quarta-feira, maio 05, 2010

URSS perdeu mais de 26 milhões de pessoas na segunda guerra mundial


A União Soviética perdeu um total de 26,6 milhões de militares e civis na segunda guerra mundial (1941-1945), revelou o general Alexandre Kirilin, chefe do Departamento do Ministério da Defesa da Rússia para a Eternização da Memória dos Defensores da Pátria.
Segundo ele, o número de militares mortos, que faleceram em combate, devido a ferimentos ou na prisão, é de 8 668 400. O Exército e a Marinha da URSS perderam 8 509 300 soldados, marinheiros e oficiais; as tropas fronteiras do Comité de Segurança do Estado (KGB) - perderam 614 mil agentes e as tropas do Ministério do Interior, 97 700 polícias.
As restantes vítimas foram civis.
O general revelou também que, no início da guerra, o Exército Vermelho era composto por 4 milhões e 826 soldados. Durante o conflito, foram mobilizados 29,5 milhões.
“Em Julho de 1945, as Forças Armadas eram constituídas por 11, 39 milhões de pessoas e mais de um milhão estavam internadas em hospitais”, acrescentou Kirilin.
“O Ministério da Defesa considerou possível confirmar e publicar oficialmente os citados dados sobre as perdas entre as Forças Armadas e a população civil da URSS durante a Grande Guerra Pátria (como é conhecida a segunda guerra mundial na Rússia)”, frisou.
No que respeita à correlação de perdas humanas das Forças Armadas da URSS e da Alemanha nazi, ela é de 1,3:1.
“A Alemanha perdeu cerca de seis milhões de homens e os seus aliados, 806 mil”, concluiu.
Esta é a primeira vez que as autoridades russas revelam números precisos sobre as perdas humanas na segunda guerra mundial. Na era comunista, as autoridades falavam em “mais de 20 milhões de vítimas”, mas sem precisar o números.

13 comentários:

Anónimo disse...

sempre o mesmo problema,

A alemanha teve cerca de

2,3 Mortos em combate
0,4 Mortos por ferimentos
0,4 Mortos em campos de prisioneirs
2,0 N/documentados e desaparecidos

terão sido no máximo 5 milhões, destes entre 70-80% baixas causadas pelos soviéticos.

3,5-4 milhões

o verdadeiro rácio de baixas entre soviéticos e alemães foi no minimo 2, mas o numero real será mais próximo de 3 a favor dos alemães.

e a esmagadora maioria as baixas alemães foi entre outubro,44 até ao final da guerra.

A vitória soviética foi vergonhosa e teve um custo impensável, os povos da URSS sacrificaram-se para salvr um regime de psicopatas assassinos que os oprimia, ironico.

bruno.

a.tavares.almeida disse...

Rússia exibe entrevista censurada de herói da Segunda Guerra


A Rússia exibiu nesta quarta-feira pela primeira vez uma entrevista na TV do marechal Gueorgi Jukov, que foi proibida na época da União Soviética e na qual ele afirma que a URSS esteve muito próxima de ser derrotada pelos nazistas durante a Segunda Guerra Mundial.

O documento, gravado em 1966, foi exibido a poucos dias do grande desfile militar de 9 de maio, em Moscou, para celebrar o 65º aniversário da vitória dos aliados sobre as tropas de Adolf Hitler, para o qual são esperados muitos chefes de estado e de governo.

Na entrevista, emitida pelo canal Pervyi Kanal, o marechal Jukov (1896-1974) declara que os generais soviéticos não tinham muita certeza de que o Exército Vermelho conseguiria impedir a Wehrmacht de ultrapassar a linha de defesa de Mojaisk (110 km ao oeste de Moscou) e chegar à capital.

"Se os comandantes confiavam que poderíamos manter esta linha de defesa e dener o inimigo? Devo dizer francamente que não estávamos de todo seguros", admitiu Jukov.

"Teria sido possível conter as unidades iniciais do inimigo, mas se tivessem enviado rapidamente suas principais forças, teria sido difícil detê-los", confessou o militar ao jornalista e escritor russo Konstantin Simonov.

O marechal Jukov, que comandou a defesa de Moscou, contou como o líder da União Soviética da época, Joseph Stalin, o convocou à capital em outubro de 1941 para transmitir suas preocupações.

"Stalin estava gripado, mas trabalhava. Mostrou o mapa da frente e disse 'olhe a situação na frente oeste. Não consigo receber a mínima informação sobre o que acontece lá no momento'", recordou.

Ao chegar à frente, Jukov percebeu que a defesa era "muito insuficiente". "Era uma situação extremamente perigosa. Nossas tropas na linha de defesa Mojaisk não poderiam ter detido o inimigo se ele se movimentasse para Moscou".

"Mas a Wehrmacht se superestimou e subestimou as tropas soviéticas", comentou Jukov, ao lembrar das rigorosas condições meteorológicas da Rússia - o frio e a lama - e do papel determinante que tiveram na derrota da Alemanha nazista.

O marechal participou no ataque final sobre a Alemanha em 1945. Após a morte de Stalin em 1953, que o afastou do comando por considerá-lo muito popular, Jukov foi ministro da Defesa.

As autoridades soviéticas haviam ordenado a destruição do filme com a entrevista de Simonov, mas um trecho foi mantido nos arquivos.

Zuruspa disse...

Irónico mesmo, né? Ou talvez näo! Os nazis foram recebidos em festa na Ucränia como libertadores, mas logo uns meses depois, quando começaram a ser deportados e utilizados como escravos, perceberam que afinal os nazis eram ainda piores.

Do mal o menos!

Quanto à entrevista a Zhukov, näo é novidade nenhuma, só eventualmente na Rússia. O Estaline fez o favor ao Hitler de matar a elite do Exército Vermelho, mas depois o povo soviético (o verdadeiro herói) sacrificou-se para que näo estivéssemos todos aqui a falar alemäo. Espera... para que estejamos aqui VIVOS, porque de outro modo os nazis já tinham limpado a Europa de näo-arianos!!!

anónimo russo disse...

Não sei se os números que esse irónico aqui apresentou correspondem muito à realidade, não domino muito bem o tema, mas o que é certo é que a sua "ironia" não é muito inteligente.

Quanto a entrevista de Jukov, dizem que não era nenhum segredo desde o fim da época sovietica, mas, talvez, na televisão tenha sido apresentada inteiramente pela primeira vez.

Quanto às baixas do exercito vermelho, agora me recordo que tinha lido há alguns anos uns dados que correspondem mais aos do Ministério de Defesa.

Para alguns não muito inteligentes devo dizer, que entre aqueles que combateram no exército sovietico havia muitos quem odeava Estaline, mas combatia pela sua terra. Até um dos meus antepassados passou a guerra no shtrafbat só por ter descendéncia "não-proletária". Fui pequeno demais quando ele morreu mas duvido que combatria pelo Estaline.

anónimo russo disse...

P.S.

Se esse perito irónico não sabe o que é "shtrafbat" (штрафбат) que procure, não sei se há muita informação sobre isso na internet não-russa. Mas neste caso (se não sabe do que se trata), nem pode ousar de se chamar de "perito".

Pippo disse...

Penso que há bastantes informações sobre esse tipo de batalhões "disciplinares" ("disciplinares" mas num sentido muito diferente - ideológico - dos batalhões disciplinares que havia nos restantes exércitos).

Anónimo disse...

anónimo russo, começo a acreditar nas pessoas que o acusam de ser surealista nos comentários.

Os dados qu apresentei sobre o número de baixas do exercito alemão são os mais fidedignos e a fonte é o ministério da defesa alemão.

não brinque comigo, daqui a nada vai começar a dizer que as estatisticas soviéticas tinham alguma credebilidade...

aqui ninguem coloca em causa que os povos da URSS, sobretudo os russos se bateram com bravura, o que sucede, é que o custo dessa "vitoria" significou uma catastrofre demografica da qual a russia nunca mais recuperou.

só para que saiba, os homens nascidos em 1920 na URSS foram exterminados a 80% na guerra.

fonte:Piramide demografica da rússia e ONU.

Não há razões para festejar uma vitória de uma guerra onde morreu e que divide os europeus.

o bebado do boris entendeu isso e acabou com esse ritual estupido e nada há mais patético do que ver o chanceler alemão presente em moscovo no dia da vitória(ironico percebeu a ironia anónimo russo).

os russos lutaram porque não tinham outra opção e não porque tinham um ideal ou objectivo, como aqui alguem disse e bem, o regime era tão podre e horrivel que no periodo inicial da guerra os nazis foram recebidos como libertadores.

bruno

Anónimo disse...

"os russos lutaram porque não tinham outra opção e não porque tinham um ideal ou objectivo, como aqui alguem disse e bem, o regime era tão podre e horrivel que no periodo inicial da guerra os nazis foram recebidos como libertadores."


PRFEITO.


NÃO PODERIA TER DITO MELHOR.

Jest nas Wielu disse...

2 Zuruspa

Quem em várias ocasiões era bem recebido quer a Rússia, quer em Belarus, quer na Ucrânia, era o exército regular alemão. E porque?

1. Era gente bastante razoável, os soldados e oficiais várias vezes tratavam as populações locais melhor do que o exército vermelho.
2. Os kolkhozes eram prescritos e os aldeões puderam outra vez se sentir proprietários da sua própria terra e do seu próprio labor.
3. Enquanto as autoridades soviéticas exigiam a queima de cereais / abate de animais / destruição de infra-estruturas (a doutrina do Stalin conhecida como “terra queimada”; o exército alemão permitia que as populações distribuam estes bens “kolkhozinaos” entre si.

As deportações / execuções eram feitas pelas SS, zonder commandos, mas é uma outra história.

安田記念 disse...

第60回 安田記念 2010 予想 オッズ 出走馬 枠順で万馬券をズバリ的中!絶対なるデータが確実に当てるための秘訣

出会い disse...

一流セレブたちが出会いを求めて集まっています。彼女たちからの逆援助でリッチな生活を楽しみましょう

神待ち disse...

訳アリで家出した少女が神様の救いを待つ神待ち掲示板です!家に帰りたくない、帰れない少女達に愛の手を差し伸べてあげませんか

Anónimo disse...

Meu amigo se você é antirusso problema ideologico seu..agora a Rússia tem e deve comemorar a vitoria sim amigo tendencioso..tenho minhas dúvidas sobre a veracidade do seu texto