segunda-feira, julho 02, 2012

Estaline e Hitler: irmãos – gémeos



Texto enviado pelo leitor Jest:
"Os mecanismos exatos que levaram ao início da guerra entre a Alemanha Nazi e a União Soviética até hoje não são totalmente conhecidos. A historiografia soviética sempre defendia a tese de “ataque traiçoeiro do 3° Reich”. O historiador britânico, ex-oficial do GRU, Victor Suvorov, defende a tese do que Estaline preparava-se para atacar o seu rival nacional – socialista em agosto de 1941, mas foi antecipado pelos alemães.

No dia 14 de junho, o jornal soviético “Izvestia” publicou o informe da Agência de Telégrafos da União Soviética (TASS), cujo autor pressupõe-se seja o próprio Estaline.    

“Mesmo antes da chegada do embaixador britânico na União Soviética, Sr. Cripps, em Londres, especialmente após a sua chegada, na Inglaterra e em geral, na imprensa estrangeira começaram propalar-se os rumores sobre a “a guerra próxima entre a URSS e a Alemanha.” De acordo com esses rumores: 1) a Alemanha apresentou à União Soviética as reivindicações de natureza territorial e econômica e agora decorrem as negociações entre a Alemanha e a União Soviética sobre um novo acordo mais próximo entre eles; 2) a União Soviética rejeitou essas reivindicações, em conexão com que a Alemanha começou agrupar as suas tropas nas fronteiras da União Soviética para atacar a URSS; 3) a União Soviética, por sua vez, está supostamente se preparar maciçamente para a guerra com a Alemanha e as suas tropas são concentradas na fronteira desta última. Apesar da aparente futilidade destes rumores, os círculos responsáveis ​​em Moscovo, consideraram ainda necessário, tendo em vista a disseminação persistente destes rumores, autorizar TASS a afirmar que esses rumores são propaganda desajeitadamente inventiva das forças hostis à URSS e à Alemanha, que estão interessados ​​em expansão e disseminação da guerra.

TASS informa que: 1) a Alemanha não apresentou à URSS quaisquer reivindicações e não oferece qualquer acordo novo mais próximo entre eles, como consequência, as negociações sobre este tema não poderiam ter lugar; 2) pelos dados da União Soviética, a Alemanha também respeita as condições do Pacto de Não-agressão germano – soviético, tal como a União Soviética, razão pela qual, na opinião de círculos soviéticos, rumores de intenção da Alemanha de quebrar o Pacto e atacar a União Soviética são privados de qualquer tipo de objetividade e a recente transferência de tropas alemãs, liberados a partir de operações nos Balcãs, para as regiões de leste e nordeste da Alemanha, possuem presumivelmente, outros motivos que não têm qualquer relação com as relações soviético-alemães; 3) a URSS, como uma consequência de sua política de paz, cumpre e pretende cumprir com os termos do Pacto de Não-agressão germano – soviético, consequentemente, os rumores de que a União Soviética está se preparando para a guerra com a Alemanha são falsas e provocatórias; 4) a mobilização de verão das unidades de reserva do Exército Vermelho que decorre neste momento e a as manobras consequentes visam nada mais do que o treino dos reservistas e verificação das operações do sistema ferroviário, realizados, como é sabido todos os anos, por isso descrever essas atividades do Exército Vermelho como hostis à Alemanha é pelo menos ridículo."

Fonte:
Estaline I. V., Obras, volume 18, pp. 221–223 (citado por Stalin/t18).

Blogueiro

Tendo em conta que a guerra começou no dia 22 de julho, tendo em conta que Estaline sabia a data do ataque alemão (vários agentes forneceram essa informação), tendo em conta que a URSS não estava em absoluto se preparar para uma guerra defensiva, é possível chegar a conclusão do que Estaline pensava atacar primeiro, mas foi antecipado pelo Hitler, o seu arquirrival e irmão – gémeo."

18 comentários:

Gilberto Mucio disse...

Stalin era um facínora.


mas daí a comparar com Hitler são outros 500.

Engraçado que essa comparação sinicamente vem quase sempre de cripto-simpatizantes do nazismo.

O herói de Jest, Stepan bandera, era nazista e serviu Hitler.

A Ucrânia do Leste -- o pais dos Pogroms -- teve mais colaboracionistas que a França.

Gilberto Mucio disse...

Stalin era um facínora.


mas daí a comparar com Hitler são outros 500.

Engraçado que essa comparação sinicamente vem quase sempre de cripto-simpatizantes do nazismo.

O herói de Jest, Stepan bandera, era nazista e serviu Hitler.

A Ucrânia do Leste -- o pais dos Pogroms -- teve mais colaboracionistas que a França.

Gilberto Mucio disse...

Correção*

"Cinicamente"(e não "sinicamente).

Gilberto Mucio disse...

A segunda guerra começa de facto com a anexação da dos Sudetos. E não com a invasão da Polônia como narra a historiografia oficial,

Quem deu a bênção a Hitler, e assinou tratado com Alemanha primeiro foram França e Inglaterra(com aval americano, de Joe Kennedy)!

Quem foi a Berlim abençoar Hitler e parabenizar pela invasão da Tchecoslováquia foi o premier britânico.

O primeiro a propor uma guerra de 2 frentes à Alemanha foi a União Soviética, como jã é sabido. França e Inglaterra refugaram!


URSS estava desguarnecida, depois dos expurgos no Exército Vermelho, que practicamente o destruiu, ao ponto de levaram um cacete da Finlândia.

Sabendo isso, França e Inglaterra disseram "te vira" para URSS... e na óptica de Stalin, ele se viu obrigado a assinar pacto de não-agressão.

Jest nas Wielu disse...

1) Ucrânia e os judeus: Ucrânia é o 4-to pais do MUNDO em número dos cidadãos que arriscavam a própria vida para salvar os judeus (2.402 pessoa):
http://pt.wikipedia.org/wiki/Justos_entre_as_na%C3%A7%C3%B5es

na página do Yad Vashem:
http://www1.yadvashem.org/yv/en/righteous/statistics.asp

2) "nazis": relatório dos serviços secretos da Estônia sobre o porquê do uso do termo "nazi", tão querido pelos nossos russófilos do costume:
http://pt.scribd.com/doc/98888442/%D0%97%D0%B2%D1%96%D1%82-%D0%B5%D1%81%D1%82%D0%BE%D0%BD%D1%81%D1%8C%D0%BA%D0%B8%D1%85-%D1%81%D0%BF%D0%B5%D1%86%D1%81%D0%BB%D1%83%D0%B6%D0%B1-%D0%B7%D0%B0-2011-%D1%80%D1%96%D0%BA

Jest nas Wielu disse...

p.s.
Um dos que foi reconhecido como Justo Entre as Nações é o arquimandrita da Igreja Grego-Católica Ucraniana (UGCC), Klymentiy Sheptytsky, ele morreu nos campos de concentração soviéticos na Sibéria http://en.wikipedia.org/wiki/Klymentiy_Sheptytsky

Felipe Pinheiro disse...

Numa guerra gigantesca como foi a 2a Guerra Mundial, onde haviam 3 campos opostos entre si que aspiravam a hegemonia mundial, o fator ideológico era irrelevante. O que realmente interessava era a conquista do poder hegemônico. Todos os beligerantes cometeram crimes de guerra, mas o maior de todos foram as bombas atômicas lançadas pelos EUA sobre o Japão.

Em relação à invasão nazista sobre a URSS, penso que ela decorre da derrota dos alemães no norte da África, vencida pelos ingleses. A fonte de petróleo dos alemães era o norte da África. Após perdê-lo, não restou alternativa à Alemanha senão buscar outra fonte no Cáucaso, na URSS. Após incluir a URSS no conflito, os nazistas selaram sua derrota, pois seria impossível lutar contra duas frentes (embora 80% do efetivo alemão tenha se dedicado à frente contra a URSS).

Ainda que os alemães tivessem ganho a batalha contra os ingleses no norte da África, mais cedo ou mais tarde, quando estivessem fortes e com o controle sobre a Europa, eles atacariam a URSS. Salvo engano, em seu livro Mein Keimpf, Hitler já manifestava seu interesse em invadir a Russia.

Pippo disse...

Ahahah! Estes camaradas estónios...

Face às acusações (verdadeiras, diga-se de passagem) de neo-nazismo por parte da população e das autoridades (apologia e glorificação dos membros estónios das SS, violação de memoriais soviéticos, revisionismo da História, etc.), a resposta é "os russos estão a reavivar a historiografia soviética" e ainda que "os russos apoiam extremistas".
Tadinhos!
OK, a malta é filonazi, mas isso não interessa, o que é importante é que os russos são maus, muito maus...

É só rir!

Quanto à alegação de que Estaline se preparava para atacar a Alemanha, essa teoria já foi há muito descartada. Nem sequer o Exército Vermelho estaria nas condições de atacar os alemães, e Estaline sabia-o. Aliás, ele até era o principal responsável por isso.

Pippo disse...

Anti-Nazis blocked as SS vets meet in Estonia

http://www.youtube.com/watch?v=MJWe6WSqQbM

Pippo disse...

Filipe, já ouviu a expressão "Drang nach Osten"?o Ela encerra em si toda a História do expansionismo germânico para Leste...

http://en.wikipedia.org/wiki/Drang_nach_Osten

Pippo disse...

E já que falamos em Justos entre as Nações, uma pequena curiosidade, meu caro Dmytro, perdão, Jest:
De todos os países ocupados, a Estónia está em penúltimo lugar no ranking. Só o Luxemburgo é que lhe fica atrás.
Mas claro, na Estónia não há celebrações que glorificam os membros das SS, isso é tudo invenção dos malvados dos cripto-comunistas russos... :0)

Marshall Zhukov disse...

Este indivíduo, Jest nas Wielu, se julga um grande conhecedor da história, mas suas informações são muito pobres de fonte!

Estaline destruiu o nazismo, e levou todo o mérito por isso, tanto é que deste feito, a URSS se tornou a 2ª Grande Potência!

O poder hegemônico soviético ficou claro, e outros países se alinharam á Ideologia Vermelha.

Se for analizado dois lados (EUA e URSS), o que os EUA perpetraram durante a 2ª Guerra Mundial foi mais abominavel do que tudo o que a URSS fez na 2ª Guerra!

A participação soviética na 2ª Guerra Mundial foi decisiva para a derrota do REICH alemão, e isto é incontestável!

Grandes histórias, bravos soldados soviéticos... Merecem um lugar de destaque na história mundial! E a Dinastia agora continua, mas agora se chamando Federação Russa!

A Rússia hoje está 50 anos á frente do Brasil, Canada, Austrália, Holanda, Belgica, Finlandia, Noruega, Suécia,Índia, Turquia, México, Argentina entre outros, em todas as esferas da sociedade humana (ciência, tecnologia, sociedade, poderio militar)!!!

PEDRO LOPES disse...

Tanta aberração escrita quando podemos apenas cingir-nos aos factos.

Basta apenas lembrar-nos de um simples facto:

Os EUA ganharam a guerra aos Japoneses lançando duas bombas atómicas lá do alto com bombardeiros de forma covarde.
Mas no Ocidente são estes os Heróis da II Guerra.

Por outro lado os Russos foram a Berlim combater porta a porta, no território da Besta e altamente defendida pelos Nazis e obrigaram-nos á rendição incondicional.

Tanta divagação para quê?

E já agora, sabiam que os "aliados ocidentais" como a Inglaterra e os EUA planearam atacar a URSS logo após estes terem tomado Berlim?
Seria este o agradecimento dos aliados ocidentais pelo esforço e sacrifício dos Soviéticos em derrotar os Nazis?
Podem confirmar aqui ou noutras fontes -> http://en.wikipedia.org/wiki/Operation_Unthinkable

E o autor deste plano é outro herói do mundo ocidental democrático, um tal de Churchil.
E depois admiram-se que os Soviéticos tenham estabelecido a "cortina de ferro" ou bloco de leste. Pudera sempre a serem ameaçados pelo Ocidente. Tinham obviamente a necessidade de construir uma zona tampão.

Jest nas Wielu disse...

2 Pippo - Filipe

Suécia tem 10 e Eslovénia 6, e são países muito maiores, mas estavamos falar sobre Ucrânia. bjs

Nos anos 1960-1980, KGB financiava movimentos “pacifistas” e estudantis, agora são financiados “anti-foscistas” e “anti-nozistas”.

Anónimo disse...

gêmeos siameses

Pippo disse...

2 Jest - Dmytro Yatsyuk

“anti-foscistas” e “anti-nozistas” não, anti-fascistas e anti-nazis. E em Moscovo não se glorifica o Vlasov, mas em Talinn comemoram-se os SS.

Jest nas Wielu disse...

2 Pippo - Filipe

Creio que entende-se perfeitamente que eles não comemoram os ideais do ns, mas apenas a sua luta contra comunismo. A a tentativa de os retratar como "nozistas" é apenas uma tentativa de ganhar a batalha das RP aos olhos dos pequenos burgueses ocidentais, nada mais.

Pippo disse...

2 Jest - Dmytro Yatsyuk

Claro, claro, como era a "luta contra os comunas", ok, "prontos", não faz mal, pode-se ser um "nazi lover" que não há qualquer problema.

Já agora, a conversa dos "pequenos burgueses ocidentais" é uma cena muito vermelhusca... :0D