quinta-feira, junho 17, 2010

Rússia considera inaceitáveis sanções unilaterais dos Estados Unidos e União Europeia

O Ministério dos Negócios Estrangeiros da Rússia publicou hoje um comunicado onde considera “inaceitáveis” as sanções tomadas unilateralmente contra o Irão pelos Estados Unidos, bem como o pacote de medidas acordadas pelos ministros dos Negócios Estrangeiros da UE de pressão sobre Teerão.
“Como já assinalámos no nosso comentário sobre a aprovação da resolução 1929 do CS da ONU sobre o Irão, consideramos semelhantes atos dos parceiros como manifestação de uma política que vai contra os princípios do trabalho conjunto no “sexteto” e no quadro do CS da ONU”, lê-se no comunicado publicado.
Segundo a diplomacia russa, “para nós são inaceitáveis as tentativas de, desse modo, se colocarem “acima” do Conselho de Segurança. Rejeitamos categoricamente semelhante prática”.
“As medidas complementares de sanção contra o Irão, aprovadas por Washington, vão muito além do regime de sanções que vigoram em relação a Teerão no quadro do CS da ONU”, continua o comunicado.
O Ministério dos Negócios Estrangeiros da Rússia afirma estar também ao corrente do “pacote de medidas suplementares de pressão sobre o Irão acordado pelos Ministérios dos Negócios Estrangeiros da UE, que foi apresentado à Comissão Europeia”.
“Estamos desiludidos com semelhantes decisões. Elas minam as bases do nosso diálogo e da interação na questão das vias ótimas de regularização da situação em torno do programa nuclear iraniano”, considera a diplomacia de Moscovo.
“De fato, repete-se sempre a mesma história: logo que nós, à custa de grandes esforços, chegamos a um acordo no CS da ONU sobre a escolha de medidas de pressão sancionária precisamente equilibradas sobre o Irão, os Estados Unidos e a UE não ficam por aí e, rigorosamente falando, revelam desprezo político para com a parceria com a Rússia”, conclui.

6 comentários:

Gilberto Mucio disse...

Jogo de cena barato por parte da Rússia.

Na hora de votar as sanções contra o Irã no Conselho de Segurança, a Rússia votar a favor(junto com EUA), e o Irã se sentiu traído, Ahmadinejad mesmo mostrou seu desagravo.

Agora, a Rússia faz esse inútil, ridículo jogo de cena, que de efeito prático não tem nada.

É uma tentativa desesperada de dizer ao Irã, que sempre foi um mercado importante para a Rússia: "Olha, nós não os abandonamos! Vocês são nossos amigos e futuramente vamos fazer excelentes negócios!".

Jorge Almeida disse...

Doutor Milhazes, isto deve ser piada.

Veja lá se Moscovo esteve à espera de pronunciamentos do Conselho de Segurança para entrar pela Geórgia dentro! Ou, noutros tempos, pelo Afeganistão dentro!

Se não gostam das medidas, que o digam directamente, mas que não invoquem o Conselho de Segurança só quando dá jeito.

PortugueseMan disse...

A Rússia tem razão. Logo a seguir a conseguirem chegar a um consenso na ONU, saltam com isto?

O resultado vai-se ver no futuro, se esta resolução já foi difícil de obter, a próxima nem precisam de tentar.

Se é para andarem com coisas destas não procurem resoluções da ONU.

Jorge Almeida disse...

Nunca ninguém ligou nenhuma ao Conselho de Segurança da ONU. Se assim fosse, não havia bomba nuclear em Israel, Paquistão e Índia (pelo menos estes, falta saber se não há mais nenhum).

PM, pensei melhor, e fiquei a concordar com Gilberto Mucio. Parece-me que o consenso a que terão chegado é diferente do que tem na ideia. Moscovo terá feito esta declaração em concordância com os restantes membros do Conselho de Segurança, sabendo que não vai dar em nada, de modo a dizer ao Irão que ainda contam para Moscovo. No fundo, para estarem com um pé em cada lado, e não fecharem totalmente as portas.

Jorge Almeida disse...

Doutor Milhazes,

uma curiosidade fora do tópico.

Quando entrei no blogue, apareceu um anúncio publicitário da GoogleAds logo debaixo das suas barbas (salvo seja), a dizer "Quer ir ao Uzbequistão?
Tashkent, Samarcanda, Khiva, Bukara combinados com países Rota da Seda"

Não me parece que o Uzbequistão seja um sítio bom para fazer turismo nestes últimos tempos ...

Jose Milhazes disse...

Se eu tivesse dinheiro e oportunidade, iria já. Trata-se de uma região muito bonita.