segunda-feira, fevereiro 08, 2010

Ucranianos deram prova de maturidade democrática

Victor Ianukovitch canta vitória, mas Iúlia Timochenko não reconhece derrota. Este será o cenário mais provável para os próximos dias na vida política da Ucrânia, porque eles estão separados por pouco mais de dois por cento.

Timochenko e os seus apoiantes já prometeram recorrer aos tribunais para contestar os resultados, tratando-se essa ameaça uma das componentes de pressão sobre Ianukovitch no diálogo com ele sobre a repartição do poder.

Ao contrário de 2004, Ianukovitch não deverá deixar fugir a vitória, pois, caso contrário, isso significaria a sua “morte política definitiva”. Mas Timochenko também não quer ser afastada da área do poder directo, parecendo disposta a aceitar a continuação à frente do Governo da Ucrânia em troca do reconhecimento da eleição de Ianukovitch Presidente da Ucrânia.

A SIC conseguiu apurar, através de várias fontes, que as conversações entre representantes dos dois candidatos já começaram, pois nenhum deles tenciona desestabilizar mais a situação num país à beira da falência económica.

Além disso, as eleições mostraram que a Ucrânia continua dividida claramente em duas partes. A parte ocidental, mais virada para a Europa, votou fortemente em Timochenko, enquanto a parte oriental, mais virada para a Rússia, apoiou Ianukovitch. Por isso, a continuação do confronto poderá levar à desintegração daquele que é o segundo país maior da Europa depois da Rússia, com consequências catastróficas para o continente.

Desta vez, ao contrário do que aconteceu em 2004, as eleições não se transformaram num campo de combate entre a Rússia, por um lado, e a União Europeia e Estados Unidos, por outro. Os candidatos não podem ser claramente rotulados de pró-russo ou pró-ocidental, sendo mais correcto afirmar que qualquer um deles representa os interesses de grupos oligarcas ucranianos, que pretendem manter pontes de cooperação tanto com a Rússia, como com a União Europeia e os Estados Unidos.

É de assinalar que o povo ucraniano deu uma prova muito clara de maturidade política e fez uma avaliação muito precisa do poder vigente. Segundo alguns sociólogos ucranianos, os eleitores de Ianukovitch não votaram nele, mas contra Timochenko, e vice-versa, mostrando assim estar extremamente descontentes com o trabalho dos seus dirigentes.

Por isso, ele merece ser tratado de forma mais civilizada pelos seus políticos, que até agora se têm mostrado mais interessados em enriquecer desenfreadamente à custa da miséria de milhões de ucranianos.

Depois de 1991, entre seis e nove milhões de ucranianos abandonaram o país para conseguirem no estrangeiro uma vida melhor. O êxodo continuará se os políticos ucranianos continuarem a dar prioridade aos seus interesses pessoais, esquecendo-se do seu povo.
P.S. Um bom exemplo para os dirigentes russos!!

43 comentários:

PortugueseMan disse...

É bom mesmo que Ianukovitch e Timochenko se entendam.

Na minha opinião seria preferível um resultado com uma diferença maior, não interessando qual o candidato que ganhe. Um resultado com valores tão próximos pode dar origem a muita coisa.

Dada a situação da Ucrânia que é muito grave, se estas eleições não são aceites pelo candidato derrotado, podemos assistir a uma verdadeira ruptura do país com consequências imprevisíveis.

Se realmente Ianukovitch ganhar, a primeira coisa que ele tem que pensar é no país. Dado que metade do país votou em Timochenko ela deve manter-se em funções como primeiro ministro e os dois precisam de uma base de entendimento ou o país afunda-se.

Seja como fôr, volto a dizer. Para a Rússia qualquer um dos candidatos serve, o que é uma vitória para os interesses russos.

Para a UE também o será porque o principal era tirar aquele presidente do poder, que na minha opinião tanto mal fez ao país com a sua agenda pessoal.

Infelizmente para a Ucrânia, dada a situação em que se meteu graças àquele presidente, agora não tem poder negocial com a Rússia. E a Rússia vai cobrar. Virá ajuda, mas a um alto preço.

E quase de certeza que vamos ter mexidas em altas patentes militares. Quem apoiou a NATO, mais grave quais foram os militares ucranianos que apoiram as "ajudas" à Georgia.

Depois das eleições, as facturas vão chegar.

antonio everado disse...

"Depois de 1991, entre seis e nove milhões de ucranianos abandonaram o país para conseguirem no estrangeiro uma vida melhor. O êxodo continuará se os políticos ucranianos continuarem a dar prioridade aos seus interesses pessoais, esquecendo-se do seu povo.
P.S. Um bom exemplo para os dirigentes russos!!"

Chega a ser engraçado.
Mais engraçado ainda são aqueles que estão de volta à Ucrânia, desiludidos com a democracia capitalista. O que eles dizem nas suas entrevistas?

Não creio que trouxeram consigo bons exemplos para a Ucrânia, a não ser o de dar dinheiro público para a manutenção da iniciativa privada. Esse não é exemplo de políticos da antiga Ucrânia.

É isso, caro JM.

PortugueseMan disse...

Hoje o dia está interessante para a Rússia...

France has agreed to sell Russia an advanced amphibious warship and is considering a Russian request for three more, French defense officials said Monday. It would be the first major arms deal between Russia and a NATO member...

http://news.yahoo.com/s/ap/20100208/ap_on_re_eu/eu_france_russia_warship_2

Verdadeiramente impressionante. Pode-se dizer que é único membro da NATO que pode fazer isto sem haver impedimentos ou represálias por parte dos EUA. Os outros membros da NATO dependem de uma forma ou de outra de armamento americano.

Dado o apoio dos EUA à Geórgia, este acordo com um dos membros da NATO é no mínimo embaraçoso...

Parece que a UE além de confiar na Rússia como fornecedor de energia, também não tem problemas em vender material militar à Rússia.

Para a Rússia, isto é muito bom. Depois do fiasco da Opel, se conseguirem levar avante isto com os franceses, vão ter importação de tecnologia e know-how.

Parece-me que as relações entre EUA e França vão levar com mais um balde de àgua fria.

Interrogo-me se isto terá algum impacto na percentagem que os franceses vão ter no South Stream...

Ítalo Tavares disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Ítalo Tavares disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anónimo disse...

"Interrogo-me se isto terá algum impacto na percentagem que os franceses vão ter no South Stream..."

A venda de material militar, para alem das contrapartidas directas, potencia acordos de outras índoles. Não seria de admirar se o South Stream estivesse na agenda de Paris.

Pippo disse...

Nem mais, PM!
Aliás, os franceses puseram as coisas de uma forma até bastante directa ("blunt" seria a palavra mais adequada): se dizemos que a Rússia é uma parceira, então tratemo-las como parceira, nomeadamente não colocando objecções à venda de armas. Os problemas nas relações russo-ocidentais residem, sobretudo, nas "cicatrizes" dos PECOS.


Gates Opposes Arms Sale to Russia

By THOM SHANKER
Published: February 8, 2010

PARIS — Defense Secretary Robert M. Gates told French officials Monday that he was concerned about their plans to sell Mistral-class amphibious assault ships to Russia, although there is little if anything the United States could do to block the deal, officials said.
(...)
Mr. Morin [Ministro da Defesa francês] emphasized that the cold war was long over, and that Russia is a changed nation. He said that if Moscow is to be viewed as a partner in global stability, then there should be no objections to the French sale.
“We can’t have a double discourse of saying they are partners and then talking about relations with Russia as if it were pre-1991,” Mr. Morin said. He acknowledged however, that “scars” of the Soviet era are still present in some nations of eastern and central Europe.

Jest nas Wielu disse...

2 PortugueseMan

Também significa que o "império energético", que possui a tecnologia "incrivelmente avancada" não consegue produzir um navio de guerra, que os franceses produzem...

O que é certo, é que nas próximas eleicões autárquicas em Portugal, os ucranianos votarão pela primeira vez. E alguns vão optar brevemente pela cidadania portuguesa.

anónimo russo disse...

Talvez eu não saiba alguma coisa, mas a mim não me parece viavel um acordo entre Ianukovich e Timoschenko. E Ianukovich não precisa de algum "reconhecimento" da sua vitória, porque venceu de acordo com as leis ucranianas e a maioria daqueles que votaram votou nele. Agora a Diferença entre ambos os candidatos aumentou ligeiramente e constitui por volta dos 3%


"Um bom exemplo para os dirigentes russos!!" - é uma brincadeira? Deus nos livre. (estou a falar da situação política e económica da Ucrânia).

P.S. Na imprensa russa ("Kommersant") apereceu uma informação interessante. Dizem que Ianukovich está disposto a criar um consórcio para controlar o sistema de gazodutos ucraniano com a participação de Gazprom, naftogaz Ucraniano e a Europa.

Anónimo disse...

mas os ucranianos votarão nas autárquicas portuguesas por ordem de quem?eu não aceito isso,será mais uma prova do caos em que Portugal está mergulhado!
quando a atribuição da Nacionalidade Portuguesa aos ucranianos também não posso estar de acordo.Tenho esperança que até lá mude o governo de Portugal e que altera a Lei da Nacionalidade de modo a que isso não seja possivel pois eles não possuem caracteristicas próprias que lhes permita aceder à nacionalidade portuguesa.

PortugueseMan disse...

Também significa que o "império energético", que possui a tecnologia "incrivelmente avancada" não consegue produzir um navio de guerra, que os franceses produzem...

Disparate Jest, além do óbvio interesse da importação de novas metodologias e know-how, com a quantidade de encomendas que os estaleiros russos têm neste momento, daqui a quantos anos teria a Rússia uma coisa destas pronta?

Você realmente só está bem a dizer mal. Não se preocupe que agora terá bastante para atacar e nem precisa da Rússia para isso. Parece-me que os destinos da Ucrânia não encaixam muito bem no seu ideal ucraniano e vai ter muito com que se entreter...

PortugueseMan disse...

anónimo russo,

Talvez eu não saiba alguma coisa, mas a mim não me parece viavel um acordo entre Ianukovich e Timoschenko...

Também não sei se será possível um entendimento entre estes dois, mas dado a situação desastrosa em que a Ucrânia se encontra (como é possível aquele presidente ter lá estado tanto tempo...) e o facto de metade da população ter votado na Timoschenko, mostrando claramente um país dividido em dois, Ianukovich deveria ter isso em conta, afinal vai ser presidente não da metade que votou em si mas presidente de toda a Ucrânia. E vem aí tempos muito difíceis, as eleições por si não resolvem os problemas, simplesmente dão um começo para a resolução.

Continuará a haver insatisfação na Ucrânia, os problemas estão ali para durar anos, muito mal foi feito e não sei o que poderá ser recuperável.

Duas coisas são na minha perspectiva urgentes de se resolver. Indicar à Rússia, qual o caminho que vão seguir em relação à NATO e de seguida aranjar um novo acordo para receberem gás subsidiado.

Sem isto a Ucrânia está entregue aos bichos.

Depois disto, virá a factura. A Ucrânia tem muita coisa a pagar e muita coisa a ceder. Os próximos anos não serão fáceis, mesmo que as coisas corram da melhor maneira possível.

kartser disse...

Querido Senhor!

Eu sou um historiador, que vive na Russia.

No passado eu tenho escrito um artigo
sobre as relações russo-portuguesas em seculo XVIII.

Lamentavelmente, a situacao mudou.
Agora sou incapaz de publicar o meu artigo.
Talvez você saiba no quais jornais
em Portugal o no Brasil pode-se publicar-o?
O pagamento não é muito importante para mim.

anónimo russo disse...

Jest nas Wielu disse...
2 PortugueseMan

"Também significa que o "império energético", que possui a tecnologia "incrivelmente avancada" não consegue produzir um navio de guerra, que os franceses produzem...

O que é certo, é que nas próximas eleicões autárquicas em Portugal, os ucranianos votarão pela primeira vez. E alguns vão optar brevemente pela cidadania portuguesa."


E não é humilhante ter orgulho de que os ucranianos vão ter direito de votar em Portugal? Será que não têm o seu próprio país?

... Os vuiki mordem os cotovelos. LOL

JMAST disse...

Anonimo das 13:43,

Abra os olhos para o Mundo e pense Global. Somos todos iguais. Quem sabe esses ucranianos nao fizeram mais por Portugal do que voce?

JMAST disse...

Anonimo das 13:43,

E mais, voce ja viu que o Governo Ucraniano nao aceita a dupla nacionalidade? Entao quem muda de nacionalidade perde a sua anterior! E preciso gostar muito de Portugal para se perder a sua anterior nacionalidade. Nao e como a maioria dos outros paises que permite a dupla. E olhe que nao e facil nao ser-se ucraniano e estar na ucrania, por experiencia propria.

Jose Milhazes disse...

Leitor Kartser, entre em contacto comigo através de mail: zemilhazes@hotmail.com

Ítalo Tavares disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
MSantos disse...

Sobre a compra dos porta-helicópteros os países habituais obviamente vão-se "mandar ao ar" e arranjar casos sobre isto.

Efectivamente a Rússia já não dispõe de capacidade para construir este tipo de navios pois eram os estaleiros de Nikolaev na Ucrânia que tinham o know-how.

Além disso actualmente os estaleiros russos estão em situação de saturação que devido às numerosas encomendas civis aliado à sua ineficiência impedem a abertura de novas linhas.

Há inclusivé empresas nórdicas a processar os estaleiros de Svemash por incumprimento dos prazos.

Cumpts
Manuel Santos

Anónimo disse...

então,o povo português está farto dos imigrantes e acham que ia aceitar que ucranianos,ou outros,se naturalizassem portugueses?

Anónimo disse...

Anónimo das 13:43

Os ucranianos, quando escolhem ser portugueses adoptam muita da nossa cultura e integram-se na sociedade.
Os filhos deles,então, quando estudam nas escolas portuguesas já não se distinguem das crianças locais.
É melhor termos imigrantes ucranianos do que pasquistaneses ou iranianos!

JMAST disse...

Anonimo das 21:01,

Entao nao aceitamos??? Voce realmente nao tem conhecimento da nossa realidade. Pois eu conheço um ex-cidadao ucraniano que ha um mes obteve a nacionalidade portuguesa. E digo-lhe, quem ficou a ganhar foi Portugal. E voce sabia que Portugal aceita a nacionalidade Portuguesa a todos os cidadaos do Mundo?

JMAST disse...

Muitos sectores do nosso Portugal estão divididos entre os verdadeiramente Incapazes e os decididamente Capazes de tudo.

Jest nas Wielu disse...

2 Anónimo (zangado) 13:43

Os ucranianos (alias, como os próprios portugueses) não votarão “por ORDEM” de ninguém, mas por DIREITO que lhes foi concedido pelo Governo de Portugal.

A sua opinião sobre a lei da nacionalidade é irrelevante, pois não é nenhum decisor político na matéria.

2 PortugueseMan

Com que então “interesse da importação de novas metodologias e know-how”... Vocês (os russofílicos) sempre declaravam que o saber – fazer é o que a Rússia têm demais, e agora, afinal, tem que importar.

Dos destinos da Ucrânia vão cuidar os ucranianos, no entanto, em um ponto você têm a razão, este tipo de destino não se encaixa no meu ideal ucraniano (poderá usar o tradutor do google, que este têm uma opção de ucraniano – português e vice – versa):
http/banderivka.livejournal.com/463922.html

p.s.
Como disse e bem a blogueira: “e ainda nem a inaguraçào houve”...

2 JMAST

Obrigado, respondeu por mim até melhor que eu próprio.

O “intelectual” anónimo russo nem se aprecebeu que estamos falar das eleições diferentes: a) em Portugal, os ucranianos vão votar nas autárquicas portuguesas; b) continuando a votar nas eleições ucranianas como os cidadãos da Ucrânia. Só aqueles que optarão por escolher definitivamente a cidadania portuguesa (assim como fizeram cerca de 500.000 portugueses em França), estes sim, vão votar nas eleições portugueses: legislativas, autárquicas, europeias e presidenciais. Tal, como qualquer cidadão luso vota.

PortugueseMan disse...

...Além disso actualmente os estaleiros russos estão em situação de saturação que devido às numerosas encomendas civis aliado à sua ineficiência impedem a abertura de novas linhas...

Caro MSantos,

Encomendas civis e MILITARES.

Dê uma olhadela ao que está colocado aqui. Informação bastante completa sobre o que está ACTUALMENTE em construção APENAS para a marinha russa, com indicação dos estaleiros envolvidos.

Não faz referências por exemplo às encomendas para a India ou Vietname.

http://russiadefence.englishboard.net/russian-naval-forces-f4/russian-navy-status-t647.htm

Olhe que não é coisa pouca...

Cumprimentos,
PortugueseMan

PortugueseMan disse...

Com que então “interesse da importação de novas metodologias e know-how”... Vocês (os russofílicos) sempre declaravam que o saber – fazer é o que a Rússia têm demais, e agora, afinal, tem que importar.

É interessante como certa pessoas são incapazes de falar sem catalogar as pessoas.

Agora o que EU declarei você não sabe de certeza ou estava calado.

E você sabe muito bem que isso já foi aqui amplamente falado, na altura da Opel e Qimonda, importação de novas metodologias e know-how é uma das prioridades do governo.

Mas claro, que isso é areia demais para si...

...Dos destinos da Ucrânia vão cuidar os ucranianos...

Sem dúvida. O resultado do que fizeram está à vista. E já começou a estender a mão aos russos para darem um descontozinho do gás? Prepare-se para pedir com modos e de olhos baixos...

Anónimo disse...

Jest,a minha opinião sobre a Nacionalidade não é irrelevante visto eu ser militante de um dos partidos da oposição e como as coisas estão mais dia menos dia o governo cai e o meu partido tem muitas hipóteses de governar...
sabia que há largos sectores da sociedade que se preocupam com a Nacionalidade?
pous eu jamais os reconhecerei como Portugeses.Lamento...

MSantos disse...

Portugueseman

O Jest não vai pedir nada porque vai abandonar a sua carreira de divulgador desse grande farol da democracia que é a Ucrânia stars'n strips para passar a dissidente.

Não leve a mal Jest, já sabe como eu sou.

:o)

Abraço
Manuel Santos

MSantos disse...

Caro PM

O que enviou é muito interessante. Logo que possa vou analizar com mais tempo.

Cumpts
Manuel Santos

Anónimo disse...

"Jest,a minha opinião sobre a Nacionalidade não é irrelevante visto eu ser militante de um dos partidos da oposição e como as coisas estão mais dia menos dia o governo cai e o meu partido tem muitas hipóteses de governar...
sabia que há largos sectores da sociedade que se preocupam com a Nacionalidade?
pous eu jamais os reconhecerei como Portugeses.Lamento..."

estou abismado!!

Este senhor ou é CDS ou PSD, ambos os partidos deixaram passar as actuais leis de nacionalidade/imigração no parlamento, o primeiro absteve-se, o segundo aprovou.

Estas leis estão a TERMINAR irremediavelmente com a homogeneidade da População Portuguesa e isso vai sair muito caro às próximas gerações.

Actualmente há estimativas que apontam para que 10% da população portuguesa já não seja etnicamente lusa.Em 1974 eram 0.

Se a democracia serve para destruir a nação Portuguesa ela deve ser abolida.Não é possível governar um país em democracia quando a maioria é estúpida e incapaz de decidir bem.

Estudos genéticos recentes e isentos politicamente referem que os ibéricos(portugueses e espanhóis) franceses ocidentais e britânicos partilham entre 85-90% dos genes.Somos uma família e temos o direito de continuar a existir como tal.

Esta politica Genocida que os responsáveis europeus estão a impor aos países europeus é um crime de alta traição, negar isto é revelar um profundo desconhecimento da história da europa.

A existência da actual civilização ocidental só foi possivel porque as invasões de povos não europeus foram sempre anuladas, hunos e otomanos (ambos asiáticos) e árabes(africanos), foram derrotados e expulsos. Nessa era como agora, a história da europa foi marcada com actos de traição, no entanto, a consciência racial dos lideres da altura prevaleceu.

A Europa ou muda radicalmente ou irá desaparecer como civilização.

Um povo constrói/faz uma cultura, não é a cultura que faz um povo.

Os Portugueses antes de votar devem reflectir bem se devem por em causa o trabalho e sacrifício dos antepassados ou se devem fazer escolhas corajosas.O nosso amado país está em perigo e entregue ao pior tipo de gente que há, gente sem escrúpulos, traidores e covardes, por isso, pensem bem nas escolhas que estão a fazer.


por Portugal,

MSantos disse...

Caro PM

Sobre o site que enviou e tomando-o por dar informações verdadeiras mesmo assim revela construções unitárias de vários tipos de unidades em detrimento de arranjar 3 ou 4 desenhos óptimos e começar construção em número. Isto já acontecia na URSS e alguns especialistas diziam que esta era uma marinha de protótipos.

Desconhecia o projecto dos grandes LST Ivan Gren, mas para um navio que começou a ser construído em 2004 com previsão de entrega a 2012 (8 anos) é muito tempo o que revela a ineficiência que tenho referido. Esta informação confirmei noutros sites.

No entanto devo-o advertir que a informação destes foruns é por vezes duvidosa, dado os participantes serem muito entusiastas e estarem mais empenhados em construir "frotas virtuais" com projectos que muitas vezes já foram cancelados do que realmente navios que efectivamente estão ao serviço ou vão entrar em cena.

Posso-lhe dar um exemplo: é referido várias vezes que o míssil P-800 YAKHONT/ONYX tem 300 milhas de alcance quando o seu alcance verdadeiro é de 300kM (1 milha ~ 1,8 kM) o que revela alguma falta de rigor e põe em causa a credibilidade da informação.

Para acabar e embora ainda sendo um projecto virtual (Project 2145), deixo-lhe um navio que se a Rússia decidir construir passará a dispôr de moderna capacidade oceânica e o KUZNETSOV já terá escolta adequada:

http://www.atrinaflot.narod.ru/
84_other/0_2145.htm

Cumpts
Manuel Santos

Anónimo disse...

reconheço que fui inconveniente nestes posts sobre a nacionalidade.Peço desculpa.
Ucranianos são brancos.
Sou contra a atribuição da nacionalidade portuguesa a africanos e ciganos.
agora é que está correcto.
peço desculpa aos ucranianos.

Anónimo disse...

Anónimo das 16:19,estou totalmente de acordo consigo.

anónimo russo disse...

Jest
"O “intelectual” anónimo russo nem se aprecebeu que estamos falar das eleições diferentes: a) em Portugal, os ucranianos vão votar nas autárquicas portuguesas; b) continuando a votar nas eleições ucranianas como os cidadãos da Ucrânia..."

Eu entendi tudo. Queria dizer que não é um grande motivo de orgulho, ao meu ver. Ser feliz por ser emigrante que já não corre o risco de ser expulso do país e a quem até permitiram votar de vez em quando... Uma felicidade duvidosa.

Cristina disse...

Anónimo russo

Ser emigrante(ou imigrante)bem integrado no país de acolhimento, com situação legal e direito a votar nas eleições não é nenhuma felicidade duvidosa, pelo contrário. É o que qualquer pessoa que vive noutro país mais aspira,seja qual for a sua nacionalidade. Se, financeiramente, tiver a possibilidade de visitar regularmente o seu país de origem, matar saudades, então pode sentir-se duplamente feliz.
Na Rússia, infelizmente, não se faz o suficiente para integrar os imigrantes ilegais, que são aos milhões. Estes são vistos como elementos indesejáveis, são criadas inúmeras barreiras à sua legalização (o famoso sistema de propiska-registratsia, que não existe em Portugal nem na maioria dos países europeus), não existem centros de apoio aos imigrantes, estes são constantemente abordados nas ruas pela Milícia e multados.
Em suma, por muitas dificuldades que os imigrantes de Leste tenham para se legalizarem nos países europeus, estas não se comparam às dificuldades que os imigrantes asiáticos, causasianos ou chineses enfrentam para viver legalmente na Rússia.

PortugueseMan disse...

Caro MSantos,

Sobre o site que enviou e tomando-o por dar informações verdadeiras...

Não conheço o site, deparei-me com ele quando estava a reunir informação sobre o que está actualmente em construção.

Mas a informação tal como está colocada, agradou-me.

...mesmo assim revela construções unitárias de vários tipos de unidades em detrimento de arranjar 3 ou 4 desenhos óptimos e começar construção em número...

Não compreendo que haja assim tantas unidades, pode ser mais específico?

...mas para um navio que começou a ser construído em 2004 com previsão de entrega a 2012 (8 anos) é muito tempo o que revela a ineficiência que tenho referido...

Não concordo que se veja apenas pela perspectiva dos anos. Isso não é representativo de ineficência, isso é representativo de um CONJUNTO de factores, incluindo a alocação de dinheiro para os projectos evoluirem.

Os anos 90 foram o que foram, década passada foi limpar a casa.

Pagar dívidas, identificar o que é prioritário e em que sectores, identificar o que é recuperável e o que não é, como canalizar o dinheiro estando este disponível, etc.

A prioridade para a marinha, como para o resto das forças armadas é manter a estrutura de combate nuclear.

O navio começou em 2004, como muitos dos navios que estão em construção são dos anos 90. Mas, apesar da disparidade de datas de arranque dos projectos, quase todos tem o mesmo intervalo de tempo de entrega, ou seja o periodo de 2010-2015.

Ou seja, foi definida uma estratégia, foi decidido o que se faz e como, e em que datas se quer as coisas prontas DESDE que seja alocado os fundos necessários.

E ter em mente que foi apenas em 2007 que nasceu a United Shipbuilding Corporation (USC) e será esta estrutura a responsável, pelo o arranque deste sector, tal como foi feito para o sector da aviação com a criação da United Aircraft Corporation (UAC) esta em 2006.

Na minha perspectiva que tenho das coisas, tenho como o periodo 2000-2010 o arrumar da casa e o periodo 2010-2020 o da consolidação, do que está planeado. E para isto será preciso MUITO dinheiro, só possível com os lucros vindos da exportação de energia.

...No entanto devo-o advertir que a informação destes foruns é por vezes duvidosa,...

A informação parece-me a mim não ser dada de forma leviana, dados suficientes são fornecidos para permitir a pesquisa de cada um dos projectos indicados e eu verifiquei alguns. E para o que eu queria até está incompleta porque não indica o que está actualmente a ser modernizado e sei que vários submarinos nucleares o estão a ser, como por exemplo os Delta IV.

Nuclear sub launched after modernization

...Five submarines have gone through modernization at the Zvezdochka ship yard, the last two are awaiting their turn...


http://www.barentsobserver.com/nuclear-sub-launched-after-modernization.4528870-58932.html

...Posso-lhe dar um exemplo: é referido várias vezes que o míssil P-800 YAKHONT/ONYX tem 300 milhas de alcance quando o seu alcance verdadeiro é de 300kM (1 milha ~ 1,8 kM) o que revela alguma falta de rigor e põe em causa a credibilidade da informação.

Não concordo.

A preocupação de quem colocou a informação foi o de fornecer informação sobre o que está a ser construido, e deu bastantes dados.

Para o exemplo que dá, ele tem a preocupação de indicar:

...according to open sources...

Para mim existiu algum cuidado para a compilação de toda aquela informação.

Cumprimentos,
PortugueseMan

P.S. E repare só estamos a falar de construção para os militares, onde está a construção de barcos civis? Eles também estão a ser construidos.

kauskas disse...

O leitor anónimo que publica as barbaridades sobre nacionalidade só lhe digo que é um cobarde identifique-se e diga de que bosta de partido é porque com gente assim Portugal não vai a lado nenhum.

Para que não restem duvidas sou militante do PS e tinha duvidas de continuar a ser mas com gente como o anónimo nos outros partidos vou continuar a ser.

Anónimo disse...

kauskas,sou militante do CDS/PP,o unico que luta pelos interesses de Portugal e dos Portugueses.
O Seu partido é o responsável por chamar para cá milhares de imigrantes e depois atribui-lhes o rendimento minimo.

Anónimo disse...

o sujeito que pretende identificar opiniões "subvervivas" a este "regime" para ir bufar ao INGINHEIRO serve de alerta para a realidade doentia que se vive neste país.

Reafirmo que esta traição contra o povo Portugues vai ter consequências muito sérias, a justiça do povo vai-se fazer sentir muito em breve.

O regime cairá quer eles queiram quer não, não em virtude de golpes de estado nem revoluções mas por podridão, quero ver se aqueles que defendem este regime nessa altura darão a cara com tanta coragem como agora.

Nessa altura, essas "experiências sociais" e os actos criminosos que estão a acontecer vão ser julgados pela justiça do povo.

Deixo um apelo aos (verdadeiros)compatriotas para que não permitam que a nação Portuguesa seja destruida honrando o sacrificio e o sangue derramando pelos nossos antepassados, há que não ter medo e lutar até à vitoria final!

saudações,

Anónimo disse...

anónimo 18:17.

concordo consigo,o comentário do tal socialista é a prova de que não existe liberdade de expressão no nosso querido Portugal.

MSantos disse...

Caro PM

Apenas só em corvetas e patrulheiros são vários tipos de uma só unidade.

Quanto ao temp de construção que é o tempo médio para unidades daquele porte, 8 anos é inaceitável. Quando o navio entra ao serviço já provavelmente vai conter sistemas obsoletos.

Os estaleiro de Newport News na Virginia, demoram apenas 3 anos para contruir um super porta-aviões como o Harry Truman ou o Georg H. Bush que além de serem autênticos leviatãs de 101.000 Ton de deslocamento em vazio são dos navios mais complexos que existem.

No caso das milhas não é para concordar ou discordar. É um facto que está lá.

Sobre os navios civis procure-se informar no Barents Observer onde já vi várias notícias de empresas nórdicas que estão a processar os estaleiros de Svemash por incumprimento dos prazos.

Cumpts
Manuel Santos

Anónimo disse...

Já ha censura aqui?
NN

Jest nas Wielu disse...

2 Anónimo 13:50

1. Se o anónimo prefere reconhecer “como os portugueses” os militantes do Al Qaeda é consigo, também lamento. Partidos relevantes estão connosco, isso que importa. 2. Update: Caso for verdade e o companheiro realmente milita no CDS / PP, tenho que o informar, que a liderança do seu partido tem os contactos fortíssimos e permanentes com a comunidade ucraniana. O que acontece, é que falam sobre o assunto “não com quem podem, mas com quem devem”.

2 Msantos

Eu não o levo a mal, não vou pedir nada por uma razão simples, no país onde vivo compro o gás em garrafas em qualquer esquina e não preciso de pedir nada a ninguém. Não deixa de ser curiosa outra coisa: por um lado os russófilos elogiam a “escolha sábia dos ucranianos”, ao mesmo tempo dizem que estes mesmos ucranianos “serão humilhados”. Algo não bate certo. Se proFFessor Yanukovich é tão bom, porque razão ele será humilhado? E essa, heim?

2 Anónimo russo 22:15

Essa é que a beleza de democracia, ao seu ver nada a assinalar, e ao meu ver é lindo, pois os ucranianos ganharam este direito sem intervenção do seu próprio governo, apenas pela postura digna no pais de acolhimento. Para um russo do tipo “homo soviéticus” isso até pode ser incompreensível, pois sem o lobby do Kremlin, pouco ou nada conseguem quer em Portugal (quer no resto do mundo).