei a moderar o blog, não cortei nenhum comentário substantivo, mas apenas publicidade.
Alguns leitores acusam o blog de ser anti-Rússia, anti-Putin, etc., mas não se esforçam de provar as acusações. Eu publico todos os textos que me são enviados, menos com conteúdos racistas e insultuosos.

Anónimo disse...

Não é bonito mentir, Milhazes.

Ítalo Tavares disse...

"obsessões" ,"previligiar"...


Parabéns!
rs.

PortugueseMan disse...

Bom, uma vez mais deparo-me com um artigo onde se manipula dados ao gosto do autor, de modo a favorecer a opinião do autor.

Na minha opinião é ERRADO este tipo de comportamento, e considero ainda MAIS GRAVE pelo o facto do autor fazer isso conscientemente.

o autor MANIPULA dados para distorcer a realidade de modo a atingir o objectivo pretendido.

Caro JM, também tenho uma crítica/sugestão para si.

Eu sou de opinião que o facto de você permitir colocar artigos escritos pelos seus leitores é deveras positivo. São mais artigos, pontos de vista, opiniões que podem ser lidas e DEBATIDAS.

MAS, no meu ponto de vista considero errado que permita a apresentação de artigos onde são mostrados dados concretos sem as suas fontes. Porque isto permite a quem quiser, usar o seu blogue para difundir informação(?) seja ela verdadeira ou não.

Deixo a sugestão que se querem colocar dados concretos que coloquem as fontes do mesmo. Uma coisa é informar, é esclarer sobre o que se passa na Rússia, outra é tentar manipular a realidade e ajustá-la aos nossos objectivos.

Nikolay disse...

Este é um warblog contra a Rússia !

Vergonhoso !

ALONE HUNTER disse...

Meu nome é Fabiano, sou de Joinville, Santa Catarina - Brasil. A Rússia está ressurgindo como uma superpotencia, coisa que sempre foi, dado o seu território, a sua história e suas raizes.

Muitos relatam a falencia do Estado Russo. Porém, passado mais de uma década desde o fim da URSS, o Urso está de volta, incorporando á sua força-aérea máquinas de guerra como os SU-34 FULLBACK/SU-35BM SUPER FLANKER/ MI-28 NIGHT HUNTER...

Áo seu exército, novos sistemas mortíferos, que são considerados superiores aos dos americanos, como os sistemas de defesa-aérea BUK-M1/TOR/S-300/S-400, os blindados T-90 e helicópteros de ataque KA-50/52. A Marinha está também ressurgindo, com a incorporação de novos submarinnos de propulsão nuclear, e incorporação de novos mísseis SSBN!

Que venha a Rússia, com a força total, para suprimir este reinado imperialista americano, que tantas vidas já tirou nos últimos 50 anos!

Jose Milhazes disse...

É precisar ter muita coragem! Um anónimo chamar-me mentiroso! Tenha vergonha na cara, isto no mínimo!

Anónimo disse...

"não cortei nenhum comentário substantivo"


escrever isto é que é uma vergonha

Jose Milhazes disse...

Anónimo, a isso chama-se cobardia. E não responderei maus a mensagens como estas.

Anónimo disse...

Parabéns Ítalo! Finalmente está aprendendo a usar o corretor ortográfico.

Sérgio disse...

Ao Antonio Campos os meus parabens pelo esforço que faz em trazer dados objectivos para discussão. É claro que quem não tem argumentos a contrapor, vê o seu trabalho muito dificultado pela moderação do sr. Milhazes que não mais permite a tradicional forma de reacção como o insulto e os ataques racistas, pelo menos aos outros, pois que acima vejo alguns dirigidos ao sr. Milhazes que mereceriam ser cortados pela má educação e petulancia. Um conselho sem querer ser "petulante" caros amigos, esforcem-se a sério, pesquisem e quem sabe, talvez mesmo cheguem à conclusão que na realidade a Russia cada vez mais se afasta do lugar que pretenderiam que ocupasse. Uma coisa a reter no meio disto tudo, os Russos e os Europeus assim como os Americanos não se devem deixar levar pelos odios e divisões do passado e impedir aquela que poderá a unica alternativa do mais que consequente e previsivel declinio da nossa civilização.

João Norte disse...

Não venho comentar este texto, ele impõe-se. Venho dar os parabéns ao José Milhazes pelo seu livro " Angola O Princípio do Fim Da União Soviética"
Acabo de ler. Veio esclarecer muitas dúvidas que tinha sobre a actuação da URSS em Angola.

Inácio Cristiano disse...

Um tema interessante trazido ao Blog pelo António Campos, mas apenas uma reacção bélica a registar como resposta genuína aos defensores das acções descritas.
Refiro-me à reacção do Alone Hunter cujo réplica que me faz lembrar o voo em circulo dos D'guedis da Guiné (*), feito pacientemente sobre o previsivel manjar, que por vezes demora...

(*)- Abutre necrófago

lol disse...

bem nao existe nenhum dado confiavel pra mim isso nao passa de bobagem. e impressionante a atençao que vc da a esses numeros enfim eu tbm nao acreditava tanto no sentimento anti russo mais dps que eu vi certas reportagem aqui no brasil eu passei a acreditar. acredito que a russia seja um grande problema pra dominação do mundo hehee

Cristina disse...

Este tema é de facto importante, embora me pareça que na Rússia poucos lhe dão importância, tal como não a dão ao enorme índice de violência em geral na sociedade (nas ruas, nas famílias, entre os grupos de jovens, entre diversas etnias etc.)-
Recordo-me duma situação no prédio onde vivia, nos arredores de Moscovo.
Por cima do meu apartamento vivia uma jovem família com uma filha bebé. O marido trabalhava, aos domingos costumavam passear a bebé, via-se pela aparência que tinham uma situação económica razoável.
Mas num dia de festa, em que é costume beber-se muito, depois de se ouvirem gritos lancinantes,o meu vizinho corria pelas escadas com uma faca para agarrar a mulher, puxava-a pelos cabelos e, aos gritos, acabou por destruir uma caixa do correio.
Estas cenas de violência repetiam-se em cada feriado. Nenhum dos meus outros vizinhos (por sinal pessoas excelentes e equilibradas) aparentava importar-se com isso. Para eles, era normal.
......
Julgo que a violência está estreitamente ligada ao consumo de álcool, aliás, tal como acontece em Portugal.
Um consumo excessivo de álcool, especialmente bebidas brancas, gera mais violência, seja doméstica, seja nas ruas.
Agora, quais as causas de um aumento do consumo de álcool? Algumas delas serão a falta de perspectivas, a incerteza quanto ao futuro, a falta de liberdade económica, a impossibilidade de ter influência nos destinos do país.
Mas outras haverá.

Inácio Cristiano disse...

O comentário da Cristina, acerta no amago da questão, sem ofender os protagonistas, mas compreende-los de certa maneira.
Os cristãos têm o alcool para expiar as frustações, assim como os muçulmanos usam o sado-masoquismo como resposta às mesmas causas.
A ganância do lucro rápido nos investimentos particulares e a conivência corrupta dos diferentes governantes que mantêm a subordinação aos grandes grupos económicos globais "fabricam" este estado de coisas, hoje em dia à escala global.
Nenhum país está imune a este flagelo.

PortugueseMan disse...

Este artigo está a ser discutido no local errado, vamos corrigir isto.

...Ademais, se o caro PM tivesse lido com atenção as fontes que indico...

A ÚNICA fonte que você indica no artigo APENAS faz referência que existe 14000 mortes/ano.

BASEADO nisso você constroi um artigo onde compara com os valores de outros dois países e de seguida você começa a inventar de modo a poder construir a sua "estória".

Você pega num artigo de 2008, que refere 14000 mortes, vai buscar dados oficiais para 2003 onde diz que são 9000 para esse ano e faz a sua tirada que é ao fim e ao cabo o objectivo de todo o artigo, tirando a palha...

"...Ou seja, em quase 5 anos, no coração da vigília putinista, o número de vítimas registou um aumento espectacular de 55,5%..."

Portanto, durante o "reinado" de Putin este foi o seu "legado"...

Curiosamente você SÓ faz referência a dados oficiais de 2003 e só pode dizer desse ano, pois se em 2004 os dados oficiais JÁ são de 14000, como é que você conseguiria passar a mensagem de que a cada ano que passa a coisa se agrava?

Se em 2003 era de 9000 e em 2004 era de 14000, ou houve uma aumento espectacular neste ano, ou então o governo mudou o processo de contagem e se calhar em 2003 não foram 9000, mas sim um número superior. Se calhar estamos a ver correcções feitas, de modo a reflectir melhor a realidade, se calhar para se resolver um problema, primeiro temos que começar por reconhecê-lo.

FONTE:
Aministia Internacional.

Russian Federation: Nowhere to turn to: Violence against women in the family

...In its fifth periodic report to CEDAW, the Russian Government stated that 14,000
women die each year at the hands of their partner or a family member.34 In 2003
reportedly 9,000 women died as a result of violence from their current or former
partner...


http://www.amnesty.org/en/library/info/EUR46/056/2005


Quer dizer mal de Putin? força. Agora não invente, não atire areia para os olhos das pessoas, seja SÉRIO.

Na Rússia este problema está a crescer? mostre com dados, com estatísticas, com SERIEDADE.

De certeza que existe tanta coisa de errado na Rússia, que você não precisa de manipular informação.