quarta-feira, junho 29, 2011

Oposição síria é contra ingerência externa no confronto com Presidente Assad


Mikhail Marguelov, assessor do Presidente Medvedev, encontrou-se ontem com membros de uma delegação da oposição síria, tendo estes pedido que o Kremlin apoie a resolução do Conselho de Segurança da ONU sobre a Síria.
“Apelamos a que a posição da Rússia se torne mais positiva no Conselho de Segurança. Queremos que a Rússia não só dê um voto de apoio às decisões tomadas pelo CS da ONU, mas que esteja nas origens das mudanças a que apelamos”, disse Ziade.
Outro membro da delegação síria, Mahmud Al Hamsa, declarou que ela espera que a Rússia, na ONU, condene a violência e mortes provocadas pelo regime de Assad.
Marguelov insistiu no diálogo político como forma de resolver os problemas internos desse país do Médio Oriente, mas nada prometeu quanto à discussão deles nas Nações Unidas.
Antes, o Presidente Medvedev afirmou várias vezes que o seu país não apoiará qualquer resolução do CS da ONU sobre a Síria, pois receia que se repita o “cenário líbio”, ou seja, abra caminho a uma intervenção armada da NATO..
O regime do Presidente da Síria, Bashar Assad, deve ser derrubado pelos próprios sírios, sem ingerência do exterior, declarou Ravdan Ziade, chefe de uma delegação da oposição síria, à Ria-Novosti.
“No que respeita ao derrube do regime, apoiamo-nos, antes de tudo, no povo sírio”, acrescentou.
Ravdan Ziade frisou que “a oposição síria é contra a ingerência externa na solução da crise na Síria”.
Segundo ele, “a direção síria não tem intenção séria de dialogar com a oposição”.
Porém, caso surja essa intenção, a oposição impõe condições: “antes de tudo, é necessário retirar os blindados das cidades sírias, fazer regressar as tropas aos quartéis. Também é preciso libertar todos os presos políticos e permitir ao Conselho para dos Direitos Humanos da ONU que envie os seus representantes à Síria para investigações”.
A delegação da oposição síria está em Moscovo a convite da Sociedade de Solidariedade com Países da Ásia e da África.
O Ministério dos Negócios Estrangeiros da Rússia fez questão de sublinhar, ontem, que “se trata de uma visita particular” e que “não estão previstos encontros com os seus representantes”.

4 comentários:

Zhirinovsky disse...

O próximo alvo da NATO é a Síria!E depois Yemen, e em seguida a Venezuela e o Irã...

Não resta dúvidas. A Síria é um aliado da Rùssia, que até cedeu um porto para mantimentos os navios russos.

A NATO quer fazer uma limpeza na região! Eles querem acabar com ideologias que não compatibilizam com as deles...

E eles só não bombardeiam a Rússia e a China porque estes tem em posse um arsenal apocalíptico de armas nucleares!

O "Santo Cogumelo" é um excelente remédio para barrar a infecção da NATO.

Anónimo disse...

Chegou o momento de por as cartas sobre a mesa; asta hahoraOTAN tenia las puertas habiertas haciendo y desaciendo todo a su capricho;dos naciones se opusieron;equilibrio de poder; resultado "Guerra o PAZ"

Anónimo disse...

USA invade armas en Taiwan,Israel,
Turquia y en todas as partes del Mundo,y piden a Rusia no fornecer armas a Iran; Tiene cabimiento ;

Anónimo disse...

Si Israel , Turquia,India , Paquistao, tienen , armas atomicas,
porque tanto alboroso con Iran, sera que lanzara primero; Quien lanza tambien desaparece;
{Oriente Medio sin armas nucleares;primero desarmar completamente Israel y Iran Despues Oriente Medio en PAZ