sexta-feira, junho 22, 2012

Demissão voluntária de Bashar al-Assad é impossível

O ministro do Negócios Estrangeiros da Rússia, Serguei Lavrov, considerou hoje que a demissão voluntária do Presidente sírio, Bashar al-Assad, é impossível e que semelhantes reivindicações dos líderes ocidentais não têm sentido.
"O esquema, segundo o qual, antes que alguma coisa aconteça no plano do fim da violência e do processo político, o Presidente Assad deva demitir-se, esse esquema claramente não funciona desde o início, ele não é viável, porque ele [Assad] não se irá embora", declarou o chefe da diplomacia numa entrevista à rádio Eco de Moscovo.
Segundo o ministro, "é preciso compreender que a favor de Assad, independentemente da forma como se olha para as últimas eleições, que metade dos sírios votaram a favor da sua figura, do seu partido, da sua política".
"Não será permitido o cenário líbio em relação à Síria. Isso nós garantimos. Por conseguinte, é preciso sentar-se à mesa das conversações e chegar a um acordo. Temos de conseguir um cessar de fogo e sentar à mesa das conversações as partes do conflito", acrescentou.
Lavrov afirmou que os três helicópteros que deviam ser transportados da Rússia para a Síria no cargueiro Alaed foram arranjados em território russo em conformidade com um contrato assinado em 2008.
"O cargueiro, de que tanto se falou, realmente transportava meios de defesa antiaérea e três helicópteros, que foram arranjados na Rússia em conformidade com um contrato de 2008", precisou.
O chefe da diplomacia russa frisou que o seu país não violou qualquer lei internacional, acrescentando que os helicópteros estavam desmontados e não podiam ser rapidamente utilizados pelas tropas sírias contra a população civil.
"Ainda seriam precisos três meses para os montar no local? As afirmações de que os russos levavam helicópteros que deviam ser empregues contra os manifestantes é uma posição muito deturpada, que visa aumentar paixões e criar uma má imagem da Rússia", concluiu.
Hillary Clinton, secretária de Estado norte-americana, declarou, a 12 de junho, ter informação de que estavam a ser transportados helicópteros da Rússia para a Síria.
Entretanto, fonte diplomática da agência russa Ria-Novosti revelou que a conferência internacional sobre a Síria deverá ter lugar a 30 de junho em Genebra.
P.S. Parece que regressámos de novo à "guerra fria". Enquanto que as super, grandes e médias potências defendem os seus interesses, a Síria mergulha numa guerra civil que poderá terminar não só com a desintegração deste país, mas provocar a deestabilização de uma vasta região, que pode englobar o Médio Oriente, Cáucaso e Ásia Central.
Deste ponto de vista, tornam-se mais compreensíveis as posições defendidas por Moscovo.

8 comentários:

Wandard disse...

"P.S. Parece que regressámos de novo à "guerra fria". Enquanto que as super, grandes e médias potências defendem os seus interesses, a Síria mergulha numa guerra civil que poderá terminar não só com a desintegração deste país, mas provocar a deestabilização de uma vasta região, que pode englobar o Médio Oriente, Cáucaso e Ásia Central.
Deste ponto de vista, tornam-se mais compreensíveis as posições defendidas por Moscovo."

Parabéns ao Sr. Milhazes, por este comentário imparcial

PortugueseMan disse...

..."Não será permitido o cenário líbio em relação à Síria. Isso nós garantimos. ...

Isto foi dito assim? "preto no branco"?

Wandard disse...

PM,

Todos os sites de notícias publicaram o texto conforne o postado pelo Se Milhazes.

É bom verificar a movimentação naval no Mediterrâneo.

Abs,

PortugueseMan disse...

Wandard,

Obrigado.

E agora temos também aquele avião turco que caiu... vamos a ver no que vai dar.

PEDRO LOPES disse...

"E agora temos também aquele avião turco que caiu... vamos a ver no que vai dar."

Caiu? Será que caiu sozinho, ou escorregou em alguma coisa?

Espero que isto não descambe. Espero que os Turcos e Ocidente não peguem neste caso para tomar alguma iniciativa mais á moda dos Gringos!

Ou seja uma acção provocatória para depois justificar uma invasão.

Carlson Wonsbecker disse...

O F-4 PHANTON turco que sobrevoava o Mediterrâneo foi abatido!!! Qualquer outra noticia sobre este caça que não seja "abatido em combate" é mentira!!! E eu acho que não foram os sírios que abateram este caça, mais sim os zionistas!!!

Com relação á Síria, se Bashar Al Assad cair, irá ocorrer com a Síria o que hoje está ocorrendo com a Líbia! A Líbia, após a queda de Kadhafi está totalmente desestabilizada politicamente!

Todos os países que passaram pela Primavera Árabe estão desestabilizados politicamente!!! E a Síria não será diferente, até porque é isso que o Ocidente quer com estes países!!!

E eu espero que a Turquia nunca feche o Estreito de Bósforo para a Marinha Russa, porque se isso ocorrer será um ato de guerra!

Anónimo disse...

Estive a ver o curriculum de José Milhazes aqui no Blog e afinal é português filho de familias portuguesas. Nem sei como ele tem aquele ar de Rasputine que o identifica a quem não não sabe como um impedernido russo de falas assimiladas. Aqui fica o aviso, se ele deixar claro.
José

Jest nas Wielu disse...

Tudo indica que al-Assad será "demitido" pelos sírios à boa maneira de Ceauşescu e Gaddafi.