sexta-feira, março 26, 2010

Até quando, até quando?


“Não esperem por isso!”, foi assim que Vladimir Putin respondeu quando um telespectador russo lhe perguntou, na última das “conversas com a nação” realizada no ano passado, se ele não estava cansado da política e não tencionava dedicar-se à família.
Putin foi eleito Presidente da Rússia a 26 de Março de 2000, cargo que ocupou até Março de 2008. Em Maio do mês ano, foi nomeado primeiro-ministro, cargo que ocupa até hoje.
Quando da visita de Hillary Clinton a Moscovo, na semana passada, a sua agenda não previa um encontro com o primeiro-ministro russo, Vladimir Putin, mas acabou por acontecer. Além disso, nesse encontro foram discutidas questões da política externa, área que, segundo a Constituição da Rússia, é prerrogativa do Presidente Dmitri Medvedev.
Mais uma vez, Putin deixou claro quem manda no país.
No passado dia 10 de Março, o jornal eletrónico Ejednevnii journal, da oposição liberal, começou a recolher assinaturas de apoio à reinvidicação da demissão de Putin. Em quinze dias, assinaram 17.371 leitores, o que é muito pouco num país com 140 milhões de habitantes.
Vladislav Inozemtsev, economista, director do Centro de Estudos da Sociedade Post-industrial, é um dos assinantes e explica assim a sua posição: “A minha principal crítica a Putin e à sua corte consiste em que eles não mostram para onde deve avançar o país”.
“Encontramo-nos num estado de estagnação séria e não compreendemos como sair dele”, sublinhou.
Glev Pavlovski, dirigente da Fundação de Política Eficaz, considera que “Putin não é apenas uma personalidade, mas um mito estatal do sistema existente”, acrescentando que “se se retirar Putin, dentro de um mês, teremos de humilharmo-nos e fazer vénias perante a burocracia, porque não haverá ninguém com quem falar”.
Quanto ao dueto Medvedev-Putin, Pavlokski, politólogo próximo do primeiro-ministro, sublinha: “não é Medvedev que é incapaz de trabalhar, mas nós, enquanto classe política, não estamos prontos (sem Putin) a trabalhar com o sistema existente”.
As sondagens mostram que a popularidade de Putin continua a ser grande e maior do que a do Presidente russo, o que leva Pavlovski a não prever dificuldades em 2012, ano de eleições parlamentares na Rússia.
“Depois de uma série de dificuldades, de ziguezagues internos, Putin irá trabalhar na consolidação da élite em torno de Medvedev. Trata-se de uma questão facultativa saber que cargo ele irá ocupar”, sublinha.
Alguns analistas consideram que se corre o risco do dueto governar por muitos anos a Rússia.
Segunda a tradição, as anedotas políticas russas são muito certeiras e uma delas diz: Putin e Medvedev conversam numa cervajaria em 2040. O primeiro pergunta ao segundo: “diz-me lá, qual de nós é o presidente e qual o primeiro-ministro?”.

5 comentários:

ALONE HUNTER disse...

Vladimir Putin, atualmente com 57 anos, é o MAIOR ESTADISTA DO PLANETA DESDE A MORTE DE JOSEPH STALIN.

Foi eleito com mais de 60 milhões de votos em 2000, e sua primeira ação foi mudar o Hino Nacional Russo. E na eleição seguinte, conseguiu mais de 87% dos votos. É um estadista nato, seu mandato marcado pela repressão ao terrorismo. Apesar de todas as críticas da Europa Ocidental e USA, Vladimir "Lenin" Putin tem alto índice de aprovação entre toda a população russa, mais de 80%.

As suas atitudes com relação a nacionalização do petróleo, e controle sobre os meios de comunicação foram respaldados pela população, que enxergam neste Csar uma esperança para o futuro de todo o país.

Desde que este "Mago" entrou na presidencia de seu país, a economia russa cresceu como a decolagem de um míssil ISKANDER, chegando á 10% do GDP em 2000.

As potencias da Europa Ocidental, pelo rabo preso que sempre tiveram com a Rùssia, sob o risco de serem aniquiladas em menos de 1 hora, pouco e nada tem para contestar a supremacia do reinado de Putin.

Anónimo disse...

E se for até sempre? Ó Milhazes, e se o homem não morre?É bem capaz de ter descoberto o segredo da imortalidade e pronto, agora não envelhece nem adoece mais. imagine lá. Em 2040 ainda estará no berço.

Anónimo disse...

O Alone Hunter é um óptimo humorista. Está a alegrar o blogue com boas irónias! :)

Anónimo disse...

Só uma perguntinha ao alone hunter, que se deve achar um grande predador: o Ocidente seria aniquilado em menos de uma hora e não acontecia nada à Rússia? Olhe que essa nem no auge da URSS se ouvia.Mas nunca se sabe. Pode ser que o Mago tenha trato com os Ets. Bem, aí estamos lixados.De caminho, vou rezando à Senhora de Fátima. Mais vale prevenir...

Filipe disse...

Alone Hunter: A Rússia que tente aniquilar a França e a Inglaterra em "menos de uma hora". Ainda os mísseis não tinham chegado a Paris e a Londres e já os submarinos nucleares franceses e britânicos tinham disparado para arrasar Moscovo e São Petersburgo...