quarta-feira, maio 05, 2010

Igreja Ortodoxa Russa continua a olhar com desconfiança para Aparições na Cova da Iria


A Igreja Ortodoxa Russa continua a olhar com ceticismo para o fenómeno de Fátima, mas o culto da Virgem Maria tem alguma expressão em algumas crenças menores ou igrejas ortodoxas dissidentes.
O anterior Patriarca de Moscovo e de Toda a Rússia, Alexis II, dizia ser-lhe “difícil” fazer um juízo do fenómeno da Cova da Iria.
“Prestamos atenção a tudo o que no Ocidente se disse e se diz sobre a Rússia, tanto mais no contexto da fé cristã. No entanto, é necessário assinalar que muitas das realidades da vida espiritual dos cristãos ocidentais são apenas parte da sua experiência, diferente da tradição ortodoxa”, declarou o patriarca numa entrevista a um jornal italiano.
A conversão da Rússia foi um dos temas principais das Aparições marianas da Cova da Iria, que ocorreram no mesmo ano da revolução comunista que depois o regime czarista.
O atual patriarca russo, Kirill I, tem uma opinião ainda mais vincada: “as revelações de Fátima não se enquadram na linha da tradição ortodoxa. Pode significar o renascimento espiritual, mas não a conversão da Rússia”.
É precisamente a interpretação do conceito de “conversão” da Rússia que provoca receios entre os ortodoxos russos. Alguns importantes clérigos ortodoxos consideram que o Vaticano interpreta esse conceito como a conversão da Rússia ao catolicismo e como o reconhecimento da supremacia do Papa de Roma.
Porém, há dissidências na Igreja Ortodoxa Russa e seitas ortodoxas que aceitam o fenómeno das aparições e seguem o culto de Fátima, cidade que é visitada este mês por Bento XVI.
A auto-intitulada Verdadeira Igreja Ortodoxa defende que “Fátima, a Mãe de Deus, que apareceu às três crianças portuguesas, revelou que se a Rússia não voltar a Deus, o mundo perecerá e apelou aos povos a rezarem” pelo povo russo.
O culto de Fátima deu mesmo origem ao aparecimento, nos anos 90 do séc. XX, da Igreja Ortodoxa da Rainha Mãe de Deus. Considerada pelas autoridades russas como uma seita, essa igreja caracteriza-se por uma mistura eclética dos cultos católico, ortodoxo e evangélico.
No entanto, a figura central nas celebrações é uma imagem de Nossa Senhora de Fátima, que foi trazida da Cova da Iria para Moscovo em 1992, logo após a queda do comunismo na URSS.

10 comentários:

Jorge Almeida disse...

Qual é o problema, para os Ortodoxos Russos, do Papa visitar a Rússia?

Têm medo do Joe Ratzinger?

Têm medo que ele hipnotize todos os Russos, e faça-os converter à Igreja Católica?

Anónimo disse...

Seria muito interessante uma Rússia católica.

a.tavares.almeida disse...

"Seria muito interessante uma Rússia católica."


Seria muito interessante uma Rússia unida ao catolicismo novamente, unida ao ocidente, como o foi até o século XI.


Mas isso um dia acontecerá novamente!

Irmandade dos Videntes disse...

Se calhar só Fátima poderá explicar por que anda Putin sempre a coçar o interior da mão esquerda. Será código, culto ou dermatose?

Pippo disse...

A Ortodoxia já andava de candeias às avesas com o Catolicismo, mesmo antes do Cisma de 1054. Não me parece que a Rússia estivesse mais ligada ao Ocidente do que Constantinopla.

A ICAR é uma instituição rígida, que dá mais importância à obediência aos superiores hierárquicos do que a obediência à Palavra;

E quase desde o seu início que a ICAR pretende deter o poder espiritual (e temporal), total e universal, sobre todas as Igrejas.

Foi isto que espoletou, mais do que as diferenças doutrinárias, os conflitos com as Igreja Ortodoxa e posteriormente com os pensadores reformistas, com as consequências que se sabe.

Servant disse...

Nós não vemos os santos patriarcas da Igreja fundada por Jesus Cristo e Seus santos apóstolos "pescando no aquário" da Igreja Romana.
Primeiramente Roma precisa se converter de suas heresias, tais como Maria concebida sem pecado original, infalibilidade papal, purgatório, entre outros, para depois "evangelizar" os não "evangelizados" da Rússia. Rússia tem a Igreja e gostaria muito que o Papa cuidade de seu rebanho (que anda cada vez mais afastado de sua voz!)
Riqueza e poder não podem ofuscar o brilho da verdadeira Igreja de Jesus Cristo e que mantém há dois mil anos ininterruptos a verdadeira apostolicidade da Igreja.
Deus abençôe os portugueses e vos esclareça na verdade!!!

abreu_gemini@hotmail,com disse...

Nós não vemos os santos patriarcas da Igreja fundada por Jesus Cristo e Seus santos apóstolos "pescando no aquário" da Igreja Romana.
Primeiramente Roma precisa se converter de suas heresias, tais como Maria concebida sem pecado original, infalibilidade papal, purgatório, entre outros, para depois "evangelizar" os não "evangelizados" da Rússia. Rússia tem a Igreja e gostaria muito que o Papa cuidade de seu rebanho (que anda cada vez mais afastado de sua voz!)
Riqueza e poder não podem ofuscar o brilho da verdadeira Igreja de Jesus Cristo e que mantém há dois mil anos ininterruptos a verdadeira apostolicidade da Igreja.
Deus abençôe os portugueses e vos esclareça na verdade!!!

Anónimo disse...

tiestox Definitivamente vou recomendar aos meus amigos free iPhone 5
tiestox 4593

Yulia Santoro disse...

Acho que deveria estar como estar, a Rússia sendo Ortodoxa, cada um segue os seus ensinamentos, minha familia é mistura, uns catolicos outros ortodoxos, eu mesma sou ortodoxa, e meus pais e irmãos catolicos, e nós vivemos numa boa... só acho que devemos aceitar as crenças dos outros...

Yulia Santoro disse...

Acho dificil a Rússia se unir ao ocidente, obviamente a religião catolica se dividiu em duas por causa, do mal intendimento que havia... virando Catolica romana e a Ortodoxa... certo que os regimes ortodoxos são muito diferente, principalmente por seguimos o calendario juliano, más ainda sim acho que a ortodoxa, segue mais a palavra que Jesus ensinou, não estou criticando a catolica, até então porque minha familia metade catolica e a outra ortodoxa, más fazer o que? só acho que deveria ter união, não necessariamente sumir com a religião ortodoxa, fazendo com que todos virem catolicos...