domingo, novembro 06, 2016

Lénine censurado - 1. Ao encontro do Centenário do Golpe de Estado Comunista na Rússia



Amanhã, 7 de Novembro, assinala-se o 99º aniversário do golpe de Estado bolchevique na Rússia que deu início a uma das mais sangrentas ditaduras na história da humanidade. Por isso, decidi começar a publicar algumas das obras de Vladimir Lenine censuradas na União Soviética, trabalho que irei realizar com alguma regularidade até ao centenário desse acontecimento.
Alguns poderão ficar surpreendidos: como é que as obras do maior dirigente comunista foram alvo de censura dos seus camaradas? A resposta é simples: o culto da personalidade. Lenine tinha se ser imaculado e puro, não se enganou, nem cometeu qualquer erro ou crime. Não foi por acaso que, depois do morto, o seu corpo foi embalsamado "a pedido do povo" e exposto num Mausoléu.
Mas a verdade é que a censura existia. As obras de Lenine, que atingiram muitos milhões de exemplares na URSS e noutros países socialistas para ultrapassar as tiragens da Bíblia, tiveram cinco edições, sendo que a última se intitulava "Obras Completas de Lenine".
Ora isso é falso, porque essa edição não incluía, pelo menos, 422 documentos. Eu escolhi alguns e irei publicá-los aqui para quem quiser conhecer melhor a figura do "mais humano dos humanos", como afirmava a propaganda soviética.

"Carta de Lenine a V.V. Kuraev, E.B. Boch e A.E. Minkin

11 de Agosto de 1918

Para Penza [cidade siberiana]
Aos camaradas Kuraev, Boch, Minkin e outros comunistas de Penza

Camaradas! A revolta dos kulatchii [diminutivo depreciativo da palavra kulak, que em russo significa camponês abastado] em cinco distrito deve ser esmagada implacavelmente. Isso é exigido pelo interesse de toda a revolução, pois, agora, tem lugar, em toda a parte, o "último combate decisivo com os kulatchii. É preciso dar uma lição.

1) Enforcar (enforcar obrigatoriamente para que o povo veja) pelo menos 100 conhecidos kulaks, ricaços, vampiros.
2) Publicar os seus nomes.
3) Confiscar todos os seus cereais.
4) Fazer reféns em conformidade com o telegrama de ontem.
Fazer de modo a que a centenas de verts (1 verstá = 1,5 km) e redor, o povo veja, trema, saiba, grite: esganar e esganar os kulaks vampiros.
Telegrafem a informar da execução.
Vosso Lenine.

P.S. Arranjem pessoas mais duras."














2 comentários:

Anónimo disse...

Interessante, se voce soubesse disso ha mais tempo, aceitaria a bolsa de estudo dos comunistas?

José Milhazes disse...

Não, nem nunca teria sido comunista.