quinta-feira, setembro 01, 2011

Rússia continua a considerar ações da NATO na Líbia ilegítimas

Serguei Lavrov, ministro dos Negócios Estrangeiros da Rússia, exigiu hoje a tomada pelo Conselho de Segurança da ONU de resoluções claras e concretas e criticou as ações da NATO na Líbia.
“Quando o Conselho de Segurança da ONU toma decisões sobre operações de manutenção ou de imposição da paz, o seu mandato deve ser extremamente claro e completo quanto aos objetivos e participantes das operações, principalmente quanto aos limites do emprego da força”, declarou ele perante os estudantes do Instituto de Relações Internacionais de Moscovo.
Lavrov sublinhou que o desrespeito dessas normas levou a pessadas consequências no caso da Líbia.
“A Rússia nunca justificou o antigo regime líbio. Em maio, o Presidente Dmitri Medvedev declarou que Muammar Kadhafi deve sair. Porém, a forma como foram realizadas as resoluções líbias pelos membros da NATO e por alguns outros Estados significa um desrespeito grosseiro pelos princípios da primazia do direito, a não tomada em conta das iniciativas da União Africana e da ONU aumentaram o número de vítimas entre a população civil, embora o principal objetivo da resolução fosse evitar isso”, acrescentou. 
“Estamos convencidos de que não se pode fazer justiça com métodos injustos”, frisou.
O ministro russo declarou também que vê no encontro de Paris sobre a Líbia não uma reunião do grupo de contacto, mas como um fórum para o Conselho de Segurança da ONU definir a futura assistência externa na regularização líbia.
“Não é o grupo de contacto, como anunciaram os franceses. Como nos foi dito, trata-se de um encontro com o objetivo de discutir os parâmetros concretos para que o CS da ONU defina o papel da comunidade internacional em todos os posteriores processos na Líbia”, afirmou.
Serguei Lavrov condenou os padrões duplos revelados nas revoluções nos países árabes.
“Não devem ter lugar padrões duplos, ditados pela conjuntura política ou por preferências objetivas de umas ou outras potências”, acrescentou.
“É difícil compreender, por exemplo porque é que no Iémen, onde tem lugar um sério conflito armado, todos os membros da comunidade internacional tentam, com toda a razão, contribuir para a busca de um compromisso entre as autoridades e a oposição, ao mesmo tempo que, em relação à situação na Líbia, toda uma série de países influentes provoca incessantemente a oposição para boicotar as propostas de diálogo nacional e provocar confrontos, recusando-se até a discutir reformas atrasadas, mas ainda bem reais, que propõe o Presidente Bashar Assad”, exemplificou.
O  ministro russo aconselhou os países ocidentais a terem cuidado no Oriente e a não tentarem “ganhar vantagens geopolíticas para  eles”.
Por outro lado, Lavrov considera que a Rússia apoia o movimento dos países árabes para a democracia.
Hoje, a Rússia reconheceu finalmente o poder da Comissão de Transição da Líbia, esperando que Tripoli respeito todos os acordos e contratos assinados entre Moscovo e o regime de Kadhafi.

3 comentários:

Zhirinovsky "The Bear" disse...

A Lìbia tem muito petróleo... E vai favorecer principalmente o Reino Unido e a França, que iniciaram as operações contra Kadhafi, com seus caças EUROFIGHTERS, TORNADOS, RAFALE e MIRAGE-2000!

Muitos contratos vultuosos e previlegiados serão assinados entre o novo governo líbio e a França e Reino Unido. Todo o combustível e mísseis gastos por Londres e París serão cobrados em dobro, com estes contratos!

Se a França gastou US$ 500 milhões com essa operação, irá faturar US$ 2 bilhões com os contratos, o que vale muito a pena...

Sendo assim, o que ganharia a NATO se invadisse a Siria? Não ganharia nada, porque a Síria não tem petróleo. Então, quem poderá resolver este problema com a Siria é a Liga Árabe ou Israel!!!

Os Estados Unidos não irão gastar seus mísseis TOMAHAWK na Sìria.

O real prejudicado nestes conflitos árabes na Tunisia, Líbia, Egito e outros e a Rùssia, que perdeu bilhões em contratos, e irá provavelmente perder sua base no porto de Tartus.

A Rússia perdeu bilhões em contrato com a Líbia, e estes rebeldes não irão honrar os contratos da Líbia com a Rùssia, á mando da NATO!!!

Anónimo disse...

Milhazes, poderá explicarque sinal de perigo é aquele no lado direito so seu blog?Será a nova maneira de avisar "cuidado com os ursos"?

Ricardo disse...

Enquanto isso na Somália metade da população está morrendo de fome a e UE tão preocupada com dos direitos humanos em países ricos em petróleo não faz absolutamente nada!