sábado, maio 03, 2014

São urgentes conversações a sério, e urgentemente

A guerra civil na Ucrânia derrapa rapidamente para um conflito de grandes dimensões e nada faz prever o seu fim nos próximos tempos. Cada uma das partes apresenta argumentos para justificar as suas posições e cada uma delas parece cada vez menos disposta ao diálogo.
O incêndio na Casa dos Sindicatos da cidade de Odessa, ocorrido ontem e que que provocou mais de 40 mortos e duas centenas de feridos, entrará na história deste conflito como uma das suas páginas mais negras.
Penso que não deve haver precipitações na descoberta das causas e dos culpados dessa tragédia, mas deverá ser realizada uma investigação minuciosa internacional, pois qualquer investigação interna poderá ser pouco fiável. As acusações são muitas e mútuas. As autoridades de Kiev acusam a Rússia, mais precisamente o Serviço Federal de Segurança (ex-KGB), de estar por detrás de “mais uma provocação”, sublinhando-se que entre as vítimas se encontram 15 cidadãos russos e 5 da Transdnístria.
Moscovo, responsabiliza o governo de Kiev pelos incidentes e acusa-o de estar a utilizar militantes da extrema-direita no combate contra os federalistas.
Também não é bom sinal o facto de os parceiros internacionais das partes do confronto ucraniano estarem a endurecer os discursos e as acusações mútuas, no lugar de tentarem realmente desanuviar o conflito.
É incrível ouvir do representante da Rússia na ONU, Vitali Tchurkin, a declaração de que Moscovo está disposto a regressar ao acordo de 12 de fevereiro, assinado entre o Victor Ianukovitch, Presidente da Ucrânia, e a oposição, tendo como intermediários três ministros dos NE de países da UE. E a Crimeia, o Kremlin irá devolver esse território à Ucrânia, ocupado precisamente pelos russos depois dessa data? Se eu fosse um diplomata europeu ou norte-americano de peso e de mim dependesse a decisão, aceitaria a proposta russa para ver.
O Kremlin é também hipócrita quando permite que os separatistas façam reféns observadores da OCSE e diz estar a fazer todos os esforços para os libertarem. Esteve uma semana sem mexer uma palha, mas, quando o representante do Kremlin, Vladimir Lukin, entrou “incógnito” na Ucrânia e apareceu em Slavyansk, os separatistas libertaram-nos imediatamente. Ou seja, Moscovo controla as acções dos separatistas e só não vê isto quem não quer..
Poderão já existir grupos não controlados por Moscovo, pois as regiões do leste e sul da Ucrânia são conhecidas por aí existirem fortes grupos criminosos que não deixarão passar a oportunidade de “pontuar”
Quanto aos Estados Unidos, União Europeia e NATO, as posições que tomam em pouco ou nada contribuem para travar a agudização da situação. Por exemplo, de que serve a NATO considerar que a Rússia passa a ser um inimigo seu? Pressão moral numa altura destas? Que efeitos práticos terá.
Quanto às sanções contra a Rússia, elas nunca terão efeito imediato e, neste momento, importa rapidamente travar um conflito que ameaça incendiar uma grande região da Europa.
Se Moscovo ainda controla os movimentos federalistas e separatistas armados no leste e sul da Ucrânia (e o caso dos reféns da OSCE é prova disso) e o chamado ocidente tem capacidade de pressão sobre o governo de Kiev (o que também parece ainda ser verdade), então é urgentíssimo realizar uma reunião de todas as partes envolvidas directa e indirectamente no conflito. Moscovo, EUA, UE e o governo de Kiev devem sentar-se à mesa das conversações, mas que não terminem num espectáculo triste como foi o chamado Acordo de Genebra. É necessário elaborar aí um documento realista e concreto, com prazos e formas concretas de desarmamento de todos, sublinho, de todos os destacamentos armados ilegais.
Depois, realizar a reforma constitucional com vista a definir o futuro administrativo da Ucrânia e só depois levar a cabo eleições presidenciais em todo o país.




44 comentários:

Anónimo disse...

Caro José Milhazes,

Sempre tão rápido e seguro em sentenciar dedo russo em determinados actos, mas agora quer investigação minuciosa, demorada e a cargo de entidades estrangeiras (talvez o pessoal da ONU que a Nuland queria para colar aquela "coisa", conforme disse, ou os "observadores" militares da OSCE que agora foram libertos...).

Nomeie-se uma comissão, investigue-se até cair em esquecimento. Como seria bom para si, não é?

Mas investigação para quê se o JM já sentenciou que no espeto foram assados russos importados?

O seu conhecimento é espantoso. Pena é que no youtube se veja avozinhas, mulheres e locais entre os "russos" e "homens de verde" que o JM vê em todo o lado.

Aprende-se muito pouco neste blogue e na maior parte das vezes graças a comentários de leitores.

Não admira que o JM não sirva para correspondente noticioso em Moscovo porque a imparcialidade, isenção e objectividade não é uma casaca que se possa vestir e despir consoante a comunicação seja oficiosa e gratuita ou encomendada e paga.

Anónimo disse...

E mais digo.

Se o JM se desse ao trabalho de ver vídeos no Youtube dos incendiários a vasculhar os bolsos dos cadáveres chamuscados e asfixiados para não encontrarem documentos ou encontrarem, num ou outro, identificação ucraniana, melhor faria.

Espantoso que um governo e uma polícia ineptos, que forças de segurança inoperantes, que só servem para assistir a chacinas e desordem, tenham descoberto em pouco menos de 24 horas que eram russos e de onde vieram.

Mas como o JM diz, é preciso ter calma, não nos precipitemos, não tiremos conclusões apressadas, cuidemos por se nomear uma comissão de investigação externa que seja independente (quem? nomeada por quem? em que condições trabalhará? terá polícia com quem colaborar? etc, etc). Daqui a 1 ou mais anos saberemos o que se passou com os quase ou cerca de 40 mortos.

Enquanto isso, aquilo que em Odessa é para si indecifrável, em Donestk é evidente. Clarinho como água...

Agora vá o JM dizer às populações da Crimeia que não tinham razão para sentir medo, ou às populações de Donestsk que não têm razão para sentir medo...

Junte-se ao Nobama, ao herr Merkel, à mademoiselle Holande, ao cara de cera do Cameron e ao mordomo Barroso e gritem todos em uníssono que foi o Putin que enfiou toda aquela gente no edifício e lhes tacou fogo!

Já faltou mais...

PortugueseMan disse...

...O incêndio na Casa dos Sindicatos da cidade de Odessa, ocorrido ontem e que que provocou mais de 40 mortos e duas centenas de feridos, entrará na história deste conflito como uma das suas páginas mais negras...

De facto a situação foi bastante grave, onde se pôde ver a magnitude do ódio e a inacção das autoridades.

Viu-se pessoas aflitas nas janelas e cá em baixo a rejubilar para que saltassem, o que de facto acabou por ocorrer e não foi nada bonito de se ver. Isto não poderá ser escondido, porque foi filmado por muitos angulos e abundam os videos no youtube.

Mas o CURIOSO, é que nada disto se vê na imprensa ocidental, eu tenho estado a ver o que sai na nossa imprensa e ainda não vi nada por exemplo no Expresso ou no Publico. Vi a Euronews, BBC e CNN e as imagens que mostravam da situação não dava a entender a gravidade da situação, a RTP à pouco também pouco mostrou, morreram X num incêndio, etc, etc.

No entanto na RT, a coisa estava amplamente inflamada.

Ou seja a imprensa está dependente do lado dos que morrem, o que não fica nada bem para a imprensa Ocidental, caso os que estivessem a morrer queimados fossem pró-Kiev, as aberturas dos telejornais seriam completamente diferentes.

Acho a situação tão grave, que penso que já não há volta a dar, as posições de ambos os lados, empurram para uma separação do país.

PortugueseMan disse...

...As autoridades de Kiev acusam a Rússia, mais precisamente o Serviço Federal de Segurança (ex-KGB), de estar por detrás de “mais uma provocação”, sublinhando-se que entre as vítimas se encontram 15 cidadãos russos e 5 da Transdnístria...

Eu tenho visto declarações de autoridades locais, indicando que o que encontraram foram cidadãos locais. As autoridades de Kiev, já sabem que estava dentro do edifício? acho estranho...

PortugueseMan disse...

...Quanto aos Estados Unidos, União Europeia e NATO, as posições que tomam em pouco ou nada contribuem para travar a agudização da situação...

Qual o interesse em os EUA travarem a agudização da situação?

Os EUA não vão subsidiar a energia ucraniana. Não vão dar dinheiro aos ucranianos, não é possível instalar a NATO na Ucrânia devido às movimentações russas.

O que resta? mostrar ao mundo, os desejos secretos da Rússia, as suas más intenções, afastar a Rússia da Europa. Tudo o que acontecer à Ucrânia, terá que ser imputado á Rússia.

Se os EUA afastarem os países da UE, que a pouco e pouco se têm aproximado da Rússia, como a Alemanha e França, os EUA já marcaram sérios pontos neste jogo geopolítico.

Os Ucranianos? Os ucranianos que se lixem, são apenas mais uma vítimas, deste jogo entre grandes potências.

Infelizmente, os políticos ucranianos, não souberem gerir a coisa, no melhor interesse da Ucrânia e agora duvido que se possa fazer algo. Estão completamente lixados. Não vai haver dinheiro para nada, os ódios terão que aumentar, mais mortes terão que se seguir entre ucranianos, até se chegar à conclusão que algures terá que ser feito uma divisão.

Elena disse...

"entre as vítimas se encontram 15 cidadãos russos e 5 da Transdnístria"- isto nunca chegou a ser afirmado pelas autoridades ucranianas, foi um artista de Odessa, Alexandr Roitburd que o disse alegando ter as suas "fontes". Contudo as autoridades já têm desmentido as informações, sendo todos os corpos reconhecidos até o momento pertencentes a residentes da cidade de Odessa (segundo dados da Procuradoria da Região de Odessa)- vide p.e. http://www.pravda.com.ua/news/2014/05/3/7024242/

Viriatus disse...

Excelente artigo, caro JM. Lúcido e realista. A verdade é que a loucura para imperar nos dois campos, no lado russo, mas ainda mais fortemente no lado ocidental.

Anónimo disse...

Juatino disse :

Bom artigo este de JM.

Ainda no “aftermath” do aniversário do acidente de Chornobyl, urge reflectir sobre os riscos de uma guerra civil na Ucrânia, a primeira com reactores nucleares no terreno das operações, catorze em quatro locais, sem que ninguém possa garantir que os mesmos se encontram a salvo de bomba ou míssil ou até usados como bomba suja.

Na verdade, a primeira guerra civil com reactores nucleares ( 14 ) no teatro das operações pode significar a abertura da caixa de Pandora tornando realidade o mito de Prometeu, de consequências tão imprevisíveis quanto inéditas.

Claro que, se o desastre nuclear voltar a acontecer nenhuma das partes da contenda vai reivindicar o feito, ao invés, vão acusar-se reciprocamente sem que ninguém possa apurar o responsável directo ( se nem os satélites ou o supra sumo da tecnologia das grandes potências conseguem apurar o destino do voo MH370 da Malasyan Airlines ! ).

Em minha modesta opinião, uma reforçada autonomia do Donbass negociada em paralelo com a continuação do fornecimento privilegiado de gás e urânio, no fundo, a manutenção dos laços fortes entre vizinhos que não se podem ignorar ou dispensar, é por demais preferível do que um confronto também alimentado por urgente "real-politik" de actores bem mais distantes que sequer esperaram que o governo legítimo ucraniano terminasse o seu mandato num contexto em que seria difícil antever uma reeleição do mesmo face ao natural desgaste da governação.

Na verdade, a Ucrânia independente com as fronteiras actuais ( incluindo nela a Crimeia) só existe desde 1991 e, infelizmente, deu mais provas de um estado falhado, consumido por instabilidades políticas e falhanços de governação, que o contrário.

Alguma das partes da contenda, ainda miraculosamente vitoriosa, teria algum consolo perante um desastre desta natureza e amplitude ?

Finda a guerra, seguir-se-ia um acordo de armistício que, muito provavelmente e como corolário preventivo de reincidência bélica, implantaria uma ampla autonomia para o Donbass. Então, qual a valia de uma guerra com um elevado risco de desastre nuclear pelo meio ? Testar novos aviões e demais meios de combate ?

É que, citando Liev Tolstoi, autor de “Guerra e Paz”, obra prima de primeira grandeza da literatura mundial, "um fogo não apaga outro fogo".

José Milhazes disse...

A cegueira é tanta que se torna impossível discutir o que quer que seja. Onde é que eu afirmei que foi a Rússia a culpada pela tragédia em Odessa? O mais interessante é que alguns já não têm dúvidas.

ANTI-COWBOY disse...

Tudo o que diz,JM,parece-me ser verdade.O problema é que se deixou chegar a situação a um ponto que me parece não poder já haver retorno.Já o disse neste espaço que o mal esteve no começo da crise causada estupidamente,a meu ver, por forças essencialmente da CIA e seus criados na Ucrânia.Porque como tudo isto começou sabemos bem,como vai acabar não sabemos de todo.Sabemos bem que os snipers de Maidan atiraram sobre a polícia ucraniana e simultaneamente sobre os manifestantes,o que se confirma pelo relato de uma médica que tratava em hospital improvisado em edifício do local,os feridos das confrontações nas manifestações.Não esqueçamos que as balas em ambos os casos eram as mesmas,segundo a médica referida,o que aliás foi conversado e comentado,como sabemos,entre Catherine Ashton e o ministro dos NE da Estónia.Sabemos também que os elementos do Sector de Direita foram,pelo menos alguns,treinados na Polónia e num ou outro país báltico e sabe-se lá por quem mais ligado a empresa privadas utilizadas nestes casos pelo governo americano para causar o caos.Sabe-se isso.Nos últimos dias foi ouvida a língua inglesa a pessoas que faziam parte das tropas enviadas por Kiev para o leste da Ucrânia.Claro que há russos no leste da Ucrânia também.De que é que se estava à espera,que os russos fossem lorpas e que tudo corresse às mil maravilhas para o lado do governo interino e anti-constitucional de Kiev apoiado no dia a seguir pelos americanos com os criados europeus a aplaudir?
Os russos não vão permitir a NATO,isto é,a América às portas de casa,onde já vai estando,mais é que não,e muito bem,porque já chega, ou os americanos são uns santinhos? Os EUA também não permitiram tropas e armamento do Ex-Pacto de Varsóvia,isto é,da Ex-URSS em Cuba,e muito bem.
Já comentei aqui,que a partir de certa altura ia valer QUASE tudo.É o que começa a estar a acontecer.Esperemos que a perigosa "cowboyada" americana na Ucrânia não seja o começo de uma 3ª guerra mundial.Tenho esperança que não.Já chegou a Coreia,o Vietenam,O Iraque,a Líbia,a Venezuela,a primavera árabe e a Síria.Ganhem juizo, mesmo com a estratégia das guerras limitadas, porque a Rússia não é um País qualquer e Putin não é um traidor como o Yeltsin.O Gorbatchev ou também era ou era parvo.Inclino-me mais para a segunda hipótese.
Todos sabemos que bem ou mal o comunismo acabou e isso é reconfortante para um social-democrata como eu.Contudo os regimes políticos terão que ser pensados para cada povo,porque não somos todos iguais,e ainda bem.Não há receitas iguais para NAÇÕES diferentes.Mas esta seria outra conversa que hoje não vem para o caso.
Para quem acredita em Deus,que Ele tenha compaixão da Ucrânia e dos ucranianos.

N. Amorim disse...

Acabadinho de passar na SIC, onde o senhor JM costuma ser chamado a pronunciar-se... "Kiev acusa Russia de orquestrar os incidentes que levaram ao incendio" ..bando de bastardos, basta uma busca rapida para verem o desenrolar dos acontecimentos.

ninguem tem coragem de chamar os bois pelos nomes, é tudo muito vago..são edificios que se incendeiam, pessoas que morrem ...

https://www.youtube.com/watch?feature=player_detailpage&v=rrxM-XykW98#t=120

bastardos !!!!

https://twitter.com/carlbildt/status/462307447882121216

o que se pode esperar dos lideres europeus, quando se le isto.

bastardos !!!

vão ter um inferno á sua espera quando morrerem.

José Milhazes disse...

M.Amorim, quem lhe dá o direito de insultar as pessoas? A SIC diz que Kiev acusa, o que significa que é o actual governo que faz a acusação e não a televisão. Se quer uma versão interessante dos acontecimentos, veja aqui: http://napaki.livejournal.com/100072.html

N. Amorim disse...

agora o jornalismo virou - relay -
ninguem diz nada, apenas repetem, e se repetirem porcaria, paciencia. é essa idea ?

Anónimo disse...

Caro José Milhazes

Não foi o que afirmou, mas o que não disse, merecendo ser dito por quem se mostra capaz de ser oportuno, e o contraponto que só opta por introduzir quando o vento sopra contra determinado lado.

Para uns é sim. Para outros é sim, mas...E fala mais do mas do que do sim...

Eu vi os vídeos no youtube.Estão aí para ver. Pela mão de várias sensibilidades e afiliações (RT, AP, Reuters, Vice-News e, inclusive, Euromaidan, ...), ilustram diversos momentos (confronto nas ruas de Odessa e suas vítimas, retaliação ao final do dia contra os russófonos ou russófilos acossados no edifício) e segundo diversas perspectivas (a das ruas do centro, a panorâmica sobre a praça, a visão de rua junto do edifício, a fachada do edifício, o rescaldo no interior do edifício repleto de corpos remexidos pelos facínoras).

São imagens cruas que não deixam margem para dúvidas sobre a natureza dos protagonistas e dos actos perpetrados no edifício.

Foi uma chacina ao velho estilo dos fornos crematórios dos campos de concentração ou do assalto ao gueto de Varsóvia.

Até teve direito a banda sonora de cânticos ultra-nacionalistas e aqueles que tiveram a felicidade de sair vivos do edifício foram obrigados, alguns queimados e cheios de fuligem, a fazê-lo de rojo, forçados a rastejar ou sendo arrastados pelo chão para serem amontoados como baratas.

Saíram homens e mulheres. Uns novos, outros de meia idade. Uns magros, outros gordos. Uns equipados para a porrada, outros com a roupa que envergaram ao sair de casa.Não era nenhum exército clandestino.

Assim como a turbe em redor do edifício era heterogénea, mas puxava toda para o mesmo lado.

40 pessoas chacinadas sem dó nem piedade à vista de quem quis ver e vêm-me o JM falar de tudo e mais de um par de botas, incluindo rumores e desinformação que são postos a circular no minuto seguinte, quando versam sobre factos cuja comprovação careceria de meios e tempo inexistentes para as autoridades de um estado falhado e um governo fantoche, para encobrir uma vergonha sem nome.

Mikael cardoso disse...

Jose sei la oque o seu blog e que hipócrita, você esta cego não encherga que logicamente aqueles caras eram do setor direita num video RT mostrava a bandeira preto vermelho e as insignias do setor direito, com toda serteza vieram da parte ocidental da Ucrânia eles visilvelmente não são típicos etnicamente da região de Odessa o seu blog e tão tendenciosa que me enche de ódio do fundo do meu coração, você não se mostra capaz de controlar o que ponta como se você já não tivesse mais vontade propria, fica notável quando você não conseque notar que sua palavras são tendenciosas . Mikael Cardoso

PortugueseMan disse...

A Ucrânia vai ficar num autêntico inferno.

O que aconteceu ali está a propagar-se à velocidade da luz via internet.

Os ódios vão rebentar. Se eu aqui no conforto do meu lar, por detrás de um teclado, sinto o que estou a sentir, ao ver o que se passou ali.

Então que dizer dos ucranianos que estão a ver as imagens de como as coisas se passaram.

Ucranianos vão matar ucranianos. A coisa vai rebentar mais tarde ou mais cedo.

E os que alinharam naquela matança, muitos estão gravados em várias filmagens. Não deve faltar muito para serem identificados. Eu imagino o curto futuro de muitos deles.

Depois disto, não acredito em algum tipo de hipótese, onde o que resta da Ucrânia, possa ser una.

Vai ter que haver algum tipo de divisão.

Agora resta saber quantos ucranianos terão que morrer até se chegar a negociações.

Deve ser realmente a única maneira deles se esquecerem que o país faliu. Não têm dinheiro para nada e não sei como vai ser este inverno.

Eles vão estar distraidos a matarem-se.

Vamos ter uma guerra na Europa, esperemos pelo menos que não alastre.

Guilherme Antonio Morgado disse...

Realmente aceder a este blog para ler tais dislates tão anti Rússia, tão vergonhosamente parciais, torna-se revoltante. Só quem age e pensa de má fé, poderá acusar os russos de criminosos e fazer as vistas grossas aos nazis ucranianos, apoiados por um Ocidente igualmente responsável por este crime odioso. Tendo como diz ter vivido na Rússia, é incrível como tem a coragem de tomar posição favorável aos criminosos nazis que gerem aquele não País mergulhado num caos, chamado Ucrânia. Embora sabendo que o blog é seu e pode escrever o que muito bem quer, deveria ao menos ter o bom senso e saber que mão que em tempos nos alimentou jamais deveria ser mordida. Mas pelos vistos esse tipo de reconhecimento não lhe é familiar.

Anónimo disse...

senhor Milhazes,

acompanho regularmente este blogue, mas quase nunca escrevo aqui.

mas neste momento tenho mesmo que dar a minha opinião.

Como é possível que o senhor não consiga ter o mínimo de bom senso e de sentimento de justiça!

será que o senhor não percebe que este processo da Ucrânia foi criado por wachington(ou máfia ociedental como queira) para criar um pretexto para que o complexo militar americano continue a receber fundos???

Com esta acção, é criado um novo inimigo(iraque e alcaeda já lá vai) que é a Russia.

O segundo objectivo é amedrontar os países de leste com o bicho papão da Russia para que estes comprem mais armamento aos EUA.

isto não tem nada a ver com politica mas sim com máfias nos governos.

O senhor está a passar uma imagem de um homem pouco sabio, devia por de lado os seus afectos na sua actividade profissional.

utilize apenas factos jornalísticos.

O senhor está constantemente no lado errado da razão, já em 2008, relativamente à guerra da Geórgia foi o triste espectaculo que eu considero que foi uma humilhação para si. Tenho pena que tenha a memoria curta e que não se recorde das previsões que fez, como por exemplo que a Russia ia entrar em guerra civil e que a economia russa ia colapsar......

o senhor admite que esteve muito mal até 1989 e merece respeito por isso.

provavelmente daqui a uns bons anos, vai dizer o mesmo que disse do período anterior a 89' e dizer que a sua vida foi um fait diver completo.

passou de comunista a cristão cosmopolita.

O seu erro é não saber que a virtude está no meio, para sim é tudo de um lado ou tudo do outro.

Se calhar, só aos 99 anos é que vai perceber o que é certo e o que é errado.

vasco F.

MSantos disse...

Anónimo das 21.23

Subscrevo na totalidade o que escreveu, e compactuar com isto é compactuar com ódio e maldade puras.

E sim, ao buscar-se argumentações e cambalhotas de insinuações, está-se a omitir o importante e a fechar os olhos a uma enorme barbaridade. Especialmente vindo das "virgens" das "liberdades" e "democracias" que estão sempre prontos a apontar crimes.

Já perderam todo o senso e continuem nas vossas cambalhotas...

Cumpts
Manuel Santos

Anónimo disse...

a conversa entre comandante dos separatistas, cidadão russo Igor Girkin e Vladimir Lukin (que já confirmou assas conversas), legendado em inglês: http://www.youtube.com/watch?v=fXZuHUyWQuw

Pippo disse...

Em Kramatorsk, as forças de Kiev, apoiadas pela famigerada Guarda Nacional formada por milícias nacionais-socialistas, conseguiram tomar a cidade após dispararem indiscriminadamente contra civis.

https://www.youtube.com/watch?v=-efs7WHGZ2w


Após a ocupação, a população recebe "entusiasticamente" os seus "libertadores" estrangeiros aos gritos de "Fascistas" Fascistas!".

https://www.youtube.com/watch?v=75dlup0WXGY


Após esta ocupação violenta, as forças de Kiev prosseguem a sua ofensiva contra os ucranianos e as suas milícias de Slavyansk, que apelam à ajuda da Rússia para resistir a este assalto.

Se nada for feito, correm os risco de ser enfiados em crematórios, como aconteceu em Odessa, para gáudio das turbas neo-nazis.

Carlos Caseiro disse...

O que eu sei é que há uma grande precipitação na divulgação das notícias por parte dos mas média. Ontem andei a trabalhar com ucranianos. De manhã tinham encontrado 35 cidadãos com passaporte russo, à noite já só eram três.

Carlos Caseiro disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Carlos Caseiro disse...

O que eu sei é que há uma grande precipitação na divulgação das notícias por parte dos mas média. Ontem andei a trabalhar com ucranianos. De manhã tinham encontrado 35 cidadãos com passaporte russo, à noite já só eram três.

chukcha disse...

Os nossos amigos ocidentis andam a brincar ao "FORNO CREMATÓRIO". Agora o Churkin fala e só falta a Mrs. Powers responder: - Mas vocês é que causaram isto, ao financar os nazis galaicos e anti-russo! Não? Pois... a narrativa está a ficar complicada..

Já agora, para quem ouvir o Zello... sabem qual é q porra que mais se diz por lá?

"Quando é que os russos e putin nos vêm ajudar! Estes canalhas estão a matar-nos..."

E agora? Putin é bom se intervêm? Ou Putin é bom se deixa desenrolar o genocidio?

Ou foi Putin que casusou tudo isto? Não? Foi o OCIDENTE? E CADÊ (passe a expreessão) o MEA CULPA??????????

chukcha disse...

E esta merda está-se a tornar psicotica (passe a expressão).Um Assad ou um Ianukovitch não pode enviar uma policia de choque para uma Manif. O Turchinov e o Yats Doido podem enviar o exército, que a imprensa ocidental não diz nada...

Porra que esta merda (passe e expressão) dos standarts duplos já chateia como o Raio...

Putin, filho, faz como a Nato... Envia PeaceKeeping Forces, e depois a Onu aprova né??????

Miguel Dias disse...

O Sr. José Milhazes, esperava mais imparcialidade da sua parte, e nunca pensei que o senhor tentasse maquilhar este crime hediondo que foi cometido pelos golpistas de Kiev contra civis russos. Uma vergonha, nunca visto na europa desde os tempos da segunda guerra mundial.

Tuga disse...

Um dos videos da chacina, elementos do Pravy Sektor a atirar a matar sobre quem tentava escapar pelas janelas.


http://www.youtube.com/watch?v=SbeUmpQ_4nU&feature=player_embedded

O que é mais ultrajante é ver a forma como os media ocidentais estão a abafar estes factos, e pior dizem que foram os russos que prepararam o massacre, estilo false-flag.

Os americanos lá sabem os métodos que usam.


carlos disse...

Grande número de aeronaves militares russas chegam à Simferopol; Bombardeiros estratégicos marcam presença.

http://www.youtube.com/watch?v=YhWTBxVwrT8

Telmo Rodrigues disse...

O que se passou foi um massacre, dos piores crimes cometidos na europa depois da segunda guerra mundial.

Uma verdadeira casa dos horrores.

Homens, mulheres, algumas grávidas, crianças, velhos, tudo assassinado a sangue frio.

Quase todos mortos a tiro e à bastonada e depois incinerados, para esconder a execução em massa.

Os restantes morreram por intoxicação.

Podem confirmar neste artigo, imagens chocantes.
http://frallik.livejournal.com/781599.html

Em Odessa primeiro houve confrontos no centro da cidade entre grupos de federalistas locais e de pro-ucranianos vindos de Kiev e do leste, todos armados com bastões e armas ligeiras, daqui resultaram feridos de ambos os lados, mas a polícia conseguiu separar os grupos rivais.

Junto á casa dos sindicatos tínhamos um acampamento de pessoas que protestavam contra o governo de Kiev e que estavam recolher assinaturas para um referendo pela independência.

Acontece estes activistas foram atacados por elementos do Pravy Sektor em muito maior numero, que começaram por incendiar as tendas e depois atiraram a matar sobre estas pessoas, que foram forçadas a se refugiar dentro da casa dos sindicatos.

Mas nem aqui se safaram, a casa foi invadida e toda esta gente foi morta a tiro e á bastonada, depois os corpos foram incinerados.

http://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=ypnu0vteNto

http://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=8apCHoAu18Q

http://www.youtube.com/watch?v=PgvttN6S5tE&feature=player_embedded

Outros morreram por intoxicação e os restantes abatidos a tiro por elementos do Pravy Sector quando tentavam sair pelas janelas, como é possível ver pelo 1º vídeo.

Onde se vê que a informação anda inquinada é que sobre tudo isto nem uma palavra nos media mainstream a cumprir ordens dos americanos, tudo camuflado, ainda por cima, tentam passar a ideia que a culpa foi dos russos, anda por ai a circular uma espécie de teoria da conspiração que poe a culpa nos russos.

http://www.publico.pt/mundo/noticia/servicos-de-informacao-da-ucrania-denunciam-ataque-orquestrado-pela-russia-sobre-odessa-1634528

Para além de ridículo, isto é um atentado á inteligência de pessoas realmente informadas.

Se não fosse trágico, seria cómico.

Telmo Rodrigues disse...

O que se passou foi um massacre, dos piores crimes cometidos na europa depois da segunda guerra mundial.

Uma verdadeira casa dos horrores.

Homens, mulheres, algumas grávidas, crianças, velhos, tudo assassinado a sangue frio.

Quase todos mortos a tiro e à bastonada e depois incinerados, para esconder a execução em massa.

Os restantes morreram por intoxicação.

Podem confirmar neste artigo, imagens chocantes.
http://frallik.livejournal.com/781599.html

Em Odessa primeiro houve confrontos no centro da cidade entre grupos de federalistas locais e de pro-ucranianos vindos de Kiev e do leste, todos armados com bastões e armas ligeiras, daqui resultaram feridos de ambos os lados, mas a polícia conseguiu separar os grupos rivais.

Junto á casa dos sindicatos tínhamos um acampamento de pessoas que protestavam contra o governo de Kiev e que estavam recolher assinaturas para um referendo pela independência.

Acontece estes activistas foram atacados por elementos do Pravy Sektor em muito maior numero, que começaram por incendiar as tendas e depois atiraram a matar sobre estas pessoas, que foram forçadas a se refugiar dentro da casa dos sindicatos.

Mas nem aqui se safaram, a casa foi invadida e toda esta gente foi morta a tiro e á bastonada, depois os corpos foram incinerados.

http://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=ypnu0vteNto

http://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=8apCHoAu18Q

http://www.youtube.com/watch?v=PgvttN6S5tE&feature=player_embedded

Outros morreram por intoxicação e os restantes abatidos a tiro por elementos do Pravy Sector quando tentavam sair pelas janelas, como é possível ver pelo 1º vídeo.

Onde se vê que a informação anda inquinada é que sobre tudo isto nem uma palavra nos media mainstream a cumprir ordens dos americanos, tudo camuflado, ainda por cima, tentam passar a ideia que a culpa foi dos russos, anda por ai a circular uma espécie de teoria da conspiração que poe a culpa nos russos.

http://www.publico.pt/mundo/noticia/servicos-de-informacao-da-ucrania-denunciam-ataque-orquestrado-pela-russia-sobre-odessa-1634528

Para além de ridículo, isto é um atentado á inteligência de pessoas realmente informadas.

Se não fosse trágico, seria cómico.

Astromac disse...

Um acontecimento trágico que inexplicavelmente as forças de segurança não conseguiram travar. Independentemente de quem sejam as vítimas (ou atacantes) é um episódio muito triste.

Posto isso, é vergonhoso tantas acusações neste blog à idoneidade do José Milhazes. O caro Guilherme Morgado diz que aceder a este blog se torna revoltante. Outros acusam cobardemente José Milhazes de propagandista ocidental. Por favor, caros comentadores deste calibre, seria melhor para todos se simplesmente não visitassem este blog e parassem de depositar lixo nos comentários. Há bastante outros locais onde tais comentários são mais apropriados. Este sítio não é um órgão de informação, é o um blog pessoal de um jornalista deveras respeitável que apresenta a sua opinião. Se não gostam, não leiam! É incrível como tudo o que seja mesmo ligeiramente contra a Rússia é propaganda e parcial, enquanto que a propaganda oficial deve ser respeitada!?

Paulo disse...

É espantoso, como a propaganda russa consegue convencer algumas mentes (normalmente desinformadas ou pior, convencidas de que estão informadas).

A Russia fascista, não está interessada em eleições e fará tudo, matará, assassinará, queimará quem for necessário para garantir que não haverá eleições.

Por detrás de mais um massacre está obviamente a organização criminosa que ao longo de decadas foi responsável pela manutenção da tirania na Russia e que sempre utilizou todos os métodos mais torpes e criminosos para atingir os seus fins.

Os fascistas precisam de mártires para justificar a invasão das tropas de Putin, mas ao mesmo tempo e à medida que a situação piora, o próprio ditador tem que começar a ter dúvidas sobre a trapalhada que iniciou.


Putin está encurralado e um animal encurralado é perigoso.

Mas mesmo Putin sabe que mesmo que divida a Ucrânia em dois países, criou já na Ucrânia Ocidental um inimigo fidagal, que odiará a Russia por muitas décadas.

Na ucrânia do leste, onde a população é maioritáriamente ucrâniana mas fala russo, a situação não é clara e continua a haver muitos ucrânianos que não querem nem ouvir falar na Russia.

O ditador fascista russo ocupou a Crimeia e como aconteceu com Hitler, pode ter tomado o freio nos dentes.

Hitler pensou que podia fazer tudo. Putin corre o risco de ir pelo mesmo caminho.

Putin ganhou a Crimeia, perdeu já claramente a Ucrania Ocidental e criou e alimenta uma situação de guerra no leste.

Putin tem agora uma guerra civil à porta. Não quer a Ucrânia porque teria que a alimentar, mas também não quer que ninguém a tenha.

Como Estaline, que matou 6 milhões de ucranianos à fome, também Putin pode preferir esse caminho.

Pippo disse...

Tenham calma que os dirigentes da Nova Ucrânia Democrática & etc, já vieram dizer que a culpa foi da Rússia (claro!) e da polícia, que nada fez... não sei é se aqui falavam da culpa da polícia em não ter salvo os novos judeus do forno crematório ou se da culpa por a polícia não ter evitado que algumas dezenas tivessem sido libertadas da prisão pelos manifestantes.

Já agora, quantos assassinos do Sector de Direita foram presos?

Mas talvez este morticínio seja aquilo que a "comunidade internacional" estivesse a pedir para a tão esperada (desejada?) intervenção russa. Não foram os Ocidentais que disseram que os ucranianos russos e russófonos não estavam ameaçados? Pois aqui está.

Pippo disse...

Carlos Caseiro

Não houve qualquer "precipitação" na divulgação das notícias.
Como parece ser jornalista, conhecerá certamente o trabalho do Carlos Santos Pereira (O quanto nós aprenderíamos se ele estivesse a cobrir esta guerra!).

Ora, o Carlos referiu, relativamente à Jugoslávia, que as falas informações e as acusações "levianas" eram orquestradas para encher as parangonas. Manda-se a atoarda, todos lêem, e quando vem o desmentido este já só aparece em notas de rodapé, que ninguém lê.

Foi exactamente o que se passou aqui. Houve porrada "inter-tribal" , os sicários do PS atacaram outra manifestação distinta, correram com as pessoas para dentro do edifício o qual depois incendiaram.

Depois vem o governo de Kiev e o SBU (que também é ex-KGB, mas o JM nunca o refere, só o refere quando fala do FSB!) dizer que eram todos "estrangeiros" ou "agentes infiltrados" e essa "informação" é tomada como "fiável" aqui pela malta.

Azar o deles que há mais informação a circular...

Quanto ao desmentido, cá está: vem em algum lado em grandes parangonas? Não. Por isso é que, "De manhã tinham encontrado 35 cidadãos com passaporte russo", mas à noite já só eram três, e isso é tudo muito ush-ush, pois não interessa nada.

Pippo disse...

O exército de ocupação lança-se agora contra Slavyansk, que se defende denodadamente.

Kiev reconhece que as suas tropas sofreram já quatro mortos e mais de 30 feridos, e mais um helicóptero foi ao chão, os seus dois pilotos sobrevivendo à queda.

http://www.theguardian.com/world/video/2014/may/05/fighting-between-ukrainian-troops-pro-russian-separatists-slavyansk-video

Naturalmente, os ucranianos usam de todas as armas ao seu dispor para se oporem às forças fascistas, incluindo os blindados capturados às forças de Kiev há umas semanas.

http://www.telegraph.co.uk/news/worldnews/europe/ukraine/10809290/Ukraine-crisis-Eight-killed-in-bitter-battle-in-Slavyansk.html

Obviamente, todas estas acções visam não só impedir o referendo de dia 11 como esmagar, de uma vez por todas, toda e qualquer vos de oposição à revolução "democrática" de Kiev que trouxe à ribalta do poder o Svoboda e o Pravi Sektor.

Entretanto, em Odessa, enquanto o mortos são enterrados, os neo-fascistas mudam as estruturas de poder na polícia, demasiado "soft" para com os "terroristas", o "governador" de Odessa informa que irá ser criado um "batalhão da defesa territorial" com 400 homens, e chegam uma unidade especial da polícia para "manter a ordem", isto é, malhar, matar ou raptar todos aqueles que não concordam com o actual poder.

Creio que esta era a guerra que muitos aqui desejaram quando se opuseram aos movimentos dos ucranianos anti-Kiev que eclodiram há umas semanas e desejaram a unificação (nem que fosse forçada) do país.
Agora si, devem estar contentes, pois o que interessa é que o Putin leve "uma coça".

Nuno Rolo disse...

Boa noite,
Hoje o Pentágono anunciou que caça F-15 intersectaram aviões russos Tupolev 95 aproximarem se da California, a mesma fonte que também foram intersectados aviões russos sobre a base de Guam, o Pentagono afirma que estes voos começaram desde que a crise da Ucrânia começou, a fonte é o Gen.Herbet.

esta aqui o link quem quiser ler:
http://www.elmundo.es/internacional/2014/05/06/5368bf0d22601de7568b4580.html

Pippo disse...

Em resposta às sanções ocidentais, a Rússia dá a primeira resposta, atacando onde dois mais: na bolsa.

Acabou de ser publicada uma lei que não só estipula a criação de um sistema de transacções tipo Visa como proíbe os sistemas de pagamentos internacionais de cortar serviços aos clientes russos, obrigando-os a basear o seu centro de processamento na Rússia.
Para garantir o seu bom comportamento, os operadores internacionais terão de fazer um depósito de segurança no banco central da Rússia igual ao valor médio de dois dias de transacções, no valor de 3,8 biliões de dólares.
A lei também diz que, se um sistema de pagamento congelar unilateralmente operações para um cliente russo, terá de pagar uma taxa no valor de 10% do seu depósito de segurança por cada dia que não prestar o serviço.

O sistema Visa já veio dizer estar "preparado para cooperar com a Rússia para resolver questões relacionadas com a nova lei".

http://www.theguardian.com/world/2014/may/06/russia-security-deposit-visa-mastercard-sanctions-ukraine

Hugo Dionisio disse...

vamos a ver se isto passa...

Ucrânia por uma jornalista polaca

Aqui Onde O Fascismo Já Amadureceu

Por Urszula Borecki (jornalista sem fronteiras)

Passei uma semana no Sudeste da Ucrânia, viajando de Odessa a Donetsk, e a primeira ideia que me acode, uma vez retornada a Varsóvia, é a de um murro no estômago. Como sempre acontece quando parto em serviço, programo trabalho, antevejo situações possíveis, planeio os meus itinerários.
Pois nunca me enganei tanto em relação à realidade que imaginava ir encontrar. Não apenas porque sou, como somos todos, uma vítima da informação deturpada. O que vivi e registei está muito para lá disso: é um grito de alarme vindo da Ucrânia profunda e com destino a toda a Europa.
Todos os que somos originários ou vivemos no Leste da Europa, mesmo aqueles que não queiram reconhecê-lo ou admiti-lo, sabemos que depois da queda dos regimes de domínio soviético a selvajaria neoliberal e a hecatombe social que provocou acabaram por parir a retoma dos nacionalismos raivosos e vingativos, sublimados mas não extintos. Vamos registando fenómenos neste e naquele país, como ataques contra minorias, manifestações xenófobas cada vez mais violentas, ajustes de contas com a História, recuperação e mesmo glorificação de criminosos que colaboraram com Hitler, multiplicação de milícias de assalto, restauração do antisemitismo, de uma maneira ou de outra sintomas inquietantes de um mal por curar.
Porém, estava longe de imaginar que o fascismo tivesse já amadurecido da maneira que amadureceu na Ucrânia, a ponto de conseguir tomar as rédeas condutoras do poder. Daí a sensação de murro no estômago, porque nesta conclusão não existe qualquer ponta de exagero. Quanto um dos oposicionistas que encontrei em Odessa me disse, com ênfase, "não somos separatistas, somos antifascistas" fiquei com a a noção de uma realidade que anda escondida porque gente com muita responsabilidade neste mundo tudo faz para escondê-la. O medo, o terror que alastram no Sudeste da Ucrânia não tem nada a ver com falsas ameaças russas mas sim com o conhecimento, por parte de milhões de pessoas, de que é o fascismo, ainda que eleitoralmente minoritário, que manda em Kiev, nas regiões ocidentais, e que pretende fazê-lo em toda a Ucrânia.
Durante esta semana de viagem ficaram muito claras para mim as razões dos resultados no referendo na Crimeia, principalmente o facto de muitos cidadãos ucranianos "puros", que não cabem nas definições de "pró-russos", terem votado pela integração na Rússia. Chamem-lhe voto de auto-defesa, se quiserem.
O actual governo ucraniano, nascido de um golpe de Estado - que não haja dúvidas quanto a isso - não é apenas ilegítimo, é controlado por dirigentes fascistas. Os seus membros podem até dizer que vão tolerar a língua russa e proporcionar igualdade de direitos a todos os ucranianos, mas o dia-a-dia demonstra a falsidade dessas promessas tácticas. O governo de Kiev quer o poder absoluto e pretende silenciar as oposições, mesmo que seja a tiro, sob pretextos vários, alguns deles velhos de um século como o da "ameaça russa". O governo de Kiev actua cada vez mais sob o controlo das áreas militar e de segurança - as que foram tomadas em mão por dirigentes nazis que a si mesmos se definem como herdeiros do criminoso nazi Stepan Bandera.
O que as populações do Sudeste da Ucrânia fazem, sendo acusadas de tudo quanto há de pior desde Kiev a Washington ou Lisboa, é alertar o mundo para o amadurecimento do fascismo na Ucrânia.
O que as chamadas democracias fazem, servindo-se das armas da NATO, é criar condições para que esse amadurecimento se estenda a muito mais países. Parece a história ao contrário; infelizmente é a história real.


PS. Branqueiem o fascismo, com que os ultra liberais tão bem se dão e depois venham cá dizer que o nosso problema é a Rússia.

Hugo Dionisio disse...

E será que este também passa? Os 38 mortos de ODESSA foram sindicalistas e outros protestantes CIVIS. ESTÁ no YOUTUBE. Não é uma opinião, é um facto.

America’s Neo-Nazi Government in Kiev. Towards a Scenario of Military Escalation?
By Prof Michel Chossudovsky
Global Research, May 04, 2014
Url of this article:
http://www.globalresearch.ca/americas-neo-nazi-government-in-kiev-towards-a-scenario-of-military-escalation/5380384

The US-NATO sponsored Kiev coalition government is responsible for the killings perpetrated by Neo-Nazi Right Sector mobs and security forces in Odessa in which at least 43 people were killed.
In Odessa, Right Sector thugs set fire to the city’s Trade Union building leading to countless deaths of innocent civilians who were burnt alive within the building which had been set ablaze.
“Such actions are reminiscent of the crimes of the Nazis,” said Russia’s Ambassador to the UN Vitaly Churkin.
The “international community” has turned a blind eye, the Western media has described the Neo-Nazi Brown shirts as “freedom fighters”. In the words of Eric Sommers:

Hugo Dionisio disse...

http://napaki.livejournal.com/100072.html

Não deixa de ser interessante ver que na 3ª foto, encontramos um capacete com a bandeira Russa e outro com o símbolo do sector direita. Engraçado, não?

Elio disse...

Caro José Milhazes e demais respeitados comentadores,

O autor do blogue tem as características que tem, eu sigo o blog e mais discordo que concordo com o José Milhazes, no entanto faço aqui neste momento que é José Milhazes merece respeito e é mais transparante que alguns pavões que por aí andam que não aceitam vozes dissonantes.
José Milhazes tem as suas características como todos os Humanos e por isso que sou crítico de algumas das sua posturas / ideias, mas prefiro uma Terra de José Milhazes que partilhar lugar de viagem com esses pavões.
Alguns dos comentadores conhecem os pavões, são aqueles que comem feijão e arrotam a faisão e os vemos na comunicação social e nas universidade (se me saía um professor desses, ele engolia a lingua), enfim são uns azeiteiros.
Um bem hajam a todos
Elio

Felipe disse...

Pippo,
Acho os seus comentários sempre interessantes.. Vc tem algum blog/twitter, ou seja lá o que for, onde eu possa ver comentários/análises suas sobre política internacional?
Valeu!

Pippo disse...

Felipe,

Não tenho qualquer blog. Aliás, a leitura sempre atenta deste e de outros blogs e os meus ocasionais comentários/artigos já me tomam, infelizmente, demasiado tempo.
Mas obrigado pelo comentário.
Ab,

PS - Já agora, o Portuguese Man tem um blog sobre política e economia internacional que achei interessante. Não tenho é aqui o link... :)