sábado, março 10, 2012

Oposição tem de encontrar novas formas de organização e manifestação

Dezenas de milhares de pessoas saíram para as ruas da capital russa para exigir a realização de novas eleições presidenciais e legislativas, mas dirigentes da oposição defendem mudança de tática.
A polícia anunciou que a oposição a Vladimir Putin reuniu cerca de 10 mil pessoas, enquanto que os organizadores da manifestação falam entre 30 e 50 mil participantes.
Faz hoje precisamente três meses que a oposição russa começou a organizar grandes ações de protesto contra fraudes e falsificações nas eleições, bem como uma “Rússia sem Putin”.
Estas iniciativas são um verdadeiro arco-íris de forças políticas que exigem a demissão de Putin: nacionalistas, comunistas, liberais, sociais-democratas.
Porém, destacados dirigentes da oposição consideram que a tática de convocação de comícios e manifestações está esgotada e que é preciso organizar a sociedade civil em novos movimentos e partidos.
“Considero que a oposição já não pode continuar a apostar em comícios, mas deve lutar por objetivos reais e concretos”, declarou à Lusa Boris Akunin, conhecido escritor russo e um dos rostos mais conhecidos dos protestos contra Putin.
“É preciso realizar gradualmente um trabalho com vista a restabelecer os institutos democráticos e criar organizações independentes”, acrescentou.
Segundo ele, “a oposição deve preparar-se para as eleições dos órgãos do poder local, pois a democracia constrói-se de baixo para cima”.
Posição semelhante é defendida por Irina Prokhorova, irmã e dirigente da campanha eleitoral do multimilionário Mikhail Prokhorov, que conquistou o terceiro lugar no escrutínio presidencial.
“Os próximos passos da oposição devem ser dados no sentido da criação de movimentos e institutos de defesa dos direitos humanos”, considera ela em declarações Lusa.
“Precisamos de organizações que lutem contra o arbítrio do atual poder, frisou.
Quanto à intenção do irmão criar um novo partido político, Natália Prokhorova considerou: “Ele anunciou a criação de um partido e eu apoio a ideia. Mais, é preciso criar vários partidos políticos para voltar a dar vida à política russa. O atual sistema está morto”.
“Isso é também necessário para que as ações de protesto contenham e avancem propostas reais. Não adivinho o futuro, mas espero que novas forças se afirmem no campo político”, concluiu.
Terminado comício, alguns grupos de opositores tentaram organizar marchas em diferentes direções, tendo a polícia de choque detido dezenas de pessoas.
A polícia deteve também várias dezenas de opositores que tentaram manifestar-se em São Petersburgo e Nijni-Novgorod.

13 comentários:

Голос революции disse...

Essas manifestações não levam á lugar nenhum. São um bando de pobres coitados derrotados e sem ocupação que organizam estas marchas para se confrontar contra a polícia e atrasando o progresso do país.

Todos eles, incluindo os que estão na foto, deveriam ser detidos!!!

E enquanto isso, Putin anuncia aos poucos seus planos para mais 2 mandatos.

Wandard disse...

Criar vários partidos, interessante, é bom para o erário público ser consumido por uma infinidade de parlamentares "honestos" e todo o seu séquito de nepóticos, é só seguir o modelo do Brasil e a Rússia vira uma"democracia" , diferente da americana que só tem dois desde a sua fundação e não permite a criação de mais nenhum, mas para implantar a ditadura democrática pode ser um como na Amemanha Nazista um só , dois como nos EUA ou uma dezena como no Brasil, não importa, pois o importante é que a roubalheira seja legitimada pelo "voto", do povo
ignorante ou iludido por manifestações similares como estas que estão ocorrendo atualmente na Rússia. Agora gostei muito da presença da irmã do bilionário Mikhail Prokhorov, seria bom fazer como no Brasil e convocar alguns artistas também, pessoas profundamente preoucupadas com a situação do povo, é comovente a preocupação desta senhora, infelizmente tem quem acredite.

Jose Milhazes disse...

Leitor Wandard, a irmã de Mikhail Prokhorov é uma intelectual conceituada que tem realizado um trabalho de mérito à frente de uma fundação cultural. Se isso não é preocupação com o povo...

Wandard disse...

Sr. Milhazes, por acaso o nome desta senhora não seria Irina? Crítica literária e editora de uma revista, que recebeu um títuolo na França. Pelo que sei Prokhorov,filho de um Diteror do Comitê Esportivo da URSS, tinha uma irmã mais velha.

Jose Milhazes disse...

Wandard, é a mesma pessoa.

PEDRO disse...

Sr Milhazes,

Olhe que o leitor "Голос революции" insinuou que você também devia ser preso!!!!. Não reparou?

:)
:)

Jose Milhazes disse...

Зувкщб já estou habituado a mensagens dessas e a piores. Deixe passar.

Gilberto Mucio disse...

Mas a oposição de direita(liberal)não tem um discurso mesmo não.

Eles só batem na tecla das falsificações e da corrupção.

Mas gente do Boris Yeltsin e bandidos oligarcas saqueadores como Prokhorov falando contra corrupção é uma piada, só que de mau gosto.

Trocar Putin por essa gente é, na melhor das hipóteses, trocar 6 por meia dúzia.

Mas independente disso, apoio qualquer mobilização popular contra o governo.

Gilberto Mucio disse...

Esse Golos Revoliutsii é o Alone Hunter/Zhirinovsky.

Parece ter sonhos eróticos com Putin a cada noite.

É um fetiche irresistível.

Estranha parafilia essa...

Sandro Silva disse...

Quem dera a Portugal ter um senhor como o Putin a liderar o pais estes pobres coitados que protestam deviam ser enjaulados

PEDRO disse...

"Quem dera a Portugal ter um senhor como o Putin"

Eu também preferia o Putin aos nossos aldrabões e ladrões.
No entanto passaríamos a ser considerados um pais terrorista pelas máfias do poder ocidental.

"estes pobres coitados que protestam deviam ser enjaulados"

Não acho que seja a melhor opção. Deixem-nos protestar á vontade. São poucos. A nossa imprensa é que lhes dá grande relevância.

O Kremlin deve deixar os protestos ocorrerem e infiltrar alguns agentes para tentar perceber que os anda a atiçar.

Autor desconhecido disse...

Entre escolher uma ditadura que me parece ser nacionalista, como a da Rússia de Putin e uma ''democracia'' de fachada de base ''estrangeira'' e autodestrutiva que se transformou o Ocidente (ou seria Acidente?), sinceramente, eu prefiro a primeira opção.
Os ''direitos humanos'' só servem para inocentar ladrões, elevar vagabundos e propagar a cultura marxista. Direito não é um presente, você faz para merecê-lo.
Vivemos em uma ditadura orwelliano do Politicamente Correto judaico-marxista.

Gilberto Mucio disse...

Que tipo de idiota pensa que a Rússia tem um governo "nacionalista"?