segunda-feira, maio 10, 2010

Oposição ucraniana cria Comité Popular de Defesa contra política presidencial

A oposição ucraniana ao Presidente Victor Ianukovitch criou hoje o Comité Popular de Defesa da Ucrânia, que integra sete partidos representados na Rada Suprema (parlamento), além de outras forças políticas e sociais.
Na cerimónia de assinatura da ata constituinte, os participantes, que representam um amplo leque da opinião pública ucraniana, consideraram que é preciso defender o país da política de Ianukovitch com vista à aproximação da Rússia e que pode levar à perda da independência do país.
"O nosso objetivo é a defesa da integridade territorial e da soberania da Ucrânia, a defesa das liberdades e da dignidade dos cidadãos, a luta pela opção euro-atlântica da Ucrânia", afirmou o conhecido escritor ucraniano, Dmitri Pavlitchko.
Entre os dirigentes dos sete partidos parlamentares estava Iúlia Tinochenko, antiga primeira ministra ucraniana e candidata presidencial derrotada.
"A nossa força política disse, de forma precisa e clara, que estamos prontos a unir-nos sob qualquer formato: sem líderes, com líderes, mas com todos os que se preocupam com a Ucrânia. Não precisamos de mais consultas no seio da nossa força política", declarou Timochenko.
O antigo presidente ucraniano Victor Iuschenko não esteve presente na cerimónia de assinatura da ata, mas o seu partido "Nossa Ucrânia" aderiu à iniciativa.

26 comentários:

Pippo disse...

Há notícias sobre o acidente numa mina russa na Sibéria?
Parece que uns 80 mineiros e membros das equipas de resgate estão presos devido a explosões de metano.
Infelizmente, por esse mundo fora, morrem anualmente milhares de trabalhadores envolvidos na actividade de mineração.

Jose Milhazes disse...

Caro Pippo, 32 mortos confirmados, 72 feridos e 58 desaparecidos, com poucas possibilidades de salvamento pois a mina tem 370 quilómetros de tunéis e o trabalho dos socorristas é dificultado pelo fumo e gás na mina.

Jest nas Wielu disse...

Qualquer um que tem a coragem de desafiar o nosso Yanuk(ovich), ex-presidiário duas vezes “não condenado” merece todo o meu apoio e admiração.

Anónimo disse...

Oposição caceteira

Pippo disse...

370km??? Coitados, acho que estão mesmo lixados... Mas sempre há milagres!

Anónimo disse...

Força Ucrânia!!!!

Jorge Almeida disse...

Doutor Milhazes,

que fim de semana este aqui no blogue!

Estive sem internet no fim de semana, daí não ter comentado nada até agora.

Chegou a parecer um fórum dos mais concorridos.

Quanto à mensagem em apreço, acho sempre mal quando se reúne uma frente política anti qualquer coisa.

O grande objectivo deles é derrubar Ianukovitch e o seu governo.

Se, por acaso, conseguissem derrubar Ianukovitch, o que é que fariam com o poder? Dividir-se-iam, quem ficasse de fora do poder iria juntar-se a Ianukovitch, fariam guerrilha política como sempre fizeram, etc ...

Melhor fariam eles em apresentar medidas alternativas credíveis à governação de Ianukovitch.

Mais uma vez digo e repito: Coitada da Ucrânia e dos ucranianos a serem governados por líderes políticos deste calibre.

anónimo russo disse...

Mal acabaram as eleições onde a maioria escolheu Ianukovich, logo se formam esses grupos com o fim de "salvar o país". Eles querem é salvar as suas partes de tras (ou como se diz), isso sim, especialmete essa mulher de tranças:) E essas frases da "integração euro-atlantica" seria interessante saber se aínda comovem a alguem na Europa. Eu acho que comovem cada vez menos.

Mas acabo de ler que já chamam os seus apoiantes para se unirem amanhã mesmo para uma manifestação de protesto. A essa gente parece que não lhes preocupa o destino do país (ou alguns deles não entendem, mas duvido disto). Numa altura da crise económica profunda parece que estão de novo prontos a rasgar o seu país em pedaços, perseguindo os seus fins políticos (pessoais, no fundo). Mas se a gente de lá gosta, que se divirtam. Para mim pessoalmente, no fundo, tanto faz. A palhaçada continua!

Marcelo Łukaczewski disse...

Em Eleições Recentíssimas a população da Ucrânia deu um recado expresso em favor da Rússia e de todo o legado histórico que une esse povos irmãos. O que se vê nessa matéria são miados de derrotados.
Marcelo Łukaczewski

Anónimo disse...

Sr. Milhazes,

Na Ucrânia vêm sempre à tona a forte influência religiosa/polaca e a religiosa/russa. O país tende, cada vez mais, a ficar fraccionado.

Quanto ao desastre nas minas. Infelizmente, os acidentes ocorrem com demasiada frequência. Desconheço que minério(s) eram extraídos das minas, mas seja ele(s) qual(ais) for(em), a actividade mineira é das mais perigosas e inseguras da humanidade. Há dias ocorreu um na China.

João Moreira

ALONE HUNTER disse...

OS CANALHAS DA UCRANIA, QUEREM A DESTRUIÇÃO DO PAÍS!!!

VENDIDOS PARA A NSA!

Keep the loonies at bay disse...

Tenham é cuidado de não se meterem num avião de visita como os polacos, que podem ter algum acidente. Já pensaram porque nem o Sarkozy nem o "amigo" Berlusconi nem o Brown nem o Obama foram à Parada da Vitória? Convites do Kremlin é como presentes de grego a troiano. Pois!

Jest nas Wielu disse...

Quando a Revolução Laranja triunfou em 2004-2005, ninguém negou o direito aos moços de Donetsk de formar a “oposição”, de bloquear o parlamento, de trazer o seu próprio pessoal à Kyiv, etc., muito pelo contrário, o novo poder foi muitíssimo brando com eles.

Sobre apoio “expressivo” ao ex-presidiário presidente minoritário: ele recebeu o voto dos 48,95% dos 69,15% eleitores que votaram, o que significa que tem apenas 33,84% de apoio da sociedade (http://www.pravda.com.ua/articles/2010/02/7/4730368)

Vamos estudar a questão material, antes de emitir qualquer opinião infundada!

p.s.
Caçador Solitário, NSA significa o que exactamente?

PortugueseMan disse...

Jest,

NSA quer dizer National Security Agency.

PortugueseMan disse...

A Oposição tem razão em fazer barulho a meu ver.

Numa perspectiva do interesse nacional, a Ucrânia vai ter que vender sectores estratégicos à Rússia, para compensar este brutal subsídio feito pela Rússia.

É mau para a Ucrânia sem dúvida. Mas actualmente a situação ucraniana já é má.

E vai piorar. A oposição fará o barulho que quiser enquanto oposição, mas se isto der uma volta e a oposição voltar aos comandos do país, terá que manter o gás subsidiado o que impedirá de anular seja o que fôr.

E o futuro da Ucrânia a meu ver não é nada famoso. É um país dividido e que vai deixar de ser essencial para o transporte de energia para a Europa.

O que a Ucrânia precisa é de dinheiro e a Europa tem problemas que chegue internamente para pensar em socorrer quem quer que seja fora da sua esfera e principalmente países da dimensão da Ucrânia.

Quanto mais penso nisto, mais equaciono que a Ucrãnia vai a caminho da sua desintegração.

O que está ainda a segurar a Ucrânia é o gás subsidiado e o facto de enquanto não existir alternativas para escoar a energia para a Europa, ninguém quer problemas e tudo se fará para que as coisas não piorem.

Mas depois...

Gilberto Mucio disse...

Só gente fina nessa oposição...(risos)

Jorge Almeida disse...

A meu ver, a situação da Ucrânia não está para brincadeiras.

Esta gente está a pensar mais em si que na Ucrânia.

Mal ou bem, com muitos ou poucos votos, o presidente da Ucrânia é Yanukovich.

Deixem governar o homem. Ele até já deu sinais de querer fazer a ponte entre a Rússia e a UE. É esse o lugar da Ucrânia.

Só com estabilidade política é que pode haver desenvolvimento económico. Sem desenvolvimento económico, o país torna-se instável. Ora, ninguém com bom senso vai querer um país da dimensão da Ucrânia em estado instável.

No entanto, estes elementos, que acabaram de ser derrotados nas urnas, nem deixam que o homem aqueça o lugar, nem deixam que se perceba quais são os efeitos das medidas que está a tomar, e já estão a conspirar para derrubá-lo, contribuindo, assim, para tornar o país mais instável ainda.

Será que querem dividir a Ucrânia? Com que propósito? Que benefício essa divisão traria para o povo ucraniano? Aliás, nem sei se haveria benefícios para eles mesmos, pois a metade ocidental da Ucrânia teria de ser absorvida pela Polónia para sobreviver, o mesmo acontecendo com a metade oriental a ser absorvida pela Rússia.

Se a ideia não é combater Yanukovich para ter o poder pelo poder, porque é que não anunciaram uma única crítica construtiva à governação de Yanukovich?

Estes tipos parecem a classe política portuguesa no final da monarquia e na 1ª república! Só golpes de estado, golpes palacianos, governos a durar menos de 6 meses, a pensar mais neles que na população!

Jest nas Wielu disse...

2 Gilberto Múcio

Gostei dessa: “deixem trabalhar o homem!” Mas a democracia não é isso, em 2005 os ucranianos começaram severamente criticar Viktor Yushchenko menos de 100 dias após a sua inaguração presidencial. Agora é a vez de Yanuk(ovich). Ninguém é intocável, não somos a Rússia (ainda não somos).

Anónimo disse...

Exacto! AINDA não são. Mas irão voltar a ser, eheheh!

Jest nas Wielu disse...

2 Anónimo 22:36

Ai que se engana, nunca seremos a Rússia, ou a Ucrânia conseguirá a aguentar a sua (nossa) Independência, ou voltaremos a fazer parte do império russo. Eis a pequena grande diferença.

ALONE HUNTER disse...

Essa corja de bandidos que governou a Ucrania nos últimos 5 anos tem que ser julgados no Tribunal de HAIA pela responsabilidade de jogar a Ucrania inteira no buraco-negro!!!

Malditos agentes da CIA e da NSA, que tomaram o poder para derrubar a Rùssia!!!

Cadeira elétrica neles!!!! Que risquem da história da Ucrania os 5 ultimos anos de governo, que levaram o país para o buraco-negro e sua população para a fome e o desespero!!!

Viva o novo presidente da Ucrania, e sua nova política soberana para seu país, aliada a Terra-Mãe e bem longe do Grande Satã Washington D.C!!!

Marcelo Łukaczewski disse...

Duvido se tudo que foi dito pelo Alone Hunter na intervenção "Essa corja de bandidos que governou a Ucrânia nos últimos 5 anos..." tem procedência. Contudo, é público e notório que a malfadada "revolução dos laranjas" foi uma campanha orquestrada pelos sequazes estadunidenses, contra a União Soviética em particular e contra os povos eslavos como um todo. Aproximam-se de nós eslavos quando querem satisfazer seus interesses geopolítico: Vide Geórgia!! Vide "revolução dos tulipas"!!! Vitoriosos ou fracassados, os reacionários do acidente oferecem aos ocidentófilos de ocasião uma vaga para limpar sanitários em alguma residência de subúrbios de Londres, Dublim ou Nova Yorque.

VIVA A UNIÃO SOVIÉTICA!!!

Marcelo Łukaczewski
marceluca2@yahoo.com.br

Jest nas Wielu disse...

2 Marcelo

1. Marcelo, Marcelão, sabemos a URSS acabou em 1991 e a Revolução Laranja aconteceu em 2004. O “gap” temporal é de 1991 – 2004 = 13 anos.

2. Não sei se os seus antepassados polacos limparam algum sanitário em alguma residência de subúrbios de São Paulo, Rio de Janeiro ou Curitiba. Mas se eles fizeram isso, então sabiam a velha máxima do que “feio é roubar”, o resto do trabalho honesto apenas dignifica o homem.

Como marxista, deverias saber disso.

Anónimo disse...

Jest disse:

"nunca seremos a Rússia"

Ohoh não que não são! A Ucrânia já é a Fronteira da Rússia, o nome indica-o! Agora só falta integrar-se definitivamente e todos ficarão felizes rss

Jest nas Wielu disse...

2 anónimo 17:28

Pela mão do camarada Stalin a Ucrânia se tornou o membro – fundador de ONU em 1945, será que realmente acha que o nosso pequeno ganda liliputler quereria desapontar o seu mentor ideológico?

Estudar a parte material sempre!

Fernando disse...

O Pior cego é aquele que não quer ver. O tolo do Boris dividiu o país em plena era da globalização satisfazendo USA. A Europa se uniu e a CCCP acabou. O correto era acabar com a economia planificada e introduzir a denocracia e unir os povos eslavos em um só pais.