domingo, janeiro 16, 2011

Polícia detém 19 manifestantes nacionalistas em Moscovo


Ontem, sábado, Moscovo parecia uma cidade em estado de sítio. Milhares de polícias e soldados cercaram a Praça Manejnaia e a Praça Vermelha para impedir manifestações de nacionalistas. Um amigo meu português que trabalha há uns anos na capital russa telefonou-me para dizer: "Nunca vi uma coisa assim, são tantos veículos, polícias equipados de capacetes e cacetetes!"
Antes de deixar aqui o relato dos acontecimentos na véspera, apenas quero sublinhar que, num país como a Rússia, onde vivem cerca de 160 povos, o vírus do nacionalismo e do chauvinismo pode ser fatal para a sua integridade territorial.

A polícia da capital russa deteve, ontem, 19 pessoas que participaram numa manifestação de homenagem a um adepto do futebol assassinado há 40 dias por um grupo de jovens do Cáucaso.

“Apenas 19 pessoas foram detidas e conduzidas a uma esquadra com objetivos profiláticos, para verificar os documentos e ver se estiveram ligadas aos acontecimentos de 11 de dezembro na Praça Manejnaia”, declarou Victor Biriukov, porta-voz da polícia de Moscovo.

Segundo ele, quatro dos detidos portavam armas traumáticas e dois tinham armas brancas.

Iegor Sviridov, adepto do Spartak de Moscovo, foi assassinado no dia 06 de dezembro por um grupo de jovens originários do Cáucaso do Norte russo.

Segundo revelou hoje a Procuradoria-Geral da Rússia, os caucasianos provocaram conscientemente os confrontos que provocaram um morto e quatro feridos.

“Os atacantes espaçaram as vítimas e um dos atacantes desferiu um golpe na cabeça de uma das vítimas”, lê-se num comunicado publicado.

Este assassinato provocou uma onda de indignação nos adeptos de futebol, que foi aproveitada pelas forças nacionalistas para lançar ataques contra pessoas provenientes das regiões caucasianas da Rússia, bem como contra estrangeiros.

Ontem, quatro mil polícias e soldados das tropas do ministério do Interior da Rússia foram colocados nos locais de Moscovo onde as autoridades esperavam incidentes.

As autoridades reforçaram também a segurança na Manejnaia Plochad, praça próxima do Kremlin onde a 11 de dezembro ocorreram confrontos entre a polícia e nacionalistas, depois de terem surgido vários apelos na Internet para que os nacionalistas se reunissem aí.
Em São Petersburgo, a polícia deteve 22 militantes nacionalistas em manifestações semelhantes.

11 comentários:

FAB FLANKER disse...

A Rùssia é um país que não pode dar liberdade ao seu povo como faz por exemplo os Estados Unidos com a sua população!

Na Rússia a população é muito irada,pois está no sangue da população eslava e como citado neste artigo, tem mais de 160 povos!!! É muito perigoso para a integridade territorial da Terra-Mãe...

Por isso, Moscow tem que impor um certo limite á sua população, e misturar em sua rede pública de distribuição de água um soro para sedar e acalmar a população, como é feito aqui no Brasil!

Cristina disse...

Num país onde vivem tantos povos, o risco de desagregação está sempre presente e só não é maior devido às tradições centralizadoras e autoritárias do Estado russo. Muitos queixam-se que, ao contrário da URSS, que conseguiu criar algo que "cimentava" este colosso com a designação de "povo soviético", na actualidade não existe nada semelhante. A Rússia actual, uma federação de nações muito diferentes entre si, confunde-se com a Rússia-pátria do povo russo, que se proclama "nação titular", logo, a mais importante. Até na língua, esta indefinição existe.
O que me parece primordial é que os sucessivos governos não têm feito nada para fomentar o conhecimento mútuo e a tolerância entre os vários povos da federação, pelo contrário. Não existem políticas de integração dos imigrantes (migrantes), nem política de ensino das diversas línguas regionais. Fora das suas nações de origem, os cidadãos etnicamente não russos são pouco respeitados.
Assim, a culpa não é de existirem muitos povos; é da negligência do Estado em adoptar políticas de prevenção da intolerância e de estímulo do multiculturalismo.

everardo disse...

Caro Milhazes,

Quem são esses "manifestantes nacionalistas"? O que eles querem e o que fazem? (...)

Abraço do everardo

Jose Milhazes disse...

Leitor Everardo, em postagens anteriores eu já abordei a ideologia destes nacionalistas. Em poucas palavras, "A Rússia para os russos", ora na Rússia não vivem só russos.
Além disso, não escondem o seu apego às ideias de Hitler.

Anónimo disse...

Racistas nojentos.

Cacetete e cadeia neles!

Cristina disse...

Amigos, já existem os "novos dissidentes"!
Quem quiser ler - em russo - Codificação cirílico Windows- 1251 (previno que é um texto politicamente incorrecto), experimentem traduzir no google.
http://yun.complife.ru/miscell/exodus.htm

PortugueseMan disse...

Caro JM,

Depois de terem perdido a Alitalia para a Embraer, a Sukhoi "ataca" num país da América Latina.

SuperJet International signs contract worth USD 650 million with Mexican Interjet


SuperJet International (SJI) - a joint venture between Alenia Aeronautica,
a Finmeccanica Company, and Sukhoi Holding - signed a contract today with Mexico’s Interjet airline for the purchase of 15 long range Sukhoi Superjet 100 (SSJ100) aircraft in the 98 seat configuration, plus 5 options. Based on the list price, the value of the order is USD 650 million. The first deliveries are scheduled for the second half of 2012...


http://www.superjetinternational.com/en/media-center/press-releases/2010/news_0003.html

Compra de 15 aviões com opção para mais 5. Embora preferisse uma venda na Europa, a notícia é deveras positiva, 1ª venda na América Latina e isso é deveras importante. De salientar que aqui, a Embraer não conseguir ganhar meu caro. Uns perdem, outros ganham.

Com isto a Sukhoi tem já 170 encomendas firmes, estão no bom caminho.

Jest nas Wielu disse...

Na Europa estes "nacionalistas" se chamam de nazistas / extrema direita violenta, etc.

off top:

Toda essa semana (e me parece que todo o mês de Fevereiro), a CNN irá dedicar a sua atenção especial a Ucrânia, inserido no projecto i-List.
Ver o programa i-List na CNN (o horário é GMT):

Segunda – Feira, 17 de Janeiro, às 17h30
Terça – Feira, 18 de Janeiro, às 17h30
Quarta – Feira, 19 de Janeiro, às 17h30
Quinta – Feira, 20 de Janeiro, às 17h30
http://ireport.cnn.com/ir-topic-stories.
jspa?topicId=413016

Anónimo disse...

Não gosto da palavra "nacionalista" pra designar esses criminosos. São racistas, neo-nazistas. A escória.

Ou a Rússia faz alguma coisa urgentemente, ou a Copa de 2018 estará em maus lençóis.

PRA FRENTE, BRASIL!!! disse...

interessante seu blog!!!
me siga http://wwwwprafrentebrasil4com.blogspot.com

PRA FRENTE, BRASIL!!! disse...

me siga http://wwwwprafrentebrasil4com.blogspot.com