domingo, junho 03, 2012

NÃO HAVIA NECESSIDADE… Quem vai ao Cabo da Roca chamar ladrão a Vladimir Putin em russo?





Caros leitores, imaginem o espanto na cara dos turistas russos quando chegam ao Cabo da Roca e vêem palavras de ordem políticas escritas em língua russa! E se essas pinturas rezam o seguinte: "ПУТИН ВОР" - “Putin é ladrão!”!
Podem não acreditar, mas é verdade. Estas fotografias foram tiradas no Cabo da Roca hoje, dia 3 de junho, e enviadas para mim, que me encontro em Moscovo.
O local escolhido para a revelação foi o painel onde se fala das aves e plantas endémicas do Parque Nacional de Sintra.
E de ambos os lados para que ninguém deixe escapar a opinião dos “pintores”.
Será Putin ladrão ou não? A oposição russa considera que sim, tendo já sido publicados vários livros e numerosos artigos sobre os grandes cabedais que o actual Presidente da Rússia possui em bancos ocidentais.
O Kremlin não comenta essas acusações, como que dando a entender que elas não passam de calúnias e provocações.
Seja como for, não consigo compreender o que levou um ou vários opositores russos a estragarem o painel do Cabo da Roca com semelhantes pinturas. Será que há na Rússia pessoas que odeiam tanto o seu presidente ao ponto de levarem tinta consigo para Portugal para escrever, num lugar tão longínquo, mas frequentado por turistas, incluindo russos, semelhante frase? Ou trata-se de algum ou alguns anti-putinistas russófonos residentes em Portugal que se solidarizam dessa forma com as palavras da oposição?
Eu posso não morrer de amores pelo dirigente russo, mas acho a inscrição no Cabo da Roca uma brincadeira de mau gosto (isto porque não posso empregar palavras mais fortes por motivos óbvios).  Não só porque a tinta preta estraga o painel, mas também porque esse lugar português é demasiadamente belo para inscrições desse tipo.
Não passa pela cabeça de um português pegar numa lata de tinta branca e ir escrever nas muralhas vermelhas do Kremlin o mesmo sobre os seus dirigentes políticos.
Por isso, deixo aqui um apelo à Câmara Municipal de Sintra ou à direção do Parque Nacional de Sintra para que façam desaparecer rapidamente aqueles caracteres estranhos e ilegíveis para os portugueses, mas familiares para os russos.
Como diria Herman José, não havia necessidade…

7 comentários:

URAGAN disse...

José Milhazes virou pichador? Que vergonha! Que apelação...

Jose Milhazes disse...

Uragan, leia o texto com atenção e verá que eu não posso estar em dois lugares simultaneamente. Não sou Santo António.

Anónimo disse...

Eu picho
Tu pichas
Ele picha

Wandard disse...

"Não passa pela cabeça de um português pegar numa lata de tinta branca e ir escrever nas muralhas vermelhas do Kremlin o mesmo sobre os seus dirigentes políticos."

Sr. Milhazes,


Com todo o respeito à minha descendência e aos portugueses, pode passar pela cabeça de qualquer um. Infelizmente o Sr. não pode falar ou pensar por todos os portugueses, ou por qualquer turista de qualquer nação que visite Portugal ou qualquer pelo cidadão de qualquer país. Se for assim vou verificar em Caracas, Havana, Damasco, kabul, Bagdá, Teerã.............. quantas pichações e referências podem ser encontradas relacionadas aos líderes americanos e europeus, se formos buscar na internet e nos arquivos podemos encontrar centenas e centenas de referências e imagens.

Jose Milhazes disse...

Sr. Wandard, eu falo em nome dos portugueses sensatos e conscientes de que é crime estragar a propriedade pública ou alheia. Não compreendo como é possível vandalizar edifícios, monumentos históricos, etc. com pichagens.

Jest nas Wielu disse...

Lembrei a velha anedota soviética sobre a total liberdade de expressão na URSS, cada um pode sair à Praça Vermelha e gritar "Abaixo Nixon!" "Abaixo Reagan!"

Anónimo disse...

É um acto de vandalismo! Tenho certeza que fora o Jest...