sexta-feira, junho 11, 2010

Confrontos entre etnias regressam ao Quirguistão


Pelo menos 41 pessoas morreram e mais de 600 ficaram feridas devido a violentos confrontos, na noite de quinta para sexta-feira, entre quirguizes e uzbeques na cidade de Och, no sul do Quirguistão.
Segundo testemunhas citadas pelas agências, o detonador do conflito foram confrontos físicos entre um grande número de quirguizes e uzbeques, uma das comunidades mais numerosas em Och, que, em poucas horas, resultou numa onda incontrolável de grupos enfurecidos de cada etnia que incendiaram automóveis, assaltaram lojas e agrediram transeuntes nos vários bairros da cidade.
Para pôr fim aos confrontos e desordens as autoridades declararam o estado de emergência e o recolher obrigatório nas cidades de Och, Uzguen e nas províncias de Karasuisk e Avaransk, que foram ocupadas pelo exército.
Elena Baialinova, porta-voz do Ministério da Saúde do Quirguistão, anunciou que os confrontos provocaram 14 mortos e 148 feridos.
Um porta-voz dos bombeiros de Och reconheceu que, durante as desordens, foi incendiada o Edifício da Orquesta Filarmónica, o Teatro Dramático Uzbeque, a sede de uma empresa de telecomunicações, um hotel, tipografias, centros comerciais, restaurantes e bares.
As autoridades quirguizes, que enviaram reforços militares para o sul do país, afirmam ter travado a onda de violência e controlar a situação.
O Quirguistão é um dos mais pobres países da Ásia Central, dilacerado pela luta de clãs e máfias. Recentemente, a oposição conseguiu derrubar o regime autoritário do Presidente Kurmambek Bakiev, mas não soube ainda travar a onda de violência.
Em 1990, em confrontos semelhantes entre quirguizes e uzbeques morreram, segundo dados oficiais, cerca de 300 pessoas, mas as organizações não-governamentais falam em mais de mil.

4 comentários:

Anónimo disse...

Sim, tenho realmente muita pena desses povos, e tambem dos judeus esse grande e nobre povo que o sr. admira, continue a dar grande destaque a estas noticias sr. milhazes, está a contribuir muito para o bem dos europeus.

i have a special message for the jornalist, read from the right to the left down here.

dratsab ylgu

PortugueseMan disse...

Caro JM,

Isto está a ficar complicado. Mais pessoas vão morrer se aquele governo não mostrar que mandam.

É urgente eleições para clarificar a situação no país.

Jose Milhazes disse...

Caro PM, eleições? Acho que, neste momento, são precisas medidas mais rápidas e eficazes, incluindo a intervenção de forças armadas internacionais.

PortugueseMan disse...

Sim meu caro, isso é o que seria desejável, mas a realidade da vida, indica-nos outra coisa.

Aquilo é um vespeiro, com demasiadas forças envolvidas.

Ninguém irá ajudá-los nesta situação. Aquele governo está por conta deles. É necessário primeiro um governo legítimo.

Pobres desgraçados, mais gente vai morrer pelo poder e interesse de alguns.