sexta-feira, fevereiro 12, 2010

Instabilidade política e baixo nível de vida obrigam ucranianos a sair do país



A família de Svetlana é das mais típicas famílias ucranianas. Ela economista, o marido diretor de uma fábrica praticamente falida, os filhos procuram emprego noutras paragens.

O filho trabalha em Portugal na construção civil, enquanto que a nora cuida de pessoas idosas em Itália. Há oito anos a trabalhar no estrangeiro, encontram-se nas férias na Ucrânia, mas nem todos os anos.

“É impossível sustentar a família, mesmo que trabalhem pai e mãe, pois os salários são muito baixos, não chegam para metade das despesas”, lamenta-se Svetlana, em declarações à Lusa.

Segundo vários cálculos, depois de 1991, entre seis a nove milhões de ucranianos emigraram.

Na Ucrânia, o salário mínimo mensal é de 741 grivnas (pouco mais de 70 euros), sendo o médio de 2 500 grivnas (cerca de 250 euros). Uma família que vive num apartamento de três assoalhadas paga mensalmente entre 40 a 50 euros por água, luz e aquecimento.

“As aldeias ucranianas fazem lembrar o período a seguir à segunda Guerra Mundial, só restam mulheres, os homens partiram todos para os mais diversos países”, afirma Lilia, contabilista numa empresa de comércio de automóveis, acrescentando: “só ficam os alcoólicos, os velhos e as crianças”.

Uns vão para juntar dinheiro para que os seus filhos possam estudar nas universidades ucranianas, outros para comprar uma casa e um apartamento no seu país, outros para começar o seu negócio, mas poucos são os que regressam para ficar.

“Quando chegam à Ucrânia, sentem tantas dificuldades em realizar o que quer que seja, nomeadamente a corrupção e legislação confusa, que acabam por deixar outra vez o país”, explica Lilia, exemplificando que “os empresários têm de pagar mais de oitenta diferentes tipos de impostos, sem contar com as “luvas””.

“Além disso, os juros bancários variam entre os 20 e os 30 por centro, o que torna difícil pedir créditos para a habitação ou para começar o seu negócio”, acrescenta Lília.

“E a emigração originou um novo problema grave na sociedade ucraniana, o síndroma do parasitismo juvenil. Os jovens recebem dinheiro dos pais que trabalham no estrangeiro, adaptam-se a isso e não querem fazer mais nada”, frisa Svetlana.

O seu marido, Iúri, junta-se à conversa para dizer: “O Serguei está bem em Portugal, já aprendeu a língua, tem autorização de residência. Em breve, a esposa irá ter com ele”.

“Enquanto a Ucrânia não for governada por políticos responsáveis e honestos, poucos regressarão”, frisa.

À pergunta da Lusa: “alguma coisa irá mudar depois das eleições presidenciais?”, respondem em coro: “deve ficar tudo na mesma, os candidatos só pensam em si”.

35 comentários:

PortugueseMan disse...

À pergunta da Lusa: “alguma coisa irá mudar depois das eleições presidenciais?”, respondem em coro: “deve ficar tudo na mesma, os candidatos só pensam em si”.

Confesso também ter uma perspectiva muito pessimista sobre a Ucrânia.

Estas presidenciais apenas vão permitir um afrouxar do aperto em que estão metidos.

A Ucrânia transformou-se num país problemático. E tem causado nos últimos tempos verdadeiras dores de cabeça aos vizinhos.

Demasiado tempo e dinheiro foi gasto neste país.

O país não seduz a Europa e a Rússia não confia nela.

O país está ali entalado e todos têm problemas para resolver, a UE tem chatices que chegue, a Rússia, os EUA também.

A Ucrânia está entregue a si própria e quando deixar de ser a fonte principal de passagem de energia...

A UE vai respirar e alívio e vai poder dedicar a sua atenção para outras coisas.

Um longo e penoso percurso a Ucrânia terá que percorrer.

Ítalo Tavares disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Ítalo Tavares disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Jest nas Wielu disse...

Guardian: na Ucrânia ganhou marginal

Timothy Garton Ash, o historiador, jornalista político e colunista do jornal britânico Guardian, afirma nas páginas do periódico, que as recentes eleições ucranianas foram ganhos por um marginal.

- Mesmo para os padrões da política pós – comunista, Yanukovich é um marginal. Apesar do trabalho pesado do consultor político americano, Paul_Manafort (próximo do partido republicano), os seus discursos são pesados como a gordura. Ela chama a poetisa russa Anna_Akhmatova (ucraniana Anna Gorenko) de Anna AkhmEtova (o seu principal padrinho é o oligarca Rinat Akhmetov).

Ler o artigo original:
http://www.guardian.co.uk/commentisfree/2010/feb/10/ukraine-victor-eu-yanukovych-europe/print

p.s.
No seu último “trocadilho”, Yanukovich, falou sobre “poeta ucraniano Tchékhov”… Será no foro íntimo, o marginal pró – russo é um nacionalista ucraniano?

p.p.s.
A fulana que será a nossa futura primeira dama:
http://www.youtube.com/watch?v=oicOHnK9ihM

ALONE HUNTER disse...

A Ucrânia caminha á passos largos apenas em direção ao seu desfacelamento. Culpa dos próprios ucranianos, que seguiram uma metodologia ocidental, tentando desde 1991 se desvincular de seu passado glorioso, junto a União Soviética. Algo totalmente compreensível, pois seus líderes permitiram serem manipulados pela CIA e NSA, que não visavam o bem para o país, apenas usaram a Ucrânia como ferramenta para destruir a Rússia!

Gilberto Mucio disse...

A Ucrânia precisa de uma revolução.

Seguida de fuzilamento de toda sua classe política. [:P]

anónimo russo disse...

Ítalo Tavares disse...
"Quanto está o salário mínimo na Rússia em Euros?"


Atualmente, uns 450 euros, eu acho.


Mas o que é interessante é o tom do artigo. Se não fosse Ianukovich quem ganhou (e que já disse que o país não vai entrar em NATO, pelo menos, num futuro próximo), talvez estivessemos aqui a ouvir os gritos de alegria sobre o "triunfo da democracia na Ucrânia".

Jose Milhazes disse...

Leitor anónimo russo, 450 euros deve ser o salário médio. Você deve estar a fazer confusão. 18 mil rublos o salário mínimo? Onde foi buscar tanta fartura?

anónimo russo disse...

Jose Milhazes disse...
"Leitor anónimo russo, 450 euros deve ser o salário médio. Você deve estar a fazer confusão. 18 mil rublos o salário mínimo? Onde foi buscar tanta fartura"


Perdão, falei do salário médio.

PortugueseMan disse...

Tymoshenko calls Ukraine vote rigged

Ukraine's Prime Minister Yulia Tymoshenko, apparently narrowly beaten in last week's presidential vote, ended six days of silence on a defiant note Saturday, saying the vote had been rigged and she would challenge the result in court...

...She also claimed that several observers from the Organization for Cooperation and Security in Europe, or OSCE, had agreed to support her legal challenge with "video evidence" in courts...


http://news.yahoo.com/s/ap/20100213/ap_on_re_eu/eu_ukraine_presidential_election_6

Bom... a minha esperança de vê-los juntos a pensar em tirar a Ucrânia do buraco em que está metida, foi-se.

Não estou a vê-lo juntos e estou a ver que a Ucrânia dividida como está e com este tipo de atitudes, pode caminhar para uma asneira ainda maior.

Parece que estamos numa de perdido por um, perdido por mil.

Esta instabilidade pode meter as pessoas na rua e não deve ser preciso muito para a coisa ficar feia.

Caro JM,

Você esteve lá, deu para notar se há tensão no ar? há hostilidade nas pessoas?

Wandard disse...

O salário mínimo conforme informação de amigos russos está em torno de 2100 rublos, porém os pensionistas recebem por volta de 1600 rublos e provavelmente existem famílias com renda abaixo deste valor. O salário médio está entre 4500 a 15000/18000 rublos, a conversão em euros ou dólar depende da taxa de câmbio utilizada. Porém tem que se ver qual a capacidade de compra que estes valores salariais representam dentro do país, no Brasil o salário mínimo em termos de valores é maior que o pago na Rússia porém o poder de compra pode ser igual, superior ou inferior, se forem considerados quais os custos orçamentários básicos que uma família necessita e quais recursos a estrutura social do estado é provedora.

Jose Milhazes disse...

Caro Pm, nas pessoas não há tensão, nem hostilidade, mas cansaço. Estão fartos dos políticos e querem simplesmente estabilidade. Enquanto ela não chega, vão desenrascando como podem.

PortugueseMan disse...

Esperemos que continue assim.

Esta atitude da Tymoshenko parece apostar na instabilidade e é perigoso.

Interrogo-me se ela anda a fazer algum tipo de chantagem com a Europa para rever a contagem...

Anónimo disse...

Salário mínimo em Portugal,

475€(oficial, referência sindical)

real

+13º mês e Natal.

Salário mínimo real=555€ ou 760$


Espanha :633€
Portugal:555€
Rússia :105€
Ucrânia : 56€


fonte:
http://www.fedee.com/minwage.html


O salário mínimo nacional é uma(umas das) media real para medir a capacidade aquisitiva de um povo, alerto os leitores para terem cuidado com a analise do PIB nominal e PIB PPP.

Por exemplo, em comparação com o PIB de Portugal, o grego parece ter muito mais volume, no entanto, os gregos na sua contabilidade nacional contabilizam a economia sombra, o que significa que a economia grega se encontra 20-30% sobrevalorizada.
Portugal, Espanha e Grécia têm economias muito semelhantes.

A Rússia e a ucrania também, o estágio de desenvolvimento é o mesmo, aparentemente a Rússia terá um maior rendimento per capita, mas isso acontece devido à produção de matéria prima.

Essa produção e o rendimento que daí advém ficam na mão de meia dúzia de oligarcas que utilizam o capital em paraísos fiscais ou investem fora da Rússia, por outras palavras, o grande parte do rendimento nacional russo saí do país, a fuga de capital é imensa.


nota:É importante que quem coloca números nos artigos domine minimamente aquilo que eles representam, o que nem sempre acontece aqui.

Luis. Perestrelo.
V.N Gaia

anónimo russo disse...

Wandard disse...


1."O salário mínimo conforme informação de amigos russos está em torno de 2100 rublos"


O salário mínimo na Rússia é um valor, utilizado principalmente nos cálculos, nos pagamentos de impostos, nos cálculos de múltas etc. Mas NINGUEM ganha na realidade o salário minimo, não acho que seja possivel sobreviver com isso (nem me lembro agora quanto é atualmente).



2."porém os pensionistas recebem por volta de 1600 rublos e provavelmente existem famílias com renda abaixo deste valor."



Francamente, não ouvi que alguem dos pencionistas recebesse 1600 rublos. Uns 4500 rublos (100 euros) atualmente é possivel, sim (nalguns casos pode ser até menos, não sei). 1600 rublos na minha cidade nem chegava para pagar pelo apartamento (luz, gas, calefação etc.)


3. "O salário médio está entre 4500 a 15000/18000 rublos"


O salário médio não pode "estar entre", é um valor estatistico. È um valor médio (p.ex. 10&20, médio é 15).

anónimo russo disse...

Luis. Perestrelo.
V.N Gaia

"A Rússia e a ucrania também, o estágio de desenvolvimento é o mesmo, aparentemente a Rússia terá um maior rendimento per capita, mas isso acontece devido à produção de matéria prima.

Essa produção e o rendimento que daí advém ficam na mão de meia dúzia de oligarcas que utilizam o capital em paraísos fiscais ou investem fora da Rússia, por outras palavras, o grande parte do rendimento nacional russo saí do país, a fuga de capital é imensa."




Não sei como está a situação com a fuga de capital agora, mas sem dúvida que pelo menos uma parte deste capital fica na Rússia. Porque a extração do petróleo, por exemplo, se não sabia, dá trabalho a empresas metalúrgicas, aos produtores de tubos etc. Alem disso, o orçamento russo recebe muito dinheiro como impostos dos exportadores da matéria-prima, dinheiro que vai depois para pagar salários e pensões e entra assim na economia russa.
O crescimento do PIB russo nos últimos anos apenas em parte se deve a extração da matéria prima, no resto, reflecte o desenvolvimento de outros setores da economia.

anónimo russo disse...

Luis. Perestrelo.
V.N Gaia

"Essa produção e o rendimento que daí advém ficam na mão de meia dúzia de oligarcas que utilizam o capital em paraísos fiscai"


Por sinal, se não me engano, as maiores empresas exportadoras de gas e petróleo russas (Gazprom e Rosneft) são... ESTADUAIS. Isso tambem pode ter até certo ponto o seu lado negativo, como não é bom a dependéncia excessiva da exportação da matéria-prima, mas isto já é outra história.

anónimo russo disse...

Luis. Perestrelo.
V.N Gaia


"Essa produção e o rendimento que daí advém ficam na mão de meia dúzia de oligarcas que utilizam o capital em paraísos fiscais ou investem fora da Rússia"



Se não me engano, as maiores empresas russas - exportadoras de gas e petróleo (Gazprom e Rosneft) são... ESTADUAIS. Isso pode ter o seu lado negativo, como não é bom a dependéncia excessiva da exportação da matéria-prima, mas isto já é outra história.
È melhor se informar melhor antes de afirmar algo tão categoricamente.

anónimo russo disse...

Luis. Perestrelo.
V.N Gaia


"A Rússia e a ucrania também, o estágio de desenvolvimento é o mesmo, aparentemente a Rússia terá um maior rendimento per capita, mas isso acontece devido à produção de matéria prima.

Essa produção e o rendimento que daí advém ficam na mão de meia dúzia de oligarcas que utilizam o capital em paraísos fiscais ou investem fora da Rússia, por outras palavras, o grande parte do rendimento nacional russo saí do país, a fuga de capital é imensa."



Mais umas ideias.

1."aparentemente a Rússia terá um maior rendimento per capita, mas isso acontece devido à produção de matéria prima"

Petróleo-gas dão atualmente, se não me engano, 25% do PIB russo.


2. Acabo de ver alguns materiais sobre a extração de petróleo e quero-lhe perguntar: sabia que, se as companhias petroliferas não investissem grandes somas no seu setor anualmente, faliam muito em breve? Tem realmente a certeza que sabe da exportação das metérias-primas russas bastante para falar disso?

anónimo russo disse...

Por sinal, realmente, o salário minimo aumentou e constitui agora um pouco mais de 4000 rublos (por volta dos 100 euros). Mas, repito, na Rússia é apenas um valor oficial que indica o limite minimo do salário que as empresas independentemente da forma de propriedade e os estabelecimentos têm direito de pagar aos trabalhadores. Com esse valor já se pode sobreviver, mas na realidade acho que quase ninguem ganha esses 4300 rublos. Por exemplo, o meu sogro, pensionista que trabalha como guarda-noturno (ou como lá se chama isso) ganha de 8500 até 10000 rublos (valor duplo do salário minimo, aprox.) e a minha sogra que trabalha numa farmácia ganha por volta dos 18000 rublos (uns 450 euros) o que não acho assim tão pouco.
Quando falei do salário médio até indiquei uma soma mais baixa do que a estatistica diz, mas que corresponde àquilo que vejo à minha volta.
Não pretendia comparar o nivel de vida na Rússia com o de Portugal, porque o russo é por enquanto mais baixo, e isso é natural. Mas só por enquanto, e isto é a minha convicção. Eu aconselharia a alguns se distrairem dos velhos cliches sobre "meia dúzia de oligarcas", porque a economia russa é um mecanismo muito mais complexo.

anónimo russo disse...

Quanto à exportação do petróleo.
Segundo os dados que encontrei, aínda há um tempo, há uns 2 anos, as companhias-exportadoras de petróleo pagavam até 90% do seu lucro ao estado atraves dos impostos (os exportadores de petróleo não refinado ou qual o termo mais correto). E a situação, segundo eu entendo, não mudou muito. O estado considera agora a possibilidade de modificar alguns dos impostos com o fim de proporcionar a extração de novas jazidas e desenvolvimento de novas-infraestruturas.

No fim do 2009 os exportadores de petróleo pagavam 270 dólares por cada tonelada exportada (que custa atualmente por volta dos 500 USD). E isso é apenas a taxa de exportação, sem contar outros impostos.

È evidente que a maior parte do lucro da exportação de petróleo (se não uns 90%) cobra o estado. Não sou um exportador de petróleo e não conheço todos os pormenores, mas não acho que esteja muito errado.

Francisco Lucrecio disse...

Caro Anónimo Russo concordo em que defenda o bom nome do seu país está no seu pleno direito e tem o dever de o fazer . Não concordo e muito menos aceito que o faça à base de desinformação com a finalidade de branquear a desgovernação dessa horda de Timocratas dirigistas que através do controle dos meios de informação iludem o povo e se negam intermitentemente a partilhar o poder com as outras forças. O Senhor pode ser um dos privilegiados do Putinismo, mas tem que entender acima de tudo que esse bando que controla o poder na Rússia está levando o país em passos largos para o abismo. E para ser um bom Patriota como pretende, tem que reconhecer isso em primeiro lugar.

Eu há poucos dias questionei-o, sobre quais têm sido os progressos que a Rússia mostrou nos últimos dez anos. O Senhor além de não ser capaz de responder (não tinha resposta!) refugiou-se em evasivas do passado e nas invenções dos pretensos inimigos da Rússia actual. Como Russo se é assim que pensa está completamente enganado. Porque os maiores inimigos da Rússia estão dentro da própria Rússia.
Os perigos que a Rússia de hoje enfrenta são provocados pela falta de capacidade dos seus próprios dirigentes. E digo-lhe mais o problema do nacionalismo separatista nunca foi tão grave como actualmente, agora está a emergir um pouco por todo o lado silenciosamente organizado. Se a situação prosseguir nesse rumo quando se der uma erupção não se vai limitar apenas ao Cáucaso passa pela Kalmukia só termina na Transbaikalia.


Leia por favor uma entrevista que Evgueni Primakov deu em 14 de Janeiro à Rossiyskaya Gazeta. Diz ele que 40% do PIB Russo é obtido à custa da venda de matérias primas. Diz também que ao manter-se o apoio prioritário às grandes empresas produtoras de matérias primas, a Rússia está a transformar-se num apêndice das grandes potencias mundiais em especial da China.
E mais; devia saber também que a Rússia é um dos países que menos investe em Investigação e Desenvolvimento menos de 1% do PIB. A produção interna da Rússia é 82 vezes inferior à Japonesa. Caíram todos os parâmetros de produção interna na Rússia começando na energia acabando nos bens alimentares. Em contra partida os bens importados cresceram a todos os níveis. Ora não é desta forma que um País se desenvolve.


Quanto à questão salarial, o Senhor até parece que ignora que o seu país é onde existem os maiores desníveis entre os salários mais baixos e os mais elevados.
Sobre isso quero esclarece-lo ainda que cerca de 52 milhões de assalariados Russos ganham menos de 6000 Rublos.
Até parece que não vive na Rússia para ignorar dessa forma a tragédia social em que o seu povo está mergulhado. Mais parece que vive rodeado de espelhos onde apenas se vê a si próprio e o seu circulo de amigos.

Francisco Lucrecio disse...

Jest então já perdeu o pio para apontar os culpados do desespero em que o seu povo mergulhou?

Então mas a Ucrânia em 1991 quando da desintegração da URSS não era a 10-ª economia Mundial?
Em 2005 estava na 26-ª posição. E hoje talvez já tivesse descido para além da 30-ª?
Ficava muito grato ao Senhor Jest que desata-se este nó. Já que é tão pronto e exímio em apontar as causas de todas as desgraças da Ucrânia aos “malvados” dos Russos.
Tenha lá uma vez coragem para descer desse pedestal de fantasia, e aponte os verdadeiros causadores da agonia em que a sua amada Ucrânia sufoca.
Há vinte anos que andam a mentir ao povo. Com que resultados?

Jest nas Wielu disse...

2 Gilbero Múcio

Nos anos 20 do século XX já tivemos essa experiência, toda a nossa classe política foi fuzilada, exilada ou morreu nos GULAGes siberianos. O resultado está a vista...

2 Francisco Lucrecio

Acho que V. Excia me confundiu com alguem, nunca disse que todos os problemas ucranianos derivam de proximidade com o visinho siberiano. Apenas apontava os problemas concretos: Holodomor, colectivização forçada, russificação, etc cujos responsáveis não tenho medo de anunciar: a liderança da ex-URSS.

Sobre a posição ucraniana em termos económicos: já escrevi várias vezes, que o que interessa não é a posição em si, mas a qualidade de vida, que esta proporciona. Sim, a Ucrânia fabricava a metade da maquinaria pesada soviética, mas hoje em dia todo o espaço pós – soviético usa os tractores americanos / fabricados no Ocidente (são mais baratos, mais leves, mais eficientes em termos dos gastos energéticos, etc). Já não oferecemos os nossos tanques aos regimes “amigos” do 3-ro mundo (da Síria até Etiópia) e por ai fora (vendemos aos países que têm o dinheiro para os pagar).

Povo: a sua frase é bûe paternalista, “andam mentir ao povo”. Até parece que existe um “povo” analfabeto, que vive nas cavernas e uns malvados agentes da CIA – NHL que andam a mentir para o bom zé povinho. Como disse ontem João Jardim “o povo faz asneira e culpa os políticos”. Concordo com ele.

anónimo russo disse...

Francisco Lucrecio disse...

1. "Eu há poucos dias questionei-o, sobre quais têm sido os progressos que a Rússia mostrou nos últimos dez anos. O Senhor além de não ser capaz de responder (não tinha resposta!)"

Francamente, não me lembro disso.

"...refugiou-se em evasivas do passado e nas invenções dos pretensos inimigos da Rússia actual."


Invenções dos pretensos inimigos? Deve estar a confundir-me com alguem.



2."Os perigos que a Rússia de hoje enfrenta são provocados pela falta de capacidade dos seus próprios dirigentes. E digo-lhe mais o problema do nacionalismo separatista nunca foi tão grave como actualmente, agora está a emergir um pouco por todo o lado silenciosamente organizado. Se a situação prosseguir nesse rumo quando se der uma erupção não se vai limitar apenas ao Cáucaso passa pela Kalmukia só termina na Transbaikalia."

a)francamente, não posso levar isso a sério (não há motivos reais para separatismo, como era, por exemplo, no início dos anos 90, quando muitos pensavam que apenas bastava saír da URSS/Russia para se tornal logo alguma Suiça. Com o tempo todos entenderam que foi uma ilusão).
b) Escreve-se Kalmíkia (Калмыкия).
c) Quando todo esse separatismo inventado (alem dos alguns radicais islamicos que aínda atuam nalgumas das republicas Caucasianas) de repente se manifestar em plena força, falaremos. Isto é, NUNCA.

3."Leia por favor uma entrevista que Evgueni Primakov deu em 14 de Janeiro à Rossiyskaya Gazeta. Diz ele que 40% do PIB Russo é obtido à custa da venda de matérias primas. Diz também que ao manter-se o apoio prioritário às grandes empresas produtoras de matérias primas, a Rússia está a transformar-se num apêndice das grandes potencias mundiais em especial da China."

a) Segundo eu saiba, 40% do orçamento russo atual se deve a exportação dos hidrocarbonetos. 25% do PIB russo.

b)"Diz também que ao manter-se o apoio prioritário às grandes empresas produtoras de matérias primas, a Rússia está..."

Se não sabia, é uma das principais ideias do atual presidente Medvedev - diversificar a economia russa. Mas nem tudo é tão simples e isso exige tempo.
O problema da Rússia atual é que herdou a indústria sovietica. As áreas competitivas continuaram a se desenvolver, mesmo depois de uma queda. Como, por exemplo, a produçaõ de armas, que finalmente nos mostrou um dos projetos que tiveram êxito - a caça de V geração. Ou, por exemplo, a área de energia atomica.
Mas, perdão, será que você não sabia que na URSS se produziam muitos artigos totalmente incapazes de competir com os análogos estrangeiros? Carros, electrodomesticos etc.? E nas condições de uma economia de mercado não basta apenas uma ordem do presidente ou do primeiro-ministro para criar um automovel de qualidade de alguma Toyota. Mas mesmo assim o governo atual, segundo eu saiba, faz tudo para ajudar a produção, por exemplo, de automoveis russos. Atrai investidores e tecnologias estrangeiras, dá uma enorme quantidade de dinheiro ao setor, aumenta os impostos de importação.
Por sinal, aqui perto, já temos uma fabrica de automoveis TAGAZ que começou inicialmente como uma fabrica onde se produziam carros coreanos à base das paças importadas. Agora, dizem, já produz os seus próprios carros, utilizando a tecnologia que roubaram aos coreanos. Posso estar enganado, porque não me lembro muito bem, mas há algum tempo li sobre isso.
Alem disso, as fábracas que produzem camiões, como Kamaz, continuam a se desenvolver, adquirir tecnologias novas e têm tambem o apoio do estado e as encomendas do Ministério de Defesa etc.

anónimo russo disse...

Francisco Lucrécio


4."E mais; devia saber também que a Rússia é um dos países que menos investe em Investigação e Desenvolvimento menos de 1% do PIB."

Li alguma coisa sobre isso e quero dizer, que não basta apenas gastar, mas é preciso gastar de uma maneira que permita dar resultados. A ciéncia russa atual recebe bastante dinheiro, segundo eu saiba, mas eles precisam de definir os objetivos e optimizar as despesas. Se for preciso, posso procurar dados.



5."A produção interna da Rússia é 82 vezes inferior à Japonesa"

A Rússia não é Japão que não viveu 70 anos de comunismo, que tem a mentalidade diferente etc. Mesmo assim, preferia ver as fontes da informação.


6."Caíram todos os parâmetros de produção interna na Rússia começando na energia acabando nos bens alimentares".

Para que repetir sempre a mesma coisa? Tanto mais que isso não corresponde à realidade. A Rússia exporta cereais. Como já disse, vivo numa região que mais cereais produz e vejo que não há campos vazios, toda a terra que aqui há é utilizada. Tambem já disse que, segundo eu saiba, crasce a produção da carne de galinha.



7."Sobre isso quero esclarece-lo ainda que cerca de 52 milhões de assalariados Russos ganham menos de 6000 Rublos"

52 milões é mais que a metade da população economicamente ativa. Esses dados não correspondem à realidade. Nalgumas áreas, por exemplo, nos jardins de infáncia, as pessoas aínda ganham muito pouco, podem ter um salário de 4500 rublos até, mas constituem uma pequena parte da sociedade e têm as suas próprias razões para trabalhar lá (são muitas vezes as mães cujos filhos frequentam esses mesmos jardins de infáncia). Na minha cidade basta abrir algum jornal para ver que voce pode facilmente obter algum trabalho onde é preciso lavar chão nalgum supermercado por uns 8000 rublos. Não acredita? Eu posso provar.

anónimo russo disse...

Jest nas Wielu disse...
2 Gilbero Múcio

1."Nos anos 20 do século XX já tivemos essa experiência, toda a nossa classe política foi fuzilada, exilada ou morreu nos GULAGes siberianos. O resultado está a vista..."


Claro, claro. Só que a URSS foi governada por uma pessoa que nasceu na Ucrânia e outra que cresceu lá. Breznev e Khruschev, se não me engano. Já sei que vai dizer que "não são ucranianos", mas será que, por exemplo, os dois candidatos à presidencia ucraniana atuais são "ucranianos"?


2.Acho que V. Excia me confundiu com alguem, nunca disse que todos os problemas ucranianos derivam de proximidade com o visinho siberiano. Apenas apontava os problemas concretos: Holodomor, colectivização forçada, russificação, etc cujos responsáveis não tenho medo de anunciar: a liderança da ex-URSS.


"Golodomor", isto é, a fome dos anos 30 na Ucrânia, Rússia e algumas outras republicas, matou milhões de pessõas em todos os lugares onde têve lugar. Não é preciso mostrar a Ucrânia como a única republica que sofreu com isso. (Nos todos, eu acho, perfeitamente entendemos que a criação do culto de "golodomor" foi uma invenção do seu presidente Iuchenko para se distanciar aínda mais da Rússia na tentativa (que por enquanto não têm muito êxito) de criar a ideia nacional ucraniana.)
O que é engraçado é que a Ucrânia Ocidental nos anos da fome fazia parte da Polonia e não sofreu com a fome. Não é, Jest?


Sobre a "russificação", é tambem um assunto questionavel, dizem.

Jest nas Wielu disse...

2 anónimo russo 10:19

Achei a linda sua explicação sobre os problemas económicos russos. Apenas uma duvida, porque não usa os mesmos argumentos para pelo menos TENTAR compreender os problemas economicos ucranianos. Ora vejamos...

"Mas nem tudo é tão simples e isso exige tempo.
O problema da Ucrânia actual é que herdou a indústria soviética. As áreas competitivas continuaram a se desenvolver, mesmo depois de uma queda. Como, por exemplo, a produçaõ de armas, que finalmente nos mostrou um dos projectos que tiveram êxito - o tanque T-80UD. Ou, por exemplo, a área de foguetões (cosmódromo Alcântara no Brasil).

Mas, perdão, será que você não sabia que na URSS se produziam muitos artigos totalmente incapazes de competir com os análogos estrangeiros? Carros, electrodomesticos etc.? E nas condições de uma economia de mercado não basta apenas uma ordem do presidente ou do primeiro-ministro para criar um automovel de qualidade de alguma Toyota."

anónimo russo disse...

12:20

Jest nas Wielu disse...
2 anónimo russo 10:19

"Achei a linda sua explicação sobre os problemas económicos russos. Apenas uma duvida, porque não usa os mesmos argumentos para pelo menos TENTAR compreender os problemas economicos ucranianos. Ora vejamos..."


Por sinal, eu pessoalmente não dramatizava a situação na Ucrânia. A economia do país e o nivel de vida estão numa situação menos boa que na Rússia, mas as razões de tudo isto são evidentes e nada é incuravel. O impacto da crise foi mais grave. Ucrânia não têve tantos lucros como a Rússia, não tem (ou quase não tem) reservas, por isso a situação financeira está muito mais grave, mas ao mesmo tempo, a Ucrânia não corre tantos riscos como a Rússia podia correr no caso da faléncia. Aqui neste blog muitos gostam de dramatizar a situaçaõ e até contam por vezes contos da Rússia que pouco correspondem à realidade, mas eu já quase estou acostumado.

Jest nas Wielu disse...

2 anónimo russo 21:11

Bem, hoje, de facto, pareces uma pessoa diferente. Nem parece o mesmo usuário que preferia ataques injustos e muitos vezes infundados contra a Ucrânia. Hoje tudo que escreveste está acertado: de facto, a situação económica de momento é menos boa que na Rússia, mas as razões de tudo isto são evidentes e nada é incuravel. O impacto da crise foi mais grave. Ucrânia não têve tantos lucros (e tantos recursos naturais, digo eu) como a Rússia.

Wandard disse...

2."porém os pensionistas recebem por volta de 1600 rublos e provavelmente existem famílias com renda abaixo deste valor."



Francamente, não ouvi que alguem dos pencionistas recebesse 1600 rublos. Uns 4500 rublos (100 euros) atualmente é possivel, sim (nalguns casos pode ser até menos, não sei). 1600 rublos na minha cidade nem chegava para pagar pelo apartamento (luz, gas, calefação etc.)


3. "O salário médio está entre 4500 a 15000/18000 rublos"


O salário médio não pode "estar entre", é um valor estatistico. È um valor médio (p.ex. 10&20, médio é 15).

Caro anônimo russo,

Como citei no meu comentário, estas informações foram passadas por amigos russos e que vivem na Rússia, o valor de 1600 rublos é o que o pai de um deles aposentado ganha, quanto à questão dos salários mínimo e médio, acredito que a situação seja similar à do Brasil pois temos um salário mínimo tabelado pelo governo e conforme o decreto ninguém poderia ganhar menos do que o "mínimo" mas existe um número enorme de trabalhadores que ganham exercendo mão de obra informal, assim como é muito complicado definir um salário médio, pois existem diversas categorias profissionais e muitos pisos salariais, variáveis inclusive, de acordo com as regiões do país.

anónimo russo disse...

Wandard

"Caro anônimo russo,

Como citei no meu comentário, estas informações foram passadas por amigos russos e que vivem na Rússia, o valor de 1600 rublos é o que o pai de um deles aposentado ganha"




Desde 1 de janeiro de 2010 a pensão na Rússia é:


- para as pessõas que atingiram 60 anos (homens) e 55 anos (mulheres) de idade e tinham trabalhado pelo menos 5 anos oficialmente, a pensão = a parte base (2562 rublos (60 euros)) + a parte que depende do tempo de serviço e do salário que recebiam; no caso de minha mãe, por exemplo, é 4500 rublos (um pouco mais de 100 euros), mas, segundo as palavras dela, "muitos recebem mais";

- as pessõas que trabalharam na sua vida oficialmente menos de 5 anos (o que era quase impossivel na URSS) recebem desde os 65 anos (homens) e 60 anos (mulheres) a pensão social de 2562 rublos (60 euros).

anónimo russo disse...

A fonte:

http://www.pfrf.ru/labor_old_age_pension/

ou simplesmente:

http://www.pfrf.ru/

Ítalo Tavares disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Ítalo Tavares disse...
Este comentário foi removido pelo autor.