segunda-feira, fevereiro 09, 2015

Blogue do leitor (Ucrânia)

Texto enviado pelo leitor ANTÓNIO CAMPOS

"Je suis Maidan
Além de estar a perder uma guerra contra uma agressão no terreno que nunca poderia ganhar sem ajuda, a Ucrânia está a sair derrotada na guerra da informação. E grande parte da culpa deve ser atribuída à União Europeia e aos Estados Unidos. A imposição catastrófica de políticas de austeridade que colocou a União à beira do colapso e mostrou que a Europa de unida não tem nada, o descrédito geral da população europeia em relação a Bruxelas e Berlim, tudo isto aliado à desastrosa política externa dos Estados Unidos na última década, tornaram um significativo segmento da população do Ocidente propenso a engolir sem espírito crítico a propaganda do Kremlin. Aproveitando habilmente a ignorância generalizada sobre os países da antiga URSS e o ressentimento ocidental em relação ao establishment, Putin, com a sua habitual táctica de dividir para reinar, conseguiu instilar nas cabeças de muitos descontentes a fantasia de que a agressão à Ucrânia é um conflito geopolítico de autodefesa contra uma imaginária agressão da NATO da qual ninguém consegue mostrar evidências.
Para lá de ser extremamente perigosa, esta "opinião" mostra contornos ainda mais irracionais quando se percebe que é sustentada numa série de relativismos morais, que são, aliás, habilmente disseminados pela propaganda: Iraque, Kosovo e afins. Ou seja, subitamente, os defensores da agressão de Moscovo consideram justificada uma manobra semelhante às que consideraram reprováveis no passado, convencidos de que um "mau precedente" tem uma equivalência moral aos bons e passa a dar cobertura a agressões e violações do direito internacional. Porque Bush mandou invadir o Iraque sem qualquer justificação, Putin tem agora o "direito moral" de subjugar pela força um país vizinho independente e soberano, ainda por cima porque se opõe a uma "junta judaico-neonazi colocada no poder com o apoio da NATO". A violação do direito internacional e da soberania, bem como as centenas de milhares de vítimas inocentes cujo único crime foi quererem livrar-se de um tirano cleptocrata ao serviço de um país terceiro são integralmente atirados janela fora.
Grotescamente, Putin está a ter um sucesso estrondoso na transformação de milhares de indivíduos que normalmente teriam opiniões morais em paladinos da imoralidade.
Embora existam alguns americanos que ainda continuam a sorver a barragem de propaganda do Kremlin, é na Europa que os seus efeitos continuam a ser mais visíveis. Talvez este facto se deva à crença de que Putin é uma espécie de contrabalanço da hegemonia alemã porque "lhe faz frente", e que uma derrota política do Ocidente nesta matéria trará consigo uma viragem das políticas austeritárias, ou de que um mundo bipolar é mais benéfico do que uma civilização hegemónica. Embora tal possa suceder com diferentes premissas, neste caso, infelizmente, não há nada mais longe da verdade. Quem conhece Putin, sabe que o seu modo de agir é baseado em jogos de soma nula, em que o que ele quer ganhar outros terão de perder. Putin sabe que tem a ganhar com a desunião da Europa e a sua possível desagregação, e as alianças que fomenta são de oportunidade. Servem hoje e são descartadas amanhã. Tal como qualquer psicopata clássico, Putin está-se nas tintas para o resto do mundo. E especialmente para a população que tutela, cujos filhos continua a mandar para a morte para desviar a atenção dos seus próprios fracassos em casa.
Daí que, antes de abandonar a Ucrânia às feras e deixar (e até olhar com agrado) que seja transformada num estado fantoche de um regime ultrafascista nuclear e corrupto às portas da Europa, seria bom que pensássemos que, por mais defeitos que a actual Europa mostre, continua a ser um lugar infinitamente melhor do que o que resultaria de uma possível dominação russa, cuja política se baseia na exportação de corrupção, na agressão militar, na obliteração do pluralismo e numa mentalidade excepcionalista a raiar o hitleriano.
Como alguém escreveu há uns dias, na Ucrânia joga-se hoje a forma como queremos viver o século XXI. Por mais defeitos que exibam, as democracias ocidentais continuam a ter mecanismos para se corrigirem. Abandonar a Ucrânia é dar um passo atrás e voltar ao mundo mortífero dos séculos XIX e XX, atirando esses mecanismos para o lixo da história."

15 comentários:

NS-XXI disse...

Já não há estômago para ler este tipo de testamentos cansativos e repetitivos."Putin é um Tirano e um despota", pronto.

Sempre os mesmos chavões, sempre a mesmo conto de fadas. Sempre a mesma peixeirada disfarçada de opinião analítica e sofisticada .

Este lixo nem sequer se pode considerar uma opinião.

É apenas a adopção de uma opinião.

É uma espécie de "produto" opinativo que é vendido nas CNNs, nas FOXs, nas Reuters, nas BBCs etc que se compra e come.

É a mera tomada de posição em favor de um grupo, de um cartel.
É quase como ser do Benfica ou ser do Sporting. Perde-se a racionalidade em nome da lógica de pertença a um grupo.

Este tipo de análises ou vem de um idiota chapado, ou então é de alguém com alguma perna dentro da matrix totalitária e da escumalha financeira que corroí e destrói o ocidente.

Se os EUA tem presença militar em 75% do Globo, e cerca de 1000 bases militares, isso certamente é para o bem da humanidade.
Os EUA já bateram todos os recordes de agressões e de mortalidade. Nem mesmos os labregos marxistas mataram tanta gente como os americanos, mas pronto esta gente adora-os, porque sim.

A Rússia e o Putin simbolizam o mal, por uma simples e concreta razão. Não querem ser vassalos dessa nova ordem mundial, dessa escumalha corrupta que destruiu todos os valores e alicerces da cultura ocidental, outrora a mais avançada e civilizada do mundo.
Hoje quase arrisco a dizer que só a Rússia representa esses valores ocidentais.
O Ocidente já nada tem de ocidental. Quem o governa nem são propriamente "ocidentais".

E depois a cereja no topo do bolo: "A propaganda do Kremlin". O meios de propaganda "ocidentais" são mil vezes mais gigantescos que os da Rússia(Só o RT é que é emitido no ocidente). As CNNs, as BBC e toda essa parafernália não são propaganda, são informação altamente qualificada....

Anónimo disse...

ao comentário anterior só lhe digo o seguinte, independente de toda a sua retórica só lhe pergunto onde queria viver; na Rússia ou no dito ocidente europeu ? Pois eu posso lhe dizer que de todos os russos que conheço todos optariam pela segundo.
Isto porque a mentalidade de governo na Rússia de hoje é a mesma dos tempos de Ivan o terrível ou de Estaline, a gleba serve apenas para os interesses do todo poderoso estado central da "Mãe Rússia" todos a favor caso contrario, são traidores.
E como deve saber pelo menos do lado de cá pelo menos podemos protestar....
E sim o mundo neoliberal está errado, mas isso não nos leva a pensar que um mundo governado por Siloviki como Putin seja melhor.

Anónimo disse...

Anónimo, deixe-se de demagogia, se faz favor.

Voce conhece Russos, isto hoje dito desta forma ainda soa a algo excentrico.

Pois eu sou casado vai fazer 3 anos e os Russos que conheço preferem Putin.

Onde voce prefere, é uma escolha sua e tomara que todos tivessem a sorte de fazer escolhas.

Alguem perguntou aos mineiros se estavam interessados em andoids, hamburguers e coca-cola ???

Acham que eles sentem mais amor pela Notre Dame ou pelo Cheburashka ?

O que é preciso para a merda do mundo acordar ? Tornar a Syria num monte de cascalho, a Ucrania ?



Leandro disse...

A alternativa ao realismo duro do Presidente russo não é uma linha centrista moderada, mas uma linha de nacionalismo radical, de que são símbolos Vladimir Jirinovski, Eduard Limonov ou os brigadistas paramilitares da RNU (Unidade Nacional Russa) de Alexander Barkashov. E estes vigiam-no e pressionam-no e têm apoio na população e nos meios de comunicação.

NS-XXI disse...



Isto já não é propaganda. É a superioridade da democracia "ocidental".

http://inacreditavel.com.br/imagens/marcha_paris_chefes_estado_1.jpg

http://inacreditavel.com.br/imagens/marcha_paris_chefes_estado_2.jpg

E isto é apenas um exemplo entre milhões de situações semelhantes.

A imprensa dita de "referência" dos grandes grupos de média é uma autêntico embuste colossal a todos os níveis. Eu para ler ou ver canis de TV da canalha globalista só se for por castigo. É tudo intragável.
Tudo tresanda a mentira e torcionismo.


http://inacreditavel.com.br/wp/midia-mentirosa-a-nova-constante-universal/

Anónimo disse...

Nunca li tanto besteirol, querer comparar Putin com Stalin é dose, mas fazer o quê!!! Pessoas compram as idéias americanas e olham a Rússia como um bicho papão, pessoas assim vivem no limbo intelectual, uma pena....

Carlos Carapeto disse...

Por falta de tempo não me é possível desmontar a "perola" de desinformação desprovida de alicerces construída por António Campos.

Mas deixo-lhe aqui este endereço eletrónico para que entenda que as pessoas não são tão estupidas como as tenta fazer.

Aliás na perspetiva dele estúpidos e ignorantes são aqueles que não se deixam ludibriar por a desinformação pestilente que aqui costuma colocar.


https://www.youtube.com/watch?v=bjkrBmwciU4



Carlos Carapeto disse...

Anónimo das 20:36.

Tentar comparar Putin a Estaline é o mesmo que comparar uma borboleta a um papagaio.

Talvez só por voarem?

ZOGBuster disse...


O autor desta prosa será talvez, aquilo que se pode classificar como um apoiante do terrorismo internacional.

https://pedro1mota.files.wordpress.com/2014/09/john_mccain_visits_al_qaeda_isis_terrorists_in_syria_may2013.jpg

https://ahmedamiruddin.files.wordpress.com/2014/08/wpid-2014-08-12-15-00-14.png

Antonio Cristovao disse...

Propaganda do Kremlin? eu vivo em Portugal sr articulista. Onde é que posso ler o que o kremlin diz?
Leio o que as agencias anglosaxonicas dizem, mesmo que me pareça por vezes estranho ver o hospital de Donetzs bombardeado pelos pró russos; mas é o que eu leio e ouço aqui.
Será que esta cronica era para sair em Minsk?

Anónimo disse...

o sr Campos provavelmente tambem era Je suis Kosovar ... mas depois de terem conseguido o seu espaco/pais com o apoio dos altos dignitarios dos defensores dos direitos humanos, democracia e outras cantigas, agora fogem em direcao a Serbia e Hungria, porque no Kosovo nao ha nada, talvez apenas uma base de uma famosa organizacao.

Roberval Pereira Rosa disse...

Sou obrigado a divergir totalmente do texto colacionado, vez que ao contrário de estar embasado em fatos e argumentos, somente está calcado no velho e corroído discurso da mídia ocidental.

Pergunto ao nobre articulista se Putin e tão mal com o povo russo, tão corrupto e o povo russo está tão desesperado para pular para o lado ocidental, como se explica os crescentes índices de aprovação.

Não vale dizer que Putin tem uma política populista, pois aqui no Brasil somos vítimas da maior política populista e assistencialista da história e nem por isso os índices de aprovação de nossa presidente esta a subir ao contrário está igual nossa economia, em queda livre.

Se analisarmos as investidas da política externa americana nos últimos 15 anos, veremos que somente fizeram besteiras, posto qeu se propuseram a combater o terror internacional e ao contrário somente fizeram com que expandissem mais seus centros de ação, se propuseram a pacificar diversos países como Iraque, Síria, Afeganistão líbia Etiópia, etc. e o que conseguiram, criar mais estados divididos e sectários, e ainda não podemos esquecer que estenderam sua área de influência para as fronteiras russas, bem como para o pacífico e Asia e conseguiram com que Rússia e china se unissem ainda mais.

Como um país que não respeita os direitos humanos, posto que, utiliza-se de métodos bárbaros de tortura física e psicológica, assim como de prisões medievais como métodos para se vencer a defenestrada guerra ao Terror pode servir de parâmetro para uma sociedade mundial?

Como um país que exporta guerras, que visa apoia grupos terroristas, que abertamente assume que interfere e participa da derrubada de governos eleitos, que objetiva o domínio econômico e geopolítico mundial, pode servir de exemplo para ser um líder mundial.

Putin pode não ser um líder a altura de espelhar uma mudança geopolítica mundial, mas certamente apoiar-se as investidas americanas e de seus falcões, havidos por guerras e pelo domínio econômico se coaduna numa tentativa de suicídio pessoal e moral, posto que o maior valor da vida humana é sua liberdade e seu livre arbítrio e isso é tudo que os EUA com apoio de seus fantoches da UE e vassalos da OTAN desejam subtrair das nações, a capacidade de se colocar como um igual no universo de nações.

não precisamos de patrões ou de dominadores no cenário mundial, mas sim de uma nova ordem onde o direito internacional seja respeitado por todos, independentemente de seu poderio militar e econômico.

Hoje os EUA/OTAN/UE investem contra a Rússia utilizando-se da Ucrânia e a Síria, amanhã pode ser Portugal ou mesmo o Brasil ou outro país qualquer e a comunidade internacional continuará a bater palmas a paranoica política externa americana de criar inimigos?

Luis disse...

Quanto ódio somente porque há pessoas que não compartilham da propaganda americana. Ora, qual a graça se todos pensassem igual? A liberdade de expressão é justamente a diversidade de opiniões. Mas, se você disser qualquer coisa contra a versão "oficial" (ditada por Washignton), então você é um nazista, putinbot, comunista... Muito democrático! Quanta PARCIALIDADE na mídia ocidental. É a mesma mídia vendida que disse existir armas de destruição em massa no Iraque. Note que não estou dizendo que a mídia russa não padece do mesmo mal, estou apenas lembrando que vcs não são isentos, imparciais, como gostam de descaradamente dizer.
Ninguém justifica os atos russos com erros americanos do passado. Apenas é hilário ver os EUA acusarem-nos de violarem o direito internacional, qdo os americanos fazem isto o TEMPO TODO e de forma muito mais violenta. Daí, salutar apontar a hipocrisia. Mas isto não impede que ao mesmo tempo se apontem os erros russos. A diferença é que os pró-EUA IGNORAM os cidadãos ucranianos que querem ter uma boa relação com a Rússia. Vocês os tratam como cidadãos de SEGUNDA CLASSE, um verdadeiro racismo. São tratados como lixo. Apoiaram a Maidan que desejava cortar todos os laços com os russos. Ora, nada de errado em ser anti-russo; o problema é que isto alienava 50% da população ucraniana. Porém, os "jornalistas" ocidentais mentiam, dizendo que o povo ucraniano (ué, o leste ucraniano é invisível?) apoiava a Maidan,qdo pesquisas de opinião ucranianas mostravam o contrário, pois o país estava dividido. A UE, este "baluarte da democracia", foi totalmente ANTIÉTICA ao forçar a Ucrânia a optar entre a UE e a Rússia com o acordo de associação. O que vcs queriam é que o Putin ficasse paradinho, sem fazer nada, e deixasse essa tremenda injustiça com o Leste Ucraniano acontecesse, com a subida ao poder de nacionalistas ucranianos que possuem desprezo pelos cidadãos do leste. Esses mesmos "jornalistas" omitem as preocupações legítimas da Rússia. Em 2008 a OTAN disse que a Ucrânia e a Geórgia em algum momento fariam parte da OTAN. Como os EUA reagiriam se a Nicarágua e Cuba fizessem uma aliança militar com a Rússia/China? Os americanos iam acabar com Cuba!! Até hj os cubanos sofrem um embargo econômico desumano porque no passado foram aliados dos soviéticos (fora a Baía dos Porcos/Crise dos Mísseis). Os EUA são prepotentes porque, em razão de serem uma superpotência, não querem negociar, fazer nenhuma concessão diplomática. Se tivesse havido diálogo antes da Maidan, nada disto teria acontecido. Ou seja, encurralaram a Rússia e agora querem se passar por bonzinhos, como se não tivessem nenhuma responsabilidade no que está acontecendo?

Luis disse...

Quanto à Europa, Sarkozy disse uma coisa muito certa: os interesses que os europeus têm em relação com os russos são DIFERENTES dos que os americanos têm. A estes interessa a destruição russa, enquanto aos europeus, por mais russofóbico que vcs sejam, é necessário haver uma estabilidade nesta relação. É cômodo para os americanos verem a Europa em chamas, pois eles estão em outro continente. Agora qualquer europeu que tenha o mínimo de autoestima e não seja um colonizado vai desejar um relacionamento ganha-ganha com os russos, que garanta a estabilidade, ganhos econômicos e segurança energética. Mas, se você disser que os europeus devem ter uma política externa independente dos americanos e protegerem os seus interesses, será tachado de putinbot; afinal é crime(!) divergir dos americanos. Os europeus vão comprar energia cara, enqto o seu maior concorrente - a China - vai comprar barato. Depois não entendem por que a Europa está economica/geopoliticamente em tamanha decadência. Todos os analistas são unânimes em dizer que o futuro está na Ásia; é lá onde estará o centro do poder no futuro. O que os europeus ganharam com essa confrontação com a Rússia e com o apoio da Maidan? Perderam um parceiro estratégico - a Rússia -, vão passar a vida toda dando $ dos seus impostos para a Ucrânia - um país falido -, fortaleceram a Ásia, e todo este prejuízo em um momento crucial, em que a zona do euro e a Grécia estão em chamas. Apoiar a Maidan, fazer o jogo diplomático que os americanos te mandam, realmente é muito inteligente! Como disse a sábia Nuland: "Fu*k the EU!" Por mais que se reclame dos americanos, pelo menos eles são muito mais inteligentes do que os europeus.

Luis disse...

Ah, provando o que falei, falta eu mostrar um link pra pesquisa de opinião que eu citei. Pesquisa Gallup (até onde saiba, o Putin não é dono da Gallup):
http://www.bbg.gov/wp-content/media/2014/06/Ukraine-slide-deck.pdf

Vá para a página 30 e veja o mapa.

"Apoio para entrar na UE (na época da Maidan)": menor do que 50% no Sul, Leste e até mesmo no Centro da Ucrânia! Embora a Criméia não seja citada, é óbvio que não havia apoio lá também. O apoio é maior apenas no Ocidente e Norte. Só lá!!!!

E vcs este tempo todo apoiando a Maidan e a integração da Ucrânia na UE, ainda que isto fosse contrário à vontade de grande parte dos ucranianos. E a mídia ocidental mentindo descaradamente! Muito justo!

E ainda publica um artigo com o título "Je suis MAIDAN" ??? Pelo amor de Deus! A Maidan dividiu o país, mesmo sem intervenção russa iria gerar ÓDIO entre os ucranianos. Parem de colocar a culpa de TUDO em Putin; os ucranianos e o Ocidente precisam ter a humildade de reconhecer os seus próprios erros. E até hoje você apóia isto? Maidan? QUANTA PARCIALIDADE !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!