terça-feira, junho 24, 2014

Rússia dá passo importante rumo à noralização situação na Ucrânia

Putin propôs a Parlamento para suspender autorização que tinha do emprego de tropas na Ucrânia
Antes da partida para Viena em visita oficial, o Presidente da Rússia, Vladimir Putin, enviou à Presidente do Conselho da Federação (Câmara Alta) do Parlamento russo, Valentina Matvienko uma carta onde propõe que o Conselho da Federação revogue a decisão de “emprego das Forças Armadas da Rússia no território da Ucrânia, informou Dmitri Peskov, porta-voz do chefe de estado.
Segundo ele, isso é feito “com vista à normalização da situação nas regiões orientais da Ucrânia, bem como devido ao início de conversações trilaterais sobre essa questão”.
As conversações entre as autoridades de Kiev e os separatistas pró-russos começaram ontem em Donetsk, no leste da Ucrânia, tendo como intermediários a Organização para a Cooperação e Segurança na Europa e a Rússia, e foi mesmo acordado um cessar de fogo para hoje.
Mas, embora ambas as partes se acusem mutuamente de violação desse cessar de fogo, as conversações de ontem são um passo sério na busca de uma solução política para a guerra civil na Ucrânia.
Kiev e Bruxelas exigiam que a Câmara Alta do Parlamento russo retirasse a Putin o poder de enviar tropas para a Ucrânia a fim de desanuviar a situação.

O Presidente russo fez isso no dia em que parte para a Áustria, onde deverá conversar com os dirigentes desse país da União Europeia sobre a construção do gasoduto Corrente do Sul, cuja construção Bruxelas pediu a suspensão.

15 comentários:

Pippo disse...

"Rússia dá passo importante rumo à norMalização DA situação na Ucrânia"

Nota: tanto quanto li, as autoridades de Kiev não estão directamente envolvidas nas negociações, tendo enviado um seu "representante", o ex-presidente Leonid Kushma.

Mais uma vez tenho de felicitar a Rússia pela manutenção do bom senso em relação a esta questão. Se bem que uma intervenção russa na Ucrânia fosse improvável (como, aliás, eu já o tinha afirmado), este anúncio, mais de cariz político do que outra coisa qualquer, transmite a mensagem de que a Rússia faz o que é necessário e lhe é exigível para "dar a mão" ao governo de Kiev. Cabe agora a estes fazer o que lhe é exigido para trazer a paz à Ucrânia, no integral respeito pelos direitos políticos e cívicos das minorias étnicas que compõe o tecido social do país.

José Milhazes disse...

Pippo, as autoridades de Kiev, incluindo Poroshenko, reuniram-se antes com Kutchma. Como é que não estão directamente envolvidas?

PortugueseMan disse...

Kiev e Bruxelas exigiam...

Esta teve piada. Deviam ter aproveitado e exigir o retorno da Crimeia.

PortugueseMan disse...

Caro Pippo,

Há pouco tempo tinha perguntado sobre o South Stream, entre hoje e amanhã, vamos ver as notícias que saiem acerca do assunto, dado a visita de Putin à Àustria.

No entanto espreite isto:

Austria pleads for South Stream pipeline

..."We need not only more suppliers, but also more variety in the routes that energy can flow to us," Foreign Minister Sebastian Kurz told reporters in Luxembourg yesterday (23 June), noting five European Union countries firmly backed the project...


http://www.euractiv.com/sections/energy/austria-pleads-south-stream-pipeline-303010

Ou seja, os pró South Stream manifestam-se e não estão a achar piada ao empastelamento político que está a ser feito.

Quanto à afirmação da necessidade tanto de mais fornecedores, como a necessidade de mais rotas vindas da Rússia, há quanto tempo venho martelando isto por aqui...

Além disto, começo a desconfiar que o traçado vai mudar significativamente, interrogo-me se o South Stream não vá directamente à Crimeia e daqui é que seguirá para a Bulgária.

PortugueseMan disse...

Austrian CEO wants EU 'exemptions' for South Stream

Gerhard Roiss, the head of Austrian energy champion OMV, has told the Wirtschaftsblatt that Austria should get "exemptions" from EU energy law so that it can help build Russia's strategic South Stream gas pipeline.

"Negotiations for South Stream should ... be accelerated, not put on ice," he noted.


http://euobserver.com/tickers/124716

Pippo disse...

Porque não enviaram nenhum ministro, ninguém que seja do governo, nada.

Enviaram alguém que não é nada e que, teoricamente, "representa" o governo de Kiev.

Aliás, basta ler o seguinte parágrafo, que consta de um artigo que está neste blog, para se ver que há representantes directos de todas as partes interessadas excepto... de Kiev:

“Nas conversações de paz participaram Mikhail Zubarov, embaixador da Rússia em Kiev, Haidi Talyavini, representante da direcção da OCSE, Leonid Kutchma, segundo presidente da Ucrânia, Victor Medvedtchuk, político pró-russo e dirigente da organização “Opção da Ucrânia”,dirigentes das auto-proclamadas repúblicas de Lugansk e Donetsk, nomeadamente Alexandre Borodai e Oleg Tzariov.”

http://darussia.blogspot.pt/2014/06/conversacoes-de-paz-serao-dificeis-na.html

O Kutchma é o único que não tem cargo oficial (não passa de um ex-presidente). Todos os outros são diplomatas, dirigentes políticos ou representantes de organizações.

Pergunta: porque é que Kiev não enviou um membro do governo ou da Presidência?

Eu cá suspeito que foi para não comprometer directamente as autoridade kievitas, possibilitando-lhes a todo o momento dizer que "quem assinou foi o Kutchma, não este governo".

N. Amorim disse...

"we will not only monitor, but also to respond appr. Hopefully, the armed forces are not required for this"

acho que a mensagem é clara.

Jonatan Souza disse...

http://portuguese.ruvr.ru/news/2014_06_24/Kiev-colhe-frutos-da-propaganda-antirrussa-3767/

Pippo disse...

PM, esta é para si:

http://www.realpolitik.tv/2014/06/pourquoi-linterruption-du-gazoduc-south-stream-et-quelles-consequences/

N. Amorim disse...

Isto explica muita coisa...

https://www.youtube.com/watch?v=w4lI1JEfrpY

https://www.youtube.com/watch?v=VCTEOP6UNow

Pippo disse...



As autoridade kievitas planeiam despedir os 17.000 polícias do Leste do país, que se juntaram à causa popular, substituindo-os por destacamentos da famigerada Guarda Nacional, composta por voluntários nacionalistas "ucranianos".

"Now there are about three thousand people serving in the battalion, and they plan to involve another 2,5 thousand volunteers. “Now, of course, the battalions have a certain feeling of Makhno-style freedom,” says Herashchenko. “But they are real patriots, and we need to create a new police force where it has disintegrated completely, especially in the East. In Donetsk oblast there are 17 thousand policemen, but de facto none of them are doing their duties. And we want to create a police force which will serve not a certain government, Kolomoyskiy, Avakov or Poroshenko, but the people directly.”"

E eis as ambições políticas desta força, armada por Kiev:

"Now it is most important to return Crimea and Kuban, and then we will see,” laughs “Kholodniy.” “Kuban is ethnic Ukrainian territory. And I want Ukrainians to return to our country."
(...)

"It is absolutely obvious that a lustration has to be carried out to prevent the regionals, communists and all who once worked with them from joining the government. If we don’t hold global cleanses in the higher government, we will get a Kuchma-era Ukraine: business clans will conspire among themselves.

We don’t need that, right?”

I ask one of the fighters what he will do after “Azov” does its duty in Donbas.

“We will go to Crimea, we will return it!” He says with a smirk. “But first we will go to Maidan once more. We have to remind the government why we are here now.” "

http://euromaidanpress.com/2014/06/24/the-political-prisoner-battalion-wants-to-go-to-maidan-and-return-crimea/


Portanto, nos planos está a democracia (mas só para quem partilhas dos ideiais destes voluntários), a paz (excepto para a Crimeia e o Kuban, ou seja, guerra contra a Rússia - talvez seja por isso que interessa que a Ucrânia adira à NATO!) e a "libertação" dos habitantes do Leste através de uma força "policial" composta por fanáticos nacionalistas e xenófobos.

O que vale é que a paz irá ser assinada...

Pippo disse...

OPS!

Austria and Russia sign South Stream gas pipeline treaty

http://rt.com/business/168044-austria-russia-south-stream/

Já sei que para alguns, a diplomacia da UE deveria falar a uma só voz (para cascar na Rússia, bem entendido), mas parece que há países que pensam nos interesses da sua população.

Agora Bruxelas tem mais um sapinho para engolir. É que a Áustria não é a Bulgária e já não apreciou aquela ingerência por parte da UE quando o país foi alvo de boicote oficial por a sua população ter dado votos a um partido de "extrema-Direita".

E porquê investir no South Stream?

"The head of the Russian Duma's International Affairs Committee, Aleksey Puskhov, wrote on Twitter on Tuesday that “Ukraine is in a long-term phase of unpredictability. Thus, South Stream is the only guarantee of uninterrupted gas supply to Europe.""

Jonatan Souza disse...

http://www.diariodarussia.com.br/economia/noticias/2014/06/25/russia-vai-substituir-importacoes-de-armamento-ucraniano/

Pippo disse...


Poroshenko wants Ukrainian to be the only official language in Ukraine

President of Ukraine Petro Poroshenko is firmly convinced that the Ukrainian language must be the only official language in Ukraine.
«Ukrainian was and always will be the only official and constitutionally acceptable language in Ukraine», — said the President at the meeting with the representatives of local self-government authorities and public authorities on Wednesday in Kyiv.

Decentralization of power will involve language or cultural issues, according to his speech. «The local authorities will have the right to use all other languages, including Russian, on a par with Ukrainian», — Poroshenko emphasized.

http://www.capital.ua/en/news/23416-poroshenko-ostavit-v-ukraine-odin-gosudarstvennyy-yazyk-ukrainskiy

Portanto, a língua falada por parte da população será a língua oficial e imposta a todos; todas as outras línguas, consideradas menores, para não dizer esrangeiras, serão relegadas para segunde plano.

E este é o gajo que veio para fazer a paz...

chukcha disse...

"Rússia dá passo importante rumo à noralização situação na Ucrânia"

A questão é que a Rússia, apesar do que o Milhazes para aqui vem dizendo, a Rússia sempre foi o unico player que nunca esteve interessado na destabilização da ucrânia.

A Crimeia foi uma acção punitiva contra o autismo dos fascistas Kievitas apoiados pela imbecilidade Ocidental, que ignoraram completamente a Rússia e os habitantes russofonos. Se juntarmos a isso o controlo do Mediterrânio (cf um post impecável que o Portugueseman tem lá no Blog dele com as delimitações da ZEE) e um apoio popular indesmentível e temos a mais brilhante intervenção militar da história da humanidade!

O Donbass continua a sua luta porque as pessoas têm alguma dignidade, e lembram-se dos sacrificios dos seus avós, quando foram invadidos pelos fscictas, do Ocidente....

Quanto ao resto: Eu acho que a Ucrânia se devia dividir. Assim a Rússia subsidiava as regiões anti-fascistas, e a UE podia subsidiar os Fascistas de UPA/UAE. Ficava bastante em conta para ambos ;), e consta que a Galicia tem... bom... tem... epá tem uns montes e produz emigrantes... mas se a Economia da Europa dispara, fazem falta pedreiros e empregadas domesticas em Paris...(agota com regime visa free!!!!!)