sábado, agosto 03, 2013

Bloodhound Gang proibido de atuar na Rússia






O grupo de rock alternativo norte-americano Bloodhound Gang foi hoje proibido de atuar na Rússia por um dos seus membros ter “insultado” a bandeira russa num concerto realizado na Ucrânia, na véspera.
“Falei com a direção da região de Krasnodar. O grupo de rock Bloodhound Gang faz as malas. Esses idiotas não irão atuar na Kubana”, escreveu no Twitter Vladimir Medinski, ministro da Cultura da Rússia.
Os músicos norte-americanos deveriam atuar hoje no festival de música rock “Kubana”, perto do Mar Negro.
Na véspera, durante a atuação do Bloodhound Gang num clube noturno de Odessa, cidade do Sul da Ucrânia, o guitarrista Evil Jared Hasselhoff pegou nas bandeiras russa e ucraniana que lhe foram entregues pelo público, abriu a braguilha das calças, introduziu apenas a bandeira russa pela parte da frente e retirou-a pela parte de trás.
Esse gesto foi acompanhado das palavras “Não falem disto a Putin!”, tendo depois lançado a bandeira russa para o meio do público que o aplaudiu efusivamente.
Depois de rebentar o escândalo com a publicação de um vídeo na Internet, o grupo pediu desculpa pelo sucedido.
“Queríamos agradar a todos, levantámos a bandeira russa e foi assobiada. Antes de atirar alguma coisa para a multidão, limpamo-nos a ela. É uma tradição. Pedimos desculpa e não fiquem ofendidos”, escreve o grupo no Twitter.
Porém, o partido pró-Kremlin Rússia Unida já vejo exigir o julgamento e condenação desse ato pelos tribunais russos.
“A ofensa da bandeira é um pretexto direto para a abertura de um processo-crime e considero que as forças de segurança devem reagir de forma adequada e dura”, considera o deputado Ília Kostunov, citado pelo centro de imprensa do principal partido russo.

6 comentários:

Cristina Mestre disse...

Muito parecido ao que existia na União Soviética. Bolas, isto de manipular bandeiras já se sabe que não é igual em todos os países. Na Rússia, a bandeira é sagrada, noutros países podes embrulhar-te nela,atirá-la que ninguém diz nada. Afinal, era um concerto de rock e o ministro devia saber que a música é um espaço de liberdade.
Abaixo e censura!

PortugueseMan disse...

"Censura"?

A mim parece-me falta de respeito.

Experimente fazer cá o mesmo. Talvez fique a conhecer o artigo 332 do Código Penal:

Artigo 332.º - Ultraje de símbolos nacionais e regionais

1 - Quem publicamente, por palavras, gestos ou divulgação de escrito, ou por outro meio de comunicação com o público, ultrajar a República, a Bandeira ou o Hino Nacionais, as armas ou emblemas da soberania portuguesa, ou faltar ao respeito que lhes é devido, é punido com pena de prisão até dois anos ou com pena de multa até 240 dias.

2 - ...


José Milhazes disse...

Caro PM, acho também que tudo deve ter limites.

PortugueseMan disse...

Caro JM,

Só por curiosidade, falaram agora no telejornal da RTP, sobre os russos andarem com câmeras nos carros.

Pensei logo: Será que alguém anda a tirar ideias através do seu blog?

Pippo disse...

Sorte a deles a sua entrada ter sido barrada. Noutros países, eles teriam entrado mas já não sairiam.

É muito engraçado quando gozamos com o pagode, mas já não achamos piada quando a brincadeira nos rebenta na cara.

Manuel Goncalves disse...

Pois parece que a liberdade so vai ate certo ponto, embora eu considere que bandeira e hino sejam simbolos de uma nacao pelo que devem merecer todo o respeito seja em que situacao for, embora as vezes se deixe passar muita coisa. Contaram-me a historia de Mario Soares exilado politico em Paris pisou a bandeira portuguesa para anos mais tarde se vir a tornar presidente do mesmo e antes disso Primeiro Ministro.