quarta-feira, junho 29, 2011

Bielorrússia pode transformar-se em plataforma chinesa na Europa



A Rússia interrompeu o fornecimento de eletricidade à Bielorrússia por falta de pagamento. A InterRao, empresa controlada pelo Estado russo, cumpriu a ameaça e prometeu repor o serviço assim que forem pagas as faturas de março, abril e maio.
A Bielorrússia está confrontada com uma grave crise económica e deve a Moscovo 37 milhões de euros por fornecimentos de energia elétrica.
A primeira vista, trata-se de mais um episódio da longa guerra entre o Kremlin e o dirigente bielorrusso Alexandre Lukachenko, mas, na realidade, o problema é bem mais sério.
A economia da Bielorrússia encontra-se no limiar da falência e Lukachenko necessita urgentemente de ajuda económica e financeira. Moscovo diz-se disposto a estender a mão de apoio, mas, em contrapartida, exige de Minsk a realização de um grande programa de privatizações, onde as empresas russas terão prioridade.
O dirigente bielorrusso recusa-se a vender a "propriedade do povo", mas precisa de dinheiro.
Tendo em conta as relações existentes com a União Europeia e Estados Unidos, Lukachenko não pode esperar apoio desses lados.
Encurralado, ele teve uma ideia no mínimo curiosa: pedir apoio à China.
Segundo os especialistas na matéria, Pequim está disposto a dá-lo, pois, em termos geoestratégicos, pode transformar esse país numa plataforma sua na Europa.
Além disso, isso poderá significar o funeral da ideia de criação de um Estado conjunto da Rússia e Bielorrússia.
Tudo isto se a pressão interna, apoiada de fora, não levar a alterações significativas na política da direção bielorrussa. Todas as quartas-feiras, milhares de pessoas saiem para as ruas de Minsk em sinal de protesto contra a política de Lukachenko. Os, manifestantes, convocados através das redes sociais, são para o centro de Minsk em silêncio e reconhecem-se por baterem palmas inesperadamente ou comerem gelados.
A polícia é que responde sempre da mesma forma, com dezenas de prisões.

12 comentários:

Jest nas Wielu disse...

Se China conseguir ser a coveira do funeral da ideia de criação de um Estado conjunto da Rússia e Belarus, deveremos apoiar totalmente o Pequim.

PortugueseMan disse...

Bielorrússia pode transformar-se em plataforma chinesa na Europa

Caro JM,

Tenho sérias dúvidas que algo do género possa acontecer.

A Bielorrússia depende energéticamente da Rússia e para agravar a situação essa dependência é subsidiada.

Se a China quiser criar uma plataforma na Europa, não vai criá-la num país que mais dia menos dia vai ter uma mudança política e ainda por cima onde a Rússia tem interesses e está na esfera de influência desta. Não vejo o que a China pode ganhar em meter-se na Bielorrússia.

Para mim o mais certo a acontecer é a Bielorrússia ceder aos interesses russos, pois não tem para quem se virar. Por outro lado a Rússia sabendo que mais ano menos ano Lukachenko vai sair de cena e desconhecendo qual a evolução política pós Lukachenko, quer controlar tudo o que seja rentável e estratégico.

Confesso não ver outro caminho senão aceder às pressões russas. Depois de os russos passarem a ter controlo do que acham estratégico, a Bielorrússia pode escolher a via democrática e seguir o caminho que quiser.

E da mesma maneira que são livres de escolher o caminho que queiram, a Rússia também é livre de cobrar preços de mercado pela a energia.

E desta vez não haverá chantagens por parte de países de trânsito, porque a Rússia terá pipelines alternativos como o Nord Stream.

Futuro para a Bielorrússia? um complicado e sem chineses.

Jose Milhazes disse...

Caro PM, acho o seu cenário o mais provável, mas eu quis apenas salientar a "ideia original" de Lukachenko numa situação desesperada.
Claro que a Rússia quer simplesmente cilindrar Lukachenko e, depois, anexar economicamente o país vizinho, etc.

Jest nas Wielu disse...

Como sobreviver bem sem o gás russo, sem a necessidade de se vender aos chineses, exemplo prático:
http://ireport.cnn.com/topics/624704

PortugueseMan disse...

A Geórgia é um exemplo prático?

A Geórgia do Planeta Terra?

Você deve ter-se enganado no Sistema Solar.

Você consegue explicar a sua posição?

Zhirinovsky disse...

Negativo Jest "NATO" nas Wielu...

Caro Portuguese Man...

É exatamente isso que vc falou. Porém acredito que deveria haver um envolvimento maior da FSB e SVR nesse assunto... Seria bem mais rápida a remoção!

Anónimo disse...

FSB é com PortugueseMan mesmo...


Falou e disse Alone Hunter!


hehehehe

Jest nas Wielu disse...

2 PortugueseMan 21:49

/Você consegue explicar a sua posição?/
Primeiro leia o que Geórgia conseguiu nos últimos anos, depois conversaremos:
http://ucrania-mozambique.blogspot.com/2011/06/georgia-guerra-e-as-reformas.html

PortugueseMan disse...

Eu sei bem o que a Geórgia "conseguiu" nos últimos anos.

Pode começar a explicar a sua posição.

Anónimo disse...

É o fim da Bieolorússia como nação soberana. Com isso Putin está conseguindo cumprir seu objetivo de se recuperar o território perdido no fim da URSS. Fica faltando agora só os países bálticos e a Geórgia pq o resto tá nas mãos do Putin, isso pq a Ucrânia tb já assinou a sua "rendição" e o acordo de permanência da frota Rússia no mar negro representou tb uma "anexação". Putin é um conquistador, um Gengis Kan moderno. Era uma vez um país chamado Belarus...

Zhirinovsky disse...

Anônimo...

Belarus nunca foi um país soberano!
De quem eles compram o gás? De quem eles compram a eletricidade? De quem eles compram o combustível? Qual é o maior parceiro comercial de Belarus?

A Rússia tá no comando! A Rússia assina a papelada em Belarus e na Criméia!

Francisco Lucrécio disse...

«««««Bielorrússia pode transformar-se em plataforma chinesa na Europa»»»».



Se vai ser assim com a Bielorrússia. O que acontecerá à Grécia, Espanha, Portugal e Hungria? Uns protetorados economicos Chineses talvez?

O que dizer também do reino Unido? Que foi o país da Europa que mais Centros Confúcio para o desenvolvimento abriu.

Não terá também a Bielorrússia direito a fazer negócios com quem muito bem entender?

Outra coisa que não se diz. É que a divida externa da Bielorrússia ronda os 25% do PIB.


Também a Alemanha depende dos fornecimentos energeticos da Rússia e brevemente passará a depender quase na totalidade, não é isso que vai colocar a segurança da Alemanha em risco. Pelo contrário.


E a Ucrânia depende de quem? Quem é mais favorecido no fornecimento de combustiveis. A Bielorrússia ou a Ucrânia?

O "problema" Bielorruso é politico.