sábado, janeiro 31, 2015

Rússia reconhece que tem militares seus a combater na Ucrânia? Elogio dos serviços secretos russos...





Embora de forma estranha, o Kremlin acaba por reconhecer que militares seus combatem ao lado dos separatistas no Leste da Ucrânia.
A cidadã russa, Svetlana Davidova, mãe de sete crianças, a mais nova das quais tem dois meses, foi detida pelo Serviço Federal de Segurança da Rússia (FSB, antigo KGB) e acusada de traição à pátria, podendo incorrer numa pena de prisão de 12 a 20 anos.
Segundo os serviços secretos russos, Svetlana telefonou à embaixada da Ucrânia em Moscovo para informar que unidades militares aquarteladas em Viazma, terra onde ela vive, estavam a ser enviadas para combater no Leste da Ucrânia. A senhora teria recolhido essa informação enquanto seguia de autocarro e ouviu ocasionalmente uma conversa telefónica de um homem com aspecto de militar.
Ora, em conformidade com o artigo 275 do Código Penal da Rússia, “traição da pátria” é a transmissão de dados secretos a um estado estrangeiro. Ao acusar a mulher desse crime, o FSB confirmou que as tropas russas combatem na Ucrânia.
Além disso, os serviços secretos russos estão muito atentos pelo menos aos telefonemas que os cidadãos russos fazem para a representação diplomática ucraniana na capital russa.
A chamada de Svetlana para a embaixada da Ucrânia teria sido feito, em Abril de 2014, mas o FSB só a veio prender no passado 21 de Janeiro.
Organizações não governamentais russas têm denunciado numerosos casos de soldados russos que morreram em combate no Leste da Ucrânia e que são sepultados quase clandestinamente no seu país.
As autoridades de Moscovo desmentem a presença de militares russos no país vizinho, bem como o fornecimento de armas aos separatistas, declarações cada vez mais postas em causa pelo facto de os separatistas empregarem nos combates equipamentos militares mais modernos do que aqueles de que dispõem as forças armadas ucranianas.
Aquando da anexação da Crimeia pela Rússia, o Presidente Vladimir Putin jurava que não tinha enviado tropas especiais e que os “homenzinhos verdes” armados até aos dentes não passavam de membros de grupos de autodefesa dos russófonos. Depois, Moscovo acabou por reconhecer que se tratava de soldados de tropas especiais russas.
A detenção de Svetlana Davidova parece estar ligada à campanha de pressão psicológica sobre a opinião pública russa, semelhante às “caças aos espiões” lançadas na era do ditador comunista José Estaline.
A psicose aumenta à medida que a situação económica na Rússia se vai deteriorando. A fim de impedir a organização de manifestações de protesto contra a política de Vladimir Putin, os órgãos de informação controlados pelo Kremlin não se cansam de acusar o Ocidente e dos seus agentes na Rússia de serem culpados das dificuldades que o país enfrenta.








21 comentários:

Anónimo disse...

a serio sr Milhazes ... http://gordonua.com/news/war/Muzhenko-Ukrainskaya-armiya-ne-vedet-boi-s-regulyarnymi-chastyami-RF-63782.html

voce e a ativista para os direitos humanos Vasilieva Elena encontram/se em que ala psiquiatrica ?

Vai escrever um artigo sobre as mortes de ontem em Donetsk ? apresse/se antes que a OSCE chegue la ... tarda um relatorio. Hipocritas de m3rda. Hipocritas.

Enquanto a EU fala e preparava novas sancoes, apressam/se a pedir a Russia que adie a recolha do emprestime de 3bl $$ ... Hipocritas de m3rda.

Ate quando vao fechar os olhos aos crimes de Poro ???

Vou ficvar eternamente a esperar pelo seu artigo de desagrado com as vitimas de ontem, que nao mereceram o vomito de horror na comunicacao social.





ANTI-COWBOY disse...

Sinceramente,JM,desculpe que lhe diga,mas este seu artigo parece-me infantil.

Então estão a morrer em Donbass familiares de russos entre crianças, idosos e mesmo alguns deficientes, como tenho observado,para além dos ucranianos que mandam em Kiev quererem retirar direitos,incluindo o direito a terem a sua língua russa como uma das línguas oficiais da Ucrânia a toda a população deste território,e os russos,aqueles que podem, seus familiares por moto próprio não iriam combater ao lado dos seus? É claro que iam,JM. Não estão lá de forma oficial,não é conveniente sequer que estejam nem lhes interessa estar lá nessa condição.É "humano demasiado humano" na linguagem do poeta.

Outro dia ouvi um militar ucraniano a falar inglês por alguns segundos apenas.Também foi apanhado JM, mas não escrevi nada aqui sobre isso.E se hoje escrevo, é só porque,em função do que li, tinha que o fazer. Mesmo assim poupei-o a ler mais de quinze empresas militares que trabalham para os EUA não oficialmente,claro.

Sabe quantas empresa militares privadas existem sob o domínio, directo ou indirecto, americano.São mais de 15,como acabei de dizer. Apenas refiro duas para poupar os eventuais leitores a esse sacrifício penoso.Uma das maiores que se sabe já que está a operar em território ucraniano é a (Northbridge Services Group)que tem escritórios na própria Ucrânia e não só, para não falar na Blackwater,hoje chamada Academi,uma das maiores do mundo.


Mas há muitas mais.Todas elas movimentam mais de 100 mil milhões de dólares por ano e estão ligadas não oficialmente à Comunidade de Inteligência dos EUA que são uma federação de várias agências embora oficialmente independentes dos EUA e que actuam ou actuaram no Iraque,Colômbia,Síria,Somália,Sudão,Afeganistão e UCRÂNIA.


Claro que a Rússia também as têm mas em muito menor número.Os russos também não são parvos.


Oh JM,escolha por favor outros temas porque os seus leitores não são idiotas nem ignorantes.Já não vivemos propriamente na ditadura.


Já viu o que veio dizer,JM -"olhem,olhem, há russos na Ucrânia". Não acha sinceramente infantil?


Com a sua formação tem tantos assuntos com interesse para escrever.Não perca tempo com coisas menores,a sério JM.Digo-lhe isto, até já, com amizade.

Anónimo disse...

Penso que os EUA tentam destabilizar a Rússia através da sua vizinha Ucrânia, o que a ser verdade pode eventualmente trazer consequências nefastas para toda a Humanidade num futuro proximo. Infelizmente quem já está a sentir na pele toda esta trapalhada é a população Ucraniana que sofre de toda esta violência.

Anónimo disse...

Doutor Milhazes, eu não sei se é católico, ortodoxo, agnóstico... Há algum tempo atrás, não me lembro ao certo, li nos jornais que iria escrever qualquer coisa sobre Fátima, estava a falar a sério ou a fazer uma das suas ironias?

Outra coisa, como é que vê a relação do senhor Putin com a Igreja Ortodoxa Russa? Parece-lhe de facto um homem religioso, espiritual, ao serviço dessa Igreja ou antes, como já li algures, alguém que gosta de ter a Igreja Ortodoxa ao seu serviço e ao serviço do Estado Russo como ele o idealiza?

Basto

José Milhazes disse...

Leitor Basto, confirmo-lhe que o livro sobre Fátima está escrito, dependendo dos planos da editora a data da publicação.
Quanto às relações entre a Igreja Ortodoxa e Putin, são as mais estreitas, esbatendo-se a linha de fronteira entre a Igreja e o Estado. Vladimir Putin aparece, realmente, em cerimónias religiosas, mas não faço ideia se é crente ou não. Facto é que aproveita a IOR para reforçar as suas posições.

Anónimo disse...

Nao percebo Sr. Milhazes, ha 2-3 dias o chefe do estado major das forcas armadas Ukranianas disse que nao ha evidencia do exercito russo na Ukraina - Bublina splaskla, ukrajinské síly nebojují s regulérními ruskými jednotkami
http://www.novinky.cz/zahranicni/evropa/360213-bublina-splaskla-ukrajinske-sily-nebojuji-s-regulernimi-ruskymi-jednotkami.html

esta em checo, e so usar o google translate...

Anónimo disse...

Obrigado pela sua resposta. Fico a aguardar ansiosamente pelo livro.
Basto

Anónimo disse...

Obrigado pela resposta, ficaremos a aguardar ansiosamente pelo livro. Basto

José Milhazes disse...

Leitor anónimo, a Rússia pode não ter tropas no Leste, mas tem numerosos militares como conselheiros dos separatistas, etc. Além disso, entre os numerosos "voluntários" russos, há também militares, antigos e actuais. Não nos devemos esquecer que a fronteira russo-ucraniana está completamente aberta nas zonas controladas pelos separatistas.

Carlos Caseiro disse...

A situação é a seguinte: Enquanto os militares ucranianos se entretinham a beber vodka e a gastar as munições disparando indiscriminadamente em direcção às cidades e aldeias de Donbass, as milícias separatistas entretiveram-se em acções de preparação. Chegado o momento de combater do lado de Kiev acabaram-se as munições e a coragem. Depois aparecem uns senhores a dizer que por os generais ucranianos não saberem combater a culpa é do Putin, mesmo depois de o Chefe do Estado Maior ucraniano Viktor Muzhenko ter dito "Сейчас мы имеем только факты участия отдельных граждан РФ и военнослужащих российской армии, которые являются членами незаконных вооруженных формирований. Скажу также, что сейчас украинская армия не ведет бои с регулярными частями армии России" = "Neste momento só temos provas da participação de cidadãos da Federação da Rússia e de membros do Exército russo, os quais são membros de grupos armados ilegais. Também devo dizer que neste momento o exército ucraniano não está lutando com forças regulares do exército russo"

Anónimo disse...

Leitor Basto, segunda consta aqui em Portugal o JM ainda não publicou esse tal livro sobre Fatima porque está à espera de umas anotações que o padre Mário de Oliveira ficou de lhe enviar.

É esta a razão da demora.

Christian N disse...

Mas e o Obama que admitiu em uma entrevista a participação direto dos Estados Unidos no golpe de estado que derrubou o presidente legima e democraticamente eleito da Ucrânia? isso você não comenta?

José Milhazes disse...

Christian, isso não era novidade para ninguém, mas o Obama disse mais alguma coisa sobre o Putin.

Anónimo disse...

Premio nobel Obomba prepara-se para ter um reverse Afghan conflict se não coloca travoes aos warmongers do congresso e da industria militar que tanto $$$ gasta apra os colocar lá e os famosos think tankers.

Carlos Carapeto disse...

Confesso que quando li o artigo do José Milhazes não me mereceu qualquer interesse, julguei tratar-se de mais uma das habituais charadas soporíferas com que o autor costuma “brindar” aqueles que o leem (e ouvem). Tipo; os brinquedos preferidos de Estaline

Afinal a coisa tem contornos mais bicudos . Contém uma dose de veneno informativo altamente letal.

Cheguei a essa conclusão depois de ter consultado um Site da extrema direita Russa acerca do caso Svetlana Davidova e a partir daí assaltaram-me imensas dúvidas. Quem foi que copiou quem? Se o José Milhazes se os colunistas desse tal Site! Ou até provavelmente até poder existir uma troca de informações entre ambos.

Será que o José Milhazes considera normal que uma cidadã “vulgar” de um país que está a ser ameaçado (Rússia) por uma organização belicista global (NATO) pegar no telefone e entrar em contato com a embaixada de um outro país que está a facilitar a aproximação dessa ameaça e informar que o quartel A ou B estão vazios é porque essas tropas foram combater no sitio X ou Y . E mais; confirmou a informação porque ouviu a conversa num autocarro de alguém que lhe parecia um militar à civil.

Que raio de pessoa sou eu estive 40 meses na tropa 26 em África e até hoje nunca consegui identificar um militar à civil que não conhece-se pessoalmente.

Neste mundo existem pessoas dotadas de uma inteligência fora do comum.

Para aqueles que sabem Russo está aqui parte da informação publicada nesse tal Site da Extrema Direita Russa , sem tirar nem pôr as palavras são as mesmas daquelas que o José Milhazes colocou no artigo acerca da detenção da “senhora” espia . Por isso mais uma vez questiono. Quem anda a copiar quem? Ou será que existe uma colaboração estreita na troca de informações entre ambos?

“Напомним, многодетная мать, младшей дочери которой только 2 месяца, находится в СИЗО Лефортово по обвинению в госизмене. Ей инкриминируют звонок в посольство Украины с сообщением о том, что местная воинская часть опустела. Известно якобы, что Давыдова, случайно услышав разговор в маршрутке о переброске воинского контингента в Москву и затем в Украину, сообщила об этом украинским дипломатам. “

Se houver quem esteja interessado também posso traduzir.


Carlos Carapeto
Cin Naroda para os amigos.

Carlos Carapeto disse...

José Milhazes.


Prosseguindo na duvida acerca da veracidade daquilo que escreve (atenção não estou a dizer que o J M está a faltar à verdade) aconselho que seria de salutar importância
mencionar as fontes de onde obtém as informações que aqui coloca, da forma como está fazendo corre o sério risco de divulgar noticias falsas sem qualquer sentido de credibilidade, ou seja dar cobertura a propagandistas desonestos e charlatões.

Se o José Milhazes conhece agencias não governamentais Russas que estão na posse de informação que os soldados Russos estão a morrer que nem moscas no Donbass, depois são levados para a Rússia à socapa e enterrados clandestinamente. Porque omite aos seus leitores a fonte dessas informações

Sim; porque razão essas tais "agencias" não exibem as provas de que dispõem.

Insisto; qual o motivo que impede o José Milhazes de divulgar o nome dessas mesmas "agencias" nutridas de verdades?

José Milhazes esta desinformação propagandística encontrei-a também no tal Blogue de Extrema Direita Russa que fiz referencia noutro comentário.


Isso leva-me a suspeitar que anda metido com más companhias.

Muito cuidado, o Austríaco de bigodinho também pensava que tinha tudo na mão e depois foi o que se sabe.

Carlos Carapeto

Cin Naroda para os amigos.

Carlos Carapeto disse...

José Milhazes insistindo na resposta à ladainha anti-Russa.


Se sabem que os Russos estão a fornecer armas sofisticadas aos patriotas do Donbass (separatistas para os simpatizantes do belicismo da NATO) porque motivo não apresentam as provas.

Mas que raio de mistério este tão difícil de provar?

Com tanto material bélico destruído, tantos avanços e recuos, perdas, conquistas e reconquistas de terreno será que nunca ficou para trás o resto de um tanque, bateria de misseis ou qualquer outro equipamento pesada para provar essa trapalhada?

Continuamos a ter que suportar a propaganda nojenta do avião da Malásia.

Eram os habitantes locais que andavam a saquear os bens das vitimas, estavam a retirar os corpos
e a enterra-los clandestinamente para esconder provas.

Também andavam a remover os destroços do avião com o mesmo objetivo.

Uma das caixas negras já estava em Moscovo para serem alterados os registos.

Não permitiam os peritos aceder ao local do "acidente" crime.

Finalmente quando viram os destroços da aeronave coberto de flores calaram todos o bico. Melhor; meteram o rabinho entre as pernas como cãezinhos cobardolas.

Carlos Carapeto

Cin Naroda para os amigos

Carlos Carapeto disse...

José Milhazes em relação à Crimeia já lhe coloquei a mesma pergunta várias vezes sem obter resposta.

Vou repeti-la de novo.

Qual foi a reação dos mais de 18 000 efetivos militares Ucranianos que estavam estacionados na Crimeia, quando os tais "homenzinhos verdes" lá entraram?

Cerca de um terço tornam-se verdes também (mas não foi de medo) e os restantes cruzaram os braços.

A armada Ucraniana rendeu-se sem disparar um tiro, nem um avião levantou voo, as forças de elite ficaram nos quarteis, os Berkut trocaram de farda .

É muito estranho não é?

Por isso mesmo fico perplexo com estas omissões, considero que prestava um melhor serviço aos leitores informa-los da realidade dos factos que continuar a iludi-los exaustivamente com o mesmo tipo de ladainha enfadonha.

Anónimo disse...

https://twitter.com/NewsOnTheMin/status/562641186557792256

o que é que se passa Sr. Milhazes? Pergunto porque a imprensa ocidental so noticia o que convem (assim como a oriental)...

Wilton Santos disse...

Prezado Sr. Milhazes,

O Senhor acredita que novas manifestações na Rússia contrárias a guerra na Ucrânia e a crise econômica que assola a Rússia poderão desestabilizar o governo de Putin? Também, o senhor acredita que esta guerra está ajudando o atrapalhando a popularidade de Putin?

Obrigado,

Wilton Santos

João Lopes disse...

Por falar em Fátima e Putin:

http://youtu.be/zIEQ3XEhdB4

Não sei se isto não será desinformação russa para atrair os grupos mais conservadores e tradicionais da Igreja Católica para o Euroasianismo.

Acho que os católicos estão tão desesperados com a crise na Igreja que já começam a ver Putin com outros olhos esquecendo-se do aviso de Nossa Senhora em Fátima. Cujo o raciocinio só pode ser este:

Premissa maior: Nossa Senhora disse que, se a consagração não fosse feita, os erros da Rússia se espalhariam pelo mundo.
Premissa menor: A consagração não foi feita.
Conclusão: Os erros da Rússia continuam se espalhando pelo mundo.