domingo, outubro 30, 2011

Blog do leitor (A URSS que Humanidade perdeu…)



Texto traduzido e enviado pelo leitor Jest: 
 
"Como é sabido, a URSS estava “em frente de todo o planeta” não apenas no domínio do ballet e cosmos. Na década de 1980, a União Soviética também superava Ocidente em diversas áreas da vida quotidiana da sociedade.
1. A URSS era um dos líderes mundiais em número dos assassinatos (por 100.000 habitantes)
Em 1980, a URSS ocupava o 5° lugar no mundo em número dos assassinatos, superado apenas por países como Colômbia, que naquela década estava na auge da guerra contra o narcotráfico. A prevalência dos assassinatos na República Socialista Federativa Soviética da Rússia (RSFSR) era maior do que a média soviética. Se em 1970 na RSFS da Rússia se cometeram 9,8 mil assassinatos, em 1975 já eram 14.000 e em 1980 – 18.000. Em média, em 1989 na URSS eram assassinados (por 100.000 habitantes) os 12,4 pessoas, enquanto na França – 1,1; na Alemanha – 1,0; na Inglaterra – 1,04 e na Irlanda do Norte, onde decorria a luta armada entre IRA, grupos paramilitares protestantes e as forças policiais, este indício era de apenas 4,72.
2. A URSS era um dos líderes mundiais em número dos suicídios (por 100.000 habitantes)
Em 1984, a URSS ocupava o 2° lugar mundial em número dos suicídios, com índice de 38,8 casos por 100.000 habitantes. O número maior estava registado apenas na Hungria socialista em 1983, que era o líder absoluto neste domínio — 45,3 casos (por 100.000). Para comparação, em 2010 na Rússia este índice era de 23,1 (6° lugar mundial), assim como em 2006 nos vários países da União Europeia: França – 17,7; Alemanha – 9,4; Reino Unido – 9,2.
3. No início da década de 1980, a URSS era o maior consumidor mundial de álcool (per capita)
Se em 1960 na URSS se consumia (per capita, por ano) os 3,2 litros, em 1970 – 8,7 litros, já em 1980 – 10,8 litros. Com a prevalência maior na RSFS da Rússia. Os dados do Comité Estatal da Estatística (Goskomstat) apontam que em 1984 na RSFS da Rússia foram consumidos 10,5 litros de álcool legal (per capita), acrescentado de 3,3 litros da aguardente caseira na base de açúcar e 1,1 litros de outros produtos, que somavam os 14,9 litros (estes dados eram mantidos em segredo até 1988). No mesmo 1984, o segundo país em termos de consumo era a França com 13,5 litros. Além disso, enquanto nos países europeus se bebia maioritariamente o vinho (França, Itália, Portugal) ou a cerveja (Reino Unido, Alemanha), na URSS se consumia as bebidas alcoólicas fortes.
A URSS também era o 2° produtor mundial do álcool etílico (também largamente consumido pela população), a Grande Enciclopédia Soviética, no artigo “Indústria de álcool na URSS” mencionava o facto do que o país aumentava em mais de 50% a sua capacidade produtiva à cada 10 anos. Em 1974 o país alcançou o 2° lugar mundial, produzindo 184 milhões de toneladas, superado apenas pelos EUA com 260 milhões de toneladas. Em 1973 o Brasil produzia 45 milhões de toneladas, Alemanha Federal – 28,4; Reino Unido – 19,1; Itália – 18, França – 8,7.
O 91,6% do parque industrial de produção de álcool estava situado na Rússia, Ucrânia e Belarus. Além disso, a URSS cooperou tecnicamente com a Europa do Leste no domínio da produção de álcool, a Polónia em 1973 produziu 24,9 milhões de toneladas, ultrapassando Reino Unido e a França juntos, Roménia com 9,5 milhões e Checoslováquia com 13,3 milhões também superaram a França individualmente. O álcool barato e acessível contribuiu para a disseminação recorde de alcoolismo na URSS.
4. A URSS sempre liderava mundialmente em número de prisioneiros (por 100.000 habitantes)
Nos anos da repressão estalinista estes números eram especialmente gritantes, mas mesmo em 1986 na URSS estavam encarcerados 846 pessoas (por 100.000 habitantes). No Reino Unido este índice era de 148 pessoas, na Alemanha – 95, na França – 85, hoje na Rússia estão atrás das grades 611 pessoas. Os números soviéticos eram especialmente altos, pois vários crimes menores, delitos e até transgressões administrativas eram punidos com as penas afectivas, no Ocidente substituídos, entre outros, pelo trabalho comunitário.
5. Durante os 50 anos a URSS era um líder mundial em número dos abortos (por 100.000 habitantes)
A Rússia Soviética foi o primeiro país do mundo a legalizar os abortos em 18 de Novembro de 1920. Já em 1934 na URSS eram interrompidas 23,3% de todas as gravidezes (mais do que nos EUA em 2008 году), em Moscovo, no mesmo 1934, eram abortadas 73% das gravidezes.
Em 1965 na URSS foram feitos 5,6 milhões de abortos, nas décadas de 1970 – 1980 todos os anos na União Soviética se efectuavam mais de 4,5 milhões de abortos. Apenas recentemente, a China comunista que possui a população 9 vezes superior a da URSS, superou o “recorde” soviético de 1965. Em 1965 na RSFS da Rússia eram abortadas 60-65% das gravidezes, em 2008 na Rússia foram interrompidas 44,7% de todas as gravidezes. Uma das razões que levou a essa situação era a falta gritante na URSS dos preservativos e outros métodos contraceptivos.
6. Durante muitos anos a URSS era um líder mundial em número das violações (por 100.000 habitantes)
Em 1989 na RSFS da Rússia foram registadas 14,6 mil violações e a média soviética dava 10 violações por 100.000 habitantes, o número superado apenas pelo Lesoto, Suazilândia e África do Sul. No fim da década de 1980, 69% de todas as violações soviéticas eram registadas na RSFS da Rússia, já em 2008 a Rússia ocupa a nada má 36ª posição, com índice de 4,4 violações por cada 100.000 habitantes.
7. Na década de 1980, a URSS ocupava as primeiras posições em número dos divórcios, registando em 1980 os 4,2 divórcios por 1000 habitantes. Em 2004, a Rússia continua ocupar o 2° lugar mundial, registando 4,42 divórcios por 1000 habitantes por ano.
8. A URSS liderava em número dos fumadores e em quantidades de cigarros produzidos (em números absolutos)
Em 1975 na URSS foram produzidos 364,3 biliões de cigarros, sem contar com o tabaco empacotado e a makhorca (tabaco de baixa qualidade). A URSS ocupava o 3° lugar na produção de cigarros (após os EUA e a China), ocupando as posições do topo no consumo de cigarros. Os EUA que produziam 616 biliões de cigarros, exportavam a maioria da sua produção, a URSS fabricava os cigarros para o consumo interno. Durante os 10 anos, entre 1970 e 1980, o consumo dos cigarros aumentou na URSS em 50 biliões de unidades por ano (de 375,3 biliões para 424,6 biliões), com o consumo maior na RSFS da Rússia. A título de comparação, em 2005 na Rússia foram fumados 375 biliões de cigarros.
Mais uma vez a URSS cooperou tecnicamente com a Europa do Leste no domínio da produção de cigarros, elevando a produção da Polónia à 83,6 biliões por ano, da Bulgária à 71,4 biliões, Roménia à 28,8 biliões, Hungria à 24,5 biliões, Checoslováquia à 23,0 biliões, RDA à 19,9 biliões. Na URSS e na Roménia se produzia 5 cigarros por dia por cada habitante do país, incluindo os bebes, na Polónia – 7 e na Bulgária quase 40 cigarros por dia. Também não se deve esquecer que uma parte considerável da produção búlgara era exportada para a URSS (a principal marca búlgara vendida no país era a “BT”). Hoje a Rússia continua ocupar o 1° lugar em número dos fumadores (per capita), dados da OMS apontam que na Rússia fumam 70,1% dos homens.
Fonte (com todas as estatísticas comparativas):

46 comentários:

Jest nas Wielu disse...

Andrey Makarevich, ex-“Mashina Vremeni”, canção sobre Putin: http://www.youtube.com/watch?v=
FA-mTHnFn7U

Jest nas Wielu disse...

O Centro ecuménico russo na Itália apresentou o livro sobre Holodomor ucraniano, eis são os russos que são verdadeiramente os irmãos dos ucranianos!: http://annalesecclesiaeucrainae.blogspot.
com/2011/09/holy-see-and-holodomor.html

Anónimo disse...

Realmente eles estavam na "vanguarda" da huminaidade? hahahaha....

O mundo deveria respeirar mais aliviado com o fim de um regime brutal como aquele e não celebrar o seu fim. A URSS podia destruir a huminadade. Sem contar que aquele regime fez tantas crueldades de fazer inveja até mesmo a Adolf Hitler.

Ricardo disse...

Hoje quem domina o número total de assassinatos por ano é o Brasil, Japão é um dos lideres em suicído e os EUA tem a maior população carceraria do mundo, que beleza!

Zhirinovsky Iskander! disse...

Tudo isso que foi citado sobre a União Soviética acontece no Brasil hoje, só que multiplicado por 4!!!

A União Soviética era o bicho-papão... Tudo o que ocorreu sob esse regime foi ruim? E a Educação? A Ciência? A Medicina? A Tecnologia? A Infra-Estrutura?

Tudo isso foi de qualidade na União Soviética... O governo dava Educação, Saúde para o povo, que comia de graça e investia pesadamente em Ciência, Tecnologia e Infra-Estrutura... Quando foi construida a ferrovia Trans-Baikal? Quem lançou o primeiro satélite no Espaço?

A União Soviética foi o maior desastre geoestratégico do planeta!

Wandard disse...

Um estudo da Organização Mundial da Saúde (OMS) apontou o Brasil como sétimo país com maior número de fumantes no mundo. A lista é liderada pela China, que tem cerca de 30% de todos os fumantes do planeta, seguida da Índia, com 10%. Os dez primeiros colocados da lista são responsáveis por dois terços de todos os fumantes da Terra.
De acordo com o estudo da OMS, o consumo de tabaco matou 100 milhões de pessoas no século 20 e oito milhões morrerão por ano até 2030 se nenhuma medida for tomada.
1 – China
2 – Índia
3 – Indonesia
4 – Rússia
5 – EUA
6 – Japão
7 – Brasil
8 – Bangladesh
9 – Alemanha
10 – Turquia

Wandard disse...

Países com a Maior taxa de gravidez de adolescentes no mundo.Nesta lista gravidez de adolescentes refere-se às mulheres que ainda não atingiram o 20 º aniversário quando a gravidez terminou.
Aqui temos uma contribuição de participantes da Otan entre os países constantes na lista:
10). Hungria:
Este país tem 9.175 nascimentos por ano por meninas adolescentes. A porcentagem de nascimentos é de 1,3% ao ano.
9). Itália:
11.153 partos na adolescência acontecem na Itália por ano eo percentual de nascimento é de 1,6%.
8). Espanha:
Há 11.264 nascimentos ocorre na Espanha a cada ano eo percentual é de alguma forma mesmo que o da Itália, ou seja, 1,6%.
7). Austrália:
Este país tem 11.894 partos de adolescentes por ano eo percentual de taxa de natalidade é de 1,7%.
6). Japão:
17.501 bebês nascem por ano no Japão e 2,5% é a percentagem taxa de natalidade do Japão.
5). França:
17.985 é a taxa de natalidade deste país com percentual de 2,6% da taxa de natalidade.
4). Canadá:
Há 19.920 partos de adolescentes por ano no Canadá e nos percentuais de taxa de natalidade é de 2,8%.
3). Alemanha:
Este é o 3 º maior país com maior taxa gravidez na adolescência, com 29 mil nascimentos por ano eo percentual de taxa de natalidade é de 4,1%.
2). Polónia:
O segundo maior país com 30.413 nascimentos por ano é a Polónia e os percentuais de taxa de natalidade é de 4,3%.
1). Estados Unidos:
O país com o maior número de taxa de natalidade é dos EUA com 494.357 partos de adolescentes por ano e com o maior percentual da taxa de natalidade, ou seja, 7,6%

Anónimo disse...

Não contesto os dados do post, com franqueza não os conhecia. Mas trata-se de um retrato desonesto do que foi a URSS, completamente desequilibrado para o lado dos seus piores indicadores, quando outros existem que colocavam o país na vanguarda mundial.

Sobre o "Holodomor" ucraniano, é também bom que se saiba que não existem consenso académico relativamente às responsabilidades das autoridades soviéticas na morte de tanta gente, na Ucrânia.

Existe bibliografia publicada, e não verdadeiramente contestada, que aponta outras causas e outros responsáveis. Refiro-me, por exemplo, aos estudos da Professora Annie Lacroix-Riz, académica francesa da Université Paris VII - Diderot.

Enfim... parece-me que as abordagens actuais à história da URSS padecem de uma imensa desonestidade, enfatizando os erros e os crimes cometidos no país dos Sovietes, e deixando numa sombra cada vez mais longínqua tudo aquilo que, nesse mesmo país, foi exemplar.

Marcelo Łukaczewyski disse...

Tem gente que se esconde traz de pseudônimos para dizer enormidades. Com qual adjetivo se podem qualificar tais pessoas? Todos sabemos...

Pippo disse...

O texto está muito giro, só lhe faltam duas coisas:

1 - As referências (apontar dados assim sem mais nem menos não basta);

2 - Os elementos relativos à RSFS da Ucrânia (para termos um termo de comparação).

Anónimo disse...

Mas como as pesoas daqui são previsíveis! Sabia que esse post iria provocar muita repercussão. Vão vir milhares de russofilos questionando a origens de números e tentando provar por A mais B que "não é bem assim", que no Ocidente tem isso tb... Enfim, DESONESTIDADE INTELECTUAL, moral tb?

Wandar,

de onde vc tirou esse números de gravidez na adolescencia? Fontes por favor!

E p/ o que citou o Brasil, o que o Brasil tem a ver com isso? O Blog é sobre a Rússia amigo.

Zhirinovsky Iskander! disse...

A União Soviética criou toda a rede de gasodutos, e de infra-estrutura energética crítica da Ucrania, Polonia e de todos os países da Europa oriental, além de ter dado grande ênfase á ciência e tecnologia. Qual é o país hoje que tem a maior malha ferroviária do planeta? É a Rússia, que herdou da União Soviética.

A economia soviética era auto-suficiente e estava se expandindo e os serviços básicos de saúde e educação era de qualidade, até a entrada do agente da Cia Mikheil Gorbachov que afundou o regime e trouxe miséria á seu povo.

Se Mikheil Gorbachov não tivesse sido posto no poder, hoje a URSS teria o PIB da China, com reformas em sua política.

Com a dissolução da URSS, perpetrada pelo traidor Gorbachov, surgiu a Rússia dos anos 90, onde o povo russo foi jogado ás traças na Miséria, desemprego até a chegada de Vladimir Putin. Sob a liderança deste grande lider, a Rússia voltou á crescer e começar á se destacar no cenário mundial.

Hoje a Rússia está engatinhando para se tornar uma das 3 potências planetárias, colocando satélites GLONASS em órbita e desenvolvendo novas tecnologias que nem os ocidentais tem a capacidade.

E eu não vivo de passado. A União Soviética acabou e não voltará nunca mais. Tudo o que ocorreu naquele tempo é apenas História.

E em 2012, a Rùssia irá subir vários patamares, sob a regência de Putin.Irá mudar o cenário geoestratégico mundial, com a sua política empreendedora e estadista!

Anónimo disse...

"Wandar,

de onde vc tirou esse números de gravidez na adolescencia? Fontes por favor!

E p/ o que citou o Brasil, o que o Brasil tem a ver com isso? O Blog é sobre a Rússia amigo."

Os dados estão na OMS é só consultar. O Blog realmente tem o nome "DaRússia" mas o comparativo de dados sociais e econômicos nada tem a ver em ficar limitado ao país em questão. É simples, quer citar os índices de alguma nação, deve-se também mostrar as estatísticas das demais nações, no mínimo um "Top10".

Anónimo disse...

"Hoje quem domina o número total de assassinatos por ano é o Brasil, Japão é um dos lideres em suicído e os EUA tem a maior população carceraria do mundo, que beleza!"


Ricardo,

nos dados que tenho o Brasil está em 5º ou 6º lugar se não me engano.

Ricardo disse...

Ricardo,

nos dados que tenho o Brasil está em 5º ou 6º lugar se não me engano.

Em 2010 foram 45.000 assassinatos no Brasil, nenhum país do mundo bate isso, o mais perto que chega é a Índia com 40.000 e uma população 5 vezes maior que a brasileira. É provavel que o número seja até maior, já que reportagens aqui já cansaram de mostrar que governos maqueia dados. Por exemplo, se uma pessoa leva um tiro e após alguns dias de internação vem a falecer, não se conta como assassinato e sim morte em decorrencia de falecimento de orgãos e coisas do genero. Brasilll sill sill!!!

Anónimo disse...

Ricardo 22:27 E Zhirinovsky 22:53

Estes dados encontrados pelo Jest, estão correctos !

A Rússia é o segundo país do mundo em número de presos, proporcionalmente maior que os Eua.

A Lituânia é o país com o maior índice de suicidíos do mundo. A Rússia está junto com o Japão na sexta posição. A maioria são países do Leste:

http://en.wikipedia.org
/wiki/List_of_countries_by_suicide_
rate

Há outros dados que merecem ser citados como SIDA, corrupção, mortes em acidentes de trânsito, consumo de drogas etc. Além de os já citados sobre a Rússia estar entre os líderes em Tabaco e Alcool. São factos ! Dados que os nossos pseudo russos/soviéticos nacionalistas não gostam. A Urss não era o paraíso idolatrado e nem a Rússia actual o é !

Taxa de mortalidade adulta da Urss/Rússia sempre foi alta e está entre as maiores do mundo:

http://en.wikipedia.org
/wiki/List_of_sovereign_states_and_
dependent_territories_by_death_rate


SIDA:

Rússia vive início de epidemia de SIDA. Há mais de 1 milhão de russos com SIDA, só perde para países em Africa:

http://news.bbc.co.uk
/2/hi/8329122.stm

A Rússia é o segundo maior consumidor de drogas, problema que já se vinha desde os tempos da Urss. Os Eua estão em primeiro mas os Eua têm mais de duas vezes a população da Rússia.

Artigo interessante para ler, aborda consumo de tipos de drogas no país:

http://www.opendemocracy.net/openrussia/susan-richards/russia%E2%80%99s-drugs-problem-blame-west


Grande parte de tais problemas já existia na Urss, outros em menor e outros em maior grau.

Fada do bosque disse...

Não se preocupe Wandard que não vai ser tomada nenhuma medida. Os fumadores pagam 80% em imposto e além disso, o tabaco sempre serve de bode expiatório para as mortes causadas pelos venenos que as farmacêuticas colocam na alimentação e nos próprios medicamentos. Imagine que até circula uma petição para evitar com que aquele organismo assassino de massas a FDA não considere os produtos naturais ilegais para os poder proibir! É que esses dão saúde. Aqui está a petição, para quem não quiser acreditar:
https://secure3.convio.net/aahf/site/Advocacy?cmd=display&page=UserAction&id=879
Só o nome diz tudo... Food and Drugs Administration!
Podem ver aqui os venenos que se consomem diáriamente... então se pesquisarem este blogue, ficarão boquiabertos.
Deixem os fumadores em paz.
Aminha avó começou a fumar cigarros sem filtro com 13 anos de idade e morreu com 90!

Wandard disse...

Estados Unidos

DSTs e gravidez na adolescência tiveram alta nos anos Bush

A taxa de gravidez na adolescência e o número de casos de DSTs (doenças sexualmente transmissíveis) entre jovens aumentaram nos anos do governo Bush, revelou uma pesquisa do Centro de Controle de Doenças (CDC, na sigla em inglês) dos Estados Unidos. Segundo o relatório da maior agência estatal de saúde, as estatísticas pioraram nos últimos anos - embora estivessem apresentando melhora antes do mandato republicano.

De acordo com reportagem do jornal britânico The Guardian, a pesquisa descobriu que a quantidade de mães adolescentes vinha caindo desde 1991, mas, a partir de 2005, registrou um drástico crescimento em mais da metade dos estados americanos. As estatísticas também indicam que o número de meninas adolescentes com sífilis teve uma alta de quase 50%, enquanto que o número de meninos com Aids praticamente dobrou.

O CDC ressaltou que as mais altas taxas de DSTs e gravidez na adolescência foram observadas nos estados do sul do país, onde a questão da abstinência sexual e a religião têm maior ênfase. "É desanimador que, após anos de melhoras no que diz respeito à gravidez na adolescência e a doenças sexualmente trasmissíveis, nós agora vemos que o progresso está estagnado ou que muitas dessas tendências estão indo na direção errada", disse Janet Collins, diretora do CDC.


O relatório não apontou nenhuma causa para tal resultado, mas grupos a favor de uma melhor educação sexual entre os jovens culparam a o fracasso das políticas conservadoras implementadas pelo ex-presidente George W. Bush.

Anónimo disse...

Ricardo 18:17

O certo é comparar homcídios por 100.000 habitantes.

Reportagem da The Economist mostra que o Brasil tem menos homicídios por habitante do que a Rússia. A diferença é que a Rússia não leva a fama de país violento como o Brasil e restante da América Latina levam, onde imagens de confrontos entre polícia e traficantes assustam o mundo.


Um trecho da reportagem, em inglês:

"One recent study suggested that Brazil had the fourth-highest murder rate among the world’s larger countries, behind Venezuela, Russia and Colombia."

http://www.economist.com
/node/11975437

Wandard disse...

Aqui estão as 10 cidades mais perigosas do mundo:

1. Bagdá, Iraque
2. Detroit, EUA
3. Karachi, Paquistão
4. Chechénia , Rússia
5. Mogadíscio, Somália
6. Ciudad Juárez, no México
7. Caracas, Venezuela.
8. New Orleans, EUA.
9. Cape Town, África do Sul
10. Rio de Janeiro, Brasil

Wandard disse...

Os EUA são o líder mundial em encarceramento, tanto em termos do número total de presos quanto proporcionalmente à sua população.

A China é o segundo país com o maior número de presos em todo o mundo, bem à frente da Rússia, que ocupa a terceira posição. Mas, em termos relativos, ou seja, quanto ao número de presos por habitante, a Rússia fica bem à frente.

Embora a Índia ocupe a 5ª posição do ranking, logo após o Brasil, apenas 33 em cada 100 mil indianos estão atrás das grades.

Fontes:Economist - Prisoners: Banged up

Wandard disse...

13 Países mais violentos:
El Salvador 71

Honduras 67

Jamaica 62

Guatemala 52

Saint Kitts and Nevis 52

Venezuela 49

Trinidad and Tobago 43

Colombia 39

South Africa

Belize

Bahamas

Dominican Republic

Panama

Wandard disse...

A Rússia realmente lidera, com a maior taxa de suicídios

Francisco Lucrécio disse...

Vamos admitir hipoteticamente que alguns destes dados correspondem à verdade (é falso). Mas aceitando isso como verdadeiro, à outra questão que se coloca agora.

Quais destes indicadores se mantiveram ao mesmo nivel como é aqui apresentado?

Se todos os relatórios das Instituições especializadas apontam no sentido da degradação de vida nesses países. Pode o autor deste quadro negro indicar em que estado se encontra a situação atualmente?

Não basta alardear que estava tudo muito mal. Convém dizer em que ponto se encontram as coisas neste momento, se como é do conhecimento geral a situação sócio/economica tem evoluido num sentido bastante negativo.

Podemos começar por a Ucrânia.

A taxa de natalidade não dimunuiu perigosamente? Quantos milhões de habitantes perdeu a Ucrânia nestes vinte anos? Dez talvez!

Pode indicar a que se deve?

A mortalidade infantil não aumentou?

A esperança média de vida não diminuiu? Entre 15/20anos!

O consumo de alcool não disparou?

A prostituição não é uma realidade que envergonha o país a ponto de recentemente terem havido grandes movimentos de protesto denunciando esse cancro social que denigre a imagem de qualquer sociedade civilizada.

A produção de todo o tipo de bens não diminuiu vertiginosamente.

Se se verificou uma quebra acentuada nos bens de consumo, teve que ser acompanhada por uma degradação da vida das pessoas. Dizer o contrário é mentir.

Sobre as outras fabulações contabilisticas, era muito util que se digna-se o autor desta comenda terrifica indicar a credenciação e as conotações politicas de quem as publicou?

Quanto à comparação dos numero da população penitenciária com os EUA o autor (ou ator) deu um tiro certeiro no pé, aliás falta à verdade descaradamente.

Primeiro ponto. Os EUA sempre foram o país que mais detidos de delito comum tiveram por habitante.

Segundo ponto. Na decada de 70 a população prisional Soviética era de dois terços em relação aos EUA num numero de habitantes de 300 para 250 milhões respetivamente.

Precisa que lhe apresente esse relatório.

Advertiu-me em tempos o Doutor Milhazes que no seu Blogue não eram permitidos extremismos.

Caro Doutor,o que o Senhor permitiu publicar não é extremismo. Tratasse de propaganda de extrema direita elevada aos pináculos do ridiculo, sem qualquer conteúdo credivel. É o esmiuçar da mentira ao mais infimo pormenor.

Mas se o seu objetivo é mesmo difundir os ideais dessa direita radical, então conte comigo para desmascar esse tipo de propaganda.

sergio disse...

"Aminha avó começou a fumar cigarros sem filtro com 13 anos de idade e morreu com 90!"

Pois é, você me apresenta 1 ou duas pessoas que passaram dos 90 fumando que eu te mostro 50 que morreram antes. Que lógica estúpida essa tua!
Se 10 pessoas pularem do sexto andar e 9 morrerem, você vai pular por causa da única que sobreviveu?

Fada do bosque disse...

Não... faço o que quero e não vou deixar de fumar por medo ou imposições. Rale-se mais com a fome que mata milhões em África e não só, e deixe de ser estúpido você, que por enquanto fumar é uma opção ou escolha!

Fada do bosque disse...

... mais Sérgio e os que morrem antes dos 90 não fumando?! Não se aflija que não morre na minha vez! Pegou na parte mais insignificante do meu comentário e faz disso uma tese a defender? Ganhe juízo! Detesto estes hipócritas que se ralam com o superficial!

Anónimo disse...

Há mais homicídios na Rússia que no Brasil.

Jest nas Wielu disse...

Estimados, amigos, obrigado pelos comentários, vejo que realmente gostaram do artigo. Pensei que não precisava de explicar isso, mas vejo que muita gente até hoje não sabe que os números devem ser comparados por 100.000 habitantes, e não entre números absolutos.

Apenas três comentários para os meus interlocutores preferidos:
2 Pippo 10:26
Todas as estatísticas comparativas podem ser vistas e verificadas no artigo original, no endereço por mim fornecido anteriormente: http://asaratov.livejournal.com/1825362.html
Os dados relativos à RSS da Ucrânia (e não RSFS, pois Ucrânia não era uma república Federativa) podem ser obtidos através das operações aritméticas, do tipo: se no fim da década de 1980, as 69% de todas as violações soviéticas eram registadas na RSFS da Rússia, significa que 100% – 69% = 31% aconteceram em 14 restantes repúblicas...

2 Zhirinovsky, piloto do Iskander 12:58
(Por favor, não exagera na mistura entre “Socialismo” e “Muito Sexo”, geralmenta isso dá resultados menos desejáveis)...
A economia soviética, de longe, NÃO era auto-suficiente, pois nas mesmas décadas de 1970-1980, a URSS comprava trigo nos EUA/Canadá, calçado na Yugoslávia, cigarros na Bulgária, jeans, téxteis, chá na Índia, etc., pois não conseguia produzir os “produtos de economia popular” em números suficientes para satisfazer a procura dos seus cidadãos. Agora, os tanques, AK’as, mísseis, isso sim, produzia bastante, mas nós, cidadãos soviéticos, não queriamos se alimentar com os tanques e mísseis intercontinentias, queríamos algo mais nutritivo: café, choriço, fruta, coisas por ai...

PEDRO disse...

Jest,

Você queria chouriço?Fruta?
Mau, mau.

Sergei Korolev disse...

Francisco Lucrécio disse:
"Caro Doutor,o que o Senhor permitiu publicar não é extremismo. Tratasse de propaganda de extrema direita elevada aos pináculos do ridiculo, sem qualquer conteúdo credivel. É o esmiuçar da mentira ao mais infimo pormenor.

Mas se o seu objetivo é mesmo difundir os ideais dessa direita radical, então conte comigo para desmascar esse tipo de propaganda."

A mais pura verdade

Pippo disse...

??? As referências provêm de um "live journal"... que se vai basear noutro "live journal"??? Estamos a brincar?

Isso é o mesmo que eu andar por aí a escrever umas coisas sob um pseudónimo (sei lá, Asia Dymon, por exemplo), e depois escrever outras coisas sob outro pseudónimo (por exemplo, Jesteronthehouse), citando o primeiro artigo como "fonte independente".

Vá lá, ao menos cita artigo da Wikipédia, que sempre são menos dúbios... e que, por sinal, apontam a Suécia como um dos países onde mais mulheres são violadas todos os anos (quase dez vezes mais do que na Rússia).
O que nos leva a pensar: será que na Suécia há mesmo muitas mulheres a sofrer esse crime, ou será que nesse país, ao menos, elas apresentam queixa na polícia? Qual será a situação noutros países?
Enfim, uma questão para se meditar.

Francisco Lucrécio disse...

««««««««A economia soviética, de longe, NÃO era auto-suficiente, pois nas mesmas décadas de 1970-1980, a URSS comprava trigo nos EUA/Canadá»»»»»»»».


Se a URSS necessitava comprar trigo produzindo mais de 200 milhões de toneladas anualmente. ( número citado por Gorbachov no Plenário do Comité Central do PCUS Julho de 1987).

Hoje os mesmos países no seu conjunto nem as 150 milhões toneladas conseguem produzir, já existe auto-suficiência para o consumo interno e para exportação ?

Há qualquer coisa que não bate certo.

Ou havia muito desperdicio nesse tempo, Ou hoje são muito poupadinhos. Não será a perda do poder de compra que obriga a população a consumir menos?

Quanto a qualquer país mportar alguns bens de consumo não quer dizer rigorosamente que seja deficitário na produção, ou que exista escassez no abastecimento do mercado interno.

Por exemplo Portugal e Espanha, são excedentários na produção de vinho e azeite, exportadores. No entanto também importam esses produtos. A França é excedentária na produção de carne, mas compra carne à Argentina, Brasil, Austrália e Nova Zelândia.

Querem melhor exemplo com o que sucede com a industria automóvel?
Os EUA mesmo quando eram os maiores exportadores mundiais, também importavam milhares de carros. Ainda hoje o fazem. Acontece o mesmo com a França , a Alemanha, a Grã bretanha.

Só alguém com desconhecimento do funcionamento dos mercados, ou má fé pode ajuizar a situação nos moldes como está aqui a ser apresentada.

É verdade que a URSS comprava milhões de toneladas de trigo anualmente. Mas também se deve dizer a quem se destinava esse trigo.

É do conhecimento geral que a maior quantidade desse trigo nem passava por o território da URSS.

Era isto que devia ser dito.
Da forma desonesta como a questão está a ser colocada, persiste a dúvida.

Quando produziam muito trigo era insuficiente para satisfazer o consumo interno. E hoje com menor produção já existe excedente para exportar?

Podem exagerar, mas por favor não ultrapassem os limites.

Francisco Lucrécio disse...

«««««« queríamos algo mais nutritivo: café, choriço, fruta, coisas por ai...»»»»»»»

E hoje já existe tudo isto em abundância?

Não é isso que dizem as estatisticas divulgadas por os organismos especializados na avaliação do desenvolvimento humano. Da ONU em particular.

São eles que andam a mentir ao mundo inteiro e o Senhor é que diz a verdade?

Nem com os factos espelhados na sua frente o Senhor deixa de escamotear a realidade.

Essa peçonha é congénita a todos´aqueles que propagam os mesmos principios morais que costuma aqui defender.
Maurras e outros seguidores também pensavam do mesmo modo.

Jest nas Wielu disse...

2 PEDRO 22:27
Sim, Pedro, confesso que queria, queria Coca-Cola e Fanta, e queria jeans que não sejam indianos, capitalista neo-liberal que eu era (e sou)...

2 Pippo 00:26
Pippo, apesar de viver em Moscovo apenas 3 meses, deverias ter a capacidade de verificar que o artigo original cita TODAS as fontes necessárias (não só Wiki, mas também www.demographia.ru, Grande Enciclopedia Soviética: http://bse.sci-lib.com, etc).

2 Francisco Lucrécio 00:31 / 00:59
Compra do trigo no Ocidente: a) sim, havia enorme desperdício naqueles tempos (em 1970-1980-1990, os kolkhozes soviéticos eram pessimamente equipados em termos da maquinaria); b) sim, hoje as pessoas são muito poupadinhos (no tempo da URSS os produtores privados de animais compravam o pão para alimentar gado, porcos, gansos, etc, pois o pão era muito barrato e os alimentos para animais caros e inacessíveis, hoje já não fazem isso), c) hoje as pessoas consomem menos pão e mais outras coisas “capitalistas”, como yogurtes, cereais, muesli, etc.

Compra no estrangeiro dos “produtos da economia popular”: no capitalismo as empresas privadas (e não o Estado), procuram comprar mais barrato (vinho e azeite, carne e automóveis). No socialismo/comunismo quem faz compras é o Estado, além disso, os produtos ocidentais e mesmo dos países socialistas eram mais carros do que soviéticos, os ditos cigarros búlgaros “BT” custavam na Bulgária cerca de 1/3 à mais do que na URSS. Ou seja, a URSS perdia o dinheiro nessas transações, o que me permite dizer, que URSS exportava pk não conseguia produzir domesticamente.
Sim, Francisco Lucrécio, hoje em dia, o café, o choriço, a fruta e outras coisas “capitalistas” existem nas lojas ucranianas em abundância, basta visitares qualquer supermercado em Kyiv, Lviv ou Luhansk. E entre não ter em venda aberta e ter que ficar 3-5 horas na bicha para comprar alimentos básicos (já experimentou?), prefiro os comprar em venda livre, como hoje em dia faço em Moçambique...

Francisco Lucrécio disse...

««««Jest nas Wielu disse...»»»»»»

Eu tinha a certeza que ia morder o isco.

Sabe para que se destinava o trigo que a União Soviética comprava? Era para fornecer a países que por questões politicas e económicas não o podiam comprar diretamente aos EUA.

Não reparou eu ter escrito que uma parte nem passava por o territorio Soviético?

Quanto a ter hoje as estantes dos supermercados cheias de produtos, não é sinonimo de não haver fome.

Também aqui em Portugal existe tudo em abundância no entanto há mihões de pessoas a viver da caridade.

Na Rússia e na Ucrânia a situação é bem pior. Se a produção de bens alimentares diminuiu drasticamente,e o poder de compra baixou, como pode a população mais pobre ter acesso a esses bens?

As estatisticas assim o dizem. E a realidade não o desmente.

Quanto ganha uma enfermeira na Ucrânia?
A minha amiga Tatiana de Zaparógia, enfermeira de radiologia teve dificuldades de trabalho em Portugal e decidiu regressar à Ucrânia, não arranjou emprego por mais de 100 € teve que voltar para Portugal a lavar loiça de novo.

No meio daquilo que diz começam a levantar-se já algumas dúvidas . Primeiro parece que não está a par da realidade da vida na Ucrânia. Pior ainda , tenta faltar deliberadamente à verdade na tentativa desesperada de impor os seus pontos de vista politicos.

Eu calculei logo que as pessoas hoje era muito poupadinhas.

Se não podem comprar, como podem consumir?

Também não precisa repetir-se vezes sem conta dizendo que hoje existe tudo em abundância. Falta saber se há poder de aquisição desses produtos por a generalidade da população? Não confunda o todo com as partes.

Deve saber que a Ucrânia atualmente é o segundo país mais pobre da Europa?

Perante esta realidade como pode justificar que não há carência alimentar por uma parte significativa da população?

Sendo o país(Ucrânia)é deficitário na produção de bens alimentares, os desniveis sociais são dos mais elevados do mundo, com salários baixos, uma divida externa enormissima, as trocas comerciais com o exterior deficitárias.

Perante esta tormenta social/economica devastadora ainda se aventura imaginar essa paisagem idílica que constamente aqui apresenta?

Talvez o ódio cego que manifesta à União Soviética se deva à frustação sentida por ver a sua amada Ucrânia mergulhada neste lodaçal de dimensões inimagináveis.

Deve saber que em 1991 a Ucrânia era a décima potência economica mundial? Pode explicar porque razão em vinte anos baixou para a trigéssima sexta?

Se não conseguir mais nada de si próprio. Aprenda ao menos a ser humilde. Coloque-se ao nivel e dimensão que o seu país atingiu.

Jest nas Wielu disse...

Francisco Lucrécio 03:20
Não sabia que se tratava de morder o isco, pensei que estávamos trocar os argumentos. ;-)

1) Se a URSS comprava trigo no Ocidente para o fornecer (gratuitamente ou não) aos países aliados, é pk não produzia trigo suficiente para lhes vender / oferecer directamente, de qualquer maneira pfr apresente os dados estatísticos.

2) Seria mto curioso se eu ia defender pontos de vista politicos alheios, não acha?

3) Pfr, apresente os dados estatísticos que podem provar que “Ucrânia actualmente é o segundo país mais pobre da Europa”

4) Pelo que me lembra, nunca apresentei nenhuma “paisagem idílica”; quando as dificuldades actuais, V. Excia não viveu na Ucrânia na década de 1990 para saber o que são dificuldades REAIS, mas eu vivia e as superava.

5) /Pode explicar porque razão em vinte anos baixou para a trigéssima sexta?/ Pela 12ª vez explico à V. Excia que hoje em dia Ucrânia não produz tanques e mísseis, tractores e outra maquinaria para OFERECER à Cuba/Etiópia, por conta da “solidariedade internacional”. Como consequência, país produz menos coisas, com maior qualidade e as vende como pode.

Permita-me que devolvo a V. Excia este desejo: “aprenda ser humilde, coloque-se ao nivel e dimensão que o seu país atingiu”, pois pelo que sei, o seu país hoje em dia sobrevive na base do empréstimo internacional, tecnicamente é um país na bancarrota...

Jest nas Wielu disse...

p.s.
Gostaria que Francisco Lucrécio (que tanto gosta acusar os que não concordam com ele) de “fascismo-nazismo”, extremo-direitismo, etc; possa comentar o artigo do “Avante!” que cita a obra anti-semita dos “Protocolos dos Sábios do Cião”:
http://www.publico.pt/Pol%C3%ADtica/
artigo-no-avante-reabilita-obra-falsa-e-antisemita-1519260

++ Veja o filme documentário letão “The Soviet Story”, que mostra como a União Soviética ajudou a Alemanha nazi a promover o Holocausto:
http://www.endireitar.org/site/
artigos/the-soviet-story/252-the-soviet-story-a-historia-sovietica-pt-br

Francisco Lucrécio disse...

«««««««Jest nas Wielu disse...
Francisco Lucrécio 03:20
Não sabia que se tratava de morder o isco, pensei que estávamos trocar os argumentos. ;-)»»»»»».

A minha troca de argumentos assenta na divulgação da verdade.

E não tem sido esse o seu objetivo. Por isso a minha intervenção destinasse precisamente em desmascarar a sua falta de honestidade sobre aquilo que escreve. É só isso.

Admito que tenha todas as razões para detestar a URSS e o seu sistema politico.

Não tem é qualquer autoridade moral , que a coberto da sua aversão ao socialismo(legitima ou ilegitima) faça uso recorrente desse tipo de coprologia fétida, baseada no ódio e inverdades.

Objetivamente com o propósito de suavizar os atos de um outro modelo politico totalmente oposto a esse sustentado numa ideologia de extermínio racial, de expansão territorial, domínio económico, e de exploração escrava do trabalho.

Pretendo lembrar-lhe acima de tudo que nunca me viu aqui defender que a União Soviética era um paraíso florido durante as quatro estações do ano.

Mas também não era esse inferno em chamas que retrata sistematicamente.

Nunca o acusei de fascista, digo simplesmente que propaga, defende, e faz a apologia de quem esteve/está ligado a essa ideologia tenebrosa. Acima de tudo colando-a ao Socialismo na tentativa de suavizar os seus atos e crimes.

Quanto ao tal filme do cineasta Letão. Esqueceu-se de dizer que os SS Letões todos os anos desfilam orgulhosamente em paradas com as fardas que serviram no exército Nazi ,ostentado ao peito as galardoações recebidas. Encontra justificação para isso?

Sobre o artigo do jornal Avante, se foi publicado no jornal Publico já tem que ser verdade?

Leia bem o que o jornalista escreveu, e o sentido com que foi escrito, depois diga a que conclusões chegou. Não existe um Lobi Judeu que exerce pressões sobre as decisões politicas a tomar no mundo?

Quem é Sarkozy? Quem são os politicos e banqueiros mais influentes na América?

Sobre Portugal estar na bancarrota. Acertou em cheio nos dois pés.
Foram os comunistas, foi a esquerda que contribuiram para este descalabro social/economico?

Não foram os seus amigos de direita que governaram Portugal? Peça-lhe contas a eles.

Precisamente a greve geral do próximo dia 24 deste mês destina-se a agradecer aos bandidos e ladrões o buraco em que mergulharam o meu país?

Francisco Lucrécio disse...

Sobre a sua Ucrânia, não estou disposto chapinhar nesse lamaçal.

No entanto deixo-lhe aqui uns relatórios divulgados por a CIA (também considera que a CIA faz parte do complot que tenta denegrir a imagem do seu país).

Veja aqui e depois diga que sou eu que falta à verdade, em 1999 a economia já tinha caído 40% (dados da CIA) na realidade ultrapassou os 50%. Depois subiu graças ao preço do aço (herança Soviética) e em 2009 caiu cerca de 20 % embora a Cia suavize nos 14,8 %.

Leia aqui:

https://www.cia.gov/library/publications/the-world-factbook/geos/up.html

E aqui em que lugar se encontra a Ucrânia a nivel Europeu em relação ao PIB per capita, só a Moldávia está atrás. Falta saber ainda como é feita a distribuição da riqueza produzida, sendo a Ucrânia um dos países do mundo com maiores desníveis sociais.

http://www.indexmundi.com/map/?v=67&l=pt

Agora veja estes retirados de um relatório da OIT:

http://international.vlex.com/vid/historia-penuria-retroceso-ucrania-117240


Agora veja este artigo de uma inteletual Judia Francesa.
http://blogdomaurelio.wordpress.com/2011/07/31/o-holomodor-novo-avatar-do-anticomunismo-%E2%80%9Deuropeu%E2%80%9D/



Tire daqui as ilações que muito bem entender. Tem que compreender que não é o dono absoluto da verdade.

Como Ucraniano não se envergonha desta situação?

Já não se trata de humildade, como lhe recomendei no comentário anterior. Tratasse de ter vergonha na cara para continuar a fazer uso da mentira descarada.

Tome vergonha!

Jest nas Wielu disse...

2 Francisco Lucrécio 01:31 /01:33
V. Excia como sempre crê que é dono da verdade, mas não é, tal como não é períto em avaliação da “autoridade moral” alheia.

Sobre os veteranos: todos os anos os veteranos da NKVD/SMERSH/KGB desfilam orgulhosamente em paradas com as fardas que serviram ao regime comunista, ostentado ao peito as galardões recebidas. Encontra justificação para isso?

Sobre o artigo do “Avante!”: não sou perito em origens raciais das pessoas (isso era(é) uma especialidade nazi), sei que Nicolas Sarkozy é presidente da França...

Sobre Portugal na bancarrota: creio que foi a sociedade em geral que contribuiu para isso, esquerda incluíndo, todos vocês aceitaram a boa vida vinda de Bruxelas, todos vocês vão pagar essa boa vida nas próximas X gerações (ou podem emigrar para Angola / Moçambique). Espero que a greve geral do próximo dia 24 irá resolver de vez o problema da vossa divida...

Economia ucraniana: hoje em dia, quando sabemos que Portugal, Irlanda, Grécia, Espanha, Itália (e quem mais?) estão tecnicamente falidos, não sei se vale a pena recorrer aos números do PIB. Sim, na Ucrânia se ganha mal e na UE melhor, mas UE vive(ia) com os fundos emprestados e agora os fundos estão chegar ao seu fim...

“Judia Francesa” é mesmo uma “inteletual”, se chama o genocídio do meu povo de “avatar”..., eu, por meu lado respeito a memória das vítimas do Holocausto judaico...

Humildade vs vergonha: como já indiquei anteriormente, não é de bom tom tentar estabelecer as regras na casa alheia, neste blogue as regras são estabelecidas pelo Sr. José Milhazes, no seu blogue (quando o criar), poderá estabelecer as suas.

Francisco Lucrécio disse...

Caro "amigo" como escrevi no meu comentário anterior, não me disponho chapinhar nesse lamaçal pestilento de ódio cavernícola seja contra quem for, quando faço alguma critica testemunho-o com provas. De outro modo seria rebaixar-me ao seu nível.


Mais uma vez provou que convive muito mal com a verdade, na medida em que nem aos relatórios da CIA e da OIT com que o confrontei sobre o seu país teve a dignidade de responder.

São sapos difíceis de engolir?

Isso em Português tem um nome que de certeza sabe muito bem qual é?

Deste lado estamos conversados. Não vou perder o meu tempo com trauliteirices.

Quanto ao artigo da professora universitária Francesa, como é habitual faltou-lhe coragem para enfrentar a verdade. Passou por o assunto como gato sobre brasas, no entanto teve o descaramento de pretender avaliar as aptidões da Senhora. É compreensivel a sua atitude, sempre mostrou ter uma esperteza superior aos demais, por isso minimizou a intelectualidade da pessoa.

Não foi isso que lhe pedi. Pedi-lhe que desmentisse com provas e argumentos crediveis o que lá está escrito.

Não respondeu porque é-lhe de todo impossível. As verdades doem?

E o seu objetivo é simplesmente propalar informação falaciosa da direita retrograda, contrária aos interesses dos trabalhadores e suas organizações de classe.

Não é o primeiro, já Goebbels fazia o mesmo modo.

Até parece que não sabe que os SS Letões lutaram ao lado de uma força invasora ocupante que praticou os crimes mais hediondos que a história conheceu?

Enquanto os outros que refere lutaram para defenderem as suas terras as suas casas as suas vidas e as suas familias. Não encontra diferenças? Pelos vistos não.
Depois de escrever este tipo de aleivosias admira-se de ser conotado como simpatizante do Nazi/fascismo?

Segue……

Francisco Lucrécio disse...

«««««Sobre Portugal na bancarrota: creio que foi a sociedade em geral que contribuiu para isso, esquerda incluindo»»»»»»»,

Este comentário revela na perfeição a sua insensibilidade social, o conhecimento que tem sobre Portugal e de que lado está.

Talvez fossem os mais de 1 milhão de reformados e pensionistas que ganham menos de 250€ de reforma mensal (bem; na Ucrânia é uma fortuna)?

Os mais de 900 mil desempregados de facto, em que apenas 300 mil recebem subsidio de desemprego?

Os cerca de 600 mil trabalhadores que ganham o ordenado mínimo (485 € mensais)?

Os 25% dos jovens que estão desempregados?
Portanto na sua maneira deturpada de ver as coisas foram estes que roubaram o dinheiro que levou Portugal à falência.
Desse modo os milhares de Ucranianos que vivem em Portugal também estão feitos com a roubalheira?

Devia pensar antes de proferir este tipo de asneiras, tratasse de uma ofensa da sua parte aos cerca de 2,5 milhões de pobres, 1/4 da população Portuguesa.


E aqueles que ocuparam cargos públicos e políticos durante seis anos, com quarenta anos de idade ou pouco mais e saíram com reformas milionárias de 18 000 mensais , não contribuíram para a bancarrota?
Os outros que foram governantes e depositaram centenas de milhões de € em paraísos fiscais no nome dos familiares também estão isentos de responsabilidades?
Os que acumularam fortunas escandalosas fizeram-no honestamente?

Compreendo porque não culpa esses.

Esses ladrões que saquearam e levaram o meu país à ruina, pertencem à sua familia politica, por isso você presta-se “condignamente” em defende-los.

««««««««não é de bom tom tentar estabelecer as regras na casa alheia, neste blogue as regras são estabelecidas pelo Sr. José Milhazes, no seu blogue (quando o criar), poderá estabelecer as suas»»»»»».

Insiste com o pessimo habito em deturpar o sentido das coisas.

Não pretendo o estabelecimento de regras . Desejo sim que tenha a humildade em saber fazer uso da verdade, e reconhecer a dos outros, é isso que não tem feito.

E quem não tem a humildade para fazer uso dessa virtude que é a verdade, não admite a dos outros, e propala deliberada e conscientemente informação falsa, é porque lhe falta a vergonha? É isso mesmo!


Compreendo igualmente o seu pedido de socorro ao administrador do Blogue.

Género “pai aquele moço bateu-me”.

Nunca ouviu dizer quem tem calos não se meta em apertos?

Jest nas Wielu disse...

Francisco Lucrécio 01:19 / 01:56
Se não “disponha chapinhar nesse lamaçal pestilento de ódio cavernícola seja contra quem for” então porque e para que constantemente nele chapinha? Se calhar é pk gosta...

Holodomor: não creio que grego Nikos Lygeros ou português Luis Matos Ribeiro (entre tantos outros) pertencem à “direita retrograda contrária aos interesses dos trabalhadores e suas organizações de classe”. Sei que são historiadores que estudam Holodomor (o artigo em português foi escrito pelo L.M. Ribeiro).

Engraçado ouvir sobre a minha “insensibilidade social” de uma pessoa que não dá mínima importância às milhões de vítimas do Holodomor ucraniano...

Portugal na bancarrota: não sou economista, mas tudo indica que “os reformados e pensionistas que ganham menos de 250€ de reforma mensal”, assim como “os 300 mil que recebem subsidio de desemprego” e “os cerca de 600 mil trabalhadores que ganham o ordenado mínimo 485 € mensais” não poderiam receber estes valores sem que o país se mergulhar na gigantesca divida hoje medida em biliões. Se calhar, as pessoas (ricas e pobres), deveriam receber apenas um pouco mais daquilo que os ucranianos recebem /recebiam em 1990, não sou economista para dizer quanto ao certo...

Anonymous disse...

Super parcial esse post, hoje 90% da população da rússia vive na pobreza.

Anónimo disse...

I constantly spent my half an hour to read this
blog's articles every day along with a cup of coffee.

my blog :: click here