quinta-feira, março 18, 2010

Presidente Medvedev considera inadmissível limitar o acesso do seu país ao Ártico



O Presidente russo, Dmitri Medvedev, considerou hoje “inadmissíveis” as tentativas de outros países polares de restingir o acesso da Rússia à exploração de jazigos no Ártico.
“Outros países polares procuram já ampliar a sua presença científica, económica e até militar na zona do Ártico e limitar o acesso da Rússia ao desenvolvimento dos jazigos árticos, o que, obviamente, é inadmissível no plano legal e injusto do ponto de vista da história e da posição geográfica”, sublinhou Medvedev ao intervir numa reunião do Conselho de Segurança da Rússia dedicada às ameaças provenientes do aquecimento global.
O dirigente russo acrescentou que as alterações climatéricas, além das suas repercussões no meio ambiente, poderá originar controvérsias internacionais relacionadas com a prospeção e a produção de recursos energéticos, o uso de vias marítimas ou a escassez de água e alimentos.
Segundo algumas estimativas, o Ártico encerra cerca de 25 por cento das reservas globais de hidrocarbonetos. A região adquire particular importância para o mundo porque o aquecimento do clima é aí duas vezes mais rápido do que noutras regiões.
As disputas em torno do Ártico acentuaram-se nos últimos três anos, depois de batiscafos russos MIR terem realizado, em 2007, uma imersão no Pólo Norte, recolhido mostras de solo e da fauna marítima e colocado no fundo uma bandeira russa. O objectivo dessa expedição foi mostrar que as cordilheiras submarinas Lomonossov e Mendeleiev são uma extensão natural da plataforma continental da Sibéria. Essas provas permitem à Rússia reivindicar na ONU o direito de alargar a zona económica exclusiva até 350 milhas da costa.
No próximo mês de Abril, realiza-se em Moscovo a conferência “Ártico, território do diálogo”, em que participarão cientistas, diplomatas, deputados, empresários e politólogos da Rússia, Canadá, Estados Unidos, Dinamarca, Finlândia, Noruega e Suécia, bem como representantes dos povos aborígenes do Ártico.

7 comentários:

PortugueseMan disse...

O Ártico além do enorme potencial energético, tem um enorme potencial para "brincadeiras" militares.

Esta zona só irá piorar à medida que as necessidades energéticas forem aumentando.

Um problema à espreita para daqui a uns anos.

Jest nas Wielu disse...

Os povos aborígenes da Rússia terão uma palavra importante a dizer, pois desde as guerras sangrentas entre o império russo com os chukchi, eles beneficiaram pouquíssimo das riquezas extraídas (em redor) das suas terras.
http://en.wikipedia.org/wiki/
Chukchi_people
http://wikimapia.org/7161511/
Location-Anadyr-fortress-1652-1771
http://caliber.ucpress.net/doi/abs/
10.1525/phr.2008.77.1.49?cookieSet=1&journalCode=phr

Pippo disse...

O que é triste é que, no que deveria ser considerado um Santuário, as Potências andam a brincar à Guerra Fria (a escolha ironica das palavras é propositada).

ALONE HUNTER disse...

E a Força-Aérea Russa está vindo com tudo para os próximos anos!!! O Ministério da Defesa Russo planeja modernizar sua frota inteira. O Ministério quer, ao menos, mais de 1.500 aeronaves, incluindo 350 novos aviões de combate.

Recentemente o Ministério da Defesa russo assinou contratos para a aquisição de 32 SU-34 FULLBACK e começarão á ser entregues já em 2013. E também foi definido a aquisição, neste mesmo contrato, de 48 SU-BM para 2015, 12 SU-27SM Flanker Block 1 para 2011, 4 SU-30 MK para 2011 e mais 12 novos SU-25UBM FROGFOOT's.

E não acaba por aí. Pois foi divulgado que o Ministério da Defesa Russo planeja assinar ainda este ano um contrato para a aquisição de 26 MIG-29K versão navalizada para 2015. E contratos adicionais para a aquisição de ao menos 80 SU-34's e 24 á 48 SU-35 são esperados. Ao todo, a Força-Aérea Russa está para receber 260 aviões de combate novos destes tipos relacionados.

Para 2020, a Força-Aérea Russa irá ter aproximadamente modernizados 100 caças SU-27SM2, aproximadamente 80 MIG-31BM FOXHOUND ( eu amo este avião!) e aproximadamente 100 MIG-29 FULCRUM

E junto com isso, terá também 30 MIG-35 SNIPER FULCRUM's, 16 SU-30 para treinamentos, e de 40 á 60 PAK-FA!!!

A Força-Aérea russa ainda irá operar 150 SU-25 de ataque ao solo modernizados e provavelmente uns 60 SU-24 FENCER modernizados ( eu odeio esse avião! ). O alcance dos bombardeiros estratégicos permanecerá o mesmo, pelo menos até 2030.

A Força-Aérea Russa irá continuar á operar seus 17 TU-160, porém com a incorporação de 1 aeronave deste tipo por ano, até 2025, o que totalizará 32 bombardeiros. E irá operar ainda por muito tempo os seus 64 TU-95 BEAR e os seus 70 TU-22M BACKFIRE ( Estes aviões teriam que ser retirados em favor de mais BLACKJACK's ). Todos eles serão modernizados!

Alguem pode ainda tem coragem de duvidar da capacidade de um país que possui 170 bombardeiros estratégicos na linha de voô???

ALONE HUNTER disse...

A Rùssia não pode voltar atrás um centímetro de suas pretenções para o Ártico!

Concordo que o Canadá, Dinamarca e a Noruega tenham direito de reinvidicar o seu espaço nessa Matriz Energética. Mas Suécia, Finlandia e Estados Unidos? Desde quando estes 3 países tem direito de explorar os recursos no Ártico?

Provem-me o direito destes 3 países de reinvindicar qualquer tipo de soberania sobre o Ártico... Estes países nem tem litoral no Mar do Norte!!! Isso é ganância e qualquer acordo sobre o direito de exploração no Ártico terá que ser feito apenas pela Noruega, Canadá, Rússia e Dinamarca!

Estes países tem Zonas Marítimas Exclusivas no Mar do Norte, seus litorais apontam para o Ártico, e estes sim, tem o direito de explorar todos os recursos energéticos.

E mesmo assim, se for analizar,os países que possuem as maiores cotas são a Rússia, Noruega e o Canadá. A Dinamarca já está lá, mas na Groelandia, então que explore seu próprio território!

Mas a questão é o Canadá! O Canadá só existe como país nos ATLAS, porque sempre foi, é e será uma província americana. O Canadá não possui vida própria, é o maior parceiro dos americanos e totalmente dependente dos interesses americanos. O Canadá é território americano!Não existe como nação.

Com relação á Noruega, bem, não existe qualquer possibilidade de acordo entre eles e os russos, pois a Noruega é da Organização NATO. Um país sem nenhuma expressão no contexto geoestratégico mundial, só aparece nos noticiários quando os seus F-16 interceptam os bombardeiros russos TU-95 BEAR. A Rùssia pode acabar com isso, com uma paulada apenas, já que o território noruegues está ao alcance de qualquer míssil ISKANDER!

A Suécia não se vangloria tanto de sua política de ser não alinhado? Então que vá procurar petróleo no Mar Báltico, sua única porta de saída!!!

Com relação á Finlandia, bem, talvez é o mais fraco de todos. O que é a Finlandia? Qual a importancia da Finlandia para o mundo? Talvez Portugal é mais importante do que a Finlandia. Um pais pífio, sem expressão, sem personalidade cultural... A Finlandia, na realidade era pra ser território russo!

Agora o pior de tudo é ter que suportar os Estados Unidos mais uma vez reinvidicar o seu direito onde não é o seu quintal. O mundo não pode mais aturar este tipo de coisa! Destruiram o Oriente Médio, e agora estão desesperadamente procurando outro problema para justificar os seus gastos militares.

Se os Estados Unidos tiverem direito de explorar o Ártico, então o Brasil, a Índia, a Austrália, Bangladesh também tem!!!

E a ONU? Para que serve a ONU?

Jest nas Wielu disse...

2 Alone Hunter

/Se os Estados Unidos tiverem direito de explorar o Ártico, então o Brasil, a Índia, a Austrália, Bangladesh também tem/

Alone, porque não tentas sozinho abrir um átlas geográfico para verificares que Brasil, Índia, Austrália e Bangladesh não têm a fronteira com o Árctico e os EUA tem uma?...

Jorge Almeida disse...

Portuguese Man,

esta corrida aos recursos naturais do Ártico já é um problema hoje em dia.

Jest,

é sempre assim, né? Os grandes chupam tudo.

Alone,

não foi o "país pífio" Finlândia que derrotou o "glorioso" Exército Vermelho na "Grande Guerra Pátria" (melhor conhecida como 2ª Guerra Mundial)?
E que tareia que os soviéticos levaram. Tiveram sorte dos finlandeses não aproveitarem a embalagem, e irem libertar os estados bálticos ...

Se a Finlândia é um "país pífio", o que terá sido a antiga URSS?

Concordo que a Finlândia e a Suécia têm tanto direito a entrar na corrida como Portugal, Brasil, Índia, etc ... O critério estabelecido foi provar que a placa continental do território de cada país se estenderia pelo alto mar, sem quebras, e até onde. Se a Finlândia e a Suécia não têm costa no Árctico, não estou a ver como é que podem entrar na corrida.

O Canadá como província americana. Só mesmo para rir.

Míssil na Noruega!?! Passo seguinte: Kremlin destruído com misseis nucleares. Tem duvidas? O que é que está escrito no Tratado de Defesa do Atlântico Norte? Se um dos signatários é atacado por país 3º, o que é que acontece? O seu adorado Putin teria sido queimado.

Os Estados Unidos têm tanto direito quanto a Rússia de entrar na corrida.
Por acaso, o Alasca não tem costa marítima com o Árctico?
Se você os quer de fora, que os russos não tivessem vendido o Alasca aos americanos! Acredito que estejam arrependidos, mas azar!

Para que serve a ONU? Serviu, sempre, para defender os interesses dos grandes, incluindo os do regime do seu adorado Putin. Não é assim? Não foi sempre assim?